fbpx

Em chegada ao Rio, Fluminense frustra torcedores que vieram do Macapá

Depois da derrota para o Internacional, por 2 a 0, no Beira-Rio, o Fluminense chegou ao Rio de Janeiro, na manhã desta segunda-feira, preocupado com possíveis protestos de torcedores. Assim como fez no retorno de Salvador, no meio de semana, o clube reforçou a segurança para impedir maiores problemas.

Desta vez, foram 15 seguranças que, somados aos profissionais do aeroporto do Galeão, formaram uma equipe de 23 pessoas, além de um policial militar. De novo, não houve confusão, mas a delegação preferiu desembarcar pela pista, onde acessou o ônibus que a levou para o Centro de Treinamento, na Barra, onde ocorreria um treino fechado à imprensa. O temor era de que houvesse mais tricolores no entorno do local.

Havia seis torcedores que aguardavam a chegada do elenco. Dois deles se deslocaram de bem longe e, sem conseguir conhecer os jogadores, acabaram frustrados, mesmo após uma espera de duas horas. São eles Marco André e seu filho, Davi, que saíram de Macapá para o Rio, no objetivo de assistir ao segundo jogo da semifinal da Sul-Americana, quarta-feira, contra o Atlético-PR, no Maracanã.

– Viemos de longe por conta de uma paixão que não se explica. Vamos torcer, acredito. Mas a situação é difícil. Os caras (jogadores) têm de receber os (salários) atrasados. A diretoria precisa honrar os compromissos – disse Marco André.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Fluminense se resguarda contra cobranças da torcida em desembarque silencioso no Rio

Os jogadores saíram de Salvador na madrugada desta sexta-feira, depois de mais uma derrota no Campeonato Brasileiro, agora para o Bahia, por 2 a 0, na Fonte Nova. A chegada ao Rio de Janeiro aconteceu nas primeiras horas da manhã e, apesar do temor da diretoria, sem protestos de torcedores. Há seis jogos sem vencer ou marcar gols, o time passou pela imprensa em silêncio, o que ocorre desde o fim do duelo de quinta-feira.

Na intenção de promover um desembarque tranquilo, o clube acionou cerca de dez seguranças particulares para acompanhar a delegação no aeroporto do Galeão. Nas redes sociais, o que mais se vê são reclamações sobre a crise que assola Laranjeiras. Segunda-feira, inclusive, quando do empate com o Ceará, houve pichações nos muros da sede e até um bate-papo entre dois representantes de organizadas e líderes do elenco, como Gum, Júlio César e Digão.

Em um momento decisivo da temporada, os salários atrasados se somam a uma péssima campanha e ao risco de rebaixamento. Problemas que provocaram nos atletas um semblante cabisbaixo no retorno à Cidade Maravilhosa. Eles mesmos confessam o incômodo pela falta de pagamento.

A comissão técnica liberou os jogadores que estiveram em campo nesta rodada, em razão do desgaste pela viagem. Apenas os reservas treinarão durante a tarde. Deste modo, a entrevista coletiva com Sornoza, marcada para 17h, acabou sendo cancelada. Com 42 pontos e a quatro do Z-4, o Fluminense tem pela frente um encontro com o Internacional, domingo, no Beira-Rio.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com / Foto: Leonardo Achão

Fluminense desembarca no Rio com festa e ganha moral para clássico: “Jogamos por eles”

A euforia tomou conta de mais de cem tricolores que foram ao aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, nesta quinta-feira, para homenagear o time que eliminou o Nacional e garantiu vaga na semifinal da Sul-Americana. A festa foi tanta que a delegação, que retornava do Uruguai, demorou cerca de 40 minutos até embarcar no ônibus.

Nem o bloqueio formado por seguranças impediu os torcedores de se aproximarem dos principais nomes do jogo, como Everaldo, Gum e Luciano, que marcou o gol do 1 a 0 em Montevidéu, quarta-feira. Até mesmo Matheus Alessandro, que perdeu uma chance cara a cara com o goleiro, no fim do duelo, teve o apoio da torcida. Marcelo Oliveira, Sornoza, Ibañez e Júlio César, chamado de “o melhor goleiro do Brasil”, também foram bastante festejados.

– Sensacional, a gente espera esse amor da torcida. A gente joga por eles. Graças a Deus deu tudo certo e a gente pode comemorar com eles.(O gol) Representa muita coisa, é trabalho da equipe. Depois do empate em casa, muitos disseram que não ganharíamos lá. A gente trabalhou quieto e ganhou – declarou o centroavante.

Enquanto aguardavam o pouso do avião, os torcedores cantaram e se mostraram confiantes na conquista do torneio. A boa relação entre time e arquibancada dá moral para o clássico de sábado, contra o Vasco, no Maracanã, pelo Brasileirão. O técnico, entretanto, deve mandar a campo apenas os reservas, como no fim de semana passado.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

 

Top