fbpx

Convocação deixa Flu desfalcado em um dos “jogos do Campeonato”

Foto: Divulgação/FFC

Dois jogadores do Fluminense, Allan e Caio Henrique foram convocados para amistosos da seleção olímpica, desfalcando desta forma o clube nos jogos contra Cruzeiro (09/10 – 24ª Rodada) e Bahia (12/10 – 25ª Rodada).

Vivendo situação complicada complicada no Campeonato, os desfalques vieram em um momento onde o tricolor terá um dos “jogos do Campeonato”, na partida contra o Cruzeiro, que disputa com o Tricolor a fuga da zona do rebaixamento.

Celso inicia conversas para renovação de Allan e Caio Henrique, mas vê Yony ‘sem muito interesse’ em seguir no Flu

Vice-geral do Tricolor carioca também comentou sobre uma possível compra do zagueiro Nino junto ao Criciúma

Foto: Lucas Merçon / FFC

Nesta quarta-feira (18), o presidente Mário Bittencourt concedeu entrevista coletiva para falar sobre os 100 dias da nova gestão. Ao seu lado esteve Celso Barros, vice-geral do Fluminense, que comentou sobre os assuntos relacionados a futebol, principalmente a renovação de atletas. Em foco, o colombiano Yony González.

Um dos principais nomes do Tricolor nesta temporada, o atacante e o clube seguem conversando sobre uma possível extensão de vínculo. Porém, Celso demonstrou pessimismo quanto ao futuro de Yony com a camisa verde, branca e grená. Vale lembrar que o jogador veio para o Fluminense sem custo algum.

“Fizemos uma proposta para o Yony, conversamos com o pai dele. Ele não demonstra muito interesse em permanecer. Como veio sem custos, a gente fez uma proposta até parcelando uma eventual compra dos direitos, mas ele não deu resposta”.

Perguntado sobre Allan e Caio Henrique, que estão emprestados até o final da temporada, o vice-geral mudou de tom e relatou que existe sim a possibilidade de ambos continuarem no clube em 2020.

Foto: Lucas Merçon / FFC

“O Allan tem um representante no Brasil e estamos conversando. O Caio Henrique é representado pelo Deco (ex-jogador do clube), que tem um ótimo relacionamento conosco. As conversas estão ocorrendo e há chance de eles ficarem com a gente no ano que vem. O Daniel estamos esperando a documentação”.

Por fim, Celso Barros comentou a situação de Nino, também emprestado até o fim do ano. Para manter o atleta, que pertence ao Criciúma, o Fluminense precisa pagar R$ 5 milhões ao time catarinense.

“O Nino tem uma cláusula de compra de R$ 5 milhões por 50% e é um jogador que interessa. Vamos conversar com o Criciúma”.

Olho no olho! Allan responde sobre marcação inusitada contra o Corinthians: “Tentei intimidar”

Convidado do “Bem, Amigos” da semana, Allan explicou durante o programa a marcação para cima de Mateus Vital, do Corinthians, no triunfo por 1 a 0, domingo, no Mané Garrincha.

– Eu já estava cansado, aí tentei intimidar no olhar (risos). Eu sei que funcionou, vamos ver nas próximas. Agora, ele (Gustavo Scarpa, também no estúdio do SporTV) já conhece.

Após o jogo, a mulher do volante compartilhou em rede social vídeo do lance e, em tom de brincadeira, escreveu: “Acho que ele vai dormir em outro quarto. Tô com medo real”.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Allan destaca alívio após triunfo e mira arrancada no Brasileirão: “Agora, engrenamos”

O Fluminense saiu da zona de rebaixamento e quebrou a invencibilidade de 14 jogos do Corinthians com o triunfo desse domingo, por 1 a 0, no Mané Garrincha. Na saída de campo, Allan exaltou o desempenhos dos companheiros e disse confiar em arrancada no Brasileirão.

— Não só a minha (atuação foi boa), mas a de todos. Muita dedicação, acho que a gente tem que jogar assim todos os jogos, com o coração mesmo. Nosso momento não é dos melhores, mas a gente vai sair dessa. Se Deus quiser, vamos dar continuidade e vai dar tudo certo. Agora, engrenamos.

Para esse jogo, Oswaldo de Oliveira apostou numa escalação diferente da habitual. Pôs Yuri ao lado de Allan para liberar Paulo Henrique Ganso, autor do gol, para mais próximo da área. Tal esquema, de acordo com o técnico, demorou a ser usado por ausência de jogadores por lesão.

— Hoje usamos essa formação diferente, a primeira vez que a gente joga assim nessa temporada. Temos que ajustar umas coisinhas, mas hoje foi um ufa. Não dá muito para comemorar essa vitória, foi um ufa mesmo — concluiu Allan.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Dores persistem, e Allan segue como dúvida para 19ª rodada do Brasileirão

Ausente da derrota por 3 a 0 para o Palmeiras, terça-feira, na Arena, em razão de dores no pé direito, Allan não sofreu fratura, segundo exames médicos. Entretanto, o incômodo persiste, com risco, inclusive, de uma outra lesão na região. Desse modo, o volante como dúvida para jogo contra o Corinthians, domingo, no Mané Garrincha, quando vira o turno do Brasileirão.

Amanhã, Allan vai passar por testes que indicarão sua condição para treinar com o elenco na reapresentação, no CT. O problema no pé aconteceu no período em que o jovem acompanhou a seleção olímpica em amistosos diante de Chile e Colômbia, em São Paulo. Acabou impossibilitado de jogar os 45 minutos previstos no duelo com a seleção chilena, na segunda.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: GloboEsporte.com.

Apesar de relacionado, Allan não deve enfrentar o Palmeiras

Foto: Divulgação/FFC

O volante Allan que está relacionado para o jogo desta noite contra o Palmeiras, no Alianz Parque, em São Paulo, não deve atuar na partida.

O jogador que estava a serviço da seleção olímpica do Brasil, se reapresentou ao Tricolor com dores no pé e, de acordo com informação do site Globoesporte.com, o volante não entrará em campo.

Ainda de acordo com o portal, o jogador já deve voltar ao Rio de Janeiro ainda nesta terça-feira (10) onde passará por exames para saber o real grau da lesão.

Sem Allan, Oswaldo de Oliveira deve repetir a equipe que começou o jogo na vitória de 1 a 0 sobre o Fortaleza no último sábado, na Arena Castelão, com o meio sendo formado por Airton, Ganso e Nenê.

A serviço da seleção olímpica em SP, Allan se reapresenta ao Fluminense com chance de ser escalado contra o Palmeiras

A serviço da seleção olímpica para amistosos contra Colômbia (triunfo por 2 a 0, quinta-feira) e Chile, marcado para esta segunda, às 20h, no Pacaembu, Allan pode ser escalado para o jogo atrasado da 16ª rodada do Brasileirão, entre Palmeiras e Fluminense, às 21h dessa terça-feira, na Arena.

O volante se junta à delegação em São Paulo, mas depende de avaliação física e autorização da Diretoria de Competições da CBF para enfrentar o Alviverde. A entidade garante aos jogadores tempo mínimo de 66 horas de descanso, mas pode abrir exceções. Reserva no duelo com os colombianos, o jovem tem chance de entrar em campo diante da seleção chilena.

Na ausência de Allan, Oswaldo de Oliveira deve optar por Airton, como na vitória por 1 a 0 sobre o Fortaleza, sábado, no Castelão. O camisa 5, na ocasião, acabou substituído por Yuri no segundo tempo.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: GloboEsporte.com.

Allan se irrita com pergunta sobre Diniz e vê como injusta desclassificação na Sula: “Merecíamos vencer”

Volante tricolor afirmou também que o time não se perdeu entre os modelos dos dois técnicos e pregou foco total no Brasileirão

Foto: Lucas Merçon / FFC

Nesta última quinta, o Fluminense foi eliminado da Copa Sul-Americana ao empatar em 1 a 1 com o Corinthians, no Maracanã. Como o jogo de ida em Itaquera havia sido 0 a 0, o Tricolor deu adeus a competição nas quartas de final. O jogo, que marcou a estreia de Oswaldo de Oliveira no comando da equipe, mostrou um time voltado mais para a defesa e sem buscar o ataque com tanta ênfase como era antes.

Após a eliminação, o volante Allan falou na zona mista e negou que os jogadores tenham se perdido em meio a essa mudança de estilos. De acordo com ele, o Fluminense atuou de forma organizada e deve entender rapidamente a metodologia aplicada por Oswaldo.

“Acho que não ficamos perdidos, pelo contrário. Fomos organizados. São metodologias diferentes sim (Diniz e Oswaldo), mas os jogadores que têm de entender, não o treinador se adaptar aos jogadores. Então temos de entender o mais rapidamente possível a metodologia do Oswaldo e dar sequência”.

Perguntado sobre a diferença entre o modelo de Oswaldo e de Fernando Diniz, Allan se irritou e pediu para que se foque no presente, apesar de gostar do ex-treinador.

“Meu, temos que esquecer o Diniz. Gosto muito dele como pessoa, como treinador. Mas é passado. Todo jogo ficar comparando Diniz ao Oswaldo é complicado. Temos de entender o Oswaldo, a metodologia dele e dar continuidade ao trabalho”.

Por fim, o jovem volante comentou sobre o empate com o Corinthians e definiu como ‘injusta’ a eliminação da Sul-Americana. De acordo com o jogador, a equipe jogou bem e não vai se abalar para a sequência do Campeonato Brasileiro.

“Para a sequência, não (peso da eliminação). A gente ficou bem triste pelo resultado. Acho que jogamos bem, merecíamos vencer o jogo. Temos uma sequência que não é fácil, temos que tirar o Fluminense dessa situação. É virar a chave e o que nos resta é o Brasileiro”.

Allan analisa ajustes defensivos e projeta duelo de volta no Maracanã: “Buscar a vitória”

Volante tricolor também comentou sobre o primeiro contato com Oswaldo de Oliveira, novo treinador da equipe

Foto: Lucas Merçon / FFC

Um dos principais pilares do Fluminense neste ano, Allan voltou a atuar bem e teve boa participação no setor defensivo no empate em 0 a 0 com o Corinthians, pelas quartas de final da Copa Sul-Americana. Após a partida, o volante falou com a imprensa na zona mista em Itaquera e analisou a mudança de postura do Tricolor, que se fechou defensivamente e segurou o resultado fora de casa.

“A gente está corrigindo alguns, não sei se é erro, mas alguns ‘ajustinhos’ que a gente tinha no passado. É um estilo um pouco diferente defensivo do que tinha antigamente, mas não mudou muito as características, só umas correções mesmo”.

Allan também aproveitou para projetar o duelo de volta no Maracanã, no dia 29, às 21h30 (de Brasília). O volante tricolor afirmou que a equipe irá buscar a vitória e analisou a postura mais defensiva exercida pelo Fluminense na partida em São Paulo.

“A gente vai buscar a vitória, mas é difícil falar, cada jogo pode entrar de um jeito diferente. Hoje a gente ficou um pouco mais para trás por causa da pressão do Corinthians, é difícil jogar aqui”.

Perguntado se o time seguirá levando consigo os ensinamentos de Fernando Diniz, o jovem jogador disse que manterá características deixadas pelo ex-treinador, e somado a isso trabalhará para melhorar no setor de marcação.

“Acho que jogar todo time quer jogar, a segunda parte é marcar. A gente não vai fugir das características que o Fernando deixou. É só ajustar algumas coisas na defesa e esse é o jeito que vai seguir daqui para frente”.

Por fim, Allan enfatizou que, apesar do bom resultado levado para o Rio de Janeiro, não tem nada definido e a equipe deve entrar mais focada ainda.

“A gente sabe que tem mais 90 minutos, conseguimos suportar bem hoje, mas não significa nada e vamos para o próximo jogo”.

Após críticas da torcida, Allan reitera apoio do grupo a Fernando Diniz: “A gente vai até o fim”

Volante tricolor disse entender protestos dos torcedores, mas destacou que o elenco está fechado com o treinador

Foto: Lucas Merçon / FFC

Vivendo uma situação complicadíssima no Campeonato Brasileiro, o Fluminense voltou a dominar o adversário, finalizou mais de 30 vezes ao gol, mas perdeu. Dentro do Maracanã, o Tricolor viu o CSA, que sequer havia marcado um gol como visitante, vencer por 1 a 0 e caiu para a 18ª posição na competição, sendo ultrapassado por Cruzeiro e Chapecoense.

Bastante irritada com o resultado, a torcida vaiou, xingou e protestou contra o time, que venceu apenas três jogos em 15 rodadas no Brasileirão. O treinador Fernando Diniz foi o principal alvo dos tricolores durante e após a partida. Diante desse cenário o volante Allan, em entrevista à Rádio Brasil, disse entender as críticas da torcida, mas reiterou que o grupo está fechado com o técnico até o fim.

“Eles estão no direito deles, mas a gente ali dentro está junto com o Fernando, a gente vai até o fim. Desde o começo estamos juntos e não é agora que vai ser diferente”.

Top