Goleiro Rodolfo tem pena reduzida e já pode voltar a atuar

Flagrado no exame antidoping após a vitória do Fluminense por 4 a 1 sobre o Atlético Nacional de Medellín, da Colômbia, pela Copa Sul-Americana no dia 23 de maio de 2019, o goleiro Rodolfo teve a pena reduzida pela Conmebol e após um ano e sete meses de suspensão, poderá voltar a atuar.

Em maio do ano passado, a defesa de Rodolfo já havia entrado com um recurso na câmara de apelação da Conmebol, quando conseguiu a redução da pena em um ano, liberando o goleiro para treinos e jogos a partir de 23 de março de 2021. Contudo, um novo recurso aceito pela Comissão Disciplinar da Conmebol, em julgamento, voltou a reduzir a pena e liberou o jogador com base nas novas determinações da Agência Mundial Antidoping (WADA-AMA) para 2021.

Em agosto de 2020, Rodolfo também moveu recurso no Tribunal Arbitral Desportivo (TAS), que julgou em dezembro e negou a solicitação, mantendo a decisão da Conmebol. Porém, a história mudou com as novas regras da Agência Mundial Antidoping, que começaram a valer desde 1º de janeiro. Três dias depois, a defesa do goleiro entrou com novo recurso que foi aceito na última quarta-feira. Nos próximos 21 dias ainda caberá recurso por parte do tribunal.

Aos 29 anos, Rodolfo tem contrato até 31 de dezembro de 2021. O Fluminense ainda não informou se o goleiro será reintegrado ao elenco. Para a posição, o clube hoje conta com Marcos Felipe, que vem sendo o titular da equipe, Muriel, atualmente na reserva, e João Lopes, que vem jogando pelo time sub-23 no Campeonato Brasileiro de Aspirantes.

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Fonte: GE