fbpx

Preferido de Celso Barros, Ariel Holan é anunciado oficialmente por clube chileno

Um dos bons nomes disponíveis no mercado de treinadores, o argentino Ariel Holan já definiu o seu futuro. E não será no Brasil! A Universidad Católica do Chile anunciou oficialmente o acerto com o treinador.

Ariel Holan na Católica (Foto: Twitter Univ Católica Oficial)

Holan, além de ser um dos nomes preferidos de Celso Barros, que disse que chegou a ter conversas com o técnico, também foi colocado no radar de Santos e Athletico Paranaense.

Saudações Tricolores,

João Eduardo Gurgel

Em post de agradecimento, Celso Barros fala sobre Ariel Holan, planos para 2020 e muito mais. Confira!

Afastado pelo presidente Mário Bitencourt nessa reta final da temporada, o vice-presidente geral Celso Barros usou a sua rede social, o Instagram, para fazer um comunicado para toda a torcida tricolor.

Foto: Reprodução/Instagram

Celso falou sobre diversos temas da temporada atual e visando o ano que vem, inclusive, sobre o treinador argentino Ariel Holan, desejo da torcida do Fluminense. Confira o que ele falou:

“O Nosso Fluminense em 2019: Alívio. Parabéns. Necessidade de análises profundas. Planejamento 2020.”

“Eu gostaria de cumprimentar a TODOS os colaboradores do Fluminense (Laranjeiras, Xerém e CT Profissional) que se empenharam para manter o clube na série A do Campeonato Brasileiro.”
“Desde quando fui eleito, ao lado do Presidente, como Vice Presidente Geral, essa sempre foi a minha maior preocupação em relação ao campo. E não exponho isso agora, pelo contrário, deixei claro desde a nossa primeira coletiva no dia da vitória, em junho/19, assim como em outros momentos de reuniões junto à comissão técnica e jogadores. Tenho absoluta certeza que se não tivéssemos feito as mudanças – todas estas onde todos os responsáveis estiveram envolvidos – não teríamos sobrevivido. O aproveitamento depois da mudança inicial melhorou e nos fez permanecer na elite do Futebol Brasileiro.”
Aproveitando o alívio do momento, não comemoração pela colocação na tabela, acho importante esclarecer que alguns procuraram usar fatos como minhas falas (internas ou externas) para desgastar a imagem que tenho junto ao futebol do Fluminense. O momento em campo nunca deve ser político, porém o futebol brasileiro é bastante impactado por ela e avaliá-la faz-se necessário por todas as partes. Em qualquer gestão temos acertos e equívocos mas a omissão não faz parte da minha história e nunca fará – seja qual for a circunstância. O FLU é minha grande paixão e sei que ninguém duvida.”
“É chegada a hora do planejamento para o próximo ano e como Vice Presidente Geral, estando ou não à frente do futebol, seguirei ativo. Por isso, acho importante deixar claro e avaliarmos uma das características que tornou-se um “hábito” nos últimos anos: me preocupa profundamente que após a saída da UNIMED em 2014 (quando ficamos na 6 colocação), de 2015 a 2019, estivemos sempre na segunda página da classificação, inclusive esse ano em que obtivemos a modestíssima 14 colocação na tabela. Como defendemos em nossa campanha, inclusive, o Fluminense não é um clube para estar nesta virada de tabela. Na década que se encerra agora (2010 a 2019) “

– Corinthians – 3 títulos;
– Fluminense – 2 títulos;
– Cruzeiro – 2 títulos
– Palmeiras – 2 títulos
– Flamengo – 1 título

“Isso por si só já diz muito que temos aceitado muito pouco do fim de cada campeonato. Estamos entre os maiores da década. Gerações de torcedores nasceram vendo o FLU campeão graças às últimas conquistas. Não podemos deixar este orgulho morrer em nós torcedores. O Fluminense é maior do que todos nós e para isso precisamos mudar. Precisamos avaliar e voltar a escrever uma história vitoriosa.”

“Entendo que o momento financeiro do clube não é o mesmo do período que tivemos a UNIMED como patrocinadora e isso faz parte não apenas da realidade do nosso clube. Nem por isso, devemos achar que tudo pode e deve ser modesto. Tudo tem que ser feito de forma responsável, porém jamais pensando pequeno. Nestas situações de falta de verba a criatividade é o que fará diferença no resultado desportivo. Este é o nosso desafio: sermos criativos e termos coragem. Como o maior dos exemplos do que enxergo de criatividade e mudança de paradigma dentro do Flu é a minha predileção pela contratação de Ariel Holan para 2020, como todos já sabem. Muito já saiu na mídia e no momento que conversamos, extra oficialmente, ele tinha uma extrema motivação em vir para o Fluminense. Uma grande certeza que tenho é que o Fluminense Football Club precisa alçar por maiores ambições – sendo sempre responsável dentro e fora de campo.”

“Certamente há muito a ser feito para modernizarmos o futebol do FLU. Da minha parte na posição institucional que exerço estarei sempre à disposição do clube para colaborar no que for necessário e não pouparei esforços. ST”

O que achou das palavras do Celso, torcedor?

Saudações Tricolores,

João Eduardo Gurgel

Ariel Holan confirma negociação com clube brasileiro: “Verei a possibilidade que mais me seduz”

Em entrevista ao jornal “El Cordillerano”, durante palestra na cidade de Bariloche, na manhã dessa sexta-feira, Ariel Holan confirmou negociação para treinar um clube brasileiro em 2020. A declaração surge no momento em que tricolores, por meio de campanha nas redes sociais, buscam convencer a diretoria da contratação do técnico de 59 anos, desempregado desde a dispensa do Independiente-ARG, em maio.

— Neste momento, meu representante está no Brasil. É o que posso dizer. Verei, no final de semana, que novidades se tem e, das possibilidades que temos, qual é a que mais me seduz, dependendo do projeto do clube, além do econômico. Analisaremos no fim de semana e durante o início da semana que vem e, certamente, decidiremos, porque já é tempo de voltar a treinar — disse.

Holan vem sendo especulado no Brasil há alguns meses. Teve seu nome ventilado, inclusive, nas Laranjeiras, depois da demissão de Fernando Diniz, que acabou sucedido por Oswaldo de Oliveira no fim de agosto. Até Internacional e Atlético-MG chegaram a ter o argentino em pauta.

— O campeonato brasileiro realmente me encanta. Tenho um respeito enorme pelo que o (futebol do) país conseguiu ao longo de sua rica história. Trabalhar num campeonato dessa envergadura é enriquecedor para qualquer treinador. Esses são fatores que me seduzem muitíssimo para poder trabalhar lá – finalizou.

No empate em 0 a 0 com o Fortaleza, quarta-feira, pela penúltima rodada do Brasileirão, Marcão, auxiliar que assumiu o comando do Time de Guerreiros em setembro, após a conturbada saída de Oswaldo, despistou sobre seu futuro.

— Depois que acabar tudo isso, sentaremos com o presidente e veremos a melhor situação para mim e para a instituição. Sinceramente, ainda não consegui parar e pensar no que vai ser o Marcão daqui para a frente. Estou vivendo o momento, o dia a dia. Hoje eu sou o técnico do Fluminense. Brigamos para sair do Z-4 e temos um objetivo para conquistar. Vamos em busca dessa vaga (na Sul-Americana) e depois a gente conversa com o presidente. Para o bem do clube, para mim.

Carreira de Ariel Holan

Ariel Holan já exerceu as funções de analista de vídeo e de assistente técnico. Em 2015, decidiu assumir o comando do Defensa y Justicia. Dali, em meados de 2016, saiu para o Independiente, pelo qual conquistou a Sul-Americana de 2017 em cima do Flamengo, no Maracanã. No ano seguinte, ainda venceu a Copa Suruga.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Opinião – A quem entregar o comando ?

Fim de temporada e começam as especulações. Para nós, começam pelo nome do futuro treinador.

Nos últimos dias, muitos nomes circulando.

A torcida, nas redes sociais, já elegeu seu favorito.

Comecemos por ele.

Ariel Holán, 59 anos, tem entre seus feitos ter ganho uma medalha de bronze dirigindo a seleção uruguaia de hóquei na grama, no pan de 2003.

Adepto da tecnologia, passa ao futebol como analista de desempenho, introduzindo novos sistemas e métodos de avaliação, no Arsenal de Sarandi. Ainda como analista de desempenho passa por Estudiante, Independiente, Banfield e River Plate, onde passa a auxiliar técnico de Matias Almeyda.

Em 2015 tem sua primeira missão como treinador no Defensa y Justicia, onde chega às 4° de final da Copa da Argentina (2015/16). Em dezembro de 2016 vai para o Independiente, conquista a Sulamericana de 2017 batendo o Flamengo no Maracanã e a Copa Suruga em 2018. Em maio de 2019, é demitido por conta de resultados e muitos problemas com jogadores, diretoria e membros da comissão técnica.
Atualmente dedica-se a estudos de futebol junto a seu staff.

Custaria em torno de R$ 400 mil/mês.
A seu favor pesam as idéias inovadoras de jogo, adaptando táticas e métodos de outros esportes como hóquei e basquete para o futebol.

Contra a pouca experiência como treinador e pouca habilidade na gestão de grupo.
Outros nomes tem sido comentados como Eduardo Barroca, 37 anos, com passagem no Fluminense como coordenador de futebol em 2014 e várias direções em categorias de base e como auxiliar em diversos clubes no Brasil e bons trabalhos em 2019 a frente das equipes principais de Botafogo e Atlético GO.
Teria um custo menor.

A seu favor o conhecimento do clube, da base, dos que permanecerem do plantel e do mercado para buscar reforços, além de concepção de jogo de valorização da posse de bola e ofensividade.

Contra, a exemplo de Holán, a pouca experiência.

Duas apostas sem dúvidas.

Vejamos onde a diretoria colocará suas poucas fichas.

Celso Barros admite ter conversado com Ariel Holan. Jose Peseiro também foi oferecido.

Celso Barros concedeu uma entrevista coletiva nessa sexta-feira em sua casa na Barra da Tijuca ressaltando sua indignação ao ser afastado do departamento de futebol e negou que vai renunciar ao cargo de vice-presidente.

Um dos tópicos abordados foi o treinador do Fluminense. Celso, segundo Mário Bittencourt, era a favor da demissão de Marcão e segundo o próprio Celso, ouve conversas com o técnico argentino Ariel Holan para assumir o clube.

Outro nome oferecido foi o do portugûes José Peseiro, após Marcão ser efetivado pelo presidente Mário Bittencourt, em outubro. A informação foi dada pelo Yahoo!

O nome de Peseiro foi levado ao Fluminense pela empresa Baller 360, que conversou com Celso Barros ePaulo Angione. As negociações, porém, não avançaram, pois Marcão conta com o apoio do mandatário tricolor.

Aos 59 anos, José Peseiro foi um dos grandes adversários de Jorge Jesus em Portugal. Ele chegou a trabalhar como auxiliar de José Mourinho, no Real Madrid. Treinou equipes como Porto, Sporting Lisboa, Panathinaikos e a seleção da Arábia Saudita e atualmente, está sem clube.

Saudações Tricolores,

João Eduardo Gurgel

Fluminense estaria em conversas com o argentino Ariel Holan, ex Independiente

Foto: Divulgação

De acordo com informações do site do canal argentino Tyc Sports, o Fluminense estaria em conversas com o técnico hermano Ariel Holan, campeão da Copa Sul-Americana com o Independiente em 2017, diante do Flamengo.

Holan está atualmente sem clube e retornou recentemente de um período de estudos na Europa, onde fez reuniões com o meio espanhol Pep Guardiola (Manchester City), seu compatriota, Maurício Pochettino (Tottenham) e o chileno Manuel Pellegrini (West Ham).

Ainda de acordo com o portal, o nome de Zé Ricardo também aparece como possibilidade para assumir o comando técnico do Fluminense

Top