Com ‘Hat-Trick’ diante do Figueirense Nenê se torna artilheiro do Brasil, nesta temporada

Após atuação de gala na partida válida pela terceira fase da Copa do Brasil, Nenê chegou ao sexto gol nos últimos três jogos em que disputou. Ao todo, nesta temporada, o meia-atacante já marcou 15 vezes em 23 oportunidades.

Principal jogador do Fluminense até a parada, devido a pandemia, Nenê teve um retorno muito à quem daquele do início do ano. Porém, nessa retomada do futebol, desde que voltou a atuar mais centralizado, o camisa 77 vem recuperando seu protagonismo na equipe. E com os três gols marcados diante do Figueirense, o jogador de 39 anos assumiu a liderança da artilharia no país.

Confira o Top 10 dos artilheiros no Brasil, nesta temporada

Nenê (Fluminense) – 15 gols | 23 jogos
2° Tiago Orobó (Fortaleza/América-RN) – 15 gols | 24 jogos
3° Léo Gamalho (CRB-AL) – 14 gols | 22 jogos
4° Gabriel Barbosa (Flamengo) – 13 gols | 19 jogos
5° Germán Cano (Vasco) – 12 gols | 17 jogos
6° Edu (Brusque-SC) – 12 gols | 17 jogos
7° Cléber (Ceará/Barbalha-CE) – 12 gols | 23 jogos
8° João Carlos (Volta Redonda) – 11 gols – 16 jogos
9° Paolo Guerrero (Internacional) – 10 gols | 15 jogos
10° Thiago Alagoano (Brusque) – 10 gols | 19 jogos
11° Gilvan (Real Brasília) 9 gols | 14 jogos
12° Diego Souza (Grêmio) – 9 gols | 15 jogos
13° Luiz Adriano – 9 gols | 20 jogos
14° Thiago Galhardo – 8 gols | 21 jogos
15° Bruno Henrique – 8 gols | 18 jogos


Fonte: Goal.com
Foto: Lucas Merçon/FFC

Com mais um gol pra conta, Yony assume artilharia no Flu

Foto: Lucas Merçon/FFC

O atacante Yony Gonzalez se transformou na grande figura do Fluminense pós Copa América, marcando gols importantes e decisivos para o Fluminense.

Os números transformaram Yony no principal nome do ataque Tricolor: em 5 partidas o colombiano balançou as redes em cinco oportunidades, passando em branco apenas no empate por 1 a 1 contra o Ceará.

A fase goleadora transformou o jogador no principal artilheiro da equipe na temporada ao lado de Luciano – que se transferiu para o Grêmio, com 15 gols. Logo na sequência, vem João Pedro, com nove tentos marcados.

João Pedro começa a ser protagonista no ataque

Crédito: Lucas Merçon / FFC

Em meio ao turbilhão de coisas que assolam um time quando perde uma partida, um ponto positivo salta aos olhos do torcedor Tricolor, João Pedro. O jovem, a cada partida que passa vai ganhando o status de protagonista no ataque do Fluminense. São oito gols no ano, feitos em 11 jogos, sendo apenas dois como titular.

O líder da artilharia no ano é o Luciano que tem 15 gols marcados. Porém, para chegar nessa marca, ele precisou de 28 partidas. Com isso, ele está com uma média de 0,53 tentos por partida. Já a joia de Xerém tem uma média de 0,72. Isso já garante o jovem como artilheiro do time na Sul-Americana com três gols.

Pegando como base o levantamento feito pela ESPN, João Pedro está melhor do que Cristiano Ronaldo, Romário, Messi, Ronaldinho Gaúcho e Neymar neste início de temporada como profissional. Só perde para Ronaldo Fenômeno, que em seu ano de estreia, jogou 21 partidas e fez 20 gols.

Neste caso, os números não servem para projetar ou equiparar a carreira do jovem Tricolor com os nomes consagrados do esporte, porém, já mostra que o menino de 17 anos está conquistando o protagonismo do ataque do Fluzão, sendo o jogador em que a torcida deposita suas esperanças de dias melhores.

Pedro é o artilheiro do Campeonato Carioca de 2018

O Fluminense ficou de fora da final do Campeonato Carioca, vencida pelo Botafogo, mas viu seu novo centroavante, Pedro, comemorar a artilharia do torneio, com sete gols. Brenner e Ríos, de Bota e Vasco, respectivamente, estavam na cola do tricolor, mas passaram em branco na decisão.

– Me preparei a vida inteira para ser artilheiro, afinal de contas, atacante vive de gols. Comigo não podia ser diferente. Penso em marcar os gols, mas aprendi e sigo me aprimorando para, na falta de oportunidades, deixar meus companheiros em melhores condições de marcar – disse.

Pedro assumiu a responsabilidade de ser o matador do time depois da saída de Henrique Dourado, agora no Flamengo. As chances entre os titulares eram o sonho do jogador e, em 2018, se tornaram realidade. Melhor, impossível: ele passou a ser o mais jovem na história do clube na era moderna a ser goleador de um Campeonato oficial.

– Sempre foquei na preparação para ser titular no profissional do Fluminense. Esperava as oportunidades e o professor Abel me deu essa sequência. Graças a Deus, as coisas vêm dando certo – celebrou.

Apesar da felicidade pela conquista individual, Pedro confessa ter guardado mágoa da eliminação na semifinal, para o Vasco. Lembrou, ainda, que a artilharia merece ser compartilhada com os companheiros de elenco.

– Nada muda o fato de termos ficado fora da final. Ainda mais do jeito que aconteceu, gol nos acréscimos, dá, sim, uma pontinha de decepção. Mas faz parte do futebol. Detalhes. A artilharia não premiará só o Pedro, mas o time todo, que trabalhou e criou as chances para mim.

Atrás do camisa 32 do Tricolor, Marcos Jr., também do Fluminense, e Brenner, do Botafogo, e Pipico, do Macaé, terminaram o Carioca tendo marcado seis vezes.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.