fbpx

João Pedro começa a ser protagonista no ataque

Crédito: Lucas Merçon / FFC

Em meio ao turbilhão de coisas que assolam um time quando perde uma partida, um ponto positivo salta aos olhos do torcedor Tricolor, João Pedro. O jovem, a cada partida que passa vai ganhando o status de protagonista no ataque do Fluminense. São oito gols no ano, feitos em 11 jogos, sendo apenas dois como titular.

O líder da artilharia no ano é o Luciano que tem 15 gols marcados. Porém, para chegar nessa marca, ele precisou de 28 partidas. Com isso, ele está com uma média de 0,53 tentos por partida. Já a joia de Xerém tem uma média de 0,72. Isso já garante o jovem como artilheiro do time na Sul-Americana com três gols.

Pegando como base o levantamento feito pela ESPN, João Pedro está melhor do que Cristiano Ronaldo, Romário, Messi, Ronaldinho Gaúcho e Neymar neste início de temporada como profissional. Só perde para Ronaldo Fenômeno, que em seu ano de estreia, jogou 21 partidas e fez 20 gols.

Neste caso, os números não servem para projetar ou equiparar a carreira do jovem Tricolor com os nomes consagrados do esporte, porém, já mostra que o menino de 17 anos está conquistando o protagonismo do ataque do Fluzão, sendo o jogador em que a torcida deposita suas esperanças de dias melhores.

Pedro é o artilheiro do Campeonato Carioca de 2018

O Fluminense ficou de fora da final do Campeonato Carioca, vencida pelo Botafogo, mas viu seu novo centroavante, Pedro, comemorar a artilharia do torneio, com sete gols. Brenner e Ríos, de Bota e Vasco, respectivamente, estavam na cola do tricolor, mas passaram em branco na decisão.

– Me preparei a vida inteira para ser artilheiro, afinal de contas, atacante vive de gols. Comigo não podia ser diferente. Penso em marcar os gols, mas aprendi e sigo me aprimorando para, na falta de oportunidades, deixar meus companheiros em melhores condições de marcar – disse.

Pedro assumiu a responsabilidade de ser o matador do time depois da saída de Henrique Dourado, agora no Flamengo. As chances entre os titulares eram o sonho do jogador e, em 2018, se tornaram realidade. Melhor, impossível: ele passou a ser o mais jovem na história do clube na era moderna a ser goleador de um Campeonato oficial.

– Sempre foquei na preparação para ser titular no profissional do Fluminense. Esperava as oportunidades e o professor Abel me deu essa sequência. Graças a Deus, as coisas vêm dando certo – celebrou.

Apesar da felicidade pela conquista individual, Pedro confessa ter guardado mágoa da eliminação na semifinal, para o Vasco. Lembrou, ainda, que a artilharia merece ser compartilhada com os companheiros de elenco.

– Nada muda o fato de termos ficado fora da final. Ainda mais do jeito que aconteceu, gol nos acréscimos, dá, sim, uma pontinha de decepção. Mas faz parte do futebol. Detalhes. A artilharia não premiará só o Pedro, mas o time todo, que trabalhou e criou as chances para mim.

Atrás do camisa 32 do Tricolor, Marcos Jr., também do Fluminense, e Brenner, do Botafogo, e Pipico, do Macaé, terminaram o Carioca tendo marcado seis vezes.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Top