fbpx

Esposa de Allan relata ameaças de morte após ida do volante para o Atlético-MG: “Isso não é Fluminense”

A ida de Allan para o Atlético-MG repercutiu mal entre os tricolores. Horas após o anúncio da contratação pelo Galo, nessa quarta-feira, a esposa do volante, Jordana Von Holleben, relatou ter recebido ameaças de morte e comentários maldosos sobre a depressão sofrida pelo marido na Europa, durante período difícil da carreira.

— Ainda bem que eu tenho a plena maturidade de reconhecer que a torcida do Fluminense não se baseia na minoria. Minoria desejando a volta da depressão, ameaças de morte a mim e minha filha, mil e uma ofensas, comentários maldosos e de baixo calão — escreveu em rede social, completando:

— Isso não é futebol. Isso não é esporte. Isso não é Fluminense. Mais respeito com o Fluminense! Respeito com pessoas que têm depressão. Isso é uma doença séria.

Publicado por: Nicholas Rodrigues.

Atlético-MG divulga acerto com Allan

Mesmo com acordo com o Liverpool pela compra de Allan, o Fluminense perdeu o volante para o Atlético-MG. A novela chegou ao fim nesta quarta-feira, quando o Galo anunciou a contratação nas redes sociais. O contrato vale até o fim de 2023.

A transferência do jogador para o Alvinegro parecia encaminhada quando o Tricolor voltou à disputa e, depois de um mês de negociação, alcançou, na segunda-feira, o valor desejado pelos ingleses: 3,75 milhões de euros (R$ 17,05 milhões), parcelados em oito vezes ao longo de dois anos, por 90% dos direitos econômicos. O Time de Guerreiros, inclusive, recebeu dos Reds a documentação necessária para a conclusão do negócio.

No dia seguinte à reviravolta, porém, o jovem de 22 anos viajou a Belo Horizonte para passar por exames médicos e acertar com o clube mineiro, que pagará à vista, com ajuda de investidores, 3 milhões de euros (R$ 13,6 milhões) por 80% do passe.

Contratado por empréstimo junto ao Liverpool em fevereiro de 2019, Allan participou de 47 jogos do Fluminense. O destaque nas Laranjeiras rendeu a ele convocações para a seleção brasileira olímpica. Seu primeiro treino na nova casa deve acontecer na quinta-feira.

Publicado por: Nicholas Rodrigues.

Segundo jornalista, Allan jogará pelo Atlético Mineiro em 2020

A novela Allan deve ter seus últimos capítulos nos próximos dias ou até mesmo nas próximas horas, quando o jogador decidirá seu futuro de que clube irá defender em 2020.

Depois de uma dura queda de braço entre Atlético Mineiro e Fluminense, o jogador deve assinar com o Galo, pelo menos é o que garante o jornalista Paulo Vinícius Coelho, o PVC.

Em seu blog pelo site do UOl, PVC afirma que Allan irá defender o Atlético Mineiro nesta temporada, quando assinará um vínculo de quatro temporadas com o Galo.

Foto em destaque: Divulgação/FFC

Acordo com Liverpool sela permanência de Allan no Fluminense

O acordo entre Fluminense e Liverpool, firmado no apagar das luzes, nessa segunda-feira, melou a ida de Allan para o Atlético-MG e selou sua permanência nas Laranjeiras por ao menos mais quatro temporadas. Os tricolores terão 90% do passe do volante de 22 anos.

O clube inglês enviou na manhã desta terça-feira a documentação necessária para a conclusão do negócio, fechado após a proposta dos cariocas subir para 3,75 milhões de euros (R$ 17,1 milhões). O valor será pago em oito parcelas ao longo dos próximos dois anos.

A assinatura do contrato pode ocorrer ainda hoje. Assim, é grande a chance de que o jogador se apresente amanhã no CT junto ao restante do elenco.

A investida do Galo, principal concorrente, era de 3 milhões de euros (R$ 13,65 milhões) à vista. Pesou na tratativa a vontade de Allan de seguir no Time de Guerreiros, que o colocou em evidência no cenário nacional em 2019. O jovem ainda sonha com uma vaga nas Olimpíadas de Tóquio.

Publicado por: Nicholas Rodrigues.
Fonte: UOL.

Virou novela ? Fluminense aumenta proposta e pode assegurar permanência de Allan

O presidente Mário Bittencourt declarou que via com boa possibilidade a continuidade de Allan no Fluminense, no entanto, enquanto o mandatário Tricolor concedia coletiva, o Atlético Mineiro praticamente fechava o negócio pelo jogador.

Contudo, ainda na noite desta segunda-feira (6) o Fluminense elevou a proposta pelo volante e pode melar a negociação de Allan com o Galo.

O Fluminense havia oferecido 3 milhões de euros (cerca de R$ 13,6 milhões) em seis parcelas ao longo de dois anos, mas a proposta do Atlético-MG, com a ajuda de um investidor, era de pagar o mesmo valor, só que à vista. Recebendo um sinal positivo dos ingleses.

O Fluminense no entanto recebeu uma nova contraproposta de 3,75 milhões de euros (R$ 17,05 milhões) dos ingleses e, concordou em pagar o valor, desde que fosse dividido em oito parcelas ao longo de dois anos, e assim como o Atlético, recebeu sinal verde dos ingleses.

O destino de Allan agora está nas mãos do clube inglês, que deve definir onde o volante de 22 anos irá atuar em 2020. O que poderia pesar também é a vontade de Allan, que tem até uma preferência em defender o Flu, mas não se oporia caso tivesse que se transferir ao futebol mineiro.

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Fonte: Globoesporte.com

Flu enfrenta grande concorrência por Allan que é pretendido por outro clube brasileiro

Ainda com futuro incerto, o volante Allan parece ser o alvo de uma grande disputa entre clubes brasileiros. O jogador que pertence ao Liverpool, da Inglaterra, disputou o último Campeonato Brasileiro pelo Fluminense, sendo um dos grandes destaques do tricolor na competição.

Além do próprio Fluminense, São Paulo, e Atlético Mineiro na demonstraram interesse em contar com o jogador que agora parece estar na mira do Grêmio.

De todos, o São Paulo parece ser o caminho mais distante, contudo, ainda segue no páreo. O Fluminense já sinalizou com a intenção em adquirir 50% dos direitos do volante para tê-lo em definitivo.

Já o Atlético parece ser o clube mais a frente na negociação, pois já teria oferecido uma oferta para comprar os 100% do jogador, coisa que o Liverpool deseja. Ao que indica, o Grêmio deve apresentar uma proposta nos moldes do Galo para tentar fechar com o jogador.

Apesar de ter oferecido uma proposta abaixo dos concorrentes, o Fluminense conta com o apelo emocional por ter recuperado o futebol do jogador que chegou a ser convocado para disputar amistosos pela seleção sub-23.

Foto em destaque: Divulgação/FFC

Com diversos desfalques, Mancini esboça time para enfrentar o Flu

Foto: Divulgação/Galo

No treino coletivo da última quinta-feira (14) o técnico Vágner Mancini esboçou a equipe que deve entrar em campo para enfrentar o Fluminense.

Desfalcado de, principalmente no setor de meio de campo, com a ausências de Otero, servindo a seleção venezuelana e Elias e Nathan contundidos, Mancini testou a equipe com as entradas de Jair e Marquinho, ambos se recuperando de lesão. Outra ausência é o lateral direito Guga, convocado para a seleção olímpica.

Marquinho, recém promovido da base, deve ter a incumbência de substituir Otero, um dos principais nomes dos últimos jogos. Jair, titular antes da contusão, tem as mesmas características de Elias, contudo, ainda não tem a garantia de condições para atuar os 90 minutos.

Desta forma, o provável time do Galo que deve iniciar a partida deve ser o seguinte: Cleiton; Patric, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison, Jair, Luan, Cazares e Marquinhos; Di Santo.

Interesse oficial: Atlético Mineiro formaliza proposta por Yony Gonzalez

Foto: Divulgação/FFC

Um dos nomes de destaque na atual temporada do Fluminense, o atacante Yony Gonzalez ainda segue com seu futuro incerto.

Com contrato até o final de 2019 com o Tricolor, o atacante têm despertado interesse de diversos clubes, nos quais estariam: Palmeiras, Corinthians, Grêmio e Atlético Mineiro.

Dos quatro, apenas o Galo demonstrou interesse real no atacante, chegando inclusive a formalizar uma proposta oficial por Speed.

Como o contrato de Yony com o Fluminense se encerrando no final do ano, o jogador poderia assinar um pré contrato com qualquer outra equipe.

Vale destacar que o Fluminense já se reuniu com representantes do jogador para tentar a extensão do vínculo.

Após derrota para o Galo, Diniz lamenta chances desperdiçadas e reforça confiança no trabalho

Treinador tricolor ainda destacou que crê na confiança da diretoria e elogiou o desempenho dos atletas, que jogaram de “igual para igual” com o Atlético-MG em pleno Independência

Foto: Mailson Santana / FFC

No último sábado, o Fluminense foi até o Independência e perdeu por 2 a 1 para o Atlético-MG. Com o resultado, a equipe ficou estacionada na 16ª colocação com apenas 12 pontos somados no Campeonato Brasileiro. Mesmo com uma boa atuação e tendo dominado o time da casa em grande parte do primeiro tempo, o Tricolor não conseguiu transformar o desempenho em gols e acabou sofrendo as consequências, expondo mais uma vez o principal problema que Fernando Diniz vem enfrentando nesta primeira temporada como treinador do clube.

Após a derrota – a oitava em 14 jogos -, o técnico concedeu entrevista coletiva e fez uma análise da partida. Para ele, o maior erro do Fluminense foi não ter conseguido abrir o placar quando esteve melhor postado que o Galo, principalmente na primeira etapa.

O principal pecado do time hoje foi não ter feito os gols na hora que estávamos bem melhor no jogo. Ele (técnico do Atlético) veio com uma estratégia de marcar em cima e variou a marcação. Jogamos no campo do Atlético os 30 primeiros minutos inteiros. Se eles tivessem marcado lá em cima ficaríamos acuados, não foi o que aconteceu. Os primeiros minutos fomos muito soberanos, tivemos muitas chances de abrir o marcador e não conseguimos marcar. A partir daí o jogo ficou de transição rápida, eles esticaram algumas bolas e levaram vantagens em alguns lances. Eles até terminaram o 1º tempo um pouco melhor que a gente, fizeram o gol. No segundo tempo tomamos o gol muito cedo. Eles recuperaram uma bola em uma saída de jogo nossa, um erro que não costumamos cometer. Fizeram 2 a 0. O jogo ficou bem desenhado. A gente atacando, eles usando contra-ataque, jogo aberto, jogo foi bom“.

Diniz também comentou sobre o resultado do jogo. De acordo com o treinador, a derrota foi injusta, tendo em vista que sua equipe teve uma boa atuação e buscou a vitória.

Na Sul-Americana temos jogado bem, conseguindo os resultados. Contra o Inter jogamos muito bem, era para ter sido um placar bem mais elástico. E hoje, pelo que foi o jogo, não merecemos a derrota, de maneira alguma. E a diretoria deve acreditar que vai dar certo, por isso que eles estão com a gente acreditando no trabalho“.

Perguntado se teme uma possível demissão, o comandante tricolor destacou que o Fluminense vem jogando de igual para igual com grandes potências do futebol brasileiro e o trabalho vem sendo bem feito. Por isso, a diretoria pode confiar que dias melhores virão.

Primeiro que eu acredito muito que vamos sair dessa situação. E o que segura é justamente a consistência de que o time joga bem. Hoje o Fluminense teve mais chance de ganhar que o Atlético. A gente não vai tirar o time da zona do rebaixamento jogando mal. Quando se faz esse tipo de questionamento, a ideia é que se tem é que joga bem, joga melhor, e por isso perde. Não é isso. Na minha cabeça eu tenho a convicção de que o time vai sair dessa situação. Ao mesmo tempo, o time fez grandes partidas na Sul-Americana e não tem nada a ver que um é copa e outro é campeonato“.

O que o treinador pode fazer é aumentar as chances do time ganhar, e isso tem sido feito constantemente. Nós merecemos ganhar do São Paulo e hoje merecíamos no mínimo o empate, na minha opinião. Temos que continuar com o trabalho, que vai dar certo. O time não está oscilando na questão do trabalho, desempenho… Os jogadores estão se entregando, comprando a ideia. De alguma forma, o torcedor também ainda acredita. Agora, temos que sair dessa situação, temos que ganhar jogo. O que segura o trabalho é vir aqui jogar aqui contra o Atlético-MG, como foi contra o Cruzeiro, como contra o Grêmio, e o Fluminense, com as dificuldades financeiras que temos, com a folha salarial que temos, com os jovens que vamos lançando, com os jogadores que vamos melhorando, e consegue enfrentar qualquer time de igual para igual com uma chance maior de ganhar. E isso gera confiança, não desconfiança. Se o time tivesse jogando mal, certamente eu já seria demitido“.

Foto: Mailson Santana / FFC

Veja abaixo mais trechos da coletiva de Fernando Diniz:

Posicionamento de Ganso

Quando o time perde e o time ganha, o Ganso joga parecido. Jogou parecido de como foi contra o Inter, da maneira como ele joga. Nos primeiros minutos tivemos muitas chances de gol justamente pelo Ganso estar jogando em uma zona de flutuação, de achar o passe na frente. Acho que em alguns momentos ele pode ficar mais à frente, mas acho que ele fez uma boa partida, parecida com aquelas que ele vem fazendo. Não acho que isso foi determinante para não termos ganho. Gostei da partida dele, fez as coisas que eu pedi. Ele é um cara que ajuda a articular, dá o passe que fura a primeira linha de marcação e coloca os companheiros em uma situação que é bastante fácil de definir a jogada“.

Modelo de jogo do Fluminense

O time consegue criar e se impor em cima dos adversários justamente por esse modelo de jogo. O time criou muitas chances no 1º tempo justamente porque conseguimos articular o jogo ali de trás. Os benefícios desse tipo de jogo são muito maiores que os malefícios. Acabamos errando no lance que originou o segundo gol, mas é um erro que cometemos muito, muito pouco no campeonato. Se você computar o número de vezes que chegamos na área do adversário e concluímos em gol por causa do estilo de jogo, é muito maior que acidentes que acontecem no meio do caminho“.

Expulsão de Nenê

Ele disse que foi fazer um questionamento normal com a arbitragem, que interpretou de uma outra forma e gerou uma expulsão“.

Peso da sequência de resultados ruins

Uma das coisas que pesa é pela insistência nas perguntas que vocês fazem. Sei que você pode querer mudança, mas a insistência da pergunta fica gerando um questionamento, um questionamento… Queremos mudança no Brasil… Aí você vê o Klopp (técnico do Liverpool). Ficou cinco anos sem ganhar nada lá. O Guardiola, quando você pergunta, ele diz que em um ano não dá para fazer nada. Aqui nós estamos trabalhando há sete meses. Remontamos um time inteiro. O time que jogou o Carioca praticamente mudou as 11 peças. E o time consegue jogar bem“.

Agora, garantia que vai dar certo em termos de resultado, não temos. Garantia é que trabalhamos muito para que o negócio dê certo. O respaldo da diretoria até onde vai? Isso é uma cosia que tem que ver com a diretoria. Eu sinto (respaldo), porque os caras acompanham. Se a gente estivesse jogando mal e criando menos chances que o adversário, a diretoria percebe. É só você ver como viemos jogando durante o ano. Na Sul-Americana temos jogado bem, conseguindo os resultados. Contra o Inter jogamos muito bem, era para ter sido um placar bem mais elástico. E hoje, pelo que foi o jogo, não merecemos a derrota, de maneira alguma. E a diretoria deve acreditar que vai dar certo, por isso que eles estão com a gente acreditando no trabalho“.

 

Salvo de novo pelo Cruzeiro, Fluminense termina rodada acima do Z-4

Derrotado pelo Atlético-MG por 2 a 1 no sábado, no Independência, o Fluminense contou, de novo, com ajuda do Cruzeiro (17º) para permanecer uma posição acima da zona de rebaixamento do Brasileirão, com 12 pontos. Dessa vez, graças ao empate cruzeirense em 2 a 2 com o lanterninha Avaí, em Santa Catarina.

Até a Chapecoense (18º) poderia recolocar o Time de Guerreiros entre os quatro piores. Porém, foi goleada pelo Ceará nessa 14ª rodada e se manteve com 10 pontos, um a menos que a Raposa.

Vasco (15º) e Fortaleza (14º), ambos com 14 pontos, enfrentarão, respectivamente, Goiás e o vice-lanterna CSA, podendo, em caso de triunfo, abrir vantagem de 5 pontos para o Tricolor.

Domingo que vem, o Maracanã recebe, às 16h, Fluminense x CSA. Suspenso, Nenê é ausência confirmada. Pedro, substituído em BH com dores na coxa direita, passará por exames e, por isso, ainda é dúvida.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Top