fbpx

Jornalista diz que Flu caminha para se “tornar” um Avaí

Foto: Divulgação/Avaí

Durante o programa Debate Final, dos canais Fox Sports, os comentaristas analisavam a campanha do Avaí, que só foi conseguir seu primeiro triunfo na competição, contra o Fluminense, na 17° rodada do Brasileirão.

Foi então que o comentarista da emissora, Paulo Lima, citou o Fluminense, como clube credenciado a se tornar um novo Avaí na competição, ou seja, passar quase um turno inteiro sem vencer uma partida sequer.

Acompanhe parte do vídeo:

Fluminense abusa de chances desperdiçadas e perde para o Avaí com gol de pênalti no fim

No primeiro jogo após a eliminação para o Corinthians na Sul-Americana, o Fluminense abusou das chances desperdiçadas e acabou castigado no fim, com gol de pênalti do lanterninha Avaí. Revoltados, os mais de 16 mil presentes ao Maracanã vaiaram e reclamaram de Oswaldo de Oliveira e seus comandados, com cantos de “Time sem vergonha” e “Burro”, este direcionado ao técnico, apenas em sua segunda partida desde o retorno ao clube.

Apesar do domínio dos mandantes no primeiro tempo, o Avaí é que chegou com perigo pela primeira vez. Caio Paulista trombou com Igor Julião e, cara a cara com Muriel, cruzou rasteiro em cima de Allan.

Em seguida, Igor Julião e João Pedro, duas vezes, ameaçaram o gol de Vladimir. Até que saiu o melhor lance do duelo até aquele momento, após passe açucarado de JP. Wellington Nem driblou o arqueiro adversário, mas mandou a bola para fora.

De novo graças a boa assistência de João Pedro, o Tricolor ficou perto de abrir o placar. Mas Nenê, sozinho na área, exagerou na “penteada” e foi travado pelo goleiro.

Herói dos catarinenses, Vladimir operou diversos milagres durante o jogo, impedindo gols, por exemplo, de Yony González, João Pedro, Nenê e Allan. A dificuldade em colocar a bola na rede gerou impaciência e resultaram em vaias nas arquibancadas.

No segundo tempo, as críticas recaíram sobre Paulo Henrique Ganso, que acabou sacado para a entrada de Caio. Guarde esse nome, pois ele decidiu a derrota. Aos 38′ da segunda etapa, o volante cometeu pênalti em Iury, identificado após revisão no VAR. João Paulo marcou: 1 a 0.

Em 18º lugar com apenas 12 pontos, o Fluminense duela com o Fortaleza na 18ª rodada, sábado, no Castelão. Allan desfalcará a equipe porque se apresenta amanhã à seleção olímpica para amistosos contra Colômbia e Chile.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Avaí terá importante desfalque para encarar o Fluminense

Foto: Divulgação

Próximo adversário do Fluminense, em partida válida pelo Campeonato Brasileiro, o Avaí, último colocado na competição, terá um importante desfalque: o capitão e líder da equipe, Betão.

O jogador foi expulso na última rodada, quando o time catarinense enfrentou o Corinthians e com isso, cumprirá suspensão automática contra o Fluminense.

Salvo de novo pelo Cruzeiro, Fluminense termina rodada acima do Z-4

Derrotado pelo Atlético-MG por 2 a 1 no sábado, no Independência, o Fluminense contou, de novo, com ajuda do Cruzeiro (17º) para permanecer uma posição acima da zona de rebaixamento do Brasileirão, com 12 pontos. Dessa vez, graças ao empate cruzeirense em 2 a 2 com o lanterninha Avaí, em Santa Catarina.

Até a Chapecoense (18º) poderia recolocar o Time de Guerreiros entre os quatro piores. Porém, foi goleada pelo Ceará nessa 14ª rodada e se manteve com 10 pontos, um a menos que a Raposa.

Vasco (15º) e Fortaleza (14º), ambos com 14 pontos, enfrentarão, respectivamente, Goiás e o vice-lanterna CSA, podendo, em caso de triunfo, abrir vantagem de 5 pontos para o Tricolor.

Domingo que vem, o Maracanã recebe, às 16h, Fluminense x CSA. Suspenso, Nenê é ausência confirmada. Pedro, substituído em BH com dores na coxa direita, passará por exames e, por isso, ainda é dúvida.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fluminense sonda, mas ex-goleiro de Botafogo e Avaí prefere renovar com clube búlgaro

À procura de um goleiro, o Fluminense sondou Renan, que dividiu sua carreira no Brasil entre Botafogo (2008 a 2015) e Avaí (2016). Porém, ele decidiu não levar à frente a negociação com o Tricolor para renovar por três anos com o Ludogorets, da Bulgária.

– Teve algumas sondagens e consultas. Fico feliz pelo reconhecimento. Não foi uma decisão fácil. Conversei muito com a minha família e decididos ficar na Bulgária – explicou.

Aos 30 anos, Renan pode disputar a Liga dos Campeões pelo clube búlgaro, que é o campeão nacional e ainda busca uma vaga na fase de grupos do principal torneio europeu. Revelado pelo Bota, o jogador rumou para o Velho Continente no início de 2017.

A nova diretoria das Laranjeiras menciona o desejo de reforçar o gol desde a eleição de 8 de junho e considera Walter, do Corinthians, o plano A. A posição virou prioridade especialmente devido ao doping de Rodolfo, suspenso preventivamente. Com isso, sobram apenas Agenor e Marcos Felipe.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Fluminense desiste do goleiro Simão: “Deve ir para o Avaí”

Júlio César e Rodolfo ainda conversam sobre a renovação com o Fluminense. A indefinição levou o clube a acionar o scout para buscar opções para a posição. Foi assim que Simão, que pertence ao Operário-PR, campeão da Série C, teve seu nome especulado nas Laranjeiras.

Após o fim da temporada, a diretoria sondou o jogador, mas não chegou a oficializar proposta. Por sua vez, o Avaí, recém-promovido à primeira divisão, o fez. Inclusive, é para lá que o goleiro de 25 anos deve ir em 2019. Porque, segundo Angioni, sua contratação pelo Fluminense está descartada. 

– Ele quer ser titular agora e nosso foco era algo mais para frente – resumiu.

Simão encerra seu vínculo com o Operário em outubro de 2019 e tem multa de R$ 2,5 milhões, valor que poderia ser negociado e reduzido a R$ 1 milhão. A ideia do Tricolor, inicialmente, era firmar um acordo de dois anos e fixar um percentual do passe para lucro do time de Ponta Grossa em uma futura venda. 

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Abel Braga questiona decisões do árbitro e explica reflexo da eliminação: ‘A gente sente na alma’

O sonho de avançar e, quem sabe, ganhar o título da Copa do Brasil terminou na noite desta quinta-feira. Derrotado pelo Avaí duas vezes (2 a 1, no Rio; 1 a 0, em Santa Catarina), o Fluminense dá adeus à disputa ainda na terceira a fase e perde a chance de lucrar com o torneio que melhor premia. Mas o reflexo da eliminação vai além da questão financeira: mexeu com a alma do elenco, que desejava ir mais longe, disse Abel Braga.

– A gente sente é na alma. Não fomos eliminados pensando em passar de fase pelo dinheiro. A realidade do futebol não é essa. A realidade do Fluminense é que a gente sabe que tem de chegar mais gente. Passando ou não de fase. As substituições são rotineiras, percebeu? São sempre as mesmas. Isso chateia pois queríamos ir mais longe e acho que jogamos para isso. Lutamos. A segunda derrota do time no ano, as duas para o Avaí. Nos esforçamos para ter uma sorte melhor. A gente queria ter dado resposta ao torcedor. Lutamos, mas finalizamos pouco. O domínio não foi suficiente – opina.

O panorama do jogo foi de domínio total do Tricolor, que pecou por ter finalizado pouco – único momento de perigo foi a bola no travessão, em chute de Pedro. A expulsão de Getúlio, aos 17’ do 2º tempo, encheu os torcedores de esperança, frustrada logo em seguida. Aproveitando a superioridade numérica, Abelão decidiu apostar em Dudu. O garoto, porém, levou o vermelho com seis minutos em campo.

– Estávamos  com um a mais quando o Dudu entrou. Pensei em ter mais um jogador na área. Empatar ou perder era o mesmo. Jogamos o suficiente para tirar a vantagem que eles construíram no Rio. Até o momento da segunda expulsão. Mas o Dudu não foi imaturo. O árbitro foi extremamente rigoroso. O menino não tinha tocado na bola, não tinha feito uma falta. O garoto está achando que ele foi o responsável pela derrota. Não foi nada. Os responsáveis fomos nós. É um menino. Isso o fará aprender. Foi uma encenação muito grande do João Paulo. Quando o time da casa está com um jogador a menos, temos que ter muito cuidado com as ações. Apesar de a ação dele não ter sido para cartão vermelho – avaliou.

Embora tenha tentado evitar falar em arbitragem, o técnico lembrou de dois lances em que viu erro do árbitro, Vinicius Gonçalves Dias Araújo. O primeiro foi a opção por expulsar Dudu. A segunda reclamação foi sobre um suposto pênalti de Aranha em Sornoza.

– Não estou reclamando de arbitragem, o Avaí poderia ter aumentado em contra-ataques. Mas a entrada do Aranha foi muito clara. Ele foi totalmente no jogador. Tocou e tocou forte.


Veja mais falas de Abel Braga

Análise da partida

Não é que adorei o primeiro tempo. Tivemos algumas saídas de bola erradas e proporcionamos alguns contra-ataques. Mas ter terminado o primeiro tempo empatado foi injusto. No segundo, após a expulsão deles, mudamos sem substituição. Voltamos a ter domínio. Foi claro. Só que no meu time, alguns jogadores meus não tem a característica de entrar na área. Fica desigual ao Pedro. E aí botei o menino (Dudu), para ter mais um jogador de referência. A pena foi quando coloquei o Matheus para abrir o time e sofremos o gol sem ele tocar na bola.

Time alternativo para domingo, pelo Carioca

Vamos domingo agora com equipe diferente. Procurar dar ritmo a outros jogadores. Entram sempre os mesmos, né? É complicado. Paciência. Não estou chateado com os jogadores. Estamos tristes pela eliminação. Às vezes, se trabalha certo e não se consegue o resultado. Eles lutaram muito. Sobrou garra, vontade e luta. Aconteceu em um momento que não era para acontecer.

O futuro do Fluminense

Fluminense segue um caminho dentro do que tem de possibilidade. A gente sabe que tem de se reforçar mais. É natural. Não podemos encarar o ano com um grupo de 23 jogadores de linha, com 10 da base. Como foi no ano passado.

Derrota para um clube que vai jogar a Série B em 2018

Eles estavam na primeira no ano passado, ainda não disputaram a segunda. Caíram, como caiu o Atlético-GO, como já caiu o Grêmio, como já caiu o Fluminense, o Vasco, o Botafogo. Não são times de Série B. Passaram por lá. Mas, sim, temos de melhorar. Sobre o time, não vou mudar absolutamente nada na maneira de jogar. Temos de melhorar individualmente e coletivamente.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Gilberto encara duelo com o Avaí como o ‘mais importante do ano’ e cita conselhos de Abelão

A temporada começou há pouco tempo, mas o Fluminense se vê às vésperas de sua primeira decisão. Quinta-feira, em Santa Catarina, pega o Avaí em busca de reverter o placar e se classificar na Copa do Brasil. Gilberto reafirma a importância do duelo e, por outro lado, prega tranquilidade.

– Jogo mais importante do ano até aqui. Temos essa responsabilidade. Abel pediu para a gente não se desesperar, não se atirar. Temos que ter tranquilidade porque, nos jogos em que conseguimos mais saldo de gols, jogamos tranquilamente. Naturalmente os gols vão sair – crê.

O regulamento da Copa do Brasil, assim como o valor da premiação, sofreu alterações, se comparado à edição passada. Em 2018, o gol qualificado deixa de ser critério de desempate. Para seguir no torneio, o Tricolor deve vencer por dois de diferença. Em caso de triunfo por só um gol, a decisão se dará nas penalidades. Mas Gilberto, embora torça para que o time se garanta na próxima fase de forma mais tranquila, afirma estar preparado.

– A chance é grande, sabemos disso. A gente trabalhou muito. Esperamos que não aconteça porque é sempre um clima mais de tensão. Mas estamos preparados, trabalhamos isso. Vamos nos sair bem caso aconteça. Estou preparado (para bater o pênalti), mas isso vai depender muito do jogo – diz.

A pressão da torcida pela classificação é, pelo menos para Gilberto, o menor dos problemas. O lateral-direito, que esteve entre os alvos de críticas nas primeiras semanas do ano, se confessa acostumado e fã do sistema de eliminatórias.

– Eu gosto. Desde a base sempre gostei de competição de mata-mata. Tem um clima diferente. É uma pressão gostosa, gosto de sentir essa pressão.


Veja mais respostas do camisa 2

Superação do time

Começamos o ano muito desacreditados, mas durante os jogos fomos conquistando a torcida com nosso trabalho dentro de campo.

Lições do jogo de ida

A gente errou na falta de atenção, perdendo segunda bola. Trabalhamos muito bola parada, que é nosso ponto positivo. Agora vamos tentar minimizar esses erros para não acontecerem novamente.

Saída de Renato Chaves, entrada de Reginaldo

Reginaldo foi muito bem, consagrado até com gol na última partida. Não muda muito, são jogadores com características parecidas, rápidos e técnicos. Acho que não muda muito.

Premiação da Copa do Brasil

Temos que focar no jogo, mas sabemos que a classificação é importante até pelo lado financeiro.

Consequências de uma possível eliminação

Acho que não temos que pensar por esse ponto porque o jogo ainda nem aconteceu. Temos que pensar no que podemos fazer para isso não acontecer. Não dá para imaginar a pressão depois de uma eliminação.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Abelão vê time abaixo, mas se responsabiliza pela derrota para o Avaí

Foi na quinta-feira, aos olhos de sua torcida, no Nilton Santos, que o Fluminense viu sua invencibilidade terminar. O Avaí fez 2 a 1 e garantiu certa vantagem para o segundo jogo, marcado para o dia 15, em Santa Catarina. Abel Braga chamou a responsabilidade para si e explicou a derrota.

– Não fizemos um bom jogo, reconheço isso. A responsabilidade é toda minha. Sentimos no segundo tempo que a equipe foi muito abaixo. É o cansaço natural. Alguns jogadores foram muito abaixo. Nos últimos jogos, com o coletivo bem, alguns jogadores cresciam individualmente. Hoje o coletivo não funcionou. Eu me responsabilizo – disse.

O ponto crucial para o revés foi a falha de Marlon Freitas, que entrou no lugar de Sornoza. Minutos depois de entrar em campo, o volante perdeu a bola e contribuiu para contra-ataque fatal do adversário. Em seguida, saiu o gol da virada.

– O Marlon Freitas tem uma característica de entrada na área. Eu o coloquei, ele errou uma bola e saiu o segundo gol – justificou o comandante, antes de defender o jogador:

– Abala, por ser um jovem. É difícil para ele. Entrou em campo e, sem tocar na bola, já estava sendo vaiado. Podia ter recebido incentivo.

Apesar do placar desfavorável, Abelão ainda crê na classificação para a próxima fase. O técnico destacou, também, a confiança que tem no elenco.

– Continuo a acreditar nos nossos jogadores. Nós temos que ter consciência que não está liquidado. Eles poderiam ter liquidado em dois ou três contra-ataques. Não aconteceu. Continua em aberto. Quando chegar o momento deste jogo, vamos pensar no que será melhor.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Lei do ex ? Avaí terá três jogadores com passagem pelo Flu

Ambos os atletas tiveram passagens sem brilho pelo tricolor.

Fluminense e Avaí se enfrentam na noite desta quinta-feira (01) no primeiro jogo da terceira fase da Copa do Brasil. Para o confronto, os catarinenses contam com três jogadores que já passaram pelo tricolor.

O lateral esquerdo, João Paulo, o meia André Moritz e o atacante Martinuccio, tiveram passagens sem brilho pelo Fluminense.

Depois de um começo turbulento, o Fluminense melhorou e já está há oito jogos invicto – dois empates e seis vitórias – O Avaí por sua vez, é o terceiro colocado no Campeonato Catarinense, acumulando cinco vitórias fora de casa.

O jogo entre Fluminense e Avaí acontece nessa quinta-feira (01) no estádio Nilton Santos, às 19h15.

 

ST,

Douglas Wandekochen

Top