fbpx

Empate entre Bahia e Cruzeiro coloca Fluminense no Z-4

Derrotado pelo Vasco na 11ª rodada do Brasileirão, o Fluminense entrou na zona de rebaixamento com o empate em 1 a 1 entre Bahia e Cruzeiro. Sem vencer no campeonato desde meados de maio, o time de Fernando Diniz soma apenas nove pontos e ocupa a 17ª posição.

O cenário pode ficar ainda pior se a Chapecoense, com um ponto a menos, vencer o São Paulo, segunda-feira, no Morumbi. Este resultado joga o Tricolor para a 18ª colocação, à frente somente de CSA e Avaí.

Pressionado, o Tricolor buscará a reabilitação diante do São Paulo, no próximo sábado, no Maracanã. Antes, há o primeiro duelo com o Peñarol, terça, no Uruguai, pelas oitavas da Sul-Americana. De olho neste compromisso, a equipe volta a treinar na manhã deste domingo, dia do aniversário de 117 anos, no CT.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Súmula registra expulsão de Diniz em Bahia x Fluminense

Indignado com jogada que originou pênalti para o Bahia na Arena Fonte Nova, nesse domingo, Fernando Diniz entrou em campo após o fim do jogo, vencido pelos donos da casa por 3 a 2, para reclamar com o juiz Igor Junio Benevenuto.

Já advertido com cartão amarelo, o comandante levou vermelho, segundo registrado em súmula, por dizer que “foi falta clara no meu jogador. Um absurdo você (árbitro) não checar. Eu posso entrar em campo e reclamar, sim. É meu direito, você é obrigado a me ouvir. Você agora está satisfeito com o que você fez?”.

– No lance na minha frente, eu questionei que teve falta claríssima no Pedro antes. Agora, com essa nova regra de cartão amarelo e cartão vermelho, não tem mais conversa. Vamos ter que nos acostumar com isso. Eu disse que foi falta clara no Pedro. E nessa falta gerou o gol do Bahia. Se a relação do árbitro com os treinadores for essa, vai muita gente expulsa. Não teve desrespeito. Só falei que o amarelo foi totalmente exagerado – explicou, sobre a adversário ainda com a bola rolando.

Fernando Diniz recebeu cartão vermelho — Foto: Reprodução

Dada a expulsão, o treinador não poderá comandar o Fluminense à beira do campo no duelo do próximo domingo, contra o Athlético-PR, na Arena da Baixada. Ele já havia tomado um amarelo na derrota por 1 a 0 no Clássico Vovô do dia 11 de maio.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fernando Diniz questiona pênalti para o Bahia e lembra “falta claríssima” na origem

Fernando Diniz ficou na bronca com o juiz da derrota por 3 a 2 para o Bahia, nesse domingo, pela 6ª rodada do Brasileirão. Após revisão no VAR, Igor Junio Benevenuto assinalou pênalti para os donos da casa alegando toque no braço de Gilberto. Além de discordar da marcação, o técnico lembrou o que definiu como “falta claríssima” em cima de Pedro na origem do lance.

– O juiz entendeu que foi pênalti. A gente teve uma palestra antes de começar o campeonato com um juiz credenciado da CBF. Foi dito que movimento natural não seria pênalti, embora eu já saiba que alguns comentaristas de arbitragem falaram que foi pênalti na televisão. Mas não sei onde o Gilberto poderia estar com o braço para disputar aquela bola ali. Onde o Gilberto enfiaria o braço? Vai colocar o braço na cintura para disputar uma bola que está no alto? Lance totalmente involuntário. Não tinha onde o Gilberto colocar a mão ali. Não sou árbitro, mas um cara que participa bastante do futebol, ativamente, e, para mim, não foi pênalti de maneira nenhuma. Com essa sequência de interferências do VAR, o jogo fica muito mais focado nele do que onde era para ser focado, no campo, nos jogadores – questionou, completando:

– A origem do gol nesse pênalti foi uma falta claríssima no Pedro. Claríssima. Pedro está com a perna toda marcada. Foi a única reclamação que fiz no jogo para o árbitro e ele me deu amarelo. Depois do jogo só fui explicar, falar do que aconteceu. Não sei qual a relação que o treinador tem que ter com a arbitragem. Tudo que acontece no jogo você tem que ficar impassível? Não pode falar absolutamente nada… Minha relação com quarto árbitro foi ótima o jogo inteiro. E agora estou impedido de trabalhar na próxima partida.

A polêmica penalidade ainda gerou mais um problema para o Tricolor. Agenor havia tomado cartão amarelo por reclamação e, na sequência, sofreu o segundo e consequente vermelho, ao se adiantar para pegar a cobrança. No segundo gol do Bahia, o goleiro vacilou na saída de bola e acabou desarmado por Gilberto, que só empurrou para a rede. Todavia, Diniz descartou culpá-lo pelo revés.

– Foi uma decisão pessoal do Agenor. É um goleiro muito treinado, muito seguro. Agenor é nosso goleiro, assim como Rodolfo. Não vamos jamais colocar a responsabilidade do resultado do jogo em cima de uma pessoa só. Aconteceu. Depois tivemos chance de empatar o jogo e até virar. Voltamos melhor no 2º tempo. Se continuasse 11 contra 11, teríamos grande chance de ao menos conseguir o empate.


LEIA MAIS RESPOSTAS DE FERNANDO DINIZ:

Análise sobre a equipe: “Taticamente, a equipe fez um bom jogo. Jogar em Salvador é sempre difícil. Merecíamos uma melhor sorte. Conseguimos fazer dois gols aqui dentro, que é difícil, ainda mais com um a menos. Segundo tempo colocamos o time mais à frente, trocamos o Léo Artur e o Yuri pelo Ganso e Marcos Paulo. E aí teve o lance do pênalti do VAR”.

Postura do Bahia: “Não teve muita surpresa no jogo. A gente espera mais ou menos o que eles poderiam fazer, um bloco médio/alto. Não fomos surpreendidos. Viemos com um dia a menos de recuperação, tivemos um jogo bastante intenso na quinta-feira, tivemos que poupar alguns jogadores. Mas não teve surpresa tática. O Fluminense teve uma postura boa e merecia um resultado melhor. Mas futebol não tem muita justiça. Deveríamos ter aproveitado melhor os momentos que tivemos no jogo, e os gols do Bahia, todos eles, tiveram origens muito evitáveis”.

Entradas de Ganso e Marcos Paulo: “Além da qualidade do Ganso e do Marcos, eles já estão há mais tempo treinando, então têm um entrosamento que pode ser um fator determinante. Fiquei contente com a postura da equipe. Quando teve 10 jogadores, não se acovardou em nenhum minuto e poderia até ter empatado o jogo”.

Acréscimo: “Teve 8 minutos de acréscimo. Depois, o Douglas caiu no chão e paralisou o jogo em duas ocasiões e continuaram os 8 minutos. Então não foram 8 minutos. Fica parando, parando, parando e não tem um acréscimo maior. Esse tipo de situação, para todo mundo que quer um futebol melhor, deveria ser revisto também. Parece que, depois que dá o acréscimo, é proibido aumentar o número de minutos, por mais que ocorram paralisações”.

Reencontro com Atlético Nacional, pela Sul-Americana: “Vamos jogar contra um time muito qualificado. Fizemos um bom jogo no Maracanã, mas temos que todas todos os cuidados possíveis. É uma equipe que joga muito bem, joga dentro de seus domínios… No futebol sabemos que não podemos relaxar. Vamos tentar com força máxima lá e fazer um bom jogo na Colômbia”.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

A caminho da seleção olímpica, Pedro se “despede” em jogo contra o Bahia

Reintegrado ao elenco no treino desta sexta-feira, no CT, após se recuperar de contusão na perna esquerda, Pedro deve ser relacionado para encarar o Bahia, domingo, em Salvador, pela 6ª rodada do Brasileirão. Ele não joga desde o dia 11 de maio, quando um choque com jogador do Botafogo o machucou.

Quinta-feira, o centroavante já havia treinado com bola. Ontem, subiu a campo ao lado dos reservas e não-relacionados da goleada por 4 a 1 sobre o Atlético Nacional. Deve entrar na vaga de Luciano, suspenso com o terceiro amarelo.

A atividade da manhã deste sábado será decisiva para o jovem de 21 anos. Caso não acuse novas dores, viaja com a delegação para seu último jogo antes da apresentação à seleção olímpica, com a qual participará do Torneio de Toulon, na França. Dada a convocação, desfalca o Fluminense até a pausa para a Copa América.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Perto do acerto: Guilherme rescinde com o Bahia e deve ser o novo reforço do Fluminense

Foto: Divulgação/ECB

O meia Guilherme está muito próximo de ser anunciado como novo jogador do Fluminense.

O atleta que pertence ao Corinthians, mas estava emprestado ao Bahia, já teve seu contrato rescindido com o tricolor da boa terra e deve chegar também por empréstimo às Laranjeiras.

O jogador inclusive, já está no Rio de Janeiro para realização dos exames médicos e, se aprovado, ser anunciado como novo jogador do Fluzão.

O técnico Fernando Diniz já deu o aval para a contratação do meia, com quem já trabalhou em 2016, quando era treinador do Athlético Paranaense.

No radar do Fluminense, Guilherme é aprovado por Fernando Diniz: “Muito talentoso”

De olho na sequência da temporada, o Fluminense se lançou no mercado em busca de contratações pontuais. Após fechar com Léo Artur e Ewandro, a diretoria negocia mais duas novidades. Kelvin, ex-Vasco, e Guilherme, que pertence ao Corinthians e defende o Bahia.

Ambos os times, aliás, foram comunicados do interesse tricolor e ficaram de dar uma resposta, o que deve ocorrer nos próximos dias. A presença do Alvinegro na final do Paulistão atrasou a resolução da questão, informou o repórter Victor Lessa, da Rádio Globo.

– Tive uma passagem muito boa com o Guilherme no Athletico. Um jogador muito talentoso, inteligente e de caráter irrepreensível – resumiu Fernando Diniz ao Globoesporte.com.

No radar das Laranjeiras em razão de conversas com o treinador, o meia de 30 anos, animado com a possibilidade de mudar de ares, não joga desde meados de março, quando se envolveu numa polêmica com a torcida do clube baiano.

Nessa semana, o Tricolor e o Bahia concluíram a transferência do lateral-direito Ezequiel para Salvador. A transação, porém, não está relacionada à sondagem a Guilherme.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Após três meses, Ezequiel deixa o Fluminense em busca de sequência de jogo

Sem espaço após a volta de Gilberto, Ezequiel recebeu proposta e conseguiu a liberação do Fluminense para se transferir ao Bahia. O jogador de 26 anos viajou a Salvador na segunda-feira e depende apenas de exames médicos para assinar contrato. A negociação não está relacionada ao interesse no meia Guilherme, que pertence ao Corinthians e defende o clube baiano.

Assim que deixou o Cruzeiro, Ezequiel seguiu para o Tricolor, em janeiro, começando o ano como dono da vaga na lateral-direita. Todavia, acabou virando reserva e peça pouco acionada por Fernando Diniz. Ele soma 13 jogos e um gol com a camisa verde, branco e grená e está vinculado ao Time de Guerreiros até o fim de 2019.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Ex Corinthians e Furacão, Guilherme pode ser o novo reforço do Flu

Foto: Divulgação

O nome do meia atacante Guilherme foi oferecido ao Fluminense. O jogador que pertence ao Corinthians e esteve emprestado ao Bahia no início do ano, não será mais aproveitado pelo Tricolor de Aço após divergência com a torcida por fazer sinal negativo após ser substituído durante o Campeonato Baiano.

Afastado do clube da boa terra desde meados de março, o atleta não será aproveitado no Corinthians e seus empresários levaram o nome do jogador a cúpula de futebol do Fluminense, que embora desconverse sobre um possível acerto, há possibilidade de negociação com o jogador.

O nome de Guilherme deve ganhar mais força ainda caso se concretize as saídas de Marquinhos Calazans e Everaldo, este último, embora ambas as diretorias neguem, já estaria acertado com o Corinthians.

Ex Flu, volante Douglas é emprestado ao Bahia

foto: Daniel Augusto Jr. / SCCP

O volante Douglas, negociado pelo Fluminense ao Corinthians no meio da temporada passada, acertou seu empréstimo junto ao Bahia por uma temporada.

O jogador de 22 anos estava sem espaço no clube paulista, onde seguer havia sido inscrito para a disputa do Paulistão.

Douglas, foi anunciado pelo Bahia na manhã deste domingo (20) através das redes sociais do tricolor baiano. Contudo, os sócios do tricolor de aço receberam a informação antes através de mensagens via SMS.

Douglas foi anunciado oelas mídias oficiais do Bahia. (Foto: Divulgação)

Pelo Timão, foram 17 aparições do volante, que fez apenas um gol, recebeu quatro cartões amarelos e um vermelho. 

Sem renovar com o Bahia, Vinícius ganha campanha de torcedores por retorno ao Fluminense

Vinícius e Bahia, ao que parece, não renovarão contrato para 2019. As negociações pararam em junho e, até o momento, não foram reiniciadas. O que indica que, a partir de janeiro, o meia estará livre no mercado. Ele joga pelo Tricolor de Aço desde o meio do ano passado e marcou 15 gols em 88 jogos.

– São coisas que acontecem no futebol. Opções, planejamento, e eu, como jogador, tenho que entender. Meu carinho pelo Bahia será eterno, e espero que um dia ainda possa voltar a vestir essa camiseta grandiosa. Fui muito feliz e tenho uma gratidão imensa pelo Bahia. Os torcedores, pessoal do clube que trabalha mais nos bastidores, sentirei muitas saudades, mas vou levar sempre no meu coração – disse.

Embora a chance de permanência no Bahia seja pequena, Vinícius prefere não planejar seus próximos passos. Ele, que priorizaria uma extensão do vínculo, ainda aguarda uma resposta do clube baiano.

– Estou aguardando ainda uma definição concreta do Bahia, pois tenho contrato vigente até o final desse mês e minha preferência sempre foi renovar. Depois disso, se não houver uma renovação, começarei a pensar sobre o futuro – revelou.

Caso seja dispensado, o jogador não deve demorar a encontrar um novo time para defender. No que depender dos tricolores, aliás, o destino será Laranjeiras. Nos últimos dias, torcedores vêm pedindo o retorno de Vinícius, que vestiu a camisa do Fluminense em 2015, na internet.

– Fico muito feliz de ter esse carinho de boa parte da torcida do Fluminense. Eles estão enchendo minhas redes sociais com mensagens para voltar. A gente entende que, no futebol, a torcida tem muita força. Fico realmente muito feliz por isso. Vamos ver os próximos capítulos e se esse desejo, quem sabe, pode se concretizar.

Atualmente, o Fluminense dispõe de só dois armadores no elenco. Sornoza, que negocia saída para o Corinthians, e Daniel, encostado na reserva. As boas atuações de Vinícius provocaram na maioria da torcida o desejo de vê-lo recomeçar no Tricolor. Há três anos, ele teve uma grande fase interrompida por uma lesão e, quando se recuperou, se envolveu em polêmicas com a diretoria da época.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Top