fbpx

Salvo de novo pelo Cruzeiro, Fluminense termina rodada acima do Z-4

Derrotado pelo Atlético-MG por 2 a 1 no sábado, no Independência, o Fluminense contou, de novo, com ajuda do Cruzeiro (17º) para permanecer uma posição acima da zona de rebaixamento do Brasileirão, com 12 pontos. Dessa vez, graças ao empate cruzeirense em 2 a 2 com o lanterninha Avaí, em Santa Catarina.

Até a Chapecoense (18º) poderia recolocar o Time de Guerreiros entre os quatro piores. Porém, foi goleada pelo Ceará nessa 14ª rodada e se manteve com 10 pontos, um a menos que a Raposa.

Vasco (15º) e Fortaleza (14º), ambos com 14 pontos, enfrentarão, respectivamente, Goiás e o vice-lanterna CSA, podendo, em caso de triunfo, abrir vantagem de 5 pontos para o Tricolor.

Domingo que vem, o Maracanã recebe, às 16h, Fluminense x CSA. Suspenso, Nenê é ausência confirmada. Pedro, substituído em BH com dores na coxa direita, passará por exames e, por isso, ainda é dúvida.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fluminense consegue gol no fim, mas é derrotado por 2 a 1 pelo Atlético-MG

Apesar do início de jogo animador, o Fluminense perdeu por 2 a 1 para o Atlético-MG, no Independência, pela 14ª rodada do Brasileirão. Cazares e Ricardo Oliveira marcaram para o adversário, e o Tricolor, de roupa nova (estreou o uniforme número 2), diminuiu com Nenê.

Fora de casa, o Time de Guerreiros não se intimidou e conseguiu as melhores chances nos primeiros minutos, com boas finalizações de Yony González, Pedro e Igor Julião. Aos 18′, o Galo respondeu com Ricardo Oliveira, que se desvencilhou de Nino e só foi parado por Muriel.

Com a marcação alta, o Flu ficou exposto a erros no entorno de sua área. Foi a fraqueza explorada pelo time mineiro para crescer no duelo, a partir dos 30′, e ameaçar o gol de Muriel, que ainda salvou, pelo menos, mais três belos chutes. O arqueiro, porém, não resistiu à bomba de Cazares, que pegou rebatida de Digão para abrir o placar.

A poucos momentos do intervalo, Pedro acusou incômodo na coxa direita em disputa de bola com o zagueiro Igor Rabello e, imediatamente, pediu substituição. O camisa 9, que deu lugar a Nenê, sentiu apenas um desconforto muscular e será reavaliado no Rio. A princípio, não preocupa.

Aos 5′ da 2º etapa, depois de Muriel espalmar finalização de Vinícius, a redondinha sobrou para Ricardo Oliveira. Verdade que ele mandou pela linha de fundo. Mas, logo na sequência, não perdoou. O centroavante, que não balançava a rede há 15 jogos (ou 107 dias), desencantou contra o Fluminense, em vacilo na saída de bola.

Yony González chegou a, enfim, vencer o goleiro Cleiton, mas o bandeirinha anulou a jogada por impedimento. Perto dos acréscimos, João Pedro, que entrou na vaga de Marcos Paulo, chamou três marcadores para dançar e deixou Nenê livre para diminuir: 2 a 1. O meia, no fim da partida, levou o segundo amarelo por reclamação e acabou expulso, o que o tira da próxima rodada.

Domingo, o Tricolor (16º) enfrenta o CSA (19º) no Maracanã. Com apenas 12 pontos, pode retornar à zona de rebaixamento caso o Cruzeiro (17º) vença o lanterninha Avaí, amanhã, em Santa Catarina.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fernando Diniz afirma que resultado diminui tensão e valoriza triunfo sobre o Inter

Foi preciso fazer “uma das melhores partidas do ano”, segundo Fernando Diniz, para o Fluminense vencer o Internacional por 2 a 1 e respirar no Brasileirão. Momentaneamente acima da zona de rebaixamento, em 16º lugar, o time precisa secar o Cruzeiro contra o Atlético-MG.

– Foi uma das melhores partidas do Fluminense, melhor do que o jogo contra o Peñarol. O adversário era muito forte, com jogadores que não dava para chamarmos de reservas: Sobis, Wellington Silva, Tréllez, Nonato… E jogadores que vieram descansados. Esse time deles empatou um Gre-Nal, perdeu para o Athletico aos 49′ do 2º tempo e ganhou do Ceará em casa. Nossa equipe dominou a maior parte do jogo, tivemos muitas chances de fazer gol. Limitamos muito as chances do Inter. Foi uma partida muito boa – elogiou.

Aparentemente, o gol marcado por Edenilson no fim, em vacilo de Muriel, impediu a nota 10 ao Time de Guerreiros nesse sábado, no Maracanã. É que dificilmente a zaga passa um jogo sem ser vazada, algo que só aconteceu uma vez no campeonato. O que não quer dizer que o técnico esteja insatisfeito com o sistema defensivo.

– Fiquei muito irritado mesmo com o gol. Tínhamos tudo para fazer mais gols e não tomar naquele momento do jogo. O Inter teve de se lançar para a frente, estávamos bem postados, bem fechados. Tivemos três chances claras de fazer gol e não podíamos ter tomado o gol daquele jeito com o time todo ali atrás. Fiquei irritado mesmo.

– Aspecto defensivo foi muito importante. Tivemos muito poucos problemas defensivos hoje.

Apesar da boa campanha na Sul-Americana, o Tricolor vinha de uma sequência ruim no torneio de pontos corridos. Não vencia desde maio, há sete rodadas. Diniz pensa que o triunfo sobre os colorados alivia a pressão nas Laranjeiras.

– O psicológico do time ficou mais forte na dificuldade. Com a vitória, claro que fortalece um pouco mais, tira um pouco da tensão dos jogadores.


CONFIRA MAIS TRECHOS DA ENTREVISTA:

Análise da atuação: “O grande mérito foi o aspecto coletivo. Muita gente jogou bem hoje. Sempre um ou outro vai um pouquinho melhor. Mas a equipe foi muito bem como um todo. Muitos jogadores jogaram bem. E, quando muita gente joga bem, a tendência é o time ganhar os jogos e fazer boas apresentações”.

Aspecto psicológico: “Hoje, as emoções são as melhores possíveis, alegria diante da vitória. O time é muito forte. Que está se fazendo muito forte psicologicamente. Que passa por dificuldades e sabe suportar. O time nunca abriu mão de jogar bem, de ser coletivo, de buscar os resultados. Quando estávamos perdendo, a equipe não esmoreceu em nenhum momento. E isso é uma ótima qualidade”.

Gols perdidos: “Houve mais chances de fazermos gols. A bola bate na trave, passa raspando… Não vou nem falar de capricho. Temos que botar a bola para dentro e o quanto mais cedo, melhor. Se você cria muitas chances, a chance de abrir o placar e ganhar o jogo é grande. E acho que o time teve um mérito também. Embora a bola não tenha entrado, ninguém ficou frustrado no 1º tempo. Os jogadores voltaram imbuídos no 2º tempo, ninguém baixou a guarda, ninguém baixou a cabeça, e o gol era questão de tempo para sair”.

Dificuldade em não sofrer gols: “Estamos corrigindo. Estamos oferecendo cada vez menos oportunidades ao rival. Hoje quase ficamos sem tomar o gol, fomos tomar no finzinho do jogo, em um momento em que estávamos bem postados atrás. Mas vamos atrás de corrigir cada vez mais. O sistema defensivo, de uns tempos para cá, já vem melhorando em termos de performance. Agora é tentar de fato não tomar gol”.

Evolução de Daniel: “O time é um todo. Não são apenas os jogadores que jogam com o Daniel no meio apenas. A engrenagem está funcionando melhor. Daniel foi ganhando mais maturidade também. Era um jogador que tinha pouca rodagem, tinha jogado pouco pelo Fluminense. Vai ganhando confiança, o time vai encorpando. Ele é um jogador muito inteligente e tem o fato de eu já conhecê-lo, de ter trabalhado com ele no Oeste. Sei que ele é muito sagaz, consegue aproveitar muito bem a maneira como o time joga, consegue ocupar os espaços onde poucos conseguem ocupar por se antecipar taticamente. O crescimento dele foi natural junto com o crescimento do time. Ele fez grandes partidas no Carioca, não foi só agora, não. Oscilou, como todo o time, mas está vivendo um grande momento”.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Guerreiras do Flu voltam a vencer e passam invictas pela primeira fase

Foto: Laís Patrício/FFC

As Guerreiras do sub-18 do Fluminense entraram em campo para fechar a participação na primeira fase do Brasileirão Feminino da categoria.

Já classificadas, as meninas não diminuíram o apetite e aplicaram 5 a 1 sobre o Bahia, encerrando essa primeira fase invictas, com 5 vitórias e um empate, somando ao todo 16 pontos na competição.

Outro fator positivo foi o setor ofensivo, onde as Guerreiras somaram 22 gols nos seis jogos disputados, com destaque para a zagueira Tarciane, autora de oito gols na competição.

Os gols do Fluminense na partida foram marcados por: Tarciane, Nubia (duas vezes), Carolina e Luany.

Com gripe e febre, João Pedro fica de fora do treino e vira dúvida para o Fla-Flu

Destaque do Tricolor carioca nesta temporada, atacante de 17 anos tem até domingo para se recuperar para o clássico

Foto: Lucas Merçon / FFC

Nesta sexta-feira, o técnico Fernando Diniz ganhou uma dor de cabeça para o clássico contra o Flamengo, no próximo domingo (9), às 19h (de Brasília), no Maracanã, válido pela oitava rodada do Brasileirão. Gripado e com febre, João Pedro, principal destaque do Fluminense em 2019, ficou de fora do treinamento no CTPA e se tornou dúvida para o clássico carioca. Na 16ª posição com seis pontos conquistados, o Tricolor vai para o Fla-Flu pressionado e precisando de um bom resultado para não entrar no Z4.

Conforme noticiado pelo Globoesporte.com, o atacante de 17 anos vem sentindo os sintomas desde a volta de Medellín, onde o Fluminense enfrentou o Atlético Nacional, pela Sul-Americana. O jovem inclusive jogou contra o Cruzeiro gripado, e mesmo assim foi decisivo com um gol de bicicleta aos 52 minutos do segundo tempo, levando a decisão para os pênaltis. Incorporado ao elenco profissional nesta temporada, João Pedro ganhou espaço no time e, desde então, balançou as redes nove vezes em 14 partidas com a camisa tricolor.

O centroavante tem até domingo para se recuperar. Caso não esteja apto, Diniz poderá optar por Ewandro, Kelvin, Léo Artur, Pablo Dyego e, agora, com Marcos Paulo, que foi liberado pela Seleção Portuguesa e retorna do Torneio de Toulon diretamente para o Fla-Flu. Nas pontas, o treinador deve manter Luciano e Brenner. Vale lembrar que para o clássico, o Fluminense ainda terá os desfalques de Matheus Ferraz e Yony González, lesionados, e também de Nino, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Com isso, a zaga deve ser formada por Frazan e Yuri, que provavelmente será improvisado.

Pontaria é ponto crítico neste início de Brasileirão

Crédito: Lucas Merçon / FFC

O Fluminense não tem conseguido furar as defesas adversárias. A prova disso são as três derrotas em quatro partidas neste início de Campeonato Brasileiro. O Tricolor marcou seis gols, sendo cinco somente no jogo épico contra o Grêmio e mais um contra o Santos. Nas partidas contra o Goiás e Botafogo, o Fluminense saiu com o placar em branco.

O problema está na pontaria. Até agora o Flu já chutou 65 vezes, porém, somente 25 foram no gol (representando 39%) no Brasileirão. Ou seja, dos chutes certeiros, apenas 24% tiveram o grito da torcida. O aproveitamento cai ainda mais quando é feita a relação direta entre chutes (65) e gols (6), somente 9,5% dos tentos terminaram no fundo da rede.

Após a partida contra o Botafogo, Luciano foi um dos alvos da torcida pela falta de gols. Ao menos uma chance clara, o jogador teve para abrir o placar. Porém, o chute terminou com a defesa do goleiro Botafoguense. Diniz comentou sobre o lance.

“Jogadores são soberanos nas tomadas de decisões no campo. Não adianta elegermos um culpado. Se não passou é porque não viu ou achou que não era a melhor jogada. Os jogadores são solidários uns com os outros”, afirmou o treinador.

O próximo compromisso do Fluminense é contra o Cruzeiro no Maracanã na próxima quarta-feira (15) às 21h30.

Fluminense reage, cresce sobre o Grêmio e vence por 5 a 4 em duelo eletrizante na Arena

Um jogo para ficar marcado na história do Campeonato Brasileiro. Grêmio e Fluminense protagonizaram um duelo com emoção e nove gols, sendo cinco para o lado carioca. Mesmo após o 3 a 0 construído pelo adversário em 21 minutos, o Time de Guerreiros, ao marcar dois gols, reacendeu o verde da esperança no primeiro tempo e, na volta do intervalo, buscou até o fim os primeiros pontos na tabela.

Aos 5′, o Grêmio pegou embalo no cochilo da zaga do Tricolor e abriu o placar com André, desviando cruzamento de Bruno Cortez. Pouco depois, Éverton se antecipou aos zagueiros e fez o segundo. Extremamente superior, o clube gaúcho ampliou para 3 a 0 com Jean Pyerre.

Àquela altura, diante da escalação questionável, com três volantes e Guilherme no lugar de Everaldo (que retornou ao Rio dada a confirmação do acerto com o Corinthians), e da má atuação do time, a credibilidade de Fernando Diniz com os torcedores era posta em xeque. Uma hora depois, o cenário seria completamente diferente.

Bastou um empurrãozinho de Yony González para o fundo da rede, após cruzamento de Caio Henrique e furada de Luciano, e o Flu trouxe para si o domínio do confronto. No lance seguinte, Júlio César, ex-goleiro das Laranjeiras, se enrolou com a redondinha e deixou o caminho livre para Luciano marcar o segundo.

Curioso é que, na chegada ao estádio, o atacante lembrou o maior problema da equipe na derrota por 2 a 1 para o Santos, quinta-feira: a dificuldade em concluir a gol. Dessa vez, porém, foi diferente.


Jogaremos da mesma maneira. Fizemos uma boa partida contra o Santos, mas não soubemos fazer os gols. Treinamos essa parte e esperamos sair daqui com os três pontos – disse Luciano.

Na etapa decisiva, o Fluminense se animou e tomou as rédeas do jogo, obrigando Júlio César a fazer, pelo menos, três grandes defesas. Matheus Ferraz, por exemplo, cabeceou duas vezes. Foi premiado com um gol na sequência, após cruzamento de Allan e bate-rebate na muvuca.

O zagueiro ainda conseguiu um pênalti, ao ser agarrado por Kannemann. Colocado em campo na vaga de Guilherme, Pedro chamou a responsabilidade e cobrou com categoria, levando o Fluzão à vantagem.

Um vacilo, entretanto, pôs o resultado em risco. Rodolfo não saiu da meta para espalmar cobrança de escanteio e Kannemann empatou. Perdeu as contas? Calma, ficou em 4 a 4. E, já nos acréscimos, Yony adicionou um número ao placar, ao acertar belo chute cruzado.

Teve tensão até o fim! No último lance, os gremistas reclamaram de penalidade e o árbitro Raphael Claus decidiu recorrer ao VAR. Segundos que levaram a pressão dos tricolores nas alturas. Mas não houve nada. O juizão logo ergueu os braços e encerrou a batalha de gigantes.

Depois de duas derrotas consecutivas, o Fluminense, enfim, venceu, subiu para 13º colocação e deixou a lanterna para o Vasco, que, aliás, divide o Z-4 com o próprio Grêmio (18º). O próximo compromisso é sábado, no Maracanã, contra o Botafogo.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Vai começar jogando? Pedro pode ser titular no jogo de hoje

O Fluminense entra em campo hoje contra o Goiás ás 19h no Maracanã pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. Porém, o jogo de hoje pode marcar o primeiro jogo como titular do atacante Pedro.

Pedro pode ser titular hoje (Foto: Lucas Merçon/FFC)

O técnico Fernando Diniz disse em entrevista que não pretende apressar a volta do jogador, mas não descartou a possibilidade do P9 começar jogando.

Sem treinar desde que voltou do Recife, a equipe também contará com Caio Henrique, que saiu com dores mas não preocupa e vai para a partida.

O Flu deve ir à campo com:

Rodolfo; Gilberto, Nino, Matheus Ferraz, Caio Henrique; Airton, Bruno Silva e Allan; Everaldo, Luciano e Yony (Pedro).

Saudações Tricolores,

João Eduardo

Flu costuma ir bem em estreias do campeonato brasileiro

Fluminense entrará em campo no domingo diante do Goiás na abertura do brasileirão 2019. Se depender dos números em estreias do campeonato nos últimos 10 anos , a torcida pode esper uma vitoria do time de Fernando Diniz. Entre 2009 a 2018 foram sete vitórias e somente três derrotas.

Foto: FFC

Jogos do tricolor nas estreias entre 2009 e 2018:

2009 – Fluminense 1 x 0 São Paulo

2010 – Ceará 1 x 0 Fluminense

2011 – São Paulo 2 x 0 Fluminense

2012 – Corinthians 0 x 1 Fluminense

2013 – Fluminense 2 x 1 Athletico PR

2014 – Fluminense 3 x 0 Figueirense

2015 – Fluminense 1 x 0 Joinville

2016 – América MG 0 x 1 Fluminense

2017 – Fluminense 3 x 2 Santos

2018 – Corinthians 2 x 1 Fluminense

ST,

Guga Assis

Fluminense abre check-in para estrear do Brasileirão

Foto: Divulgação

O Fluminense estreia no Campeonato Brasileiro no outro domingo (28) contra o Goiás, às 19hrs no Maracanã.

E o torcedor já pode garantir seu lugar a partir dessa quinta-feira (18). O clube já abriu o check-in para sócios reservarem seus lugares na estreia do Fluzão pela maior competição nacional.

Sócios dos planos Tricolor de Coração, Pacote Check-ins 2019 e Pacote Futebol já estão liberados para realização do check-in.

Já nesta sexta-feira (19) o clube também liberará o e-ticket e informações sobre pontos de vendas físicas, o se terá ingressos a partir de R$10.

Top