fbpx

Mesmo sem ser convocado, Jardine afirma ter muitos planos para Caio Henrique na seleção olímpica

Ontem, o técnico André Jardine anunciou a convocação da seleção olímpica visando uma forte preparação para as olimpíadas do ano que vem em Tóquio. O Fluminense foi muito bem representado com o volante Allan, primeira vez chamado e Wendel e Ibañez, ex-jogadores do clube e que atuam no Sporting(Portugal) e Atalanta(Itália).

Havia uma expectativa da convocação do lateral/volante Caio Henrique, de 22 anos e peça fundamental do tricolor na temporada. Ao ser perguntado durante a coletiva de imprensa o porque da não convocação do atleta, o treinador explicou:

Jardine convocou hoje 23 nomes para defender a seleção Sub-23 (Foto:Lucas Figueiredo / CBF / Divulgação)

“O Caio Henrique é um jogador no qual eu já trabalhei e admiro bastante. Através da nossa parceira com os clubes, evitamos trazer dois jogadores de cada time para não afetar bastante o desempenho dos times(No caso tricolor, Allan foi chamado pela primeira vez). Ele é um jogador que a gente observa muito e conta sim com ele. Com certeza ele será um jogador muito importante para nós e com certeza estará conosco nas próximas convocações” – afirmou Jardine

“Essa questão de ele conseguir atuar em duas posições exercendo bem a função em ambas, com certeza é um diferencial dele. Isso com certeza só faz dele um jogador melhor e que na Olimpíada, que podemos levar só 18 jogadores, isso com certeza fará muita diferença na hora de escolher os nomes”– concluiu o treinador.

O atacante Pedro também é um jogador que vem sendo convocado com frequência para a Seleção Olímpica, todavia, por conta da sua recente lesão, não foi chamado para os próximos compromissos do time de André Jardine.

Saudações Tricolores,

João Eduardo Gurgel

De olho no Galo, Fluminense embarca para BH com João Pedro e Caio Henrique, recuperados de problemas físicos

A delegação do Fluminense acabou de embarcar para Belo Horizonte para enfrentar o Atlético-MG, sábado, no Independência, pela 14ª rodada do Brasileirão. As novidades são João Pedro e Caio Henrique, recuperados de problemas físicos. Apenas o segundo, porém, deve começar jogando.

Improvisado como lateral, o volante não treinou por três dias na semana em razão de dores na parte posterior da coxa esquerda, surgidas no triunfo por 2 a 1 sobre o Internacional. Após fazer trabalho de prevenção, ele retomou as atividades nesta sexta-feira, mas não atuou no rachão.

Finalmente curado de entorse no pé sofrida na derrota por 2 a 1 para o Vasco, em 20 de julho, JP reforça o banco de reservas, formado, entre outros, por Nenê e Wellington Nem. Mascarenhas, por sua vez, será preparado por mais uma semana para reintegrar a lista de relacionados. O jovem vem de artroscopia no joelho esquerdo e já treina com os demais companheiros.

Poupados do treino de terça-feira, Yony González e Allan estão garantidos na escalação, que não deve sofrer alterações se comparada à da última rodada.


Time provável: Muriel; Igor Julião, Nino, Digão e Caio Henrique; Allan, Daniel e Paulo Henrique Ganso; Marcos Paulo, Yony González e Pedro.


Em 16º lugar na classificação, o Time de Guerreiros, ainda ameaçado pelo Z-4, pode subir duas posições se, além de somar mais três pontos, chegando a 15, Vasco (15º) e Fortaleza (14º) não vencerem, respectivamente, Goiás (12º) e CSA (19º).

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Emprestado pelo Atlético de Madrid, Caio Henrique nutre desejo de seguir no Flu

Foto: Lucas Merçon/FFC

Destaque do Fluminense no ano, o meia Caio Henrique já começou a pensar no futuro.

O jogador que está emprestado pelo Atlético de Madrid ao Tricolor, até o fim de 2019, nutre o desejo de seguir em Laranjeiras, e é só elogios ao falar do ambiente do vivido no clube:

– Me sinto bastante adaptado aqui, o clube me recebeu bem. O ambiente é bom, quando a gente vem treinar… O clima favorece – disse Caio, que deixou claro o desejo de seguir no Tricolor.

– Envolve toda uma negociação, não depende só de mim. Mas pela minha parte facilitaria bastante. O torcedor pode ter esperança. É mais para o sim do que para o não – completou o jogador.

Com contrato até junho de 2021 com o time espanhol, uma possível renovação com o Flu terá de passar pelo Atlético, porém, a vontade do jogador pode ser determinante para um desfecho positivo.

Fonte: Globoesporte.com

Caio Henrique define 2019 como melhor ano da carreira

Após chegar sob enorme desconfiança do torcedor do Fluminense, o polivalente Caio Henrique vive segundo o próprio jogador, o melhor momento na carreira.

O atleta que chegou ao Fluminense com a característica de versatilidade, se destacou exatamente improvisado, quando o técnico Fernando Diniz, deslocou o meia de origem, para a lateral esquerda, transformando Caio em uma das principais figuras do Fluminense no ano.

O jogador além de líderes diversas estatística como passes, dribles e roubadas de bola dentro do Campeonato Brasileiro, além de ser o jogador de linha dos clubes da série A, que mais atuou na temporada, entrando em campo em 41 das 42 partidas do Flu no ano – Cássio, goleiro do Corinthians, é o recordista geral, com 42 partidas disputadas pelo time paulista.

Contudo, apesar do bom momento, o jogador reconhece que tem de melhorar em alguns pontos:

– Ainda tenho que melhorar os cruzamentos. Eu venho trabalhando nisso. É um fundamento importante, talvez a mais importante de um lateral. Também a parte defensiva. Jogar mais recuado no meio é totalmente diferente. Sendo lateral, tem de ter atenção redobrada. É a última linha, então, para sofrer um gol é questão de segundos. Um erro acaba por ser fatal. No meio, ainda dá para recuperar. Tudo isso se trabalha no dia a dia para melhorar – disse o jogador em entrevista ao site Globoesporte.com.

Fonte: Globoesporte.com

Caio Henrique elogia futebol apresentado pelo Flu e vê como injusta a atual colocação no Brasileirão

Improvisado na lateral-esquerda, jogador destacou que as atuações do time não condizem com a posição na tabela

Foto: Lucas Merçon / FFC

Jogador que mais atuou pelo Fluminense na temporada – 41 partidas até aqui -, Caio Henrique vem sendo um dos principais nomes do time de Fernando Diniz até aqui. Mesmo com a improvisação na lateral-esquerda, o volante não deixou cair o nível e conquistou treinador e torcida rapidamente. Autor da assistência para o gol de Yony González na vitória por 2 a 1 sobre o Internacional, o jovem atleta comentou sobre a situação incômoda que o time vive no Brasileirão e fez questão de afirmar que o futebol que é jogado merecia uma colocação melhor. Atualmente, o Tricolor é o 16º, dois pontos acima da zona de rebaixamento.

“O futebol que estamos apresentando não condiz com nossa posição na tabela. Claro, estamos cientes que temos coisas a melhorar, mas sabemos também que temos um time para brigar por coisas grandes”, disse.

Devido ao desgaste acumulado, Caio Henrique chegou a ficar de fora do treinamento da última terça, mas apenas por prevenção. O atual lateral tricolor deve ser titular novamente na partida contra o Atlético-MG, fora de casa, no próximo sábado (10), às 21h (de Brasília). O duelo será válido pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Aniversariante do dia, Caio Henrique sofre trote dos companheiros

Foto: Reginaldo Pimenta/Raw Imagen

Um dos destaques do Fluminense na temporada, o meia Caio Henrique completou mais um ano de vida na última quarta-feira (31).

Como o aniversário foi em dia de folga do grupo, o polivalente jogador que atua como lateral esquerdo do tricolor, não passou em branco e teve de passar pelo tradicional “corredor polonês” como forma de trote dos companheiros

O clima estava tão descontraído que a brincadeira se estendeu para outros jogadores. Daniel e Igor Julião, que chegaram recentemente aos 50 jogos com a camisa do Fluzão, também passaram pelo “corredor”. Assim como Marcos Paulo, que marcou seus primeiros gols pelos profissionais do Flu.

Caio Henrique lamenta nova derrota e frisa necessidade de reagir no Brasileirão

Lateral-esquerdo do Fluminense também criticou os ‘gols evitáveis’ que a equipe vem sofrendo ao longo dos jogos

Foto: Lucas Merçon / FFC

Vivendo um momento complicado no Campeonato Brasileiro, o Fluminense viu a situação piorar ao perder por 2 a 1 o clássico regional contra o Vasco, em São Januário. Com a derrota, o Tricolor caiu para a 16ª posição na tabela e, dependendo dos outros resultados, pode terminar a rodada na zona de rebaixamento. Dona da pior defesa da Série A, a equipe de Fernando Diniz não vence há oito jogos.

Após a partida, Caio Henrique lamentou o resultado negativo contra o rival e aproveitou para criticar os inúmeros ‘gols evitáveis’ que o Fluminense vem sofrendo ao longo do campeonato. Para ele, o time tem que continuar trabalhando pois precisa reagir no Brasileirão.

“O pensamento era sair na frente do placar e ir para o intervalo com a vantagem, mas não soubemos aproveitar isso. Não soubemos segurar o resultado. Sabíamos que seria um jogo difícil. Temos que começar a reagir no campeonato. O time tem sofrido gols evitáveis, mas temos que continuar treinando, com a cabeça tranquila para buscar os resultados”, afirmou.

Caio Henrique elogia Nenê e mira arrancada no Brasileirão: “Temos time para brigar lá em cima”

Na 16ª colocação no Campeonato Brasileiro, o Fluminense inicia contra o Ceará, na segunda-feira, uma sequência de jogos no Rio para somar pontos e sonhar com as primeiras posições. É assim que, segundo Caio Henrique, o elenco de Fernando Diniz encara o segundo semestre. O duelo acontece no Maracanã, às 20h, com ingressos variando de R$ 20 (R$ 10 a meia) a R$ 60 (R$ 30 a meia).

– Sabemos que temos time para brigar lá em cima. Jogos que temos feito não condizem com a posição na tabela. Esperamos uma arrancada agora no Brasileiro. Pensamento é brigar lá em cima, por coisas grandes, e pôr o Fluminense onde merece – destacou o volante.

O último treino em preparação para o confronto ocorrerá nas Laranjeiras, na manhã de domingo, com a presença de centenas de tricolores. Essa é uma das promessas da diretoria, visando à reaproximação da torcida com o clube.

– É legal tanto para torcida, quanto para jogadores. Tem tudo para ser um bom treino. Importante podermos sentir o calor da torcida. É um incentivo. Vamos tentar fazer um grande jogo na segunda para arrancar no Brasileiro – disse Caio Henrique.

Atrás de reforços, especialmente devido à iminente perda de Luciano, o Fluminense encaminhou a contratação de Nenê, que só depende de acertar a rescisão com o São Paulo para assinar até o fim de 2020. O meia de 37 anos ganhou elogios do futuro companheiro.

– Todo jogador que vem, vem para somar. Com o Nenê não é diferente. Um cara que tem qualidade, vitorioso por onde passou, jogou lá fora. É bastante experiente. Será bem-vindo. Temos uma temporada desgastante, todo reforço é bem-vindo.


CONFIRA MAIS DECLARAÇÕES DE CAIO HENRIQUE:

Expectativa para jogo contra Ceará: “Será um jogo muito difícil. Ceará está fazendo bons jogos. Estamos estudando a equipe deles. Sabemos que precisamos pontuar e nada melhor que voltar da parada vencendo. Jogo em casa, com nossa torcida… Esperamos fazer um bom jogo e conseguir 3 pontos”.

Yuri na vaga do suspenso Allan: “Não muda muito. Os dois têm características parecidas”.

Pausa da Copa América: “Foi muito boa. No Brasil enfrentamos uma temporada muito desgastante. Fizemos 35 jogos já. Foi importante para recuperar os jogadores do departamento médico e descansar quem vinha jogando. E para acertarmos alguns detalhes que estávamos pecando”.

Muriel: “Todos os jogadores que vestem a camisa do Fluminense têm potencial para serem titulares. Às vezes é escolha do treinador, outras é momento. Muriel chega para somar, tem currículo vitorioso, experiência, é tranquilo. Vai agregar bastante”.

Renovação com Flu: “Isso deixo mais para frente. Tenho contrato de empréstimo até fim do ano. No momento não depende só de mim, mas também do clube que tem meus direitos (Atlético de Madrid). Mas estou bem feliz. Quando vim para o Fluminense, procurava ter minutos e estou tendo. É manter cabeça tranquila, buscar ajudar o Fluminense o máximo possível e, no fim do ano, resolver a situação. (Por mim) Ficaria”.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Caio Henrique diz estar se adaptando à lateral-esquerda e avalia conversa com Mário e Celso

Meio-campo de origem, jogador lamentou a lesão de Matheus Ferraz e comentou sobre a ascensão dos ‘Moleques de Xerém’

Foto: Mailson Santana / FFC

Caio Henrique é um dos principais destaques do Fluminense nesta temporada. Contratado após uma temporada aquém no Paraná em 2018, o jogador aos poucos conquistou seu lugar na equipe titular e, acumulando boas atuações, se tornou peça chave no esquema de Fernando Diniz, mesmo fora de sua posição. Volante de origem, ganhou a posição na lateral-esquerda após a ausência de Mascarenhas e desde então não saiu mais. Em entrevista coletiva concedida no CTPA, o atleta de 21 anos comentou sobre a improvisação no Tricolor e disse estar apto a dar seu melhor seja onde for.

“Estou me adaptando cada dia melhor na lateral esquerda. Sou meio de campo de origem, mas estou à disposição do Fluminense para jogar onde o Diniz precisar. Se for de lateral, vou dar o meu melhor. Se for no meio, vou dar o meu melhor”.

O volante/lateral aproveitou para rasgar elogios aos jovens da base tricolor, que vem entrando na equipe e dando conta do recado, como por exemplo a dupla João Pedro e Marcos Paulo. De acordo com ele, a troca de experiência dos mais velhos com os ‘Moleques de Xerém’ é essencial para que a mescla continue dando certo.

“Os meninos que estão entrando tem qualidade, ousadia, procuram sempre atacar. Estão se sentindo à vontade no clube. É importante que os mais experientes como o Ferraz, o Ganso, o pessoal mais rodado, dê suporte. Acho que por isso tem dado certo também”.

Caio Henrique também lamentou a lesão de Matheus Ferraz. Xerife da defesa tricolor, o zagueiro rompeu os ligamentos cruzados do joelho e dificilmente voltará a atuar em 2019. Para ele, o Fluminense perdeu uma ‘referência’ dentro de fora de campo.

“Sobre o Matheus, todo mundo ficou triste. É um cara que dentro e fora de campo passa muita tranquilidade para a gente. É uma referência. Acho que vivia seu melhor momento na carreira. Torcemos para que se recupere o mais rapidamente possível”.

Perguntado sobre a situação política do clube, que elegeu um novo presidente no último final de semana, o jogador destacou que espera que o mandatário consiga resolver os problemas que a instituição vem passando. Caio ainda revelou que a breve conversa com Mário Bittencourt e Celso Barros foi bastante positiva.

“É muito cedo para avaliar, mas o discurso foi muito positivo. Desejamos um bom mandato para eles, que eles consigam resolver os problemas que o Fluminense está passando”.

Por fim, comentou sobre o reencontro de Fluminense e Gum, que ficou por praticamente 10 anos nas Laranjeiras. De acordo com ele, o zagueiro adversário foi muito vencedor pelo Tricolor e o confronto será legal de assistir. O time de Fernando Diniz enfrenta a Chapecoense na próxima quinta (13), às 20h (de Brasília), na Arena Condá, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro.

“Vai ser um jogo legal pra ambas as partes. Quando não estava no Fluminense, acompanhava bastante. O Gum é uma referência dentro do clube, os torcedores têm carinho por ele. É vencedor aqui dentro. Vai ser legal para quem assistir. Desejo um bom jogo pra ele, mas a vitória para o Fluminense”.

Caio Henrique analisa desatenção do Fluminense no início dos jogos

Improvisado na lateral-esquerda, meia tricolor destacou que a equipe vem sofrendo gols “evitáveis”

Foto: Lucas Merçon / FFC

Na derrota por 3 a 0 para o Athletico-PR, na Arena da Baixada, o Fluminense sofreu o primeiro gol logo aos 21 minutos de partida, o que complicou a vida do Tricolor, que pouco depois teve um jogador expulso. O revés em Curitiba deixou a equipe de Fernando Diniz na 16ª posição, fora da zona de rebaixamento pelos critérios de desempate. Após o jogo, Caio Henrique lamentou a desatenção no início da partida e destacou que, apesar das falhas, é necessário manter a cabeça no lugar.

“A gente teve muita desatenção hoje. Nós temos sofrido gols no início dos jogos e alguns gols “evitáveis” que não podemos tomar. Mas temos que manter a cabeça fria. Quarta-feira tem jogo importante pela Copa do Brasil”.

Agora, o Fluminense vira a página e foca totalmente no duelo importantíssimo com o Cruzeiro pelas oitavas da Copa do Brasil. Cariocas e mineiros se enfrentam na próxima quarta-feira (05), às 19h15 (de Brasília), no Mineirão, por uma vaga nas quartas de final da competição. No jogo de ida, no Maracanã, as equipes empataram em 1 a 1.

Top