Fluminense foi o time com maior número de jogadores infectados pelo Covid-19 ao longo do Brasileirão 2020

O Campeonato Brasileiro 2020, que terminou na última quinta-feira (26) foi marcado por diversos problemas pelo novo Coronavírus (Covid-19). Pandemia que mudou o rumo do futebol, com paralisação nos campeonatos, jogos sem torcida dentre outros tantos fatores.

Diante de toda insegurança causada pela doença, o Brasileirão iniciou mediante um protocolo de testagens buscando preservar a saúde e vidas dos envolvidos com o esporte, apresentando uma rotina diferente com muitos exames por mês e trouxe um novo motivo de desfalque para os compromissos da competição.

Ao todo, a Série A registrou 302 infecções de jogadores pelo vírus durante o Brasileirão, com o Fluminense, ao lado do Vasco, sendo os clubes com maior número de jogadores infectados ao longo da competição, com 26 atletas no total, com a contagem sendo feita no período de 10 dias antes do início do Brasileirão até a data da última rodada

Foto em destaque: Mailson Santana/FFC

Fonte: GE

Incentivo financeiro em busca da vaga para a Libertadores

Diretoria tricolor fez uma aposta em pagamento de bichos por vitórias no Brasileirão e repartição do prêmio da CBF. A receita para o sucesso do Fluminense no Campeonato Brasileiro teve vários ingredientes. Além da química em campo e do bom ambiente fora dele, o aporte em premiações também fez parte da surpreendente caminhada tricolor de volta à Libertadores depois de oito anos.

O clube conviveu mais um ano com salários atrasados, mas a diretoria manteve bom relacionamento e confiança com o grupo, evitando insatisfação. O site Ge apurou que durante o Campeonato Brasileiro, foram de R $ 150 mil a R$ 300 mil por vitórias para serem divididos entre jogadores e funcionários. 

Outra promessa feita com o elenco, comissão técnica e funcionários do departamento de futebol foi repartir o prêmio pago pela CBF pelo desempenho no Campeonato Brasileiro. Com a quinta colocação, o Fluminense irá receber R$ 25,1 milhões pela campanha, e 20% dessa quantia (aproximadamente R$ 5 milhões) será usada internamente como premiação pelo resultado obtido na Série A.

Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC

Fonte: Ge

Marcão fala sobre sensação de terminar o Brasileirão classificado para Libertadores e fora do G4

Após o término do Campeonato Brasileiro, na última quinta-feira (25), o técnico Marcão concedeu coletiva nesta sexta-feira (26) e falou sobre a sensação que ficou com a classificação do time à Libertadores, mas vendo o G4 escapando na última rodada.

Terminamos com muita satisfação essa nossa passagem, mas com um sentimento um pouco amargo, porque ontem ficou bem perto de conseguirmos o G4, tamanho o esforço dos meninos (jogadores), a entrega e comprometimento. A gente lamentou do jogo passado contra o Santos, quando a arbitragem não teve uma noite feliz, nos prejudicou. Realmente foram pontos que nos deixariam certamente no G4. Mas assim: a sensação é de dever cumprido, que os meninos fizeram de tudo por essa posição. De cada vez mais elevar o nome do Fluminense lá em cima e, com a certeza que se tiver que disputar a pré, é lógico ainda na dependência do jogo do Palmeiras e Grêmio para entrarmos numa fase de grupos, mas com a sensação que se tiver que disputar o jogo da pré, esse time não teme mais a nada. Nosso time pode jogar contra qualquer equipe, em qualquer lugar, que eles vão jogar da melhor maneira possível. O que eles construíram é para ficar guardado, registrado, e tenho certeza que o Roger viu e vai ser daí para cima por tudo que esses meninos criaram – disse Marcão.

Vale destacar que o clube ainda segue na espectativa da decisão da Copa do Brasil, que caso termine com o título do Palmeiras, o Flu mesmo na quinta posição, avança direto à fase de grupos.

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Programação prejudicada

Ainda há chances do Palmeiras ajudar o tricolor a ter um início de temporada um pouco mais tranquilo, porém, da mesma forma os jogadores irão se apresentar na próxima terça-feira para dar início a preparação para a temporada de 2021, sob o comando do treinador Roger Machado.

O Fluminense não tem como esperar pelo resultado da final da Copa do Brasil, pois, caso o Palmeiras perca, não haverá tempo hábil de preparação para o primeiro jogo da fase de grupos contra o Ayacucho do Peru. A partida ocorrerá daqui a duas semanas, mais precisamente dia 10/03.

Ciente de todos os cenários possíveis, a diretoria tricolor já tinha planejamento para cada suposto acontecimento. Caso o tricolor passe pelo time peruano, irá enfrentar o vencedor de Independiente del Valle, do Equador, e Unión Española, do Chile, para chegar à fase de grupos.

Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC

Fonte: Ge

Nenê afirma: “Um dos melhores grupos que eu trabalhei na minha carreira”

O meia deu entrevista para os canais de comunicações internas do Flu, e comentou sobre a temporada tricolor, além da satisfação de fazer parte desse grupo de jogadores.

“Foi sensacional a nossa temporada, ninguém esperava que nós fôssemos chegar à Libertadores esse ano. O time sempre permaneceu unido, com os pés no chão. Um dos melhores grupos que eu trabalhei na minha carreira. É uma alegria muito grande e espero que a gente possa fechar com chave de ouro no G-4”. – Nenê

Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC 

Vale vaga na fase de grupos

Tricolor vai a campo hoje a noite contra o Fortaleza, no Maracanã, às 21h30 buscando a classificação direta para a Libertadores sem depender de uma vitória do Palmeiras contra o Grêmio na final da Copa do Brasil. Mas para isso, tem que contar com um tropeço do São Paulo também. O jogo terá transmissão do Premiere para quem é assinante.

O Fluminense tem três desfalques certos para a partida, que são o zagueiro Nino expulso no último jogo, Egídio que levou o terceiro cartão amarelo e Martinelli que sofreu uma entorse no tornozelo. 

O provável time que vai a campo é: Marcos Felipe; Danilo Barcelos, Matheus Ferraz, Luccas Claro, Calegari; Hudson, Yago, Nenê, Luiz Henrique, Lucca e Fred;

O árbitro do jogo será Anderson Daronco, auxiliado por Rafael da Silva e Michael Stanislau.

Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC

Três concorrentes, uma vaga. Quem substituirá Martinelli na última rodada do brasileiro?

Marcão terá um desafio e tanto para resolver quem substituirá o jovem Martinelli que vinha muito bem, e se lesionou na última partida contra o Santos após uma entrada de Sandry, onde nem falta foi marcada. 

As opções para o lugar do volante são André, Hudson e Yuri. Quem a torcida menos contestaria seria o também jovem André, mas ele tem poucos minutos no time de cima. O volante tem 10 jogos no time de cima com 5 vitórias, 4 empates e 1 derrota. 2 partidas como titular e 8 vindo do banco. André foi destaque ao lado de Martinelli na base jogando na função de primeiro volante, justamente a posição que ficará vaga com a ausência do companheiro. 

A outra opção é Hudson, que tem 25 jogos no Brasileirão, com 14 vitórias, 6 empates e  5 derrotas. 19 como titular, 6 como reserva. Hudson era homem de confiança de Odair Hellman e perdeu espaço com a efetivação de Marcão, mas ainda assim todo jogo entra no mínimo no segundo tempo. O que joga contra o atleta é que já avisou a diretoria que irá para o São Paulo ao fim do contrato dia 27 desse mês. O clube paulista briga diretamente com o tricolor carioca pela vaga direta na Libertadores.

E por último temos Yuri. Com 16 jogos, 7 vitórias, 2 empates e 7 derrotas. 13 partidas como titular, 3 como reserva. O atleta é muito contestado pela torcida pela sua lentidão e falta de proteção a zaga quando está em campo. Essas são as principais opções do treinador Marcão para substituir Martinelli contra o Fortaleza. Só saberemos a resposta de quem conseguiu a vaga momentos antes da partida.

Foto: Mailson Santana/Fluminense FC

Árbitro justifica expulsão de Nino em súmula

Jogador foi expulso na falta que saiu o gol de empate da equipe Santista. O juiz Sávio Pereira Sampaio relatou em suma que o zagueiro tricolor ofendeu a sua honra.

“Após a marcação de uma falta contra sua equipe o mesmo proferiu as seguintes palavras para mim “vai tomar no seu **”, de forma ofensiva em alto tom de voz . Me senti ofendido em minha honra com esta atitude”.

O time do Fluminense saiu de campo reclamando demais da arbitragem. Muitas faltas mal marcadas, lances invertidos, cartões amarelos apenas para um lado. 

Agora o tricolor necessita ganhar o Fortaleza, e que o São Paulo perca ou empate um jogo para conseguir a vaga direta na Libertadores. 

Foto: Mailson Santana/Fluminense FC

Em noite de arbitragem polêmica, Fluminense fica no empate com o Santos e vê G4 mais distante

O Fluminense entrou em campo na noite deste domingo (21) para enfrentar o Santos, na Vila Belmiro, com a expectativa de uma vitória, para se manter vivo na briga pelo G4 do Brasileirão. Porém, além do adversário ainda contou com uma arbitrage muito polêmica e acabou ficando no 1 a 1.

Mantendo a mesma estratégia que adotou nos últimos jogos, o Flu iniciou com as linhas baixas e apostando na saída rápida para o contra-ataque. E funcionou. Logo no início, Luiz Henrique escapou pela direita e achou Lucca, livre entrando pelo meio. O atacante agiu rápido e bateu de primeira, no canto, abrindo o placar para o Fluminense.

Logo após um dos lances mais polêmicos do jogo, quando o zagueiro do Peixe, Luiz Felipe, dividiu com o meio campista Yago, e a abou acertando o joelho do jogador do Flu. O juizão porém, nem ao menos foi chamado pelo VAR.

Precisando do resultado para se manter na briga por uma das vagas na Libertadores, o Santos voltou para o segundo tempo tentando pressionar o Fluminense, que conseguia administrar bem o jogo, embora o juiz Sávio Pereira Sampaio, se mostrava totalmente enrolado com o jogo. Até que aos 40 minutos em lance que gerou inclusive uma discussão entre os tricolores se teria sido falta, Sávio deu o segundo cartão amarelo e expulso Nino. Como desgraça pouca é bobagem, logo na sequência do lance o Santos empatou a partida.

Final na Vila Belmiro, Santos 1 x 1 Fluminense. Com o empate, o Fluminense chegou aos 61 pontos, porém viu o G4 mais longe, já que o Atlético-MG venceu o Sport e chegou aos 65 pontos. Já o São Paulo, atual quarto colocado com 63 pontos, só poderia somar no máximo um ponto nos jogos contra Botafogo e Flamengo nos próximos jogos.

Foto em destaque: Mailson Santana/FFC

Com Fred de volta, confira os relacionados do Flu para enfrentar o Santos

Recuperado de lesão, camisa 9 volta a ficar à disposição do técnico Marcão para duelo contra o Santos, na Vila Belmiro. O zagueiro Matheus Ferraz é ausência de última hora e não vai para o jogo.

Confira a lista:

GOLEIROS: Marcos Felipe, Muriel;

ZAGUEIROS: Luccas Claro, Nino;

LATERAIS: Egídio, Danilo Barcelos, Igor Julião e Calegari;

MEIAS: André, Hudson, Martinelli, Michel Araújo, Miguel, Nenê, Yago Felipe e Yuri;

ATACANTES: Caio Paulista, Fernando Pacheco, Fred, John Kennedy, Lucca, Luiz Henrique e Samuel.

A bola rola às 18:15, com transmissão do canal Premiere.

Foto: Lucas Merçon/FFC