Jhon Arias ou Gabriel Teixeira? Contra o Bahia, Marcão terá que escolher um para substituir Luiz Henrique suspenso

O Fluminense se reapresentou na tarde desta sexta-feira no CT Carlos Castilho e deu início à preparação para enfrentar o Bahia pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro, em partida que será só na segunda, às 19h (de Brasília), no Maracanã. 

Os titulares na derrota para o Atlético-MG por 2 a 1 na última quinta-feira, no jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil, fizeram apenas trabalhos regenerativos na academia, e o técnico Marcão ainda vai definir o time nos próximos dois dias.

Mas uma coisa o treinador já tem em mente: definir um substituto para Luiz Henrique. 

O atacante, que vem sendo titular desde a lesão de Caio Paulista, está suspenso pelo terceiro cartão amarelo, assim como Abel Hernández, reserva da equipe. E dois nomes surgem como favoritos à vaga no ataque: o colombiano Jhon Arias, que estreou com a camisa tricolor contra o Atlético-MG e entrou justamente no lugar de Luiz Henrique no segundo tempo; e Gabriel Teixeira, que era titular com Roger Machado.

Marcão ainda não sabe se poderá contar com Caio Paulista. O atacante, que voltou aos treinamentos no último sábado após se recuperar de uma lesão grau três na coxa direita, ainda vinha sentindo dores e readquirindo a forma física e por isso ficou fora dos dois jogos seguidos contra o Atlético-MG. Ganso e Hudson, que passaram por cirurgias no braço e joelho, respectivamente, seguem fora de combate.

Em 16º lugar na tabela com 18 pontos, só dois à frente do Grêmio, primeiro dentro do Z-4, o Fluminense entrará em campo pressionado por uma reação no Campeonato Brasileiro. Para ajudar, o Tricolor conta com o retorno ao Maracanã, que até domingo terá passado 17 dias fechados para realizar a troca do gramado, que vinha sendo alvo constante de críticas.

Foto: Lucas Merçon 

Antes do jogo de hoje, Roger fala da importância da partida:” Buscar traçar os objetivos.”

Fluminense enfrenta hoje (24) às 19hrs no Allianz Parque, o líder do brasileirão, Palmeiras. Precisando vencer para tentar encostar na parte de cima, o time de Roger Machado deve ir com força máxima, já que poupou o time na última rodada quando perdeu para o lanterna da competição. 

Temos que buscar traçar os objetivos. Desde o início do brasileiro, a gente traça metas alcançáveis para que a gente se mantenha ali na frente perto dos líderes e também nas fases decisivas das competições eliminatórias. A gente encara sempre o próximo desafio como o mais importante.” Disse Roger

Foto: Lucas Merçon/ FFC

Apesar da derrota, Roger vê time se consolidando e acredita em ano promissor

A derrota por 3 a 1 no clássico do último sábado (22) para o Flamengo, deixando o Flu com o vice campeonato estadual, não caiu bem para os torcedores, que em sua grande maioria criticou a postura do time em campo. Porém, para o treinador, Roger Machado, o time está se consolidando e, o treinador acredita em um ano promissor para a equipe.

Penso que esse grupo jovem, com alguns jogadores bem experientes, está se consolidando. Os jogadores mais jovens, naturalmente, vão sentir o peso das decisões. Mas penso que fizemos um campeonato estadual de recuperação. Iniciamos com o Sub-23 nos representando, depois, gradativamente, fomos colocando jogadores que tinham mais minutagem jogando a partir da terceira rodada. Classificamos com mérito para essa fase final, chegamos na final motivados para enfrentar um time como o Flamengo. Isso mostra que, para mim, o ano é promissor. Fica muita frustração. É até difícil receber os parabéns pela campanha de segundo lugar. Mas já é para ser página virada – disse o treinador na coletiva após a derrota no clássico.

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Crônica: Fluminense 1×3 Flamengo – Não precisa ter dado três treinos na vida para identificar as deficiências do time de Roger.

Com vinte minutos de jogo já era possível analisar e entender o que seria a tônica da partida de ontem entre Fluminense e Flamengo na decisão do título estadual. O time comandado por Roger mais uma vez entrou em campo expondo seu principal problema: dificuldade de marcar sob pressão. O Fluminense praticamente não conseguiu ter posse de bola e pior: acertar a marcação. Os jogos anteriores iludiram o torcedor, afinal o time mesmo jogando partidas ruins vencia seus jogos e conseguia manter de certa forma uma regularidade de resultados, méritos muitas vezes conquistados por jogadas individuais e na base do “vamos que dá”, porém, a sorte nem sempre vai acompanhar o time. A mesmice faz com que os adversários consigam fazer a leitura da proposta de jogo do Fluminense, seja antes da partida começar ou durante o jogo.

O time do Fluminense resume-se a dois blocos: Bloco 1 formado por Lucas Claro, Nino, Callegari, Barcelos ou Egídio e Martinelli e o Bloco 2 que é formado por Fred, Nenê, Luís Henrique, Kayke, Yago. Entre esses dois blocos temos um buraco. Quando o time não tem a posse de bola, Fred e Nenê tem a responsabilidade junto com Yago de darem o primeiro bote. Não precisa ser profissional de Saúde ou ter dado pelo menos dois treinos na vida para saber que por conta das idades avançadas, Fred e Nenê não possuem vigor para marcar com intensidade, com isso sobra para Yago (sozinho) dar o combate no meio-campo. Ao passar pelos três, os adversários partem em direção ao segundo bloco que irritantemente prefere dar campo, não atacam, não fazem faltas no meio campo ou na intermediaria, fazendo com que o adversário chegue facilmente a nossa meta, possibilitando até troca de passes de uma ponta a outra do campo e muitas vezes até tendo tempo para ajeitar o corpo, medir velocidade do vento, calcular a força do chute sem que seja sequer combatido. Luís Henrique, Gabriel Teixeira Kayke e Martinelli não são uma realidade, precisam amadurecer. O Fluminense não possui variação tática. As substituições são sempre as mesmas: Sai Fred, entra Abel Hernández, sai Nenê entra Cazares, sai Kayke, entra Caio Paulista, sai Luís Henrique entra Gabriel Teixeira. Porque não ousar? Porque não tentar ser diferente? Porque não alternar? Porque não mudar o esquema e insistir apenas em mudar as peças?

Estamos a dois dias de decidir nosso semestre em um jogo de vida ou morte diante do River Plate e com certeza Marcelo Gallardo já tem tudo esquematizado sobre seu próximo adversário, uma vez que Roger insiste em manter uma formação que até mesmo o Volta Redonda e a Portuguesa do Rio conseguiram deter, fazendo com que o time levasse 6 gols nessas duas partidas. Mudanças são necessárias PRA ONTEM ou iremos pagar um preço muito caro por essa covardia.

FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C

Fluminense mais uma vez joga mal e é vice-campeão do Carioca 2021

Aos nove minutos de jogo, Danilo Barcelos lançou na área, e Arão, ao fazer o corte, bateu com a bola na mão. A arbitragem mandou seguir, afirmando que o VAR não viu irregularidade. Aos 44 minutos, Gabriel Barbosa abriu o placar. Aos 46, o mesmo ampliou.

SEGUNDO TEMPO

Aos três minutos, Fred tocou, Rodrigo Caio fez pênalti em Caio Paulista, que a arbitragem em campo novamente ignorou. O VAR chamou e o juíz marcou. Fred descontou aos seis. Aos 13, Danilo Barcelos cobrou escanteio na cabeça de Luccas Claro, mas o zagueiro cabeceou por cima. Aos 15, Marcos Felipe fez uma grande defesa em chute de Felipe Luis. Aos 22, Caio Paulista fez boa jogada pelo meio, arrumou pra perna esquerda e bateu cruzada, mas foi rasteira pra fora. Aos 41, João Gomes completou o placar.

Foto: Lucas Merçon/FFC

Fluminense jogará com uniforme em homenagem às vítimas do Covid-19

O Fluminense entrará em campo neste sábado à noite, para decidir o Campeonato Carioca diante do Flamengo, com uma homenagem às vítimas da Covid-19. Na frente de sua camisa estará estampado: “#É pelo Flu, é pelas vidas”.

O Fluminense diz ainda que vai usar suas redes sociais para divulgar informações importantes no combate à disseminação do novo coronavírus. Na sexta-feira, o Brasil contabilizava 446.527 mortes e 15.976.156 casos de Covid-19.

Fluminense e Flamengo decidem o Carioca às 21h05, no Maracanã. No primeiro jogo, houve empate por 1 a 1. Nova igualdade levará a decisão para os pênaltis. Quem vencer será o campeão.

Foto: Divulgação Fluminense

Tática Didática: O que esperar do Fla x Flu de hoje ?

Análise Tática: o que esperar do Fla x Flu?

Flu e Fla se enfrentam hoje, às 21h05, para decidir o campeonato estadual do Rio de Janeiro.

Nos confrontos de meio de semana, ambos decepcionaram, deixando os torcedores preocupados com o que pode acontecer logo mais, no Maracanã.

Confira a análise tática do duelo entre Rogério Ceni e Roger Machado, projetando o que pode acontecer em campo no jogo que decide o estadual.

O caminho para a vitória do Tricolor pode ser a bola aérea, mas não só ele.

É o aí Jesus ! Fluminense leva vantagem sobre o rival nos clássicos que valem título

O Fluminense enfrenta o Flamengo na noite deste sábado (22), às 21h05, no Maracanã, em partida que decidirá o campeão Carioca de 2021. Após o empate por 1 a 1 no primeiro jogo, no último sábado (15), a partida decisiva não terá vantagem. Quem ganhar será o campeão e em caso de novo empate o título será decidido nós pênaltis.

Desde 2012 sem levantar a taça do Cariocão, o Fluminense está em vantagem sobre o Flamengo quando o assunto é jogo que vale título. As equipes já se enfrentaram em 13 decisões com oito vitórias para o Fluminense.

O flu inclusive é o adversário que possui mais vitórias sobre o Flamengo em decisões de Carioca, sendo a última no entanto lá em 1995. Antes, o Flu já havia se segurado campeão em cima do rival em: 1919, 1936, 1941, 1969, 1973, 1983 e 1984

Foto em destaque: Mailson Santana/FFC

Antes da final, Roger Machado comenta sobre a partida: “ A gente guarda elementos para surpreender”

Antes da final de hoje pelo campeonato carioca às 21h, alguns jogadores falaram sobre o jogo de logo mais a noite, e em todos os comentários, os jogadores destacaram que o time precisa estar ligado para a decisão pois sabem que em clássico o jogo é decidido nos detalhes.

Confira o que disse Fred, Martinelli e Roger Machado antes da partida:

 A gente sabe que vai ser um jogo muito difícil, já que o clássico se decide no detalhe. Espero que a gente possa fazer um grande jogo e sair com o título. Quem veio recentemente de Xerém terá a chance de disputar a primeira final pelo profissional. Se Deus quiser seremos pés-quentes e vamos conquistar o primeiro título da nossa carreira.” Disse Martinelli.

“Clima de decisão pra gente. Vamos ficar 100% nessa possibilidade de título, em um clássico e estamos ansiosos pra chegar 21h para, se Deus quiser, dar tudo certo e a gente sair campeão.” Disse o capitão tricolor

“ A gente guarda alguns elementos mais específicos para tentar surpreender, mas a mentalidade de jogo decisivo já está funcionando. Sabemos que jogos de finais são decididos nos detalhes, e a gente tem que estar preparados para as adversidades para sair campeão. O controle emocional tem que estar presentes.” Comentou Roger Machado

O jogo será às 21h05, no estádio do Maracanã.

Foto: Lucas Merçon/FFC

Welerson é convidado do Boteco Brahma Tricolor

Alexandre Araújo e Toni Platão receberão o ex-goleiro Welerson, que é Supervisor Técnico do Sub-15 do clube no Boteco Brahma Tricolor, a partir das 19h05, no YouTube. Para os mais novos que não chegaram a conhecer ou assistir o arqueiro em campo, Welerson viveu grande fase no Fluminense em 1995, onde conseguiu atingir marcas importantes, como o título estadual de 1995 na memorável final gol de barriga, ficando 759 minutos sem sofrer gols durante a campanha, além de realizar defesas importantíssimas na campanha do Brasileirão do mesmo ano, fazendo com que o clube chegasse as semifinais do torneio

Fonte: Fluminense