fbpx

Guerra entre Globo e Flamengo pode suspender cota do Carioca

A guerra entre Globo e Flamengo iniciada logo no começo do ano quando o clube da Gávea e a emissora não chegaram a um acordo para transmissão do clube no Campeonato Carioca, vem aumentando desde então.

Em meio a paralização da competição por conta da pandemia a diretoria rubro-negra se articulou e conseguiu uma grande arma: a MP assinada pelo presidente Jair Bolsonaro, que dá direito ao mandante da partida negociar a venda da transmissão do jogo, sendo assim, os jogos do Flamengo que não vinham sendo televisionados ao longo de todo Campeonato Carioca, poderia ser negociado com qualquer emissora ou streaming.

A Globo, detentora até então dos direitos da competição ameaça romper os contratos e parar de pagar os clubes do Campeonato Carioca e a Ferj caso o Flamengo consiga transmitir seus jogos como mandante. A emissora que tem contrato com 15 clubes mais a federação até 2024 com valor anual de cerca de R$95 milhões já entregou inclusive com uma ação contra o Flamengo para impedir o clube de transmitir suas partidas como mandante.

Vale destacar no entanto, que a emissora pagou somente parte do valor referente a 2020, interrompido por conta da paralisação do coronavírus.

Sem acordo no STJD, Fluminense segue com jogo marcado para o fim de semana

O imbróglio envolvendo a retomada do futebol Carioca segue a todo vapor. Com direito de dar inveja a roteiristas de Hollywood, o caso já sofreu diversas reviravoltas e segue nas mãos de Paulo César Salomão, presidente do STJD, para definir os próximos capítulos.

A Ferj, após ver o prefeito do Rio, Marcelo Crivela suspender as Competições esportivas na cidade até o próximo dia 25, remarcou as partidas para o próximo final de semana, quando Botafogo e Fluminense, contrários ao retorno dos jogos teriam cerca de uma semana de preparação, com a partida do Flu sendo marcada para domingo (28), às 19h.

Os clubes no entanto seguem firmes na posição de terem ao menos 10 dias de preparação o que faria com que entrassem em campo somente no final do mês, tendo o Fluminense, na figura do presidente Mário Bittencourt, concordado em retornar dia 30 de junho.

Contudo, tanto Fluminense quanto Ferj, aguardam o despacho do presidente do STJD para se posicionarem sobre o caso. A expectativa é que de tenha uma decisão final do STJD ainda nesta terça-feira (23).

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Narrador volta a criticar os episódios envolvendo a volta do Carioca “mais um tiro no pé de um produto combalido”

A retomada do Campeonato Carioca na última quinta-feira além dos fatores externos a realização da partida Flamengo e Bangu, que marcaram o reinício da competição, incomodou narrador Luis Roberto.

Durante o programa “Redação SporTV, nesta segunda-feira (22), o locutor voltou a criticar a forma como vem sendo conduzida a volta do Estadual no Rio, em meio a pandemia.

– Como produto, foi mais um tiro no pé de um produto combalido. Ou a Federação… Não adianta, não vai cuidar nunca mais deste produto. Este produto não será cuidado porque é endêmico no Rio de Janeiro. É inacreditável a falta de bom senso, de entendimento. É um capítulo terrível – , completou o narrador

Luis Roberto comentou também sobre a MP (Medida Provisória) editada pelo presidente Jair Bolsonaro, na última quinta-feira, de Fla e Bangu entrarem em campo. O documento altera as leis de direito de transmissão de partidas de futebol, dando aos clubes mandante autonomia para negociar suas partidas.

– A questão do Campeonato é um dos episódios mais tristes da história do Carioca, que tem episódios terríveis. (…) É inacreditável o que aconteceu. A forçação de barra que foi quinta-feira para o Flamengo, que é, digamos, o líder da Medida Provisória que muda os direitos de transmissão, jogar no dia do anúncio… Gente, é de um amadorismo, de uma falta de inteligência – concluiu.

Contrário a volta o Fluminense afirma que só retornar a campo em julho. Segundo o presidente do clube, Mário Bittencourt, mesmo voltando, o time jogará sob protesto e por consideração aos clubes de menor investimento, que querem receber a última parcela da TV Globo.

Fonte: UOL
Foto: Reprodução SporTV

Relembre como estava a classificação do Carioca antes da parada forçada pela pandemia

Após mais de três meses suspenso por conta da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), o Campeonato Carioca retorna nesta quinta-feira (18), quando o Flamengo enfrenta o Bangu às 21h no Maracanã.

O Fluminense que tem se mostrado contrário a decisão tem seu jogo marcado para a próxima segunda-feira (22), e embora o presidente Mário Bittencourt já tenha admitido a possibilidade de entregar na justiça contra a decisão da Ferj, os jogadores do Flu se posicionaram se mostrando contra o retorno neste momento, mas confirmando a entrada em campo mesmo que sob protesto.

Contudo, depois de mais de três meses sem bola rolando, você lembra como estava a classificação ? A Ferj, usou suas redes sociais para relembrar não só a classificação da Taça Rio, como também a geral.

Vale destacar que a classificação geral apontaria um finalista somente se o Flamengo, que já venceu a Taça Guanabara, voltar a vencer a Taça Rio. Caso isso ocorro, o líder da classificação geral faria a final do estadual contra a equipe da Gávea.

Rival tricolor, Vasco confirma 19 jogadores contaminados pelo Covid-19

Favorável a volta imediato das atividades do departamento de futebol ao lado de Flamengo, Ferj e Prefeitura, o Vasco confirmou que 19 jogadores do elenco testaram positivo para o novo Coronavírus (Covid-19). Deste total, segundo o clube, três já se recuperaram, mas 16 ainda apresentam sintomas do vírus e foram isolados do restante do elenco.

Em vídeo publicado na Vasco TV, o clube divulgou que, em função da pandemia do coronavírus, 250 pessoas entre jogadores, membros da comissão técnica, staff e contactantes foram submetidos ao exame.

O clube anunciou ainda que novos exames com o restante do elenco serão feitos nesta segunda-feira (01), e que vem cumprindo com o que está permitido pelas autoridades, realizando apenas exames médicos, avaliação da fisioterapia e fisiológica. Não havendo treino propriamente dito.

Acompanhe a nota divulgada pelo clube:

“Três atletas tiveram contato com o vírus e estão curados. Observamos 16 atletas que vieram com exames positivos. Eles são isolados do grupo, vão continuar com contato médico e exames seriados até que tenhamos certeza que eles não poderão mais transmitir esse vírus para o restante do elenco. Isso só comprova que estamos fazendo uma grande ação de saúde, identificado o mais rapidamente possível essa infecção nos atletas porque a gente sabe que 95% do nosso grupo são assintomáticas, essas que tiveram contato com o vírus. Isso faz com que a gente impeça que o vírus seja disseminado até mesmo dentro do ambiente familiar do atleta”.

“Depois de toda a bateria de exames seriados que fizemos em todos o grupo, jogadores, comissão, staff e contactantes domiciliares, pudemos perceber que aproximadamente 30% de todas essas pessoas já entrou em contato com o novo coronavírus. Mesmo com o distanciamento social, 30% entrou em contato”.

Foto em destaque: Globoesporte.com

Presidente tricolor se mantém firme sobre volta do Cariocão: “se não der pra terminar no campo, que seja encerrado”

Em participação no programa Bem Amigos, dos canal SporTV, o presidente do Fluminense, Mário Bittencourt, voltou a reafirmar o posicionamento do clube sobre a volta do futebol neste momento. O mandatário ainda deixou bem claro a intenção do Fluminense em terminar o Campeonato Carioca no campo, porém levantou a possibilidade de encerrar a competição sem que haja um campeão

Fluminense emite nota se posicionando sobre reunião da volta do futebol

O Fluminense emitiu na tarde deste domingo (24) uma nota oficial na qual explicava o motivo de não ter comparecido a reunião entre clubes e Prefeitura, agendada exatamente para este domingo (24).

Segundo a nota, o clube não compareceu por não ter recebido nenhum convite formal do governo, tendo esse convite sendo feito por whatsapp e pela Federação do Rio, a Ferj.

Veja a nota na íntegra:

O Fluminense Football Club esclarece que não recebeu qualquer convite formal do gabinete do Prefeito do Rio de Janeiro para uma reunião com os clubes de futebol. A convocação, feita por whatsapp, partiu da Federação de Futebol do Rio de Janeiro, sem que houvesse informação e muito menos discussão prévia do tema a ser tratado com a autoridade máxima do governo da capital. O Fluminense optou por manter-se apenas em observação, sem que isso signifique qualquer posicionamento em relação à reunião, pois dela não tem informações.

Se há um posicionamento do Fluminense, esse sim reafirma-se agora nesta nota, é a decisão de somente voltar ao futebol quando as autoridades de saúde emitirem parecer respaldado pela comunidade científica autorizando a volta dos treinos presenciais e jogos, com indicações claras de procedimentos e normas.

O Fluminense reitera seu respeito à independência das decisões tomadas por outros clubes e se coloca, de forma solidária, à disposição para os debates em torno do tema, desde que se deem no ambiente da ciência. E tomando por base uma visão clara da realidade do que está ocorrendo nos hospitais da rede pública de saúde onde é tratada a maioria de nossos torcedores, bem como de projeções feitas por autoridades sanitárias competentes sobre a curva de contaminação, sobre o comportamento social  diante da necessidade de isolamento, a perspectivas de tratamentos e formas de prevenção. Enfim, das melhores informações disponíveis sobre a possibilidade de retorno de jogos.

 O Fluminense entende a necessidade de volta dos jogos em razão de pressões econômicas, sobretudo entre os clubes de menor possibilidade financeira. Tanto assim que vem ele mesmo promovendo uma série de ações, como o lançamento de seu novo uniforme, descontos de incentivo para os sócios permanecerem em dia com seus mensalidades, ações de aproximação e exposição da marca de nossos patrocinadores, entre várias outras que ainda estão por vir. Mas não dará um passo em direção ao campo enquanto não houver certeza sobre as condições seguras para nossos atletas, nossos profissionais e nossa torcida.

Nosso entendimento é de que jogos sem público não impedem aglomerações. Se não forem ao estádio, as pessoas se juntarão em frente a televisores de bares, que insistem em permanecer abertos, sobretudo nas periferias, onde o isolamento social tem tido menor adesão. O futebol, por movimentar paixões, deve estar ciente de seu compromisso social e não alimentar ansiedades.

O retorno aos treinos e campos não é apenas uma questão de saber como se poderá voltar. Ou seja, não se trata apenas de protocolos médicos. É também uma questão de quando, pois precisam ser colocadas em perspectiva todas as influências que o futebol pode causar. Saber o momento certo da curva de contaminação e nos locais certos são fatores que devem se somar ao “como” que está expresso em protocolos.

Sabemos que, como clube, estamos bem acompanhados nessa discussão. E não falo apenas dos clubes que mantém posição igualmente firme pelo não retorno neste momento. Estamos acompanhados de milhares de profissionais de saúde, cientistas e gestores públicos que conhecem melhor do que todos a gravidade da pandemia e suas consequências para a vida de todos.

Fluminense emite nota sobre participação da equipe no Campeonato Carioca

Na última sexta-feira (8) a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) divulgou um documento com a assinatura das equipes participantes do Campeonato Carioca 2020, exceto Fluminense e Botafogo, que se recusaram a assinar o termo que autorizava a volta aos treinos.

Diante disto, uma matéria publicada pela Gazeta Press e divulgada em variados veículos de imprensa, dava conta de uma possível medida judicial do Fluminense caso o Campeonato tivesse sua volta apressada.

O clube no entanto, divulgou uma nota na última terça-feira (12) onde afirmou que não estuda nesse momento quaisquer medida para deixar de jogar o Campeonato Carioca. A nota ressaltou que o clube se mantém firme no posicionamento de só voltar às atividades quando as autoridades governamentais e médicas derem autorizações para isso. 

Confira a nota na íntegra:

Ao contrário do que foi publicado pela matéria feita pela agência Gazeta Press, o Fluminense não estuda neste momento qualquer medida para deixar de jogar o Campeonato Estadual do Rio de Janeiro. Desde o início da pandemia de COVID-19 o clube vem afirmando que só retornará aos trabalhos presenciais e aos jogos quando as autoridades governamentais e médicas derem autorizações para isso. O Clube entende que, como já amplamente divulgado, este não é o momento de pensar em retorno. O Fluminense possui toda a intenção de que após a pandemia, desde que possível, o campeonato seja concluído no campo com todas as rodadas que restam.

MP veta possível realização do Cariocão em Brasília

Na última semana o presidente Jair Bolsonaro sugeriu que a realização das rodadas finais do Campeonato Carioca fosse realizadas em Brasília. No entanto, antes mesmo de uma decisão entre Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) e clubes, o Mistério Público do Distrito Federal (MPDF), já vetou a possibilidade.

De acordo com informações do portal Diário do Rio, o MPDF emitiu um comunicado recomendando que treinos e jogos na capital federal só sejam liberados depois da existência de um protocolo de atuação referente à pandemia do Coronavírus.

Vale destacar que o Fluminense já se manifestou contrário a volta das atividades em meio a pandemia e o clube se mantém firme na ideia de retornar as atividades somente com uma liberação de algum órgão de saúde.

Vale destacar ainda que o clube já retomou os treinos após liberar seus jogadores para férias, no entanto, as atividades vem sendo feitas de forma em separada com cada atleta realizando exercícios específicos de casa, sendo acompanhados pelo clube de forma remota.

Foto em destaque: Rafael Ribeiro/CBF

Presidente da Ferj garante término do Carioca dentro de campo e sugere até jogos no mesmo fim de semana que o Brasileirão

Presidente da Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj), Rubens Lopes, concedeu uma entrevista online na tarde desta sexta-feira (24), quando respondeu a uma série de perguntas enviadas por repórteres de diversos veículos.

Em quase uma hora e meia de entrevistas, Rubinho foi enfático na resposta sobre a a possibilidade de dar o Carioca como encerrado sem realizar as partidas restantes:

– A única coisa que se tem certeza é que o campeonato vai acabar dentro de campo. Todos os jogos serão realizados dentro do regulamento assinado por todos. Essa decisão é da qual a Federação participou com todos os clubes, decidido em unanimidade que o campeonato será decidido dentro de campo. Quando vai acontecer? Não importa, não dá para responder agora – disse Rubinho, que não determinou uma data para a sequência da competição:

– Não há limite de prazo. A época que for possível serem jogados os confrontos que estão faltando, vai acontecer – concluiu.

Ainda em relação as datas, Rubinho chegou a propor que a sequência do Estadual seja disputada no mesmo fim de semana que o Brasileirão, afirmando que os clubes tem elenco para disputar os jogos “ao mesmo tempo”.

– Quanto a adentrar ao calendário de 2021, não altera em nada o Carioca. Vai ter jogo no sábado do Brasileiro? Vai ter no domingo do Estadual. Os clubes têm elenco para isso, têm número de atletas para utilizar um numa partida, um numa outra. Já aconteceu na Bahia, jogaram um dia pela Copa do Nordeste, outros pelo Estadual. No inicio do nosso campeonato, alguns usaram equipes mistas, não sua força principal. Pode ter dois mil campeonatos em janeiro e fevereiro, mas os jogos dos campeonatos estaduais vão seguir. Não vai atrapalhar em nada – completou o presidente.

Vale destacar que o Fluminense tem se mantido firma na conduta de só retomar os jogos quando estiver com todas as garantias de saúde para colocar os jogadores em campo.

Foto em destaque: Reprodução

Top