Mário comenta sobre SAF e possível valor de negociação: “O Fluminense não vale menos de R$ 2 bilhões na nossa cabeça”

O Fluminense já está no Ceará, onde enfrenta o Fortaleza na tarde deste domingo (22), pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. Presente com a delegação, o presidente Mário Bittencourt, participou do evento “Tricolor em Toda Terra” e falou sobre a possibilidade de implantação de uma SAF (Sociedade Anônima de Futebol) no clube.

Existe a questão da SAF, de um estudo sobre, no futuro, o Fluminense poder ou não, dever ou não, se transformar numa SAF seja ela com o investidor tendo o controle ou não. Os clubes estão sendo vendidos, em média, entre R$ 400, 500, 600 milhões. O Fluminense, só nos últimos cinco ou seis anos, só em venda de jogadores, vendeu algo em torno de R$ 650 milhões. A nossa diferença para os outros é que temos uma base formadora muito boa e conseguimos, obviamente, nos manter de pé. O que ouvimos de principal do banco BTG em uma primeira conversa foi que não há sentido em fazer nenhuma mudança nesse momento se não houver uma liga no futuro. Havendo uma liga no futuro, os clubes terão muito mais valor e serão muito mais bem vendidos – disse o presidente, que revelou o que pensa ser um possível valor de venda do Fluminense.

– A nossa diferença para os outros é que temos uma base formadora muito boa e conseguimos, obviamente, nos manter de pé. O estudo do BTG faz um valuation do Fluminense e a gente acredita que só Xerém vale algo em torno de R$ 1 bilhão. Não existe nenhum número, é uma situação hipotética, o estudo não está pronto, mas o Fluminense não vale menos de R$ 2 bilhões na nossa cabeça, sem fazer um estudo e na cabeça da instituição financeira também – completou.

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

É normal! Moleques de Xerém vencem o Flamengo por 2 a 0 no Carioca sub-20

Com gols de Kennedy e Miguel Vinícius, o Fluminense venceu o Flamengo por 2 a 0 nas Laranjeiras pela nona rodada do Campeonato Carioca sub-20.

Com a vitória, o Tricolor chegou a segunda colocação geral, com 18 pontos conquistados, três a menos que o líder Vasco.

Os Moleques de Xerém voltam a campo na próxima sexta-feira (27/5), contra a Portuguesa, às 10hrs, no Luso-Brasileiro.

A equipe do técnico Guilherme Torres foi a campo com: Cayo Fellipe; Erick, Felipe, Damaceno e Jefté; Alexsander, Freitas e Arthur; Guilherme, Kennedy e Miguel Vinícius.

Foto: Leonardo Brasil/ FFC

Em boa fase nos Emirados, Michel Araújo pode seguir no Al-Wasl

O meia uruguaio Michel Araújo, emprestado pelo Fluminense ao Al-Wasl, pode seguir no clube dos Emirados Árabes. Isso porquê, o técnico Odair Hellman, ex-Flu e atualmente no clube dos Emirados, pretende seguir com o jogador na equipe.

A informação foi divulgada pelo repórter Victor Lessa. Segundo ele, a comissão técnica de Odair deseja a permanência do uruguaio para a próxima temporada e a decisão está nas mãos da diretoria do Al-Wasl, que tem o prazo da opção de compra até este domingo (22), mas os árabes podem tentar esticar a negociação por mais alguns dias.

Caso opte em exercer a opção de compra, o Al-Wasl vai pagar 3 milhões de dólares (cerca de R$ 14 milhões) pelo atleta, com o Fluminense, que tem 50% dos direitos do atleta, ficando com cerca de R$ 7 milhões.

Além de ser um dos destaques do time, vivendo ótima fase, Michel Araújo ainda é querido pela torcida, fatores que podem pesar na decisão de manter o meia no time.

Foto em destaque: Divulgação

Mais uma decisão! Moleques de Xerém batem o Botafogo e avançam para a final da Copa Rio sub-15

Após empate por 2 a 2 no jogo de ida, o Fluminense venceu o Botafogo por 2 a 0 nas Laranjeiras e se classificou para a final da Copa Rio sub-15. Gols de Riquelme e Kaio Borges.

Assim como no sub-17, o Tricolor enfrenta a equipe do Vasco na decisão, que eliminou o Flamengo na outra semifinal.

O jogo

Mesmo com a vantagem do empate no confronto, o Fluminense foi pra cima do adversário e abriu o placar aos 27 do primeiro tempo com Riquelme em uma grande jogada coletiva, o camisa 10 tabelou com Isaque e bateu colocado.

Três minutos depois, aos 30, Matheus Reis recebeu bom lançamento e finalizou na trave, o próprio camisa 7 aproveitou o rebote, driblou dois marcadores e cruzou na medida para o lataral Kaio Borges ampliar o marcador nas Laranjeiras.

Na segunda etapa, o Botafogo não teve forças para ensaiar uma reação, e os Moleques de Xerém controlaram as ações do jogo até o final, sem levar nenhum susto do adversário.

Ficha técnica

Fluminense: Dayvisson Henrique; Kaio Borges, Gabriel Gorgulho, Breno Britez e Vagno Júnior; Wallace Davi, Tauan Santos e Riquelme; Matheus Reis, Isaque Severino e Keven Samuel. Técnico: Rômulo Rodriguez

Botafogo: Matheus Lourenço; Pedro Victor, Micaell Torres, Nathan Bernardo e Guilherme Pacheco; Joaquim Saraiva, Lucas Penedo e Cadu Laport; Daniel Henrique, Caio Jerônemo e Waldemir Barbosa; Técnico: Vinicius Durante.

Foto: Leonardo Brasil/ FFC

Moleques de Xerém voltam a vencer o Flamengo e avançam para a final da Copa Rio sub-17

Após vitória no primeiro jogo por 3 a 2 na Gávea, o Fluminense venceu o Flamengo por 2 a 1 de virada nas Laranjeiras e confirmou a classificação para a final da Copa Rio sub-17. Agner e Luis Fernando marcaram os gols do Tricolor.

Os Moleques de Xerém enfrentam a equipe do Vasco na decisão, que eliminou o Botafogo na outra semifinal.

O jogo

Com a desvantagem no confronto, o Flamengo abriu o placar aos 6 minutos com Jonathan. O Fluminense não demorou a reagir e empatou o marcador aos 11 minutos com o camisa 10 Agner, em um belo chute de fora da área.

O Tricolor continuou pressionando e virou o jogo aos 33 minutos com Luis Fernando, após boa jogada individual de João Lourenço.

Com a vantagem do empate no confronto e vencendo por dois gols no placar agregado, os Moleques de Xerém controlaram o jogo na segunda etapa e garantiram a classificação para a final da Copa Rio sub-17.

Ficha técnica

Fluminense: Antônio; Vitor, Gustavo Cintra, Kayky Almeida e Daniel Lima; Paulo Porfírio, Dohmann e Agner; Luis Fernando, João Lourenço e Crysthyan Lucas. Técnico: Daniel Pinheiro.

Foto: Leonardo Brasil/ FFC

ANÁLISE: Sem sequer um chute no gol, Fluminense tem pior partida da era Diniz

A classificação que já era difícil mesmo vencendo ficou quase impossível após o empate por 0 a 0 do Fluminense com o Unión Santa Fe, na noite da última quinta-feira, na Argentina. Para chegar às oitavas de final da Copa Sul-Americana, o Tricolor agora está à espera de um milagre. Para recapitular: precisa torcer por um empate dos argentinos com o Junior Barranquilla na Colômbia, além de ter que vencer o Oriente Petrolero na Bolívia por seis gols de diferença.

Foi disparada a pior atuação nesses cinco primeiros jogos de Fernando Diniz desde seu retorno às Laranjeiras. Para um time que precisava vencer, o Fluminense não mostrou “fome” e apresentou um volume ofensivo pífio no Estádio 15 de Abril. Foram apenas quatro finalizações (NENHUMA SEQUER NA DIREÇÃO DO GOL) e zero chances claras em 97 minutos, considerando os acréscimos. A posse de bola tricolor, que variou próxima dos 60% durante o jogo inteiro, de nada adiantou.

E a atuação discreta de Ganso, que voltava de lesão após desfalcar a equipe nos últimos dois jogos, foi determinante para essa posse de bola estéril. Ele era o cara com mais visão e técnica para quebrar as linhas de uma retranca, mas ele acabou sendo o jogador com mais passes errados do Fluminense na partida ao lado de Luiz Henrique, com 15 erros. Com o camisa 10 mal, Nathan seria o segundo mais “preparado” para a função, mas errou tanto quanto o companheiro de setor: 14 passes equivocados.

O que poderia ter sido feito de diferente para aumentar o volume ofensivo? Talvez, depois de ter percebido que o Unión jogaria na retranca, ter aberto mão de um dos dois volantes (Wellington e André) para colocar Arias ou Caio Paulista já na volta do intervalo. Quando decidiu pôr o time para frente, ao tirar Ganso e Nathan perdeu o meio de campo. Diniz mais uma vez se mostrou corajoso, trocou lateral por peça de ataque, mas viu que nem sempre encher o time de atacantes vai funcionar.

Os jogadores do Fluminense dormiram na Argentina e na tarde desta sexta-feira seguirão direto para o Ceará, onde o time irá treinar no sábado e enfrentar o lanterna Fortaleza no domingo, às 16h no Castelão, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. A dependência do milagre na Sul-Americana será na quinta-feira da semana que vem, quando visita o Oriente Petrolero na Bolívia, às 21h30 (horário de Brasília), pela última rodada do Grupo H. O Tricolor é o terceiro colocado com oito pontos.

Fonte: Ge
Foto: Mailson Santana

Diniz acha justo empate contra o Unión e não joga toalha para a classificação: “Vamos acreditar até o final”

O empate em 0 a 0 com o Unión Santa Fe na Argentina (veja os melhores momentos no vídeo acima) dificultou os planos do Fluminense para a última rodada da fase de grupos da Copa Sul-Americana. Para se classificar para as oitavas de final, o Tricolor precisa torcer por um empate dos argentinos com o Junior Barranquilla na Colômbia, além de ter que vencer o Oriente Petrolero na Bolívia por seis gols de diferença.

Fernando Diniz considerou o resultado justo e disse que faltou profundidade para sua equipe. Após a partida, questionado na coletiva de imprensa sobre a virtual eliminação de quem era considerado favorito na chave antes de começar a fase de grupos, o técnico, que assumiu o Fluminense no meio da competição, lamentou a situação e comparou com a Copa Libertadores, que é o principal torneio da América do Sul. Apesar de reconhecer a situação complicada, ele se recusou a jogar a toalha:

Futebol é assim, é uma coisa que acontece. O jogo que mais fez falta foi o empate em casa contra o Unión, e também o saldo lá de 3 a 0 contra o Barranquilla. São coisas que acontecem no futebol. A gente veio como candidato a ser primeiro, mas é um grupo muito forte, tem três equipes brigando pela classificação. Esse grupo da Sul-Americana é muito mais forte que muitos da Libertadores. Éramos candidatos, mas tinha adversários fortes. Tínhamos que ter pontuado o máximo em casa para poder seguir e ter mais chances de classificação. Mas ainda temos e vamos acreditar até o final“, finalizou.

Em casa na Argentina, Cano curte boa fase e se diz confiante para partida de logo mais

Artilheiro do Fluminense na temporada, Germán Cano não demorou para cair nas graças da torcida. A ponto de sua tradicional comemoração fazendo o “L” virar febre nas arquibancadas e nas ruas. E agora o jogador está mais em casa do que nunca. O camisa 14 é a esperança de gols para o Fluminense na Argentina, onde ele nasceu e onde o time enfrenta o Unión de Santa Fe nesta quinta-feira, às 19h15, pela quinta rodada da fase de grupos da Conmebol Sudamericana.  

Natural de Lomas de Zamora, região de Buenos Aires a cerca de 480 quilômetros de Santa Fe, cidade onde a partida será realizada, Cano conhece bem o Estádio 15 de Abril, casa do Unión. Em 2010, o artilheiro defendeu as cores do Colón, seu principal rival. As boas recordações e o grande momento fazem o camisa 14 se encher de confiança para o duelo desta noite.

São muitas lembranças boas da cidade. Joguei aqui e guardo muita coisa boa. Eu era muito jovem, mas foi uma passagem boa, deixei amigos que agora pude reencontrar. A expectativa pelo jogo é muito boa. Estamos convencidos de que podemos ganhar”, disse.

Cria de Xerém, Marlon visita CT da base e elogia a estrutura: “Muito desenvolvido”

No Brasil desde março por conta da guerra na Ucrânia, o zagueiro Marlon, do Shakhtar Donetsk, esteve em Xerém, na última terça, para reencontrar o local onde deu seus primeiros passos como jogador de futebol. Formado no Fluminense, o atleta voltou para o Rio de Janeiro enquanto espera um definição de seu futuro e aproveitou pra rever o centro de treinamento que já foi sua casa.

Após rever a estrutura que o formou como jogador, ele celebrou o reencontro e exaltou o crescimento do clube. Além disso, destacou a importância de relembrar da própria história ao se deparar com jovens atletas com realidades muito próximas ao que o zagueiro enfrentou no passado.

Está tudo muito desenvolvido, e para mim é uma grande satisfação encontrar profissionais de altíssimo nível, que têm zelo e estão crescendo junto com o clube, fico muito feliz com isso, ver a meninada que está correndo atrás do sonho, se dedicando nos dias que tem treino, passa um filme na cabeça. É legal rever esse tipo de situação, faz com que você fique mais motivado, porque traz para o seu presente um passado recente seu, então é muito legal e entusiasma a voar mais alto e alcançar novos objetivos”, declarou Marlon.

Fonte: Ge
Foto: Comunicação Fluminense

Em busca da sobrevivência: Flu precisa vencer na Argentina para seguir com chances de classificação na Sula

O Fluminense já está na Argentina para enfrentar o Union de Santa Fé nesta quinta-feira (19) pela quinta rodada da fase de grupos da Copa Sul-Americana.

Neste momento, o Fluminense está na terceira colocação, um ponto atrás dos argentinos e a três do líder Junior Barranquilla, que venceu o Oriente Petrolero na última terça-feira e complicou a situação tricolor no grupo. Como faltam duas rodadas — uma para os colombianos — e apenas o primeiro avança para as oitavas de final, a equipe do técnico Fernando Diniz enfrentará o Unión com a calculadora na mão.

  • Se o Fluminense vencer o Unión: vai a 10 pontos, os mesmos do líder Junior Barranquilla, com o desempate sendo no saldo de gols (6 a 1 para os colombianos). Na última rodada, terá que vencer o Oriente Petrolero, na Bolívia, e torcer por um tropeço do Junior diante do Unión, na Colômbia. Ou vencer e superar os colombianos no saldo de gols. Caso empate, terá que torcer por uma derrota do Junior.
  • Se o Fluminense empatar com o Unión: permanece na 3ª colocação com 8 pontos e está virtualmente eliminado. Teria que vencer o Oriente Petrolero e torcer por um empate entre Junior e Unión na última rodada. Neste cenário, também teria que superar os colombianos no saldo de gols já que ambos empatariam com 11 pontos.
  • Se o Fluminense for derrotado pelo Unión: está eliminado da Copa Sul-Americana.

Foto em destaque: Mailson Santana/FFC

Fonte: Jornal Extra