fbpx

Por conta da pandemia e Copa de Mundo, estaduais devem sofrer alterações nos próximos anos

Havendo a necessidade de comprimir todo calendário do futebol brasileiro de 2020, 2021 e 2022, afim de que as três temporadas sejam concluídas um mês antes do início da Copa do Mundo no Qatar, que será realizada em novembro, os estaduais devem ser os que mais serão impactados, com perdas de datas e, principalmente, desvalorização do produto.

Isso porque segundo o colunista Marcel Rizzo, do portal UOL, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol, já trabalha com a ideia de enxutar ainda mais as competições estaduais. A princípio, isso se aplicaria nas edições de 2022, tendo em vista que toda a temporada precisa caber entre janeiro e outubro. Porém as reduções de datas podem começar já no próximo ano.

Com o Brasileiro-2020 terminando somente em fevereiro de 2021, há algumas possibilidades sobre o que fazer com os Estaduais no ano que vem que estão sobre a mesa e que precisam levar em conta que os atletas dos principais times, provavelmente, terão férias até meados de março:

– Começar os Estaduais na semana seguinte ao Brasileiro, com os times que estavam na Série A usando atleta de equipes de base;

– Iniciar os Estaduais ainda em janeiro, intercalando com datas livres do Brasileiro; aqui provavelmente os principais times também usariam a garotada, já que dificilmente topariam cansar suas estrelas na reta final da Série A;

– Deixar os Estaduais bem reduzidos, de meados de março ao começo de maio, com os times principais em campo
.

Apesar de ter na cartolagem das federações estaduais sua base de sustentação política, a direção da CBF, com aval do Grupo Globo, que vê nos Estaduais um estorvo para o calendário, resolveu ajustar a data desses torneios, padronizando por regiões: Rio e São Paulo, os mais rentáveis, teriam um modelo, Minas e Rio Grande do Sul, outro e Pernambuco, Bahia, Ceará, Goiás, Santa Catarina e Paraná um terceiro.

Resta saber se as federações vão aceitar tal mudança, o que acarretaria em um impacto financeiro significado.

Fonte: UOL
Foto: Editoria de Arte – Globoesporte.com

CBF divulga tabela do Brasileirão com início dia 8 de agosto; Flu estreia dia 9

A CBF divulgou nesta quarta-feira (22) a tabela detalhada do Campeonato Brasileiro 2020. Como já vinha sendo anunciado, a competição começará no segundo fim de semana de agosto, iniciando no sábado (8), tendo seu complemento no domingo (9).

Com previsão de encerramento em fevereiro de 2021, a direção de competições da entidade desmembrou a tabela com as primeiras 10 rodadas, respeitando às medidas de segurança impostas pela pandemia do novo Coronavírus (Covid-19).

O Fluminense fará sua estreia fora de casa, contra o Grêmio na Arena Grêmio, e segue com uma sequência dura pela frente, quando enfrenta as seguintes equipes:

12/08- Palmeiras (C) – 21h30
16/08- Internacional (C) – 18h
19/08- Bragantino (F) – 19h15
22/08- Athletico (F) – 16h
29/08- Vasco (C) – 19h
02/09- Atlético-GO (C) – 19h30
06/09- São Paulo (F) – 16h
09/09- Flamengo (C) – 21h30
13/09- Corinthians (C) – 16h

a CBF confirmou também que as cidades e estádios pré-definidos são aqueles habitualmente utilizados pelos clubes mandantes que terão também o direito da transmissão dos jogos, seguindo assim o ordenamento legal vigente no país, em decorrência da Medida Provisória 984/2020, que concede ao clube mandante os direitos de transmissão das partidas.

Confirmado! Presidente da CBF anuncia datas do Brasileirão e Copa do Brasil

Em entrevista ao jornal Globo, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, confirmou as datas para o início do Campeonato Brasileiro séries A, B, C e D, além do retorno da Copa do Brasil.

As especulações sobre a volta da principal competição nacional no dia 9 de agosto se confirmaram. Assim como a Serie B, que iniciará um dia antes, junto das demais divisões (C e D) Já a Copa do Brasil, que foi interrompida na terceira, retornará dia 26.

– Na Série A, houve um voto dissidente sobre o mando, mas nenhuma dúvida se a competição vai começar ou não dia 9 de agosto. Brasileirão é algo definido e determinado. A Série B inicia no dia 8, na véspera. Definimos com a Série C que ela recomeçará na mesma data da B. A Copa do Brasil volta em 26 de agosto. – Disse o mandatário da CBF.

Caboclo confirmou também, que o calendário de 2020 “Vai invadir janeiro, fevereiro” de 2021. O objetivo da entidade máxima do futebol tupiniquim é conseguir ajustar o calendário até 2022 devido a Copa do Mundo no Qatar, que acontecerá entre novembro e dezembro.

– Nosso horizonte é a Copa do Mundo de 2022, marcada para começar em novembro. Obriga o nosso calendário a terminar pelo menos um mês antes, em outubro de 2022. Temos que encerrar 2020 na segunda quinzena de fevereiro, iniciar os estaduais na última semana do mesmo mês, o Brasileiro no final de maio de 2021 –

Sobre a conciliação do término dos estudais com o início do Brasileiro, Caboclo se considerou entusiasta, porém afirmou que a CBF não tem resposta para este caso, uma vez que eles se comportam dentro dos limites de cada estado.

Reiniciado de maneira açodada o Campeonato Carioca irá terminar no máximo dia 15 de julho – existe a possibilidade de ser encerrado na próxima quarta-feira (8), caso o Flamengo conquiste a Taça Rio – Com isso os clubes (Botafogo, Fluminense, Vasco e Flamengo) terão um período de 24 ou 31 dias de preparação até a primeira rodada do Brasileiro.

Foto: Globoesporte.com
Foto: Divulgação

Ué? Após anunciar linha de crédito, CBF veta recurso para alguns clubes, entenda

No último dia 8 de junho, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), anunciou uma linha crédito de até R$ 100 milhões para os clubes da Serie A, afim de aliviar o cofre das agremiações, impactadas pela paralisação do futebol, por conta da pandemia de coronavírus.

Porém, nas condições impostas pela entidade máxima do futebol brasileiro, uma boa parte das agremiações não poderá acessar este recurso. Tendo em vista que o montante só estará disponível para clubes que não tenham cotas de TV antecipadas com a Globo, válidas pelo Brasileirão.

Sendo assim, diante dessas circunstâncias Vasco, Botafogo, Fluminense, Atlético-MG e São Paulo não terão direito a linha de crédito.

Alguns dirigentes estão insatisfeitos com as condições e tentam uma mudança nos critérios para terem acesso a verba. Inclusive, já existem conversas em andamento, junto a CBF, para tentar modificar essas condições iniciais.

Vale lembrar que outro fator que a entidade levou em consideração como forma de garantia, são as premiações recebidas pelos clubes nas competições organizadas por ela. (Brasileiro e Copa do Brasil)

Fonte: UOL
Foto: Divulgação / CBF

CBF anuncia linha de crédito para clubes das series A e B

Nesta segunda-feira (08), a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou uma linha crédito para as equipes participantes das series A e B do Campeonato Brasileiro. A iniciativa tem como objetivo aliviar as finanças dos clubes, impactados pela paralisação das competições, por conta da pandemia de coronavírus.

Para os participantes da Série A, a confederação disponibilizará uma linha de crédito total de até R$ 100 milhões sem juros. Já na Série B, o montante pode chegar a R$ 15 milhões, também sem juros.
Os recursos serão concedidos tendo como garantia os valores que cada equipe receberá de contratos de TV e os prêmios por desempenho em competições.

A ideia da CBF, que pagará os valores imediatamente, é compensar a perda de arrecadação dos clubes com a redução dos valores pagos pelas televisões entre abril e junho, além de outras formas de receita — bilheterias, patrocínios e programas de sócio-torcedor, entre outros.

Fonte: UOL

Clubes poderão jogar três vezes na semana, quando a bola voltar a rolar no Brasil

Por conta da pandemia de coronavírus, o futebol brasileiro segue de previsão para retorno, porém, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) já trabalha pensando na retomada das competições que estão paralisadas (Estaduais e Copa do Brasil) e iniciar seu produto principal, o Campeonato Brasileiro, que estava previsto para começar no último dia 2 de maio.

Não havendo o desejo dos cartolas que a temporada 2020 termine em 2021 – Por que para eles, isso atrapalharia as competições no ano que vem – a entidade máxima do futebol brasileiro, deve mudar as regras de competições no país.

E uma delas é a diminuição do intervalo entre as partidas, que passariam de 66h para 48h. Com isso as equipes poderiam jogar até três vezes na semana. Internamente já existe um consenso para que esta medida seja de fato adotada.

Com o calendário inchado, as projeções são de que em julho os Estaduais voltem a ser disputados. Esses torneios estão paralisados desde meados de março. A princípio, esses campeonatos seriam finalizados em duas semanas, após isso o Brasileirão seria iniciado.

A única questão que precisa ainda ser definida é a conciliação do calendário das competições nacionais (Copa do Brasil e Brasileiro) com as internacionais (Libertadores e Sul-americana).

Fonte: UOL
Foto: Divulgação CBF

CBF já tem previsão para volta do futebol

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), já estuda maneiras para que seja possível a volta do futebol no Brasil, no final de julho e inicio de agosto. Segundo Vagner Martins, repórter dos canais FOX Sports, a entidade máxima do futebol no país, pretende adotar os protocolos usados no Campeonato Alemão, que retornou no último sábado (16).

Ainda de acordo com a matéria, a previsão estipulada pela CBF ainda é preliminar, já que para retomar as partidas é necessário o aval das autoridades governamentais e de saúde.

Está marcado para esta segunda-feira (18), uma reunião entre a entidade e os clubes para discutir sobre tópicos relacionados a realização dos jogos, como: VAR e exame antidoping, além de como será a organização por parte dos atletas para evitar a contaminação e propagação do vírus, bem como, serviços médicos e de segurança.

Sobre as pessoas envolvidas na partida de futebol, todas passarão por testes de temperatura, em uma espécie de serviço de triagem, incluindo atletas e comissão técnica.

Os jogadores serão orientados a não se abraçarem após os gols e também não poderão tomar banhos nos vestiários, indo para casa imediatamente após a partida, levando as roupas usadas nos jogos para serem lavadas em casa. 

Com relação a arbitragem, as escalas serão regionais. Isso evitará viagens de longas distâncias. O árbitro de vídeo não ficará no estádio. O serviço será realizado em escritórios fora dos estádios. 

O acesso para a imprensa será reduzido ao extremo, com apenas funções básicas de transmissões tendo acesso ao local.

Fonte: Fox Sports
Foto: CBF

Secretário geral da CBF comenta que a entidade foi procurada para ter os campeonatos estaduais cancelados

Com a pandemia do novo coronavírus, o futebol segue com os jogos paralisados desde março, e muitos até comentam sobre os cancelamentos de alguns campeonatos. Em entrevista ao “Troca de Passes”, do canal SporTV, o secretário geral da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Walter Feldman, contou que a entidade foi procurada por algumas federações com o intuito de cancelarem os campeonatos estaduais 2020. A CBF vem tentando evitar esse cenário, que afetaria nos critérios de classificação para a Série D do Campeonato Brasileiro.

– Nós vamos ajudar, orientar, mas existe uma realidade cuja deliberação deve se dar no plano estadual. Alguns, inclusive, pensam em cancelar os campeonatos. Para nós seria um problema, à medida em que os campeonatos estaduais têm uma incidência particularmente na Série D. Queremos que isso seja feito em processo de conexão, de sequência, e estamos orientando no sentido de que nenhum campeonato seja cancelado.

Fonte: SporTV

Redução do intervalo entre as partidas é sugerida a CBF

Por conta da pandemia de coronavírus, que paralisou toda a atividade futebolística no pais por tempo indeterminado, vem discutido entre os clubes e a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) as possibilidades viáveis, afim de que seja possível realizar todas as competições dentro do restante do calendário e uma diante disso a Federação Nacional dos Atletas de Futebol (Fenapaf) encaminhou sugestão à entidade máxima do futebol brasileiro a redução do intervalo entre os jogos de 66h para 48h (dois dias).

Para que ocorra essa flexibilização é preciso um acordo entre federações, a CBF e a Fenapaf. Desde então consta no Regulamento Geral de competições da CBF a vedação para clubes e atletas atuarem sem intervalo mínimo de 66h. Em alguns estados, como no Rio, a Ferj (Federação de Futebol do Estado Rio de Janeiro) prevê no mínimo 60h.

– Falei com o presidente Caboclo no início da paralisação. Também com o Rubinho (presidente da Ferj) – comentou o presidente da Fenapaf, contando que os dirigentes foram receptivos à ideia. – Rubinho achou espetacular. Ouviram (Caboclo e Rubinho) com agradecimento. Estão vendo que todos querem solucionar uma coisa tão grave. Nosso entendimento é de colaborar, encontrar saídas. Os atletas são sensíveis ao que está se passando – completou Felipe Augusto Leite.

Felipe disse ainda que qualquer denúncia sobre infração de regulamentos – do intervalo mínimo entre partidas, previsto anteriormente para 66h – só sairia da Fenapaf.

– A sugestão é num momento de excepcionalidade extrema. Precisamos manter postos de trabalho. Não vou ser eu que vou fazer isso (denunciar a infração do regulamento de 66h). Estamos em caráter excepcionalíssimo. Não vamos botar clubes de dois em dois dias para jogar várias vezes. Um joga uma vez, outro joga e vai acomodando para não sobrecarregar ninguém – comentou o dirigente da federação de atletas.

Fonte: Explosão Tricolor
Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Confira o auxílio que a CBF oferecerá por conta da paralisação dos campeonatos

Após CBF anunciar que ajudará clubes e federações por conta da paralisação dos campeonatos, a ajuda para a equipe feminina do Flu ficará em R$ 50 mil, cota destinada aos times da Série A2.

A distribuição dos recursos se dará da seguinte forma:

Para os 68 clubes da Série D

O auxílio individual será de R$ 120.000,00 (Cento e vinte mil reais), num total de R$ 8.160.000,00 (Oito milhões, cento e sessenta mil reais).

Para os 20 clubes da Série C

O auxílio individual será de R$ 200.000,00 (Duzentos mil reais), num total de R$ 4.000.000,00 (Quatro milhões de reais).

Para os 16 clubes da Série A1 do Campeonato Brasileiro Feminino

O auxílio individual será de R$ 120.000,00 (Cento e vinte mil reais), somando R$ 1.920.000,00 (Um milhão, novecentos e vinte mil reais).

Para os 36 clubes da Série A2 do Campeonato Brasileiro Feminino

auxílio por clube será de 50.000,00 (Cinquenta mil reais), com o desembolso total, pela CBF, de R$ 1.800.000,00 (Um milhão e oitocentos mil reais).O

Para as Federações Estaduais

São R$ 120.000,00 (Cento e vinte mil reais) por entidade, num total de R$ 3.240.000,00 (Três milhões, duzentos e quarenta mil reais).

Top