Polícia resgata jovens mantidos em cárcere privado e Fluminense recebe grupo para peneira

Uma operação realizada pela Polícia Civil resgatou 13 jovens mantidos em cárcere privado em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Segundo as investigações, eles vieram de estados como: Alagoas, Paraná, Amazonas e Paraíba com a promessa de que seriam treinados para jogar em clubes de futebol no Rio. Contudo, os jovens ficavam em um local que não possuiu nenhuma estrutura profissional e nem autorização de órgão público para funcionar.

Ao saber da notícia, o Fluminense, que tem sua base, em Xerém, afirmou que vai abrigar os 13 jovens e, depois de uma testagem para Covid-19, vai colocá-los para treinar e fazer testes no clube.

A polícia apontou ainda que os pais dos menores pagavam cerca de R$ 500 achando que os filhos teriam uma preparação para jogar futebol no Rio de Janeiro.

Jorge Valnei dos Santos, responsável pelas crianças, foi preso em flagrante e entre os crimes investigados, segundo o delegado, estão a supressão de documentos, cárcere privado e estelionato.

Foto em destaque: Divulgação/FFC

Fonte: RJ1

Diretoria conversa com Diniz, e Flu busca levar treino em véspera de duelo com Ceará para Laranjeiras

A nova diretoria busca realizar mais uma das promessas de campanha de Mário Bittencourt, presidente empossado em 10 de junho: a de levar treinos em vésperas de jogos para Laranjeiras, de onde o elenco principal saiu em outubro de 2016, com a transferência para o Centro de Treinamento, na Barra da Tijuca. É uma medida que visa aproximar a equipe dos torcedores, especialmente em compromissos importantes.

A primeira experiência seria no dia anterior ao duelo com o Ceará, marcado para a próxima segunda-feira, no Maracanã, na retomada do Brasileirão. A ideia é passar a atividade da manhã do dia 14 para o campo da sede, o que vem sendo conversado por Celso Barros e Paulo Angioni com o técnico Fernando Diniz. As informações são do jornalista Hector Werlang, do Globoesporte.com.

Foi em 3 de maio de 2018 a última vez que o Tricolor treinou nas Laranjeiras. Na ocasião, por conta de intenso tiroteio na Cidade de Deus, comunidade próxima ao CT. Sócios presentes ao local puderam acompanhar o treinamento fechado à imprensa.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Grupo invade CT e cobra jogadores em meio a treino do Fluminense

Ameaçado pelo rebaixamento no Campeonato Brasileiro e eliminado da Sul-Americana, o Fluminense vive uma semana decisiva para seu futuro e, principalmente, tensa. Quinta-feira, houve a demissão de Marcelo Oliveira e, durante reunião do Conselho Deliberativo, um pequeno protesto nas Laranjeiras. Nessa sexta-feira, ocorreu, ainda, uma invasão ao Centro de Treinamento, na Barra da Tijuca.

Fábio Moreno, que assume o comando técnico no jogo contra o América-MG, domingo, acompanhava o aquecimento dos jogadores quando, de repente, cerca de 30 torcedores apareceram para reclamar da má campanha que o clube vem fazendo. Faz mais de um mês que os tricolores não comemoram um gol.

À espera desde cedo no portão do local, o grupo exigiu a permanência na primeira divisão, que depende, ao menos, de um empate na 38ª rodada, e bradou, por exemplo, que “Isso aqui é Fluminense!”. Até mesmo jornalistas, que estavam se retirando do campo, uma vez que a atividade seria fechada, foram ameaçados.

Seguranças tentaram conter os ânimos, mas a ação durou mais de meia-hora. Júlio César, Gum e Digão, líderes do elenco, conversaram com os responsáveis pela confusão, assim como o técnico interino e Paulo Angioni, único representante da diretoria presente. Rodolfo também ajudou a acabar com o tumulto.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.