fbpx

Diretoria conversa com Diniz, e Flu busca levar treino em véspera de duelo com Ceará para Laranjeiras

A nova diretoria busca realizar mais uma das promessas de campanha de Mário Bittencourt, presidente empossado em 10 de junho: a de levar treinos em vésperas de jogos para Laranjeiras, de onde o elenco principal saiu em outubro de 2016, com a transferência para o Centro de Treinamento, na Barra da Tijuca. É uma medida que visa aproximar a equipe dos torcedores, especialmente em compromissos importantes.

A primeira experiência seria no dia anterior ao duelo com o Ceará, marcado para a próxima segunda-feira, no Maracanã, na retomada do Brasileirão. A ideia é passar a atividade da manhã do dia 14 para o campo da sede, o que vem sendo conversado por Celso Barros e Paulo Angioni com o técnico Fernando Diniz. As informações são do jornalista Hector Werlang, do Globoesporte.com.

Foi em 3 de maio de 2018 a última vez que o Tricolor treinou nas Laranjeiras. Na ocasião, por conta de intenso tiroteio na Cidade de Deus, comunidade próxima ao CT. Sócios presentes ao local puderam acompanhar o treinamento fechado à imprensa.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Grupo invade CT e cobra jogadores em meio a treino do Fluminense

Ameaçado pelo rebaixamento no Campeonato Brasileiro e eliminado da Sul-Americana, o Fluminense vive uma semana decisiva para seu futuro e, principalmente, tensa. Quinta-feira, houve a demissão de Marcelo Oliveira e, durante reunião do Conselho Deliberativo, um pequeno protesto nas Laranjeiras. Nessa sexta-feira, ocorreu, ainda, uma invasão ao Centro de Treinamento, na Barra da Tijuca.

Fábio Moreno, que assume o comando técnico no jogo contra o América-MG, domingo, acompanhava o aquecimento dos jogadores quando, de repente, cerca de 30 torcedores apareceram para reclamar da má campanha que o clube vem fazendo. Faz mais de um mês que os tricolores não comemoram um gol.

À espera desde cedo no portão do local, o grupo exigiu a permanência na primeira divisão, que depende, ao menos, de um empate na 38ª rodada, e bradou, por exemplo, que “Isso aqui é Fluminense!”. Até mesmo jornalistas, que estavam se retirando do campo, uma vez que a atividade seria fechada, foram ameaçados.

Seguranças tentaram conter os ânimos, mas a ação durou mais de meia-hora. Júlio César, Gum e Digão, líderes do elenco, conversaram com os responsáveis pela confusão, assim como o técnico interino e Paulo Angioni, único representante da diretoria presente. Rodolfo também ajudou a acabar com o tumulto.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

 

Top