fbpx

Odair reconhece necessidade de criar mais chances claras de gols: “o Palmeiras criou menos, mas levou muito mais perigo nas finalizações”

O Fluminense entrou em campo na noite deste sábado (14) quando foi derrotado por 2 a 0 para o Palmeiras, no Allianz Parque, em São Paulo. E assim como já tinha feito em jogos anteriores, o Tricolor ofereceu pouco perigo ao gol adversário.

Depois do jogo, na entrevista coletiva, o técnico Odair Hellmann comentou sobre as chances de gols criadas pelo time do Flu, e embora tenha visto um Fluminense com mais chances, reconheci a necessidade de levar mais perigo ao gol adversário.

O Palmeiras que ganhou de 2 a 0 criou menos oportunidades que a gente, mas levou muito mais perigo nas finalizações que fez e conseguiu fazer um gol através de pênalti e aí sim no segundo, em outra situação de bola rolando. Já nós temos que conseguir transformar o maior número de finalizações nossas em chances perigosas. Hoje as finalizações de fora da foram pra fora, os cruzamentos próximos da da área que poderiam levar perigo o adversário conseguiu interceptar bem. As situações de finalizações no gol foram lance que não levaram muito perigo ao gol adversário. Mas a equipe não deixou de tentar, finalizar, propor o jogo. O Palmeiras jogou dentro da sua casa e mesmo assim tivemos toda a posse do jogo dentro do campo deles no primeiro tempo. No segundo tempo eles fizeram o gol através do pênalti e aí você acaba se abrindo mais por estar atrás do placar e gera pra um time que joga com essa ideia de jogo, com jogadores de velocidade, oportunidades, e eles tiveram essa oportunidade, fizeram o gol muito rápido e gera ainda mais dificuldades para reverter o placar – analisou o treinador.

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Marcos Paulo vai aos prantos no vestiário após chances perdidas no clássico

Foto: Lucas Merçon/FFC

O clássico entre Fluminense x Vasco do último sábado (2) ficou marcado pelas inúmeras chances de gols que o Tricolor desperdiçou ao longo da partida.

Superior ao adversário, o time do técnico Marcão até que criou, mas pecou na hora de finalizar e não consegui vazar a zaga vascaíno.

Marcos Paulo, dono de duas chances na partida, uma delas dentro da pequena área, foi aos prantos no vestiário após o jogo pelas oportunidades desperdiçadas.

Na saída do campo, o camisa 32 ainda chegou a tentar justificar as chances perdidas:

De fora parece claro, mas em campo é difícil. A bola vem rápido, sempre chega alguém. A gente tenta clarear para bater, tenta bastante. Vamos trabalhar ainda mais as finalizações durante a semana para conseguir fazer os gols – disse Marcos Paulo.

Com o empate, o Fluminense somou apenas um ponto que no final das contas, não serviu para tirar o Fluzão da zona de rebaixamento nesta rodada. O próximo deaafio será o reencontro com Fernando Diniz, hoje comandante do São Paulo.

Fonte: Globoesporte.com

Artilheiro do Flu, Yony Gonzalez é o segundo jogador que mais finaliza no Brasileirão

Foto: Lucas Merçon/FFC

Artilheiro do Fluminense no ano, com 16 gols marcados, Yony Gonzalez é o segundo jogador que mais finaliza no Campeonato Brasileiro, com 78 chances criadas.

Porém, a maioria das chances do atacante não são no alvo. Nas últimas 54 finalizações apenas uma terminou em gol.

Se contar os gols marcados apenas no Campeonato Brasileiro, o atacante encontra-se apenas na 21° colocação dos artilheiros, com apenas cinco gols marcados. O que significa que o atacante precisa de uma média de mais de 15 finalizações para fazer um gol.

Embora o número ainda esteja baixo, o cinco gols deixam Yony como principal artilheiro do Fluzão na competição ao lado de Pedro, negociado com a Fiorentina, mas que deixou o clube com os mesmos cinco gols marcados.

Fonte: Footstats

Com apenas quatro jogos, Ganso já lidera expressiva estatística

Foto: Lucas Merçon/FFC

Meia clássico, jogador tem se destacado pelo toque de bola.

O meia Paulo Henrique Ganso precisou de apenas quatro jogos com a camisa do Fluminense para se destacar na equipe comandada por Diniz.

O camisa 10 que tem no toque de bola a sua principal característica já assumiu a liderança no quesito média de chances criadas, sendo o jogador no futebol brasileiro que mais deixou um companheiro na cara do gol na média acumulada dos jogos.

Em quatros partidas oficiais disputados até aqui, Ganso tem o expressivo número de três chances criadas por partida, ou seja: a cada jogo o camisa 10 do Tricolor deixa por no mínimo três vezes um companheiro com chance clara de fazer um gol.

No jogo deste domingo (10), contra a Cabofriense, Ganso criou seis chances de gol, incluindo a assistência para o gol de Luciano, segundo do Flu na partida.

Top