Meia Daniel entra na justiça cobrando quase R$ 500 mil do Fluminense

O meia Daniel, hoje no Bahia, entrou na justiça cobrando um valor de R$ 487.180,02 mil do Fluminense, clube que revelou o jogador.

A ação que corre no Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região desde o dia 13 abril, pede entre os valores, as verbas rescisórias, FGTS, multas e honorários advocatícios, como noticiou o portal GE.

Formando nas categorias de base do Fluminense, Daniel subiu aos profissionais em 2016, e passou os três primeiros anos de carreira jogando no Oeste e no Botafogo-SP por empréstimo.

Em 2019, o meia retornou ao Tricolor e conquistou uma vaga no time titular ao se destacar sob o comando do técnico Fernando Diniz. Ao fim da temporada, porém, não chegou a um acordo de renovação com o clube e assinou com o Bahia.

Confira os detalhes dos valores cobrados:

  • R$ 164.808,22 de verbas rescisórias (entre saldo de salários, premiações e férias)
  • R$ 88.666,66 de dobra das férias pelos não pagamentos no prazo correto nos períodos de 2015/2016, 2016/2017, 2017/2018 e 2018/2019
  • R$ 19.000,00 de multa pelo artigo 477 da CLT
  • R$ 82.404,11 de multa pelo artigo 467 da CLT
  • R$ 68.755,81 em FGTS não depositados
  • R$ 63.545,22 de honorários advocatícios
  • TOTAL: R$ 487.180,02

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Ex volante Pierre entra na justiça contra o Fluminense, cobrando mais de meio milhão do clube

O ex-volante Pierre, que atuou no Fluminense entre abril de 201 5 à dezembro de 2017, entrou com processo na Justiça contra o Fluminense, cobrando uma dívida de R$ 718.387,49, referente as últimas cinco parcelas de direito de imagem durante seu vínculo, que não foram pagas pelo clube.

A informação foi divulgada pelo portal ENM, que revelou ainda que o processo corre na 24ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ).

No pedido ao juízo, Pierre requereu ainda que seja dado o prazo de três dias para que o Fluminense pague a totalidade do valor e, caso isto não aconteça, que será determinada penhora imediata nas contas do clube, até o limite da cobrança ora ajuizada.

Foto em destaque: Nelson Perez/FFC

João Pedro é cobrado por torcedores durante jantar com a família e responde através de nota

Foto: Divulgação/FFC

Após a vitória de 2 a 1 do Fluminense sobre o Grêmio na tarde do último domingo (29), o atacante João Pedro passou por um momento um tanto quanto apreensivo.

O atacante que estava acompanhado de familiares e a atriz Mel Maia em um restaurante próximo ao estádio do Maracanã, foi cercado por um grupo de torcedores que cobravam mais “empenho” do atleta durante as partidas e ainda questionavam supostas saídas à noite.

Tudo aconteceu no momento em que João Pedro foi ao carro trocar de blusa. O grupo de torcedores se aproximaram e iniciaram as cobranças. A mãe e o padastro do jogador ainda se colocaram à frente do atacante para impedir uma maior aproximação dos “torcedores”.

Pessoas que ainda estavam no local interviram para evitar o tumulto. Após cessar a confusão, o jogador e os familiares deixaram o local seguindo para jantar em outro restaurante.

Após o ocorrido, João Pedro publicou uma nota através de sua assessoria, dando sua versão sobre o caso. Veja a nota na íntegra:

Estava indo jantar com a minha família e da minha namorada quando resolvi ir no carro pegar uma outra camisa para trocar pela que eu vestia, que era a de concentração do clube.

Quando entrei no carro para pegar a camisa, um torcedor veio falar comigo. Eu pedi para aguardar um instante que só iria pegar a blusa e voltaria. Eles aceitaram sem problemas e, quando eu voltei, um deles falou “po, tem que correr mais”. Respondi que eu jamais vou deixar de correr. Inclusive no jogo de hoje, aos 54 minutos do segundo tempo estava dando um pique pra marcar a saída de bola do zagueiro adversário.

Como os amigos dele viram que ele já estava um pouco alterado por causa de bebida alcoólica, chegaram perto para evitar qualquer problema. Meu padrasto e minha mãe viram a conversa e saíram para ver o que estava acontecendo. E foi só isso. Os torcedores saíram e eu e minha família fomos embora para outro restaurante.

Uma das coisas que eu mais me cobro é meu desempenho nos treinos e nos jogos. Jamais farei nada que possa interferir no meu rendimento. Não sou de sair a noite, de dormir tarde e muito menos de beber álcool e me alimentar mal. Fui no Rock in Rio porque era dois dias antes do jogo e não houve nenhum desgaste físico. Mas isso foi um episódio isolado. Tanto que meu desempenho físico na partida de hoje foi um dos melhores que eu tive no campeonato.

Estou 100% focado no clube, em tirar o Fluminense dessa zona perigosa que se encontra na tabela de classificação, para terminarmos o ano com motivos para comemorar. A torcida pode confiar em mim e em todo o nosso grupo, que trabalha incansavelmente para trazer as vitórias que precisamos”