fbpx

Partida contra CSA é decisiva para Flu

Nesta segunda-feira (25),  o Fluminense encara o CSA, no Rei Pelé, adversário que causou uma grande revolução no Tricolor. Após a partida do primeiro turno, vencida pelo time alagoano, no Maracanã, por 1 a 0, o técnico Fernando Diniz foi demitido. Dessa vez, a expectativa é de que o jogo seja novamente um divisor de águas, só que para o bem do clube das Laranjeiras. A bola rola às 20h.

A derrota na 15ª rodada do Campeonato Brasileiro jogou o Fluminense para a 18ª posição, ligando pela primeira vez o alerta contra o rebaixamento. A campanha de Diniz de fato não foi satisfatória, somando três vitórias, três empates e nove derrotas, aproveitamento de 26,6%. No entanto, a saída do treinador causou um tremendo alvoroço, dentro e fora de campo. 

O elenco demorou a digerir a demissão de Fernando Diniz, o que causou um certo mal-estar com o vice-presidente geral, Celso Barros, que na semana que antecedeu o duelo com o CSA, cobrou duramente os jogadores e a comissão técnica. A contratação de Oswaldo de Oliveira como substituto também não surtiu o efeito esperado. 

Por conta do bom ambiente feito pelo ex-treinador, Oswaldo teve muita dificuldade para implementar a sua metodologia e mudar o estilo de jogo proposto pelo antecessor. A passagem ainda ficou marcada pela discussão ríspida com Ganso e pelo gesto obsceno contra os torcedores, no empate diante do Santos. 

Acabou deixando o cargo após essa partida, somando seis jogos no Brasileiro, com duas vitórias, um empate e três derrotas, tendo um aproveitamento de 38,8%, superior ao de Diniz, mas insuficiente para tirar o Fluminense da briga contra o Z4. Sem treinador, Marcão recebeu a oportunidade de comandar o Tricolor e até o momento faz o melhor trabalho em relação aos anteriores. 

fonte: lance!

foto: Agência Foto Press

Fluminense encerra preparação no Rio e embarca para enfrentar CSA

Foto: Lucas Merçon/FFC

O Fluminense encerrou neste domingo (24) a preparação para enfrentar o CSA, na noite desta segunda-feira (25), em Maceió.

Com a derrota do Cruzeiro para o Santos, na noite do último sábado (23), na abertura da 34° rodada, o Tricolor depende apenas de um empate para sair da zona de rebaixamento.

Para o jogo, o Fluzão terá a volta de Caio Henrique, fora da equipe no último jogo contra o Atlético Mineiro pois estava com a seleção olímpica. Essa, inclusive, deve ser a única mudança da equipe para o jogo do CSA.

Sendo assim, o Tricolor deve iniciar a partida com a seguinte escalação: Marcos Felipe; Gilberto, Nino, Digão e Caio Henrique; Yuri, Allan, Daniel e Ganso, Yony e Marcos Paulo.

Desprestigiado com Marcão, João Pedro ficou mais uma vez de fora, assim como já havia acontecido nas viagens para São Paulo e Porto Alegre quando o Flu enfrentou São Paulo e Internacional.

Saiba como apoiar o Fluminense em Maceió

Na próxima segunda-feira, o Flu enfrenta o CSA no estádio Rei Pelé visando a fuga do rebaixamento. Para o torcedor que quer acompanhar o jogo em Maceió, confira as informações da venda de bilhetes.

Os ingressos começam a ser vendidos na próxima quinta (amanhã) nos seguintes pontos: Loja do Azulão, Via Esportiva, Loja Grande Torcedor, Sócio Torcedor CSA e Poly Sport (no Centro de Maceió). Os bilhetes também podem ser comprados pelo site www.fanpass.com.br.

(Foto: Divulgação/CSA)

Os ingressos para a torcida do Fluminense serão vendidos nos mesmos pontos do CSA e com o mesmo preço. A torcida tricolor vai ficar na arquibancada do lado do placar eletrônico do Estádio Rei Pelé, atrás do gol. A diretoria do clube alagoano ainda informou que os ingressos de meia entrada vão ser vendidos na Unidade Serraria da Loja do clube.

Saudações Tricolores,

João Eduardo Gurgel



Próximo adversário do Flu vem de uma péssima sequência

Foto: Divulgação

Após o empate contra o Atlético Mineiro na noite do último sábado (16), o Fluminense já volto às atenções para a partida da próxima segunda-feira (25) quando enfrenta o CSA, num jogo que é tido como uma grande decisão para os planos do tricolor em permanecer na série A do Brasileirão.

Apesar de jogar fora de casa, o Fluminense pode.ter o retrospecto do seu adversário a seu favor, uma vez que o CSA vem de uma sequência de quatro derrotas seguidas ( Athletico-PR, Grêmio, Vasco e Fortaleza).

O detalhe é.que dessas quatro partidas, apenas uma foi atuando como mandante, quando foi derrotado por 3 a 0 para o Vasco.

Flu corre risco de desfalques para partida contra CSA

Na noite deste sábado (16) Flu enfrenta o Atlético-MG em confronto direto na luta contra o rebaixamento, às 19 horas (de Brasília), no Maracanã, em partida válida pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro. Neste jogo, o tricolor das laranjeiras tem sete jogadores pendurados.

O time vai a campo diante do Atlético-MG com os seguintes pendurados: DanielFrazan, GansoGilbertoGuilhermeYony González e Yuri. Em caso de cartão amarelo ou vermelho, o tricolor das laranjeiras terão desfalques por suspensão na partida diante do CSA, no dia 25 de novembro, em Maceió-AL.

Na zona de rebaixamento com 34 pontos, o Fluminense pode deixar as últimas posições o em caso de vitória diante do Atlético-MG. Além do resultado positivo, o tricolor das laranjeiras terá que torcer por tropeços de Cruzeiro, Ceará e Botafogo para deixar o Z-4.

fonte: torcedores.com

CSA vence e empurra Flu para zona do rebaixamento

Foto: Reprodução/Vídeo

Com um gol do ex Tricolor, Carlinhos, o CSA bateu o Ceará por 1 a 0 na tarde deste domingo (22) e com o resultado empurrou momentaneamente o Fluminense para a Zona do rebaixamento.

Com a vitória, o clube alagoano chegou aos 19 pontos, enquanto o Tricolor soma 18 pontos. Contudo, o Fluzão ainda entra em campo neste domingo (22) e pode jogar novamente o CSA pra zona, basta apenas um empate diante do Goiás.

Em caso de vitória, o Tricolor, o Flu passa não só o CSA, como também o Goiás, adversário do clube verde, branco e grená, na noite deste domingo no Serra Dourada.

Daniel defende Diniz e vê jogadores como principais culpados: “A gente que entra dentro de campo”

Meia tricolor também foi alvo de protestos da torcida na derrota por 1 a 0 para o CSA em pleno Maracanã

Foto: Lucas Merçon / FFC

Neste último domingo, o Fluminense perdeu por 1 a 0 para o CSA no Maracanã e viu a situação no Brasileirão ir de mal a pior. Com a derrota, o Tricolor entrou novamente na zona de rebaixamento e, com as vitórias de Cruzeiro e Chapecoense, caiu para a 18ª posição, com somente 12 pontos. Agora, o time soma apenas três triunfos em 15 rodadas na competição.

Após a partida, Daniel deu entrevista à Rádio Brasil e comentou sobre as críticas da torcida, que protestaram contra o time e Fernando Diniz. Principal alvo da ira dos tricolores, o treinador foi chamado de ‘burro’ e foi xingado. Para o meia, a irritação dos torcedores é legítima, mas o principal culpado da equipe estar nessa situação não é o técnico, e sim os jogadores.

“A culpa é de nós jogadores. A gente que é o principal, que entra dentro de campo. A gente que tem que aproveitar as chances e infelizmente não conseguiu fazer isso. A torcida cobrar é normal e a gente tem que entender”.

Diniz lamenta inúmeras chances desperdiçadas e critica erros da arbitragem: “Difícil de engolir”

Treinador também comentou sobre a importância do duelo contra o Corinthians pela Sul-Americana e voltou a elogiar a entrega dos atletas

Foto: Lucas Merçon / FFC

O filme que torcedor tricolor nenhum gostaria de ver se repetiu. Dentro do Maracanã, o Fluminense mandou no jogo, finalizou mais de 30 vezes, teve inúmeras chances de gol, mas acabou perdendo por 1 a 0 para o CSA, que não havia marcado uma vez sequer fora de casa na competição. Com o resultado e com as vitórias de Cruzeiro e Chapecoense, o time de Fernando Diniz caiu para a 18ª posição e viu a situação dentro do Campeonato Brasileiro ficar mais complicada ainda.

Após a partida, o treinador, que foi bastante hostilizado pela torcida após a equipe sofrer o gol da derrota, concedeu entrevista coletiva e lamentou muito o resultado. Perguntado sobre sua situação no comando do Flu, o comandante disse que essa decisão é da diretoria, mas afirmou que seguirá buscando o melhor e citou o ‘descobrimento’ de jogadores que poucos esperavam que tivessem projeção.

“Por enquanto ainda não conversamos. Isso é uma decisão da diretoria. Temos uma cultura do resultado, de fato. Trabalho de uma maneira contundente naquilo que gosto de fazer. Pegamos jogadores desconhecidos e hoje temos atletas convocados, revelação do João Pedro, Marcos Paulo, recuperação do Julião. E os jogadores que foram se destacando a gente perdeu precocemente. Essa situação na tabela é um desafio muito grande. Mas é um time que não oscila, joga e cria. Mas por um erro perdemos a partida. Não falei com ninguém ainda”.

Ao fazer uma análise do jogo, Diniz focou no número de oportunidades desperdiçadas ao longo da partida e destacou que é uma derrota doída, principalmente pelas pouquíssimas vezes em que o CSA atacou.

“A gente teve um volume grande de finalizações, muitas delas chances claras de gol. Me recordo de pelo menos umas sete. Infelizmente, não conseguimos fazer o gol. Não sei explicar porque a bola não entra. Treinamos muito. Fora isso, tivemos dois pênaltis não marcados. Isso é uma crença que eu sempre tenho. Um time que finaliza desse jeito… O CSA só teve uma chance clara, do gol. É difícil perder jogos assim. Jogando dessa forma, acho que a chance de vencer é muito maior do que de perder. Tento o melhor desempenho possível dos jogadores para trazer alegria para o torcedor”.

O técnico tricolor também fez questão de criticar bastante a arbitragem de Wagner Reway e reclamou bastante dos dois pênaltis não marcador a favor do Fluminense. De acordo com ele, os lances são ‘difíceis de engolir’ e influenciaram diretamente no placar final do confronto.

“Sobre o VAR, hoje tivemos dois lances claros, dois pênaltis. Um no Daniel e outro no Ganso. Ainda teve a expulsão do Frazan e do Digão, contra o Vasco. No jogo contra o Goiás, tivemos um gol anulado que foi legítimo. Depois, o gol do Goiás foi em uma falta inexistente. Posso falar isso, mas não tenho mania de perseguição. O jogo de hoje é difícil de engolir”.

Foto: Lucas Merçon / FFC

Veja abaixo outros assuntos abordados na coletiva de Fernando Diniz:

Protesto da torcida

“O torcedor está aborrecido, é natural. Mas ele também está apoiando muito, acreditando. No final do jogo, é normal vaiar, aceitamos. Estamos muito chateados também por o torcedor ter que fazer esse protesto legítimo ao fim da partida. As críticas são justas. Não posso defender o Fluminense, tenho que procurar solução. Temos que corrigir e fazer a bola entrar de alguma forma”.

Pressão no Fluminense

“Em time grande, estamos sempre pressionados. Ainda mais na situação que o Fluminense está. Está todo mundo pressionado. Lido bem com a pressão e não jogo a toalha. Sigo lutando para que as coisas deem certo. Todo mundo está pressionado, e eu ainda mais. Não vou procurar outros culpados. Mas tivemos boas chances hoje e em outros jogos também. O time tem jogado bem”.

Duelo contra o Corinthians pela Sul-Americana

“Todo jogo para gente está sendo um divisor de águas. Foi hoje e será contra o Corinthians. Para recuperar os jogadores temos que conversar e refletir. Estamos procurando melhorar o tempo todo. Estou estudando, vendo jogos de adversários. A gente treina muito, trabalha bastante para corrigir os nossos erros”.

Digão

“O Digão estava com um desconforto, aqueceu e não estava muito confiante. Provavelmente o Digão joga na quinta”.

Utilizar Caio Henrique e Mascarenhas

“Essa alternativa do Caio está sendo vista há muito tempo. O Mascarenhas teve muitos problemas nesses sete meses. E o Caio está bem na posição. É uma alternativa, mas o que a gente vai tentar é criar mais chances e fazer com que ele não tenha chances. Vamos tentar jogar bem lá e ter sorte”.

Fluminense x CSA: clube divulga parcial de ingressos vendidos

Até o início da tarde, foram vendidos mais de 13 mil ingressos para o confronto entre Fluminense e CSA, marcado para 16h de domingo, no Maracanã, pela 15ª rodada do Brasileirão. Os preços variam entre R$ 20, para o setor Leste Superior, e R$ 60, para os setores Leste Inferior e Sul.

Na entrevista de sexta-feira, no Centro de Treinamento, o presidente Mário Bittencourt desafiou a torcida a levar 20 mil pagantes ao estádio para liberar uma promoção no duelo com o Avaí, dia 02 de setembro (segunda-feira). Clique aqui e garanta sua entrada!

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Mário propõe promoção de ingressos contra Avaí a depender de público no domingo: “Time precisa de apoio”

Ainda ameaçado pelo Z-4, o Fluminense, em 16º lugar, com 12 pontos, enfrenta o vice-lanterna CSA, domingo, no Maracanã, precisando vencer para aliviar a pressão sobre Fernando Diniz e reagir no Campeonato Brasileiro.

Ao fim de entrevista nessa sexta-feira, no CT, Mário Bittencourt reforçou a importância do apoio do torcedor e propôs promoção de ingressos para o jogo da próxima rodada, contra o lanterninha Avaí, em caso de 20 mil pagantes no duelo deste fim de semana. Foram vendidos mais de 10 mil bilhetes até o momento.

– Gostaria de lançar um desafio à nossa torcida. O time precisa sempre, mas, neste momento, precisa bastante de apoio e de incentivo. Criamos uma ideia de que, se ultrapassar os 20 mil pagantes no domingo, faremos uma promoção no jogo contra o Avaí, segunda-feira (02/09), às 20h, com ingressos a R$ 40 na Sul e a R$ 10 em toda a Leste, superior e inferior. Precisamos de estádio cheio nesses dois jogos muito importantes para nós.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Top