fbpx

Peça-chave no esquema de Diniz, Daniel perde espaço após chegada de Oswaldo e tem futuro indefinido

Um dos principais nomes no time do ex-treinador, meia não vem sendo utilizado e renovação com o clube pode acabar emperrando

Foto: Mailson Santana / FFC

Depois de acumular empréstimos, Daniel enfim se firmou no Fluminense. Em 2019, tornou-se titular absoluto sob o comando de Fernando Diniz e foi um dos destaques do time até a parada para a Copa América. Tudo parecia correr bem, mas começou a desandar. Com uma série de resultados ruins, o Tricolor foi parar na zona de rebaixamento e o treinador foi demitido.

Para o seu lugar, a diretoria contratou Oswaldo de Oliveira. A partir daí, o meia, que já vinha sendo perseguido pela torcida após atuações aquém do esperado, perdeu espaço de vez. Com o meio-campo sendo formado por Allan, Yuri, Ganso e Nenê, o atleta formado em Xerém vem amargando o banco de reservas e sequer entrou no segundo tempo nas últimas partidas. Seu único jogo com o novo treinador foi no empate em 1 a 1 com o Corinthians, que culminou na eliminação do Flu da Sul-Americana.

A perda espaço não prejudica só seu desempenho, mas também a renovação com o Tricolor. Conforme noticiou o Lance!, a prorrogação do contrato de Daniel com o clube emperrou. O vínculo do jogador vai até o final deste ano e, se antes ambas as partes estavam animadas em assinar o novo acordo, agora agem com mais cautela quanto ao tempo de contrato.

O Fluminense ainda tem expectativas positivas quanto a essa renovação, enquanto o staff do meia receia que ele volte a ser emprestado. Apesar de estar amargando a reserva, Daniel ainda é um dos destaques da equipe na temporada. Ao todo, foram oito assistências para gol, 14 passes para finalização e 21 desarmes.

Daniel defende Diniz e vê jogadores como principais culpados: “A gente que entra dentro de campo”

Meia tricolor também foi alvo de protestos da torcida na derrota por 1 a 0 para o CSA em pleno Maracanã

Foto: Lucas Merçon / FFC

Neste último domingo, o Fluminense perdeu por 1 a 0 para o CSA no Maracanã e viu a situação no Brasileirão ir de mal a pior. Com a derrota, o Tricolor entrou novamente na zona de rebaixamento e, com as vitórias de Cruzeiro e Chapecoense, caiu para a 18ª posição, com somente 12 pontos. Agora, o time soma apenas três triunfos em 15 rodadas na competição.

Após a partida, Daniel deu entrevista à Rádio Brasil e comentou sobre as críticas da torcida, que protestaram contra o time e Fernando Diniz. Principal alvo da ira dos tricolores, o treinador foi chamado de ‘burro’ e foi xingado. Para o meia, a irritação dos torcedores é legítima, mas o principal culpado da equipe estar nessa situação não é o técnico, e sim os jogadores.

“A culpa é de nós jogadores. A gente que é o principal, que entra dentro de campo. A gente que tem que aproveitar as chances e infelizmente não conseguiu fazer isso. A torcida cobrar é normal e a gente tem que entender”.

Perto de renovar com o Flu, Daniel defende esquema de Diniz e promete: “Vamos conseguir mais vitórias”

Cria de Xerém, meia encaminhou extensão de contrato por mais dois anos com o clube e afirmou que o grupo está fechado com o treinador

Foto: Lucas Merçon / FFC

Vivendo o melhor momento da carreira, Daniel é o líder de assistências do Fluminense. Já foram oito ao longo do ano. Aos 23 anos, o meia, que antes acumulou empréstimos, parece enfim ter se firmado na equipe. Nesta quinta-feira (15), após o treino no CTPA visando a partida contra o CSA, pelo Campeonato Brasileiro, o jogador revelado em Xerém concedeu entrevista coletiva e revelou ter um acordo apalavrado com o clube para estender seu contrato por mais dois anos.

Com isso, seu vínculo, que termina no fim de 2019, vai ser renovado até 2021. De acordo com o atleta, sua vontade é de permanecer no Fluminense.

“As conversas estão boas, está encaminhada a renovação. Tenho vontade de permanecer no Fluminense. Espero que dê tudo certo para renovar esse contrato”.

Titular no meio-campo formado por Fernando Diniz, Daniel fez questão de defender o treinador, que vem sendo alvo de críticas por parte da torcida devido aos resultados ruins no Brasileirão, e disse ser normal a manifestação dos tricolores. O meia ainda aproveitou para afirmar que o estilo de jogo imposto é ‘prazeroso’ e que as vitórias virão.

“Dentro de campo, o nosso time joga bem. É um esquema que dá prazer aos jogadores. A gente tenta entrar para ganhar os jogos. Quando a gente ganha, o esquema é maravilhoso e todo mundo elogia. Quando não vem, todo mundo critica. Isso é normal. Não temos que pensar nisso. Temos que ter a cabeça tranquila para poder jogar”.

“É normal a torcida ter esse sentimento, porque a campanha não é tão boa. Mas os jogadores estão fechados com ele, gostamos da forma de jogar e do jeito dele de ser. Vamos conseguir mais vitórias, queremos ir bem na Sul-Americana. Queremos alcançar o que o time pode ser”.

Foto: Lucas Merçon / FFC

Perguntado sobre o duelo com o CSA, no próximo domingo (18), às 16h (de Brasília), no Maracanã, o jogador destacou a importância de conquistar os três pontos e tirar o Fluminense da parte de baixo da tabela.

“A gente precisa muito dessa vitória. Ganhando, não passa ninguém. Mas não podemos deixar quem está em cima distanciar ainda mais. Não é o nosso objetivo na tabela, o Fluminense não pode ficar na parte de baixo”.

Veja abaixo mais respostas de Daniel:

Reunião do elenco com Celso Barros

“Foi um encontro normal da diretoria. Está todo mundo no mesmo barco. Foi uma conversa boa. Nós precisamos melhorar e todo mundo sabe disso. Essas conversas são boas entre diretoria e comissão técnica. E tenho certeza que coisas boas vão começar a vir para gente”.

Melhorar a defesa

“É ter mais atenção dentro de campo. Já jogamos com três volantes e tomamos gols e jogamos com o Yuri na zaga e não tomamos gols. Não é uma questão dos jogadores, mas sim da nossa atenção para não tomar tantos gols”.

Nenê e Wellington Nem

“Já treinamos juntos. É sempre bom jogar com esses caras, que têm muita qualidade. Vão ajudar e eu vou ajudar também. O time que o Diniz entrar em campo vai desempenhar bem e espero que consiga trazer as vitórias para gente”.

Evolução da equipe

“Nosso time está definindo mais rápido as jogadas. Estamos chegando com mais gente na área. Isso tudo dificulta o adversário. Estamos criando mais coisas no time. Uma bola longa na saída, correria do Yony… Estamos treinando tudo isso para ser um time mais perfeito”.

Daniel celebra semana livre para treinos e destaca necessidade de entrar ‘ligado’ contra o Atlético-MG

Titular com Fernando Diniz, meia revelado em Xerém afirmou que os dias de preparação da equipe vêm sendo muito fortes

Foto: Lucas Merçon / FFC

Disputando Brasileirão e Copa Sul-Americana simultaneamente, o Fluminense terá uma semana inteira livre somente para treinar visando o duelo com o Atlético-MG, no próximo sábado, às 21h (de Brasília), no Independência. Diante de um adversário que vem embalado, esse período será essencial para descansar, trabalhar forte e corrigir erros. É o que disse o meia Daniel, titular no time de Fernando Diniz. De acordo com o jogador, que foi revelado nas categorias de base do clube, esses dias de preparação vêm sendo muito bons.

“Essa pausa é muito importante. A gente vem de uma sequência difícil de jogos pelo Brasileiro e Sul-Americana. Com a semana cheia, dá para descansar e treinar muito mais, corrigindo mais coisas. Nossa preparação está sendo muito boa, muito forte. O grupo está concentrado porque sabemos que sábado temos mais uma decisão no Brasileiro”, disse.

O camisa 20 do Fluminense também projetou a partida contra os mineiros, válida pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. De acordo com Daniel, a equipe precisa entrar bastante ‘ligada’ para não ser surpreendida com a pressão imposta pelos donos da casa, que terão grande apoio da torcida.

“Acredito que o estádio vai estar cheio, até pela situação do Atlético-MG na tabela. Eles vão querer pressionar nossa saída de bola e temos que ir muito ligados porque queremos essa vitória”, concluiu.

Daniel valoriza triunfo sobre o Inter e avalia parceria com Ganso no meio-campo do Flu

Cria de Xerém, meia enalteceu inteligência do time em aproveitar as oportunidades e matar o jogo

Foto: Lucas Merçon / FFC

Peça-chave no meio-campo tricolor, Daniel alia qualidade no toque de bola com inteligência tática, fazendo com que Fernando Diniz o mantenha como titular mesmo com a chegada de Nenê. Importantíssimo no esquema do treinador, o meia participou bem do jogo na vitória por 2 a 1 sobre o Internacional e, em entrevista à Rádio Brasil, elogiou a atuação do Fluminense, mas lamentou o gol sofrido nos acréscimos da partida. Além disso, o jogador, revelado nas categorias de base do clube, destacou a capacidade da equipe matar o jogo quando teve a oportunidade.

“A gente jogou bem hoje como jogou nas outras partidas, mas hoje a gente fez o gol. A gente matou o jogo, fez 2 a 0, tomamos um gol ali bem no finalzinho que a gente não queria ter tomado de jeito nenhum, mas acontece, pelo menos os três pontos vieram e vamos ver se a gente consegue embalar no campeonato”, afirmou.

Perguntado sobre seu posicionamento dentro de campo para poder atuar ao lado de Ganso, Daniel disse que já esperava que Diniz conseguisse uma formação para os dois jogarem juntos e aproveitou para elogiar bastante o camisa 10 tricolor e o volante Allan, jogadores que compõem o meio-campo ao seu lado.

“Eu já tinha trabalhado com o Fernando (Diniz) e eu sempre falei quando o Ganso tava para vir que o Fernando ia colocar nós dois para jogarmos juntos. Então eu fico muito feliz da gente ter se encaixado, o Ganso me ajuda muito bem e eu ajudo ele. Com o Allan o meio de campo está dando liga e espero que a gente consiga continuar dando certo para trazer mais vitórias”, finalizou.

Daniel pede para equipe ‘continuar de cabeça erguida’ e prega foco no Peñarol

Junto de Allan e Ganso, meia tentou articular e construir jogadas para furar a defesa do São Paulo, mas cansou e acabou sendo substituído

Foto: Mailson Santana / FFC

Titular no meio-campo do Fluminense, Daniel vem sendo um dos destaques da equipe nesta temporada. Jogador com mais assistências no ano, o meia bem que tentou, mas não conseguiu ser eficiente como nos outros jogos diante do São Paulo, no último sábado. Com o gol sofrido nos acréscimos, o Tricolor perdeu por 2 a 1 e continuou dentro do Z4 do Brasileirão. Logo após a derrota, o atleta de 23 anos destacou a necessidade de virar a chave e pregou foco total no duelo contra o Peñarol, pelas oitavas da Copa Sul-Americana, terça-feira, às 21h30 (de Brasília), no Maracanã.

“No futebol as coisas são muito rápidas, terça-feira a gente tem um jogo muito importante. A gente tem que continuar de cabeça erguida, manter o foco que vai mudar o campeonato e a gente precisa muito da classificação”.

Perguntado sobre a influência da pressão e dos números ruins no Campeonato Brasileiro no desempenho dos jogadores, Daniel afirmou que nesse momento o essencial a se fazer é ter tranquilidade e seguir trabalhando para corrigir os erros.

“Não, nosso time tem que manter a cabeça boa. Hoje nós não conseguimos criar tantas oportunidades como nos outros jogos, mas a gente tem que continuar treinando forte e achar a solução”.

Obediência tática e qualidade na saída de bola: Allan e Daniel como peças-chave no esquema de Diniz

Jogadores vem se destacando nessa temporada e ganham cada vez mais moral com o treinador tricolor

Foto: Mailson Santana / FFC

Dono de um estilo de jogo que se diferencia da grande maioria, Fernando Diniz ainda sofre um problema que acaba sendo crucial para a dificuldade da implementação deste mesmo no Fluminense: a falta de material humano. Porém, em meio a desfalques e lesões, alguns jogadores vem se destacando e personificando o modelo de futebol tão trabalhado pelo técnico. No Tricolor das Laranjeiras, dois em especial: Allan e Daniel.

Juntos de Paulo Henrique Ganso, os dois jogadores tornaram-se intocáveis no meio-campo do Fluminense. Aliando qualidade, verticalidade e progressão, o volante e o meia atuam com extrema segurança, apesar da pouca idade. Daniel, que já havia trabalho com Diniz no Oeste, vem participando do jogo a cada vez mais. Allan, por sua vez, conhece o modelo desde os tempos da Europa. O volante pertence ao Liverpool-ING e está emprestado ao Tricolor até o final da temporada.

Na partida contra o Peñarol, Daniel completou 50 jogos pelo clube e, com a bela assistência para o segundo gol de Yony González, isolou-se como principal garçom da equipe no ano. Ao todo, são oito assistências em 2019. Mas os números não param por aí. O meia de 23 anos é o segundo que mais dá passes para finalizações de seus companheiros, perdendo apenas para Caio Henrique, lateral improvisado no Fluminense.

Foto: Lucas Merçon / FFC

Importantíssimo na hora de dar sequência as jogadas, Daniel custou para se firmar no clube das Laranjeiras. Desde que subiu para o profissional, o atleta foi emprestado três vezes. Somente este ano, sob a batuta de Diniz, o meia se encontrou. Vale lembrar que o treinador, em diversas oportunidades, já afirmou que Daniel é ‘quem melhor compreende o sistema de jogo’, o que justifica o fato dele ser o terceiro que mais atuou em 2019, com 33 partidas.

Foto: Lucas Merçon / FFC

Allan já caiu nas graças da torcida. Colecionando boas atuações, o meia gera segurança e rapidez na saída de bola, sem deixar a zaga desguarnecida, tendo em vista que seu poderio de marcação é de se elogiar. O volante fez sua primeira partida desde a parada da Copa América justamente na vitória por 2 a 1 sobre o Peñarol, no Campeón del Siglo. Mesmo ainda sem estar com 100% do seu ritmo de jogo, o jovem jogador participou ativamente da partida, ajudando principalmente no desafogo quando o adversário pressionou a posse de bola tricolor.

Assim como Daniel, Allan recebeu diversos elogios de Fernando Diniz, que o classificou como um ‘achado’. Essencial, o volante se multiplica em campo e participa da linha de marcação, da saída de bola e da criação de jogadas, onde sua criatividade se evidencia. Allan se disse feliz no Fluminense e não escondeu o desejo de continuar no clube mesmo depois do término de seu contrato de empréstimo.

Os dois tem presença garantida no time titular neste sábado (27), quando o Fluminense enfrenta o São Paulo, às 19h (de Brasília), no Maracanã, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Depois da grande vitória na Copa Sul-Americana, o Tricolor carioca busca conseguir o segundo triunfo seguido para respirar e embalar na competição.

Daniel minimiza pagamento de salários só a Pedro: “Temos que seguir com a cabeça boa”

Na mira do Flamengo até dias atrás, Pedro recebeu do Fluminense parte dos salários atrasados. Foi a saída encontrada pela diretoria para impedir uma possível ação judicial, medida, ao menos por ora, descartada pelos empresários do centroavante. À imprensa, nesta terça-feira, Daniel disse não ver a prioridade ao companheiro como algo para tumultuar o ambiente no Centro de Treinamento.

– Não foi passado para nós pela diretoria. Saiu na imprensa. Se for verdade, o grupo entende. Temos que seguir com cabeça boa, nos preocupar em treinar e ganhar jogos. Essa parte quem tem que resolver é diretoria.

Daniel revelou que não abordou a proposta rubro-negra em conversas com Pedro. Segundo o meia, porém, o jovem de 21 anos mantém a mesma postura nas atividades do dia a dia. Ele, que volta do Torneio de Toulon pela seleção olímpica, não joga de verde, branco e grená desde a derrota por 3 a 2 para o Bahia, no fim de maio, quando chegou a marcar de pênalti.

– Não conversei com o Pedro sobre isso. Não me diz respeito. Isso é Pedro com a diretoria do Fluminense e os empresários dele. O que posso dizer é que ele está tranquilo, treinando muito bem, se dedicando como sempre. Tudo normal – garantiu.

O clube tem usado a parada para a Copa América para recuperar os jogadores lesionados e se preparar para o segundo semestre, que começa com jogo contra o Ceará, dia 15, no Maracanã. Com uma sequência em casa até o início do mês que vem, a equipe visa arrancada para deixar a zona de perigo e almejar posições mais altas.

– Está sendo muito boa (a parada). Recuperamos muitos jogadores, elenco está mais cheio. Cria essa dúvida para o Diniz. Pode treinar mais alternativas. Time está entrosando, muito bem. Quando voltarem os jogos, torcedor poderá ver isso – explicou Daniel.


VEJA MAIS RESPOSTAS DE DANIEL:

Meio-campo com Allan e Ganso: “Muito importante nosso entrosamento. As coisas estão fluindo entre nós 3. Se o meio não estiver entrosado, as coisas não fluem muito bem. Espero que continuemos com esse entrosamento e que as vitórias possam vir mais”.

Dupla com Ganso: “Quando o Ganso estava vindo, eu sempre falava que poderia jogar junto com ele. Mudei um pouco minha característica, recuei um pouco mais. Acho até que evoluí jogando nessa posição. Estou muito feliz. Jogar com o Ganso é muito bom”.

Permanência de Allan: “Ele é muito importante. Desde que passou a fazer essa função de primeiro volante, nosso time cresceu muito a saída de bola. Além de fazer uma saída muito boa, ele tem grande marcação. Todo mundo ficou muito feliz com a continuidade dele”.

Balanço do ano até aqui: “Está sendo um ano muito bom para mim. Primeiro ano que estou tendo sequência como titular no Fluminense. Jogando Copa do Brasil, Brasileirão, Sul-Americana… Estou bastante feliz, em um momento muito bom”.

Doping de Rodolfo: “Trabalhei com ele no Oeste. É um cara muito amigo, muito generoso. Todo mundo gosta dele. Situação muito triste. Ainda não conversei com ele. Acho que é momento dele ficar mais com a família. Quando as coisas se acalmarem vou ligar”.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Daniel destaca entrosamento da equipe e enaltece qualidade na saída de bola

Meia fez questão de levantar a moral de Frazan e Yuri, que formaram a dupla de zaga do Fluminense no clássico

Foto: Mailson Santana / FFC

Mais uma vez o Fluminense jogou melhor, envolveu o Flamengo em vários momentos do jogo, criou oportunidades de gol, mas não conseguiu sair com a vitória. Porém, o empate em 0 a 0 no Maracanã não desmotivou os atletas tricolores, que elogiaram bastante a atuação do time no clássico carioca. Titular da equipe, Daniel atuou bem na construção das jogadas e, após o apito final, rasgou elogios a saída de bola do clube das Laranjeiras. O meia também afirmou que o entrosamento está ficando cada vez mais forte, fazendo com que os atletas não tenham dificuldade em colocar em prática o estilo passado por Fernando Diniz, onde se valoriza a posse de bola e a troca de passes com confiança.

“Entrosamento está fluindo, estamos melhorando, prendendo mais a bola. Dificuldade nenhuma em sair a bola. Fla tentou apertar, de 10 vezes roubou uma bola, nossa saída foi muito bem com eles (Yuri e Frazan)”.

O último desafio de Daniel e do Fluminense antes da parada para a Copa América é na próxima quinta (13), às 20h (de Brasília), contra a Chapecoense, na Arena Condá. O confronto será válido pela 9ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Tricolor é atualmente o 16º colocado, com 7 pontos conquistados.

Daniel comemora boas atuações pelo Flu e destaca parceria com Ganso

Meia mostrou-se bastante satisfeito com suas performances pelo Fluminense e frisou que atuar ao lado do camisa 10 é muito bom

Foto: Lucas Merçon / FFC

Quando Paulo Henrique Ganso chegou ao Fluminense, muito se discutiu qual seria o meio de campo formado por Fernando Diniz para ajustar a equipe de acordo com o camisa 10. Aos poucos, o treinador foi achando sua formação ideal e colocando um time veloz e com bom toque de bola. No meio disso tudo, Daniel, que havia sido sacado, recuperou seu espaço e, desde então, vem convencendo com boas atuações. Perguntado sobre o momento que vive com a camisa tricolor, o meia se disse bastante feliz com seu nível de performance e afirmou que sempre acreditou ser possível formar uma parceria bem sucedida ao lado de Ganso.

“Fico feliz de estar dando certo nosso meio de campo, eu e Ganso juntos. Quando ele veio, todo mundo me perguntava como seria jogar ao lado dele e sempre falei que seria muito bom, que poderíamos jogar juntos. Não à toa, estamos jogando juntos e jogando bem. Fico feliz com minhas atuações, contra adversários grandes, hoje estou conseguindo provar meu valor em jogos decisivos”.

Em 2019, Daniel jogou 25 vezes pelo Fluminense. A revelação de Xerém não marcou nenhum gol até aqui, mas deu cinco assistências. Três no Campeonato Carioca, uma na Copa Sul-Americana e uma no Campeonato Brasileiro. Para a partida contra o Athletico- PR, neste domingo (02), às 11h (de Brasília), na Arena da Baixada, o jogador de 23 anos deve comandar o meio de campo do Tricolor carioca, já que Ganso será poupado.

Top