Fluminense deve fazer oferta de renovação para Diniz apenas no final da temporada

O técnico tricolor tem se destacada nessa temporada, muitos consideram o Flu de Diniz o dono do melhor futebol do país no momento. A boa fase do clube tem empolgado a torcida e muito pedem a renovação do treinador. Mas segundo o portal “NetFlu”, por conta da eleição, o Fluminense só deverá fazer uma proposta de renovação no final do ano.

Fernando Diniz chegou ao Flu no fim de abril e seu contrato vai até o término deste ano. Apesar de ser bem avaliado, a decisão por uma renovação só será tomada após a eleição do próximo presidente do clube. Mário Bittencourt, atual mandatário, será candidato a reeleição.

Foto em destaque: Mailson Santana/ FFC

“Fernando Diniz tem um estilo de treinar que o pode levar à Seleção Brasileira no futuro”, afirma Rivaldo à Betfair

O Fluminense de Fernando Diniz conseguiu a classificação diante do Cruzeiro pela Copa do Brasil, após fazer mais uma grande apresentação, já são seis jogos de invencibilidade e um mês sem saber o que é derrota. Até mesmo Neymar se rendeu ao técnico e usou as redes sociais para externar sua admiração pelo seu trabalho: 

“Gosto muito do Diniz como treinador, uma pena que no Brasil não dão tempo suficiente”. Rivaldo também seguiu a mesma linha de Neymar sobre o trabalho de Fernando Diniz no Flu.

O time do Fluminense passa por uma excelente fase aliando bons resultados a ótimas atuações comandado pelo técnico Fernando Diniz. Eu também sou um fã do modo de treinar do jovem técnico brasileiro, e até elogiei em 2016, quando ele fazia um excelente trabalho no Audax. Eu imaginava que ele conseguiria um lugar de destaque em algum clube grande do Brasil”, afirmou Rivaldo.

Mesmo os técnicos brasileiros sofrerem com a pressão de demissão em momentos de instabilidade nos clubes, Rivaldo lembra que a qualidade tática de Fernando Diniz é diferenciada no futebol brasileiro. “No Brasil sempre existe o risco de uma sequência negativa de resultados, e isso levar a uma saída precipitada e todo o seu trabalho cair por terra. No entanto, sua qualidade é inegável, pois os seus times apresentam um futebol diferente dos demais treinadores brasileiros.”

“Diniz deposita muita confiança nos seus jogadores para sair jogando desde a zaga, e isso acaba facilitando a chegada junto ao gol adversário, porém esse tipo de jogo também tem seus riscos, e é importante que ele tenha bons jogadores de velocidade em suas equipes”, comentou o craque Rivaldo à Betfair sobre o estilo de jogo de Fernando Diniz.

O embaixador da Betfair também comparou seu trabalho promissor no Brasil com o de Pep Guardiola, além de comentar sobre os riscos de seu jogo na pressão externa que os clubes brasileiros sofrem em momentos negativos.

 “Fernando Diniz tem um futebol moderno ao estilo europeu que por vezes faz até recordar aquele Barcelona dos tempos do Guardiola. Estando no futebol brasileiro, ele sabe que precisa conciliar esse estilo, com bons resultados, ou acabará sofrendo com demissões.”

Rivaldo conclui a entrevista dizendo que Diniz deverá conquistar títulos assim que conseguir equilibrar suas equipes, podendo no futuro, tornar-se treinador da Seleção Brasileira. 

Olhando para o modo como ele vem evoluindo e para o fato de ainda ser jovem, eu imagino que ele acabará conquistando grandes títulos no futebol brasileiro, e assim, conquistando o status que lhe poderá abrir as portas da Seleção Brasileira daqui por uns anos.”

Sobre a Betfair:

A Betfair (www.betfair.com) é um dos maiores provedores de apostas esportivas online do mundo, e patrocinadora oficial da CONMEBOL Libertadores e Sul-Americana. A empresa, fundada em Londres em 2000, foi pioneira na oferta de apostas peer-to-peer (Betfair Exchange) no setor de apostas e gerencia um conjunto completo de apostas esportivas, eventos de entretenimento e produtos de jogos online para mais de 4 milhões de clientes em todo o mundo, disponível para maiores de 18 anos. Graças à sua tecnologia de ponta, a plataforma oferece um amplo catálogo de produtos que permite apostar com suas próprias cotas e cotas oferecidas por outros usuários. A Betfair está licenciada para operar apostas online e outros jogos em 19 países, incluindo Espanha, Itália, Malta, Colômbia e Grã-Bretanha.

Foto: Marcelo Gonçalves/FFC

Peça-chave no esquema de Diniz, Daniel perde espaço após chegada de Oswaldo e tem futuro indefinido

Um dos principais nomes no time do ex-treinador, meia não vem sendo utilizado e renovação com o clube pode acabar emperrando

Foto: Mailson Santana / FFC

Depois de acumular empréstimos, Daniel enfim se firmou no Fluminense. Em 2019, tornou-se titular absoluto sob o comando de Fernando Diniz e foi um dos destaques do time até a parada para a Copa América. Tudo parecia correr bem, mas começou a desandar. Com uma série de resultados ruins, o Tricolor foi parar na zona de rebaixamento e o treinador foi demitido.

Para o seu lugar, a diretoria contratou Oswaldo de Oliveira. A partir daí, o meia, que já vinha sendo perseguido pela torcida após atuações aquém do esperado, perdeu espaço de vez. Com o meio-campo sendo formado por Allan, Yuri, Ganso e Nenê, o atleta formado em Xerém vem amargando o banco de reservas e sequer entrou no segundo tempo nas últimas partidas. Seu único jogo com o novo treinador foi no empate em 1 a 1 com o Corinthians, que culminou na eliminação do Flu da Sul-Americana.

A perda espaço não prejudica só seu desempenho, mas também a renovação com o Tricolor. Conforme noticiou o Lance!, a prorrogação do contrato de Daniel com o clube emperrou. O vínculo do jogador vai até o final deste ano e, se antes ambas as partes estavam animadas em assinar o novo acordo, agora agem com mais cautela quanto ao tempo de contrato.

O Fluminense ainda tem expectativas positivas quanto a essa renovação, enquanto o staff do meia receia que ele volte a ser emprestado. Apesar de estar amargando a reserva, Daniel ainda é um dos destaques da equipe na temporada. Ao todo, foram oito assistências para gol, 14 passes para finalização e 21 desarmes.

Diniz pede paciência com o estilo de jogo

Após o empate de ontem em 1 a 1 com o Cruzeiro, no Maracanã, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, o técnico Fernando Diniz concedeu coletiva e falou sobre a dificuldade que o time tem tido para aproveitar as chances criadas nas últimas partidas. O treinador aproveitou para falar também sobre as vaias a Rodolfo e Luciano, situação clínica de Pedro, a entrada dos garotos de Xerém no time e muito mais, confira:

Modelo de jogo apresentado nos últimos jogos

Está faltando botarmos a bola para dentro do gol. Jogamos contra um grande adversário, que se defende muito bem. O Fluminense tem que ser muito elogiado pela partida que fez, independentemente do resultado. Podia ter terminado 1 a 0 para o Cruzeiro e isso não tiraria o mérito da partida que fizemos. O volume de finalizações está alto e a bola vai começar a entrar. Temos que insistir. Não podemos achar que isso é o errado. Eles jogaram por uma bola. Se jogamos assim e perdemos, como foi contra o Botafogo, dá uma impressão muito equivocada de que se jogássemos de outra forma as chances de ganhar aumentariam. A maneira como a equipe está jogando, segundo aquilo que penso de futebol e da vida, estamos fazendo o melhor possível para ganhar os jogos. A bola vai passar a entrar. Tem que insistir. O modelo está correto e os jogadores se entregaram muito.

Convocação de Pedro para seleção pré-olímpica

Se passasse por mim, ele jamais seria convocado. Jamais. E tinham até outros atletas que poderiam ser convocados, caso do Allan, do Caio Henrique e do Nino, que estavam em uma pré-lista. Por mim, o Pedro jamais seria liberado para a seleção olímpica. Não sei como é a questão legal, não sei se é possível interromper isso.

Situação clínica de Pedro

Ele não tem absolutamente nada grave. Teve um trauma e está em fase de recuperação. Pode ser que tenha condição de jogar no fim de semana. Mas não tem problema não. Foi uma coisa bem tranquila.

Torcida

Quero parabenizar a torcida. No jogo contra o Botafogo a torcida ter aplaudido o time e reconhecido o trabalho é uma coisa muito difícil de acontecer no Brasil. A torcida do Fluminense está precisando de vitórias e de grandes comemorações. E hoje fez a diferença também. Me sinto muito feliz de estar trabalhando no Fluminense. Muito mesmo. E farei de tudo para dar alegria para essa torcida.

Jogadores vaiados

Os jogadores estão trabalhando muito. Se empenham demais, tanto Rodolfo, quanto Luciano. Luciano teve um grande momento no começo. E é um jogador que acredito, o Rodolfo também. Quando ganhamos e perdemos é o time que ganha e o time que perde. São jogadores muito importantes para o elenco e receberão todo apoio nosso.

Meio campo com as voltas de Airton e Bruno Silva

Temos as duas maneiras de jogar. Procuramos colocar o que acontece nos treinamentos e, com a sequência dos jogos, o que é melhor para o Fluminense. Hoje quase repetimos a escalação, mas tivemos a ausência do Pedro. É bom termos opções. Todos eles são titulares.

O Bruno Silva é um jogador que tem uma característica de competitividade e liderança que é muito importante para a equipe. Jogador que naturalmente se impõe no jogo e tem respeito dos adversários.

Airton tinha a chance de jogar. Fizemos partidas muito boas com ele. Fez uma partida impecável contra o Santa Cruz. É um jogador que às vezes não tem tanta dinâmica de corrida, mas faz o jogo ficar mais acelerado com um ou dois toques na bola. Conhece muito da posição.

Caras novas no time

João Pedro entrou no lugar do vaiado, Luciano, e garantiu o empate aos 48 minutos do segundo tempo

Hoje ganhamos mais opções. O Marcos Paulo entrou muito bem, o João Pedro fez o gol, o Ewandro também fez uma boa partida, o Léo Artur saiu jogando… Vamos ganhando opções para a sequência das partidas e treinamentos. E isso é melhor para mim. Vou buscar sempre colocar o melhor time em campo.

Léo Artur

Fez uma partida boa. Cumpriu a função. Já tinha entrado muito bem contra o Botafogo, quando em pouco tempo finalizou duas bolas, deu o cruzamento que originou o gol que foi anulado pelo VAR. E hoje fez uma boa partida. No 1º tempo, ele e o Caio Henrique criaram praticamente todas as ações pela esquerda. É um jogador que conheço bem, talentoso. Está se adaptando à essa realidade de jogar em um time com a camisa do Fluminense. Contribuiu para que o time jogasse bem.

Fluminense atacando mais pela esquerda

O Luciano joga mais livre para flutuar. O time tem uma tendência um pouco natural de jogar mais pela esquerda. Hoje a ideia era jogar um pouco mais pelo lado direito. Mas conforme o jogo vai acontecendo, não importa muito por onde você ataca. Você precisa atacar muito e criar as situações de gol. Se está dando certo por um lado, vai por aquele lado. Se estivesse dando errado, provavelmente jogaríamos mais pelo lado direito. A ideia era explorar os dois corredores. Mas como pela esquerda o time foi se encontrando, foi até uma inteligência que o time teve de saber explorar o lado que estava dando certo.

Gilberto isolado na direita

E o Gilberto, de fato, ficou isolado pelo lado direito. Mas não deixamos de jogar por lá. Tinha menos gente lá, menos apoio, mas ele foi bastante importante na fase ofensiva, então acabamos tendo jogada ofensiva pela qualidade individual do Gilberto.

Pela primeira vez Flu e Luverdense- MT se enfrentarão pela Copa do Brasil!

Um confronto que terá seu momento marcado na história do futebol tricolor

Nesta quarta-feira pela terceira fase da Copa, os times duelarão no Estádio das Emas, em Lucas do Rio Verde no Mato Grosso. Os dois clubes estarão pela primeira vez se enfrentando em campo. O fluminense está com foco nos treinos para garantir um bom jogo.

O técnico Diniz está com problemas para escalar sua equipe desfalcada pela recuperação de Mascarenhas, e por não poder contar com Digão, Léo Santos e o meio-campo Airton.

A possível escalação que Diniz poderá fazer será: Rodolfo; Gilberto, Matheus Ferraz, Nino e Ezequiel; Caio Henrique, Bruno Silva e Ganso; Everaldo, Luciano e Yony González.

Ramires teve empréstimo confirmado!

Destaque na copa de São Paulo contra o Flu ganha espaço no time

O fluminense contratou o Algoz da Copa de São Paulo de Juniores, Ramires. O atacante de apenas 17 anos, pertencente ao AUDAX-SP chega para a equipe Sub-20. O esperado é que ele seja integrado ao time profissional na próxima temporada. O atleta foi emprestado pelo período de 2 anos, tendo Diniz na participação direta na negociação. O tricolor não terá custos com o empréstimo e o jogador tem seus direitos fixados.

Diniz usa início de temporada para rodar elenco e montar seu meio campo ideal

O técnico Fernando Diniz, vem dando uma atenção especial ao setor de meio de campo do Tricolor no início desta temporada. O setor que tem muita importância no esquema tático do treinador, ainda não tem todos os nomes definidos e com isso, a cada treinamento e partida, Diniz testa novas opções.

Se no último ano, a ausência de nomes para o meio de campo era um problema, atualmente, o Fluminense conta com 10 opções para o setor em seu elenco profissional e 8 deles já foram utilizados em 14 jogos. Vale lembrar que há ainda uma possível contratação do meia Nenê, que está no São Paulo

(Fernando Diniz – Foto/Reprodução: Lucas Merçon/FFC)

Com a filosofia de que todo o elenco é importante, Diniz tem a confiança de seus atletas e durante a coletiva desta semana, o volante Airton, reforçou o posicionamento do treinador.

– Ninguém tem a garantia de titularidade, todo mundo está trabalhando. O professor Diniz fala que todo mundo é importante para o grupo. Quem tem oportunidade, tem dado conta. Cada um que está aqui tem que estar sempre mostrando seu potencial para alcançar seu espaço – disse Airton.

Allan, Bruno Silva, Caio Henrique e Ganso, foram os nomes que chegaram para essa temporada e que vem agradando o treinador e os torcedores. O jovem Caio Henrique é um dos nomes que vem ganhando destaque e evolui a cada partida, mesmo quando improvisado como lateral-esquerdo, o jogador segue mostrando bons resultados em campo.

Camisa 10 do time, o meia Paulo Henrique Ganso, estreou na vitória contra o Bangu e a cada jogo vem demonstrando ser uma peça essencial do quebra-cabeça Tricolor. Outro nome que vem chamando atenção e pedindo passagem é o novato Allan, que entrou bem no time e começou jogando contra a Cabofriense no lugar do suspenso Bruno Silva. Daniel e Dodi que já são conhecidos da torcida Tricolor, também são nomes que vem fazendo parte do rodízio do time neste início de temporada.

 

Na temporada:

  • Ganso:
    Gol: 1
    Assistência: 1
  • Bruno Silva:
    Gol: 1
    Assistência: 1
  • Caio Henrique:
    Gol: 1
    Assistência: 0
  • Daniel:
    Gol: 0
    Assistências: 3