Doping é golpe duro para Rodolfo e atinge elenco do Fluminense

A suspensão por doping representa um golpe duro para Rodolfo, que já havia sofrido punição pelo uso de droga em 2012, à época de Athlético-PR, o que o torna reincidente. Exame realizado na goleada por 4 a 1 sobre o Atlético Nacional, dia 23 de maio, no Maracanã, levantou suspeita de uso de cocaína. Na ocasião, porém, ele, reserva de Agenor, ficou no banco.

Abalado com o flagra, o goleiro se isolou até do staff durante boa parte desta terça-feira. O episódio atinge, inclusive, o elenco, uma vez que o camisa 39, conhecido por ser brincalhão, não poderá treinar com os companheiros.

Rodolfo, que se diz dependente químico, tinha acompanhamento psicológico no Centro de Treinamento. Apesar do contrato suspenso por normal legal, o Fluminense, assim como seus torcedores, garante apoio ao jogador de 28 anos. Em nome do grupo, Digão, um dos líderes, declarou em rede social que irá “estender a mão” ao colega.

A denúncia deve ser protocolada no Tribunal Disciplinar da Conmebol, onde chegam dados do teste enviados pela equipe de controle de dopagem. Depois do primeiro julgamento, o caso pode ser levado ao Tribunal de Apelação, da entidade sul-americana, ou, em terceira instância, à Corte Arbitral do Esporte, na Suíça.

O arqueiro abriu mão da contraprova, assumindo a presença da substância em seu organismo, para se dedicar à preparação da defesa, ainda a ser iniciada. A princípio, o especialista em direito esportivo João Chiminazzo descarta banimento do esporte e crê, num cenário otimista, em uma pena de seis meses a quatro anos.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Fluminense confirma doping do goleiro Rodolfo

Foto: Lucas Merçon/FFC

Por meio de uma nota oficial, o Fluminense confirmou que o goleiro Rodolfo, de 24 anos, foi pego no exame antidoping, após o jogo entre Fluminense x Atlético Nacional, da Colômbia, realizado no dia 23 de maio no Maracanã, válido pela Copa Sul-Americana.

Ainda de acordo com a nota, o próprio goleiro abriu mão da contra prova, ficando suspenso voluntariamente, tendo ainda seu contrato de trabalho suspenso. O clube contudo colocou seu Departamento Jurídico à disposição do jogador e informou também que dará todo o suporte necessário ao goleiro.

Veja a nota na íntegra:

O Fluminense Football Club informa que o goleiro Rodolfo Alves de Melo foi flagrado no exame antidoping após a partida Fluminense x Atlético Nacional (COL), pela Sul-Americana, realizada em 23 de maio de 2019 no Maracanã. O clube e o atleta já realizaram uma reunião e uma petição foi apresentada à Conmebol, onde o jogador abriu mão da contraprova se colocando suspenso voluntariamente, para se dedicar exclusivamente à sua defesa. O Fluminense já colocou seu Departamento Jurídico à disposição do jogador que, por norma legal, teve o contrato de trabalho suspenso.  A instituição dará todo o suporte necessário ao atleta.

Exame acusa uso de cocaína, e Rodolfo é suspenso por doping

Aos 28 anos, Rodolfo foi novamente flagrado em exame de doping. Dessa vez, na goleada por 4 a 1 sobre o Atlético Nacional, dia 23 de maio, no Maracanã, pela Sul-Americana. A suspeita é de uso de cocaína.

De acordo com o protocolo do Código Mundial Antidopagem de 2015, o goleiro deve ser suspenso preventivamente e tem um prazo de cinco dias a partir do anúncio do resultado para solicitar o teste de contraprova. Do contrário, fica valendo o primeiro exame. Entretanto, o jogador decidiu abrir mão deste recurso e, após reunião com a diretoria, teve o contrato suspenso. O clube divulgou nota sobre o ocorrido.

“O Fluminense Football Club informa que o goleiro Rodolfo Alves de Melo foi flagrado no exame antidoping após a partida Fluminense x Atlético Nacional (COL), pela Sul-Americana, realizada em 23 de maio de 2019, no Maracanã. O clube e o atleta já realizaram uma reunião e uma petição foi apresentada à Conmebol, onde o jogador abriu mão da contraprova se colocando suspenso voluntariamente, para se dedicar exclusivamente à sua defesa. O Fluminense já colocou seu Departamento Jurídico à disposição do jogador que, por norma legal, teve o contrato de trabalho suspenso. A instituição dará todo o suporte necessário ao atleta.”

Faz sete anos que o goleiro, na época no Athlético-PR, sofreu uma punição de dois anos por conta da cocaína. Contratado pelo Fluminense no início de 2018, ele abordou o assunto na entrevista de apresentação, agradeceu ao clube pela chance e garantiu estar livre das drogas desde 2014, quando retomou a carreira.

Rodolfo acumula 34 jogos pelo Tricolor, sendo 29 nesta temporada. Começou como dono da posição, mas perdeu a vaga para Agenor há um mês.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.