Opinião – A quem entregar o comando ?

Fim de temporada e começam as especulações. Para nós, começam pelo nome do futuro treinador.

Nos últimos dias, muitos nomes circulando.

A torcida, nas redes sociais, já elegeu seu favorito.

Comecemos por ele.

Ariel Holán, 59 anos, tem entre seus feitos ter ganho uma medalha de bronze dirigindo a seleção uruguaia de hóquei na grama, no pan de 2003.

Adepto da tecnologia, passa ao futebol como analista de desempenho, introduzindo novos sistemas e métodos de avaliação, no Arsenal de Sarandi. Ainda como analista de desempenho passa por Estudiante, Independiente, Banfield e River Plate, onde passa a auxiliar técnico de Matias Almeyda.

Em 2015 tem sua primeira missão como treinador no Defensa y Justicia, onde chega às 4° de final da Copa da Argentina (2015/16). Em dezembro de 2016 vai para o Independiente, conquista a Sulamericana de 2017 batendo o Flamengo no Maracanã e a Copa Suruga em 2018. Em maio de 2019, é demitido por conta de resultados e muitos problemas com jogadores, diretoria e membros da comissão técnica.
Atualmente dedica-se a estudos de futebol junto a seu staff.

Custaria em torno de R$ 400 mil/mês.
A seu favor pesam as idéias inovadoras de jogo, adaptando táticas e métodos de outros esportes como hóquei e basquete para o futebol.

Contra a pouca experiência como treinador e pouca habilidade na gestão de grupo.
Outros nomes tem sido comentados como Eduardo Barroca, 37 anos, com passagem no Fluminense como coordenador de futebol em 2014 e várias direções em categorias de base e como auxiliar em diversos clubes no Brasil e bons trabalhos em 2019 a frente das equipes principais de Botafogo e Atlético GO.
Teria um custo menor.

A seu favor o conhecimento do clube, da base, dos que permanecerem do plantel e do mercado para buscar reforços, além de concepção de jogo de valorização da posse de bola e ofensividade.

Contra, a exemplo de Holán, a pouca experiência.

Duas apostas sem dúvidas.

Vejamos onde a diretoria colocará suas poucas fichas.

Primeiro reforço? Informações dizem que Flu se aproxima de acerto com técnico para 2020

Após garantir a permanência na Série A para o ano que vem, o Fluminense começa a trabalhar para fazer um ano de 2020 melhor do que 2019. Tendo isso em vista, parece que o primeiro nome para a nova temporada é o do comandante. E ele seria, Eduardo Barroca!

Segundo uma apuração feita pelo Canal Flu News, o diretor de futebol Paulo Angioni é amigo e do ex-treinador do Botafogo (e que já trabalhou no Flu). Ambos trabalharam juntos em vários clubes anteriores. Ele também tem o aval do presidente Mário Bittencourt.

Resultado de imagem para eduardo barroca fluminense 2015
Barroca em ação no Dragão (Foto: Gazeta Esportiva)

Nomes também como Odair Hellmann, Enderson Moreira, Cuca e Jair Ventura também estão sendo especulados como possíveis treinadores do Flu em 2020. Mas, ao que tudo indica, poderá ser Eduardo Barroca, que na última semana, subiu com o Atlético Goianiense para a Série A do Brasileirão.

Saudações Tricolores,

João Eduardo Gurgel

Derrota em clássico provoca queda de Eduardo Barroca no Botafogo

Eduardo Barroca, 37 anos, não resistiu à derrota por 1 a 0 no Clássico Vovô desse domingo, no Nilton Santos, e deixou o comando do Botafogo, que perdeu os quatro jogos do returno do Campeonato Brasileiro. O Alvinegro (12º) soma 27 pontos e vê o próprio Fluminense (15º), com 25, encostar.

— Foi necessária essa alteração, precisamos de reação imediata nesse momento — resumiu o vice-presidente de futebol botafoguense, Gustavo Noronha.

Yony González marcou o gol que sacramentou a demissão do treinador, ainda no estádio, após reunião da diretoria. Barroca conseguiu 10 vitórias, três empates e 14 derrotas desde a sua contratação, em abril.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.