Uram se posiciona sobre negociação em nome do Flu: “o Fluminense não me mandou pra nada”

Em entrevista ao portal NetFlu, o dirigente do Goiás, Ediminho Pinheiro, revelou que a negociação envolvendo o zagueiro David Duarte foi realizada por intermédio do empresário do atleta, Eduardo Uram, que seria segundo o dirigente, um representante do Fluminense. Porém, também em contato com o Netflu, Uram disse ter representado o jogador:

O procedimento é esse. Os clubes, como em tudo na vida, não só no futebol, não se falam direto. Nunca. Se você for vender ou comprar um apartamento ou casa, hoje, você só vai conhecer o comprador ou vendedor no momento da escritura. Por isso existe a função do intermediário. Nesse caso específico do David Duarte, este intermediário tem que estar credenciado por alguém. Uma transferência no futebol tem três pontas, um clube o outro clube e o jogador. Eu estava credenciado por duas partes: pelo jogador e pelo Goiás, porque eu tenho o contrato exclusivo de venda do David Duarte há mais ou menos três anos. Esse contrato tem validade enquanto o David tiver relação com o Goiás. O Fluminense não me mandatou pra nada. Apenas o Fluminense precisa de zagueiro, um ou dois, e eu tenho o meu cliente, que é o David Duarte. Ele é muito bom jogador. Não tem ninguém que não goste dele. O clube disse que tinha interesse e eu usei a minha representação do David Duarte e a minha exclusividade de venda – disse Uram.

Foto em destaque: Divulgação

Proposta por David Duarte foi feita por Eduardo Uram, revela diretor do Goiás

Um dos nomes cotados para vestir a camisa do Fluminense é o do zagueiro David Duarte, atualmente no Goiás. Porém, as tratativas para contar com o futebol do zagueiro foi intermediada pelo empresário Eduardo Uram, empresário do jogador e com um bom fluxo nas Laranjeiras.

A confirmação foi feita por Edminho Pinheiro, vice-presidente do Conselho Deliberativo do Goiás e homem forte nas negociações da equipe Esmeraldina em entrevista ao portal NetFlu:

Olha, nós recebemos uma proposta oficial através do procurador do jogador, senhor Eduardo Uram. O Goiás agradeceu, disse que não tinha como liberar o David com o que ofereceram. Repassamos isso ao Uram e depois disso ele nunca mais entrou em contato. Então, não sei se o Fluminense ainda está interessado – disse ao dirigente, que confirmou ainda que Uram tinha uma autorização do Fluminense em papel timbrado para tratar do assunto:

– Na verdade, a gente nunca falou com ninguém do Fluminense. Sempre quem tem nos procurado é o Eduardo Uram. Ele até trouxe um papel timbrado e tem toda a credibilidade para trazer o documento assinado pelo Fluminense, o qual a gente acreditou devido à seriedade do profissional – completou.

Ediminho ainda foi questionado se essa prática de negociações direto com empresários seria recorrente.

Eu te confesso que todos os jogadores que eu vendi do Goiás eu falei direto com o clube. O último foi o Michael ao Flamengo. Eu tratei diretamente com o Marcos Braz e o Spindel. Essa pergunta você tem que fazer para o Fluminense, não para nós. Acredito no Uram, porque ele é sério, mas a situação é diferente da usual. Eu tenho o documento que ele enviou, assinado pelo presidente do Fluminense. Mas eu te garanto que, se o Goiás estivesse interessado em alguém, isso jamais aconteceria. Tanto pra vender como pra comprar, quem fala em nome do Goiás é o Goiás.

Foto em destaque: Divulgação/Goiás