fbpx

Mário Bittencourt é empossado em cerimônia nas Laranjeiras e diz: “Vejo o Fluminense gigantesco”

Aos 40 anos, Mário Bittencourt se tornou o 35º presidente da história do Fluminense ao vencer seu ex-aliado, Ricardo Tenório, na eleição de sábado, dia 8. A cerimônia de posse aconteceu nesta segunda-feira, no Salão Nobre das Laranjeiras. Além dele, chegam ao clube Celso Barros, como vice-geral, e 150 conselheiros, mais os 50 suplentes, sendo que 54 assumem agora e o restante, ao fim do ano.

O evento de passagem de bastão durou pouco mais de uma hora e reuniu personalidades como Rubens Lopes, mandatário da FERJ, e os ex-jogadores Aílton, Duílio, Marcão, Ricardo Berna e Ronald. Ficou marcado por agradecimentos às pessoas envolvidas na campanha da chapa “Tantas Vezes Campeão”.

Logo no início, Pedro Abad subiu à tribuna para se pronunciar e ouviu algumas vaias. “Não é momento para isso”, repreendeu o presidente do Conselho Deliberativo, Fernando Leite. Em seu pronunciamento, o agora ex-dirigente pediu união e desejou sorte aos novos comandantes do Tricolor. Mário respondeu agradecendo pela chance de conversar com o elenco antes do empate em 0 a 0 no clássico com o Flamengo, domingo.

– Competência e caráter eu sei que eles têm. Vamos dar apoio a eles, que o Fluminense vai crescer. Confio muito nos dois – disse Pedro Abad, aplaudido em seguida.

Após ser oficialmente empossado, Mário Bittencourt recebeu os cumprimentos de suas filhas e esposa. Celso celebrou com sua esposa. O advogado, aliás, se emocionou ao lembrar da semana em 2010 em que perdeu a mãe, viu o nascimento de uma das filhas e comemorou o tricampeonato brasileiro.

Em dado momento do discurso, Mário exaltou a trajetória vencedora de seu parceiro Celso Barros enquanto presidente da Unimed-Rio, que patrocinou o clube por mais de 15 anos: “Alguém, 20 anos atrás, acreditou que o Fluminense era imenso e fez o clube ser gigante novamente”. Pouco antes, pediu aplausos a Tenório, a quem considera “grande tricolor”. Encerrou a assembleia convocando o público a, de pé, cantar o hino do Fluminense à capela.

“Eu vejo o Fluminense gigantesco, porque é assim que eu sempre o vi, desde pequeno”

A nova gestão, que assume até o fim de 2020, traz como vice-presidentes Heraldo Lunes (jurídico), Leonardo Lunes (finanças), Luiz Fernando Moura (administrativo), Newton de Souza Júnior (governança) e Rui Reisinger (base).

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com / Foto: Mailson Santana

Mário promete “grandes dias” no Fluminense e Celso fala em reconstrução em 1º discurso aos tricolores

Nos minutos seguintes ao anúncio de sua chegada ao poder no Fluminense, sábado, Mário Bittencourt apareceu na janela do Bar dos Guerreiros, nas Laranjeiras, acompanhado de seu vice, Celso Barros, para discursar pela primeira vez como presidente do clube.

– Quero um Fluminense unido, forte e imenso. Precisamos fazer o Fluminense imenso. E eu conto com vocês. O segredo do nosso sucesso está no amor que vocês têm ao Fluminense. Comecei aqui em 1998 e agora estou tendo a honra, ao lado do Celso, de presidir o clube. O trabalho é árduo. Mas a gente vai trazer o Fluminense para os grandes dias novamente. Que o Fluminense nos faça sorrir – disse, sendo ouvido por centenas de apoiadores.

Mário ficou com 2.225 dos 3.286 votos registrados nas urnas. Parabenizou seu ex-aliado, Ricardo Tenório, e considerou a disputa leal. Mas, principalmente, agradeceu aqueles que demonstraram confiança em suas propostas.

– Parabenizo a vocês pela belíssima campanha que fizemos juntos. Pela honradez, pela altivez, pela dignidade. Foi uma campanha de propostas, sem ofensas. Uma campanha que mostrou a grandeza do Fluminense.

– Agradeço a vocês pelos votos, pelos que pediram votos. Agradeço até aqueles que vieram aqui e não votaram em nós, mas exerceram seu direito democrático.

Foi, na verdade, Celso Barros quem puxou o pronunciamento. Assim como seu parceiro de chapa, destacou a importância do apoio em massa dos torcedores. Para o ex-patrocinador, a eleição da dupla aos cargos máximos vão devolver credibilidade ao Tricolor.

– Nosso presidente, Mário Bittencourt, foi um grande companheiro nessa campanha. Nós, juntos, vamos resgatar a credibilidade do Fluminense. Mas vocês é que vão ser a base desse caminho.

– É uma alegria estar aqui. Fizemos uma campanha limpa, com proposta e o resultado veio. Agora é o momento de reconstruirmos o Fluminense. Todos nós. Agradeço a vocês pelo carinho e pelo apoio. Quem vai salvar o Fluminense são vocês. Nós, torcedores, é que vamos salvar o Fluminense. Vamos buscar o rumo de onde esse clube nunca deveria ter saído.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

“Tantas Vezes Campeão”: Mário Bittencourt vence eleição e comanda o Fluminense até o fim de 2022

Fim da era Abad, início da era “Tantas Vezes Campeão”. Nesse sábado, os sócios elegeram Mário Bittencourt a presidente do Fluminense, com Celso Barros como vice. Apoiado por diversos ex-jogadores, como Aílton, Duílio, Marcão e Ronald, ele conseguiu 2.225 votos e desbancou Ricardo Tenório, que ficou com 1.032 votos. Nas 14 urnas eletrônicas, cedidas pelo TRE-RJ, e em cédulas de papel, destinadas àqueles que regularizaram sua inadimplência durante o dia, foram contabilizados 3286 votantes (5 brancos e 24 nulos).

Iniciada às 9h, com os concorrentes lado a lado recebendo os sócios na entrada na sede, a votação terminou às 18h. Simultaneamente, na Rua Álvaro Chaves, partidários de ambos os candidatos davam continuidade à campanha, com panfletagem, entrega de adesivos e exibição de faixas. A apuração levou mais de 1 hora até ser finalizada e foi acompanhada por centenas de torcedores com festa, às 19h20. O anúncio do resultado, feito pelo presidente do Conselho Deliberativo, Fernando Leite, aconteceu da janela do Bar dos Guerreiros.

A nova gestão, que segue até o fim de 2022, será empossada na segunda-feira, dia 10, e assume o comando no dia seguinte. Porém, a ideia é promover um primeiro encontro com os jogadores amanhã, no hotel onde estão concentrados para o clássico com o Flamengo, pela 8ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Originalmente previsto para novembro, o pleito ocorreu em junho devido à aprovação dos sócios à proposta de Pedro Abad para alterar o estatuto e adiantar a data. O agora ex-mandatário o fez em razão do desgaste político sofrido em três anos e meio de mandato.


PRIMEIRO A VOTAR

Paulo Sérgio Alonso abriu a eleição de 2019. Com o casamento da afilhada marcado para hoje à tarde, em Guaratinguetá, o sócio de 66 anos deixou a família em São Paulo na sexta-feira e voltou ao Rio para votar em Ricardo Tenório.

PRESENÇA ILUSTRE

Pedro Scudieri, torcedor covardemente agredido por vascaínos no início de 2017, foi votar. Ele cumprimentou ambos os candidatos ao chegar e foi festejado por amigos da organizada Bravo 52.

DISCRIÇÃO DE PEDRO ABAD

Foi em silêncio perante a imprensa que Pedro Abad se despediu do Fluminense. Votou, mas sem revelar sua preferência, e deixou o clube com a apuração ainda em andamento.

MÁRIO E CELSO NO MEIO DA GALERA

Enquanto seguravam a ansiedade no aguardo da oficialização do vencedor, Mário Bittencourt e Celso Barros se juntaram aos correligionários para celebrar a iminente vitória. Consagrados campeões, subiram ao Bar dos Guerreiros para falar pela primeira vez como novos presidente e vice-presidente do Tricolor.

TENÓRIO SAI ANTES

Após o fim da votação, Ricardo Tenório se pronunciou ao lado de seu vice, Wagner Victer: “Sempre estive e continuarei à disposição do Fluminense. Preguei, na campanha, a união. Independente do resultado, é importante ficarmos unidos e lutando pelo Fluminense”. Deixou o local em seguida, sem nem sequer ouvir o anúncio do resultado.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Opinião – Independente do resultado, que vença o Fluminense

Foto: Nicholas Rodrigues/CanalFlunews

Neste sábado (08), inicia-se um novo começo no Fluminense Futebol Clube, um começo que anuncia uma trajetória de grande dificuldade pra quem assumir a cadeira de presidente do clube.

Porém, essa dificuldade pode ser revertida com a vontade de reerguer o clube, a instituição. Vontade essa estampada nos olhos de ambos os candidatos.

Contudo, há de se destacar que o Fluminense não termina após a eleição, ela é só o começo, e isso tem que ficar bem claro principalmente para o derrotado nas urnas. Que o seu amor pelo Fluminense seja maior do que qualquer ego ou posição política, que se for fazer oposição, que seja coerente e defendendo os interesses do clube.

Ao torcedor, que fique também registrado a sua importância na hora de decidir o futuro de clube. Que após o pleito, esqueça de candidato A ou B e que pense restritamente no Fluminense. Se o candidato escolhido não cumpriu as promessas de campanha, cobre, não fique calado. Se por ventura votou no candidato derrotado, pense grande e torça pelo sucesso do eleito pela maioria, pois quem ganhará com isso não será Mário Bittencourt ou Ricardo Tenório, e sim o Fluminense.

Dito isto, Boa sorte ao vencedor e que vença o Fluminense, sempre !

Marcão explica escolha por Mário e sonha com retorno de Thiago Silva: “Depende mais do próprio Fluminense do que dele”

Ex-volante do Fluminense, Marcão declarou apoio a Mário Bittencourt na eleição que definirá o sucessor de Pedro Abad na presidência. Ao Canal FluNews, com exclusividade, ele explicou a escolha pela chapa “Tantas Vezes Campeão”, que ainda traz Celso Barros como vice.

– Ficou fácil (escolher). Além do Mário ser meu amigo, ele tem projeto. Torcedor quer ver o projeto saindo do papel. Com Mário e Celso, teremos respeito ao nosso clube. Com eles estaremos altamente preparados para levar o nome do Fluminense para onde nunca deveria ter saído.

Numa entrevista ao programa “Os Donos da Bola”, na véspera do pleito, Mário confirmou sondagem a Buffon e revelou interesse em dois ídolos da torcida: Fred, do Cruzeiro, e Thiago Silva, do PSG. Essa, inclusive, é uma de suas propostas. Marcão, amigo pessoal do “Monstro”, disse crer na volta do zagueiro da seleção brasileira.

– Depende mais do próprio Fluminense do que dele (risos). Tem que reestruturar o nosso clube, buscar parceiros… Quem sabe, mais à frente, a gente comemora o retorno do nosso capitão.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Agredido por torcedores rivais em 2017, Pedro Scudieri vai às Laranjeiras para eleição

Acompanhado de sua mãe e de uma enfermeira, Pedro Scudieri apareceu nas Laranjeiras por volta de 10h40 para votar em Mário Bittencourt, da chapa “Tantas Vezes Campeão”. Na chegada ao clube, vestido com a camisa de campanha de seu candidato, ele cumprimentou ambos os postulantes à presidência.

Na Rua Álvaro Chaves, Scudi se reuniu com amigos da organizada Bravo 52 para seguir a campanha em apoio a Mário.

Dois anos após sofrer agressão praticada por vascaínos com barras de ferro, Scudi vem se recuperando em casa. Entretanto, chegou a ficar 157 dias hospitalizado. Três dos quatro agressores estão presos, enquanto um ainda é procurado pela Polícia.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Buffon tem proposta de candidato à presidência do Fluminense, diz jornalista italiano

Sem emprego desde a saída do PSG, o experiente goleiro Buffon virou alvo de várias equipes pelo mundo, inclusive do Fluminense. Segundo o renomado jornalista italiano Gianluca Di Marzio, um candidato à presidência procurou o jogador de 41 anos para uma sondagem. A eleição ocorre no sábado, dia 8, com Mário Bittencourt e Ricardo Tenório como postulantes.

Buffon ouviu propostas da China, país para onde não deseja ir, Alemanha e Turquia, via Fenerbahce. Até mesmo o Barcelona considera sua contratação. Houve especulações na Itália, onde deixou sua marca na Juventus, mas que não avançaram. O veterano, por ora, pretende descansar para então decidir seu futuro.

A relação entre Buffon e Fluminense começou na Copa das Confederações no Brasil, em 2013, quando, ao lado de seus filhos, conheceu e se apaixonou pelo clube. As crianças, aliás, foram flagradas numa praia trajadas com a armadura verde, branca e grená.

– É uma paixão que se iniciou através dos meus filhos. Pois viram, gostaram e compraram a camisa do time no Brasil. E agora levamos o Fluminense no coração – disse o arqueiro na ocasião.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Pedro Antônio declara apoio ao candidato Ricardo Tenório na eleição de sábado

Pedro Antônio deixou de lado a neutralidade anunciada há cerca de dois meses e, nesta quarta-feira, declarou apoio a Ricardo Tenório na eleição de sábado, dia 8. Direto do escritório de Jackson Vasconcelos, encarregado da campanha do candidato da chapa “Libertadores”, o ex-dirigente realizou uma transmissão ao vivo em rede social para fazer o comunicado.

– Se eu quisesse cargo, teria me candidatado à presidência. Não adianta falar do problema e não dar a solução. Vejo que posso ser útil ajudando, sem ser o dono da caneta – destacou.

Originalmente prevista para novembro, a corrida pela presidência foi antecipada em Assembleia Geral convocada por Pedro Abad em janeiro. Pedro Antônio, aliás, reprovou a mudança do estatuto. Na última semana, ele compareceu ao lançamento da candidatura de Tenório, que concorre ao cargo com Mário Bittencourt, da chapa “Tantas Vezes Campeão”.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Sem Marcelo Souto, eleição presidencial no Fluminense coloca Mário e Tenório como adversários

Foi desenhado o cenário da eleição que, marcada para o sábado do dia 8 de junho, nas Laranjeiras, decidirá o sucessor de Pedro Abad na presidência do Fluminense. Mário Bittencourt e Ricardo Tenório oficializaram suas chapas no prazo limite, até às 19h dessa quinta-feira. Marcelo Souto, que havia anunciado sua pré-candidatura, não alcançou as 200 assinaturas de conselheiros necessárias para concorrer ao cargo.

– Está feito o registro da chapa. Com ele está dado o primeiro passo para libertar o Fluminense das amarras, que criaram uma dívida enorme e vícios que só dificultam a vida do Fluminense – publicou o candidato Ricardo Tenório em rede social.

A disputa coloca frente a frente dois ex-aliados. Tenório se separou do triunvirato formado com Mário e Celso Barros, que agora compõem a chapa “Tantas Vezes Campeão”, e se lançou na chapa “Libertadores”, com Wagner Victer como vice. O vencedor assume já em 10 de junho, segunda-feira, e comanda o clube até dezembro de 2022. Também será renovado o Conselho Deliberativo para o próximo triênio. Serão 150 membros efetivos e 50 suplentes, que vão ocupar as cadeiras do Salão Nobre apenas em 1º de dezembro.

Wagner Victer, vice de Ricardo Tenório, registra chapa “Libertadores” na secretaria do clube.

Originalmente prevista para novembro, a eleição foi antecipada por decisão dos sócios em Assembleia Geral realizada em janeiro. Abad cedeu ao desgaste político e propôs a mudança na data. O processo se dará com o uso de urna eletrônica, liberada pelo TRE-RJ.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Pedro Antônio comparece a evento mas não declara apoio a Tenório

Foto: Divulgação

Tido por muito como o fiel da balança nessas eleições, o idealizador do CT e ex vice de projetos especiais, Pedro Antônio, esteve presente no evento de lançamento da campanha de Ricardo Tenório à presidência do Fluminense.

Contudo, o ex dirigente não deu entrevista e nem declarou de forma oficial o apoio a Ricardo Tenório. Segundo o próprio Pedro Antônio, sua presença no local se decorreu devido ao convite feito por Tenório.

Tenório por sua vez jogou a “responsabilidade” para Pedro Antônio, dizendo que o apoio tinha que partir do ex diretor:

– As coisas acontecem naturalmente. Tenho conversado bastante com o Pedro Antonio, é um tricolor que nos ajudou muito e ainda pode nos ajudar muito. Mas esse apoio formal tem que vir dele. É uma pessoa importantíssima no processo político do Fluminense. Conto com ele como qualquer outro tricolor que deva assumir o Fluminense deve contar. Mas considero isso uma prova cabal de que estou conseguindo fazer a união que o Fluminense precisa – comentou Tenório.

O candidato ainda deixou as portas abertas para uma eventual ajuda na possível administração do clube:

– Todos estão se conscientizando que precisamos estar unidos para poder vencer esse grande obstáculo que é esse momento terrível político e financeiro que o clube vive. Estou aberto a conversar com todos os tricolores indistintamente de grupos. São pessoas que querem ajudar o Fluminense – completou Tenório.

Top