fbpx

Grupo Ideal Tricolor formaliza apoio a Ricardo Tenório

Crédito: Divulgação

De olho na eleição à presidência do Fluminense, o grupo Ideal Tricolor divulgou nota na tarde desta terça-feira (07) formalizando apoio ao candidato Ricardo Tenório da chapa Libertadores. Segundo o comunicado, a escolha por Tenório está ligada a proposta de buscar a eficiência do clube e o cuidado com todos os segmentos da instituição.

“A proposta do Ricardo Tenório para devolver ao Fluminense a marca da eficiência e do cuidado com todos os segmentos do Clube é a melhor, sem dúvida. Ricardo Tenório demonstra para o Ideal Tricolor que sabe da importância enorme do futebol profissional como impulsionador fundamental de uma marca que vale pela história de glórias e pelo enorme potencial que tem de repeti-la sempre”, publicou.

Além do grupo, o Canal Flunews publicou mais cedo que o deputado Ayrton Xerez, da chapa Resgate Tricolor também deve formalizar apoio ao Tenório. A eleição para escolha do novo presidente do Fluminense está marcada para o dia 08 de junho.

Segue na íntegra a nota do grupo Ideal Tricolor:

“O Ideal Tricolor decidiu caminhar com Ricardo Tenório nesta eleição. A nossa história é marcada por posições firmes, muitas vezes contestadas, mas sempre coerente com a tradição de saber o que se pode fazer pelo Fluminense no lugar de se tentar encontrar uma forma de tirar vantagem do clube.

A proposta do Ricardo Tenório para devolver ao Fluminense a marca da eficiência e do cuidado com todos os segmentos do Clube é a melhor, sem dúvida.

Ricardo Tenório demonstra para o Ideal Tricolor que sabe da importância enorme do futebol profissional como impulsionador fundamental de uma marca que vale pela história de glórias e pelo enorme potencial que tem de repeti-la sempre.

Mostrou também reconhecer que os segmentos do Esportes Olímpicos e do Clube Social são fundamentais como instrumentos de respeito à história de glórias do Fluminense e de elevado potencial de gerar novas receitas.

Ricardo Tenório respeita o Fluminense como ele é, um conjunto de várias unidades de negócios distintas, mas complementares. O equilíbrio de personalidade do Ricardo Tenório foi outro ponto decisivo para a nossa escolha.

O Fluminense não aguentará personalismo, decisões eufóricas sem avaliação de resultados e a troca de cargos remunerados por votos. Ricardo Tenório respeita isso.

Por todos os motivos de interesse do Fluminense, estamos bem à vontade com a decisão de apoio ao Ricardo Tenório e confortáveis para pedir, sem constrangimento, o voto nele”.

“Foco 100% no futebol” e revitalização das Laranjeiras: conselheiro Marcelo Souto anuncia pré-candidatura à presidência

Marcada para o dia 8 de junho, a eleição no Fluminense começa a apresentar seus personagens. Depois de Ayrton Xerez, o conselheiro e advogado Marcelo Souto, ligado ao grupo Esperança Tricolor, anunciou, nesta sexta-feira, a pré-candidatura à presidência. Aos 33 anos, ele busca renovação no cenário político do clube e expõe focos da campanha.


“Foco 100% no futebol”

– Fluminense tem uma dívida enorme, então, temos de saber exatamente qual o passivo. A campanha vai focar 100% no futebol. Esse é o nosso lema. O que não for sustentável será fechado. Temos de fechar o Samorin, por exemplo. Abrir a caixa preta de Xerém. Ninguém sabe o que ocorre lá, parece que tem um monarca lá. Os esportes olímpicos que não gerarem receita serão fechados. Todo o dinheiro que entrar será para pagar dívida e investir no futebol. O Fluminense leva futebol no nome, então, não dá para tirar dinheiro dessa área e colocar em outras que não geram ativos e só geram passivos. Vamos cortar na raiz. Foco único: pagar dívida e futebol.

Revitalização das Laranjeiras

– O Fluminense tem tantos problemas que poderíamos falar por três horas sem parar. Em eleição, tem muito factoide. Todo mundo promete. A nossa lei é a transparência. Além do que falamos, tem outro compromisso: nosso estádio fica em Álvaro Chaves. Meu compromisso é no dia 0 da gestão começar a fazer de tudo possível para colocar Laranjeiras apta a receber jogos pequenos e médios. Os demais, no Maracanã. Aliás, temos de entender esse novo contrato.


Fundado em 2013, o Esperança Tricolor é representado, no Conselho Deliberativo, por somente sete conselheiros. Em 2016, aliou-se a Cacá Cardoso e estendeu o apoio a Pedro Abad à época da união, passado a formar a coalizão Unido e Forte, de onde saiu em menos de um ano de gestão por discordar dos rumos do Tricolor. Dessa vez, Marcelo Souto nega futuras alianças políticas. A chapa, porém, depende de 200 assinaturas para ser oficializada.

– Queremos as pessoas que não estão inseridas no ambiente político do Fluminense. Queremos aqueles sócios contribuintes e proprietários que queiram ajudar. Não queremos um Conselho homologador que só dá “ok” a tudo que o presidente quer. Queremos que se debata e se questione o Fluminense. Por isso, faremos uma campanha nas redes maciça para efetivamente mudar o clube. Por isso, eu avisei os outros pré-candidatos do lançamento do meu nome e deixei claro que não faremos nenhum tipo de aliança. O nosso compromisso é com o Fluminense.


LEIA MAIS RESPOSTAS DE MARCELO SOUTO:

Decisão de concorrer à eleição: “Não foi uma coisa planejada em cima de um nome. É em cima de um projeto propositivo em diversas áreas do clube. Como nunca conseguimos ser ouvidos e nunca tivemos espaço para nada, a marca desse cenário político sem renovação e sem oxigenação, o grupo decidiu lançar um pré-candidato. E houve consenso pelo meu nome. Vamos começar agora a apresentar as nossas ideias, mas a principal é foco 100% no futebol. Tudo o que não for sustentável será cortado”.

Radicalismo em eventual extinção de esportes olímpicos: “Radical do jeito que precisa ser. Não vamos jogar com as palavras para ganhar voto. Não é a nossa. Vamos mudar. Ninguém vira Fluminense para torcer por vôlei ou tênis. Esses esportes têm história, mas temos de olhar primeiro para o clube. Ele está arriscado a ser extinto”.

Reforma estatutária: “Pretendemos fazer uma reforma estatutária grande. O sócio futebol tem de ter voz. O Fluminense não pode ter que ter 200 sócios contribuintes para assinar chapa. O futuro não pode ser decidido pelas mesmas 2 mil pessoas de sempre. O sócio futebol é a essência, tem de ser ouvido. Ele tem de votar, ser votado, ter direito de ser conselheiro. Vamos trazer essas pessoas para dentro do clube. É como o nosso projeto de voto online, que protocolamos em janeiro e não aconteceu nada”.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Tenório confirma contrato com Jackson Vasconcelos e nega vínculo com Peter: “Sempre esteve do lado contrário ao meu”

Nessa semana, o Extra divulgou que Ricardo Tenório, possível candidato à presidência do Fluminense, firmou parceria com Jackson Vasconcelos de olho na eleição de junho – provavelmente, dia 8. Diante do passado do consultor como assessor do ex-presidente Peter Siemsen, tricolores desaprovaram a união.

Procurado pela reportagem do Canal FluNews, Tenório rechaçou envolvimento com antigos clientes do profissional – um deles é, aliás, Celso Barros, à época da corrida pelo comando do clube em 2016.

– Quero deixar definitivamente claro, categoricamente, que não tenho nenhum compromisso com o Peter Siemsen e muito menos com o Pedro Abad. Em toda a minha trajetória no Fluminense, ele sempre esteve do lado contrário ao meu.

Em conversa informal, Ricardo Tenório revelou que o compromisso com Vasconcelos é somente profissional e voltado à organização de uma eventual campanha política. No começo do mês, vale lembrar, ele deixou a aliança com Mário Bittencourt e Celso Barros e, agora, busca apoio para alcançar as 200 assinaturas necessárias para lançamento de chapa.

– Jackson é um profissional que atua no mercado de campanhas eleitorais, há muitos anos, traçando suas estratégias – resumiu.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Pensando em candidatura à presidência do Fluminense, Tenório consegue parceria com ex-assessor de Peter Siemsen

A candidatura à presidência do Fluminense ainda está sendo avaliada. Porém, Ricardo Tenório vem buscando apoio político para chegar às 200 assinaturas necessárias para lançamento de chapa. Ele se desligou da aliança com Mário Bittencourt e Celso Barros.

Nessa semana, fechou parceria com Jackson Vasconcelos, ex-assessor político de Peter Siemsen, que presidiu o clube entre 2011 e 2016. O profissional é experiente em campanhas eleitorais e, inclusive, comanda uma empresa que atende partidos como PSDB, DEM, PSD e PPS.

Tenório se reuniu com Pedro Antônio, ex-vice de Projetos Especiais, e Ayrton Xerez, pré-candidato à eleição, que deve ocorrer em 8 de junho. Além disso, procurou grupos influentes nas Laranjeiras, como o Esportes Olímpicos.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: EXTRA.

Por maior tempo para campanha, eleição deve ser marcada para o fim de maio

Originalmente marcada para novembro, a eleição no Fluminense, antecipada por decisão de sócios em Assembleia Geral em janeiro, deve ocorrer no fim de maio. A princípio, a ideia de Pedro Abad era marcá-la para o dia 4. Todavia, ficou combinado, em reunião com o presidente do Conselho Deliberativo, Fernando Leite, que as datas mais apropriadas para a votação são os dias 18 ou 25 do referido mês.

Fernando Leite quer assegurar aos futuros concorrentes um prazo de 45 dias para execução de campanha. Além disso, a secretaria do clube precisa de, ao menos, três dias para conferir a listagem de 200 candidatos a conselheiros, a ser elaborada pelo cabeça de chapa.

Embora nenhuma candidatura tenha sido registrada, Mário Bittencourt e Celso Barros, aliança que sofreu a saída de Ricardo Tenório, e o ex-deputado Ayrton Xerez despontam como possíveis postulantes à presidência.

– Não existe nenhum atraso para a marcação da eleição. Ela será antecipada, algo já falado pelo presidente e decidido pelo associado. O que ocorre é que estou, em conjunto com o presidente, vendo a melhor data. Para poder usar a urna eletrônica, como feito em 2016, o TRE pede antecedência de 60 dias. Caso não possível, teremos de fazer em cédula de papel. Os 45 dias são o prazo para registro e conferência de chapas, sorteio da ordem na cédula e impressão desse material – disse Leite.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Eleição no Fluminense deve ser remarcada para maio

Realizada em janeiro e com a presença de quase 1000 sócios, a Assembleia Geral decidiu pela antecipação da eleição presidencial no Fluminense, inicialmente prevista para novembro. A ideia de Pedro Abad é marcá-la para o sábado do dia 4 de maio.

O mandatário vem planejando o pleito desde que recebeu o estatuto alterado, na última quarta-feira. A partir de segunda, ele deve se reunir com Fernando Leite, presidente do Conselho Deliberativo, para discutir a organização do processo eleitoral.

A tendência é de que Abad confirme a data ainda nesta semana, uma vez que é preciso respeitar um prazo de 30 dias entre a convocação e a eleição para permitir formação de chapas e execução de campanhas.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Top