fbpx

Não basta a troca de presidente, tem que pensar no dia seguinte


foto: Divulgação

É de conhecimento geral que o Fluminense passa por uma das maiores crises de sua centenária história. Contudo, para retornar o caminho das glórias requer uma série de medidas que
transformem a realidade, em todos os seus aspectos, para garantir a sua
perenidade, em consonância com a história vitoriosa do clube.

E essa tarefa não será simples, muito pelo contrário, será árdua e que precisará contar com a união de todos os tricolores.


O decálogo abaixo não pretende ser exaustivo, mas um guia sugestivo
para as próximas gestões do que virão a comandar o Fluminense FC.


1- Profissionalização da gestão do clube e uma Revisão do Estatuto

  • Implantação do Conselho de Administração
  • Contratação de Executivos para gestão das Unidades de Negócio
  • Contratação de C.E.O
  • Implantação de Processo de Governança, que possibilite a tomada de decisão colegiada

2- Equacionamento da dívida financeira

  • Renegociação dos passivos tributários e trabalhistas;Renegociação com fornecedores
  • Renegociação com os agentes dos jogadores

3- Reativação da sede social

  • Modernização dos bares e restaurantes
  • Revitalização do parque aquático
  • Retomada de shows e eventos culturais

4- Fortalecimento do Esporte Olímpico

  • Independência de gestão
  • Apoiar as escolinhas
  • Busca de patrocínio para , pelo menos, três modalidades que permitam competir para a subida ao pódio em nível nacional
  • Construção de um novo Ginásio

5- Modernização do Estádio das Laranjeiras

  • Jogos de porte menor
  • Viabilização de arena para 15.000 expectadores


6- Valorização do Parque das Laranjeiras ( Xerém)

  • Investimento na Estrutura Física
  • Incremento na captação de novos valores
  • Transparência nos direitos federativos
  • Gestão na fase de profissionalização, sendo o time principal o canal preferencial para aproveitamento
  • Reavaliação dos projetos existentes

7- Modernização do marketing

  • Gestão da marca
  • Utilização intensiva da internet no relacionamento com os torcedores
  • Streaming dos jogos ( futebol e olímpico) fora do circuito comercial

8- Atração de investidores e patrocinadores

  • Estudo para estabelecer o Fluminense SA
  • Busca do patrocínio máster
  • Busca de parceiros para utilização das dependências do clube nas Laranjeira

9- Redução de custos operacionais

  • Otimização do uso dos ativos ( Laranjeiras, Xerém e CT)
  • Conclusão do Centro de Treinamento
  • Estabelecimento de política salarial para os funcionários
  • Reavaliação dos serviços terceirizados
  • Uso intensivo das tecnologias de informação na gestão e no contato com sócios e torcedores

10 – Formação de time profissional competitivo para 2020, através da contratação de uma Comissão Técnica reconhecida e renomada

  • Implantação de Sistemas Constantes de avaliação
  • Modernização do sistema de gestão do futebol
  • Contratação de uma espinha dorsal para o time profissional com jogadores reconhecidos e respeitados nacionalmente
  • Utilização ampla das divisões de base na constituição do elenco

Texto enviado por: Frente Ampla Tricolor

Pedro Antônio avalia possíveis cenários e pensa em candidatura à presidência

Em outubro, Pedro Antônio renunciou ao posto de conselheiro e garantiu que não concorreria à presidência. As decisões vieram comunicadas em uma carta, na qual questionou, também, a forma como o Fluminense tem sido gerido. Contrariando a si mesmo, o ex-vice-presidente de projetos especiais, hoje, considera uma possível candidatura nas eleições que, provavelmente, ocorrerão em março.

– Mudou todo o cenário político. Então, pode até ter uma alteração (nesse pensamento). Se houver um cenário de uma eleição agora e outra em novembro, não serei candidato nesse primeiro mandato. Mas, como mudou o cenário, estou olhando. Qual o problema? Dependendo de quem ganhar, não estar aberto a um projeto maior, de futebol empresa, social forte… Se for um mandato só, de quatro anos, não sei. Ainda vou estudar melhor para tomar uma decisão – revelou, em entrevista ao Globoesporte.com. 

A antecipação do pleito, que deve ser confirmada numa Assembleia Geral a ser marcada entre o fim de janeiro e o início de fevereiro, está sujeita a ações judiciais, principalmente, por haver diferentes interpretações sobre o que diz o estatuto. Até por isso, Pedro Antônio se disse a favor de duas eleições no ano que vem – em março e novembro. Ele explicou o que entende como melhor alternativa para salvar o Fluminense do abismo financeiro.

– O clube tem que se estruturar para ter o futebol empresa separado do clube social. Fazer uma gold share, trazer investidores. Existe isso na Europa e conversei com pessoas de lá sobre isso. Tem que ter um projeto maior, para enxergar o Fluminense para 50 anos e não só para uma legislatura a mais. Estou menos preocupado com o processo eleitoral agora e muito mais preocupado em achar solução duradoura e definitiva.

Com nomes como Cacá Cardoso e Diogo Bueno, a coalizão “Fluminense Unido e Forte”, formada pelos grupos políticos MR21, Esperança Tricolor e Flu 2050, pretende levar um candidato à corrida eleitoral. Segundo o UOL, Pedro Antônio deve se juntar ao FUF, além de receber o apoio do Esportes Olímpicos, que é, como a Flusócio, aliado a Pedro Abad.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Lideranças políticas aprovam, e Abad convocará Assembleia Geral para antecipar eleições

Um encontro idealizado por Pedro Abad, que se propôs a deixar a presidência nas mãos de um nome a ser escolhido pelos sócios, reuniu 18 lideranças políticas do Fluminense na tarde desta terça-feira, nas Laranjeiras. Mário Bittencourt, Celso Barros, Ricardo Tenório e Pedro Antônio, possíveis postulantes ao cargo, compareceram à reunião.

– Fizemos uma reunião com as forças políticas do clube, 18 pessoas presentes. Poderes do clube, correntes políticas e possíveis candidatos. Para avançar em questões que norteariam essa eleição fora de época. Apesar do alto número de pessoas, tive a grata surpresa de conversas em alto nível, pessoas dispostas a convergir o máximo possível. Não é fácil ter 18 pessoas com a mesma opinião, mas a maioria caminhou no mesmo sentido. Estamos com 90%, 95% definido. Está muito próximo – revelou o presidente, em entrevista na sede.

Os presentes avalizaram a ideia de transferir as eleições, marcadas para novembro de 2019, para o início do ano. Primeiro, porém, será convocada uma Assembleia Geral, na qual conselheiros e associados votam, em até 30 dias – ou seja, entre o fim de janeiro e o início de fevereiro. Caso a maioria aprove a antecipação, a corrida presidencial ocorrerá em março, às vésperas do Carnaval.

– Esperamos rapidamente colocar o edital convocatório da Assembleia Geral para mudar o estatuto. Os sócios aprovando, teríamos a eleição. Foi uma prova de maturidade de todos aqui, falando de algo sério em um momento delicado – avaliou Abad, completando:

– Quanto aos prazos, o estatuto pede 30 dias de antecedência. Uma vez aprovada, temos que registrar a alteração e ai sim estamos aptos a convocar outra. Acreditamos que algo de 70 dias seja um prazo razoável. Queremos fazer o mais rapidamente possível.

Pedro Abad preferiu não revelar maiores detalhes, como duração do próximo mandato, em respeito ao que fora combinado na reunião. No entanto, garante que as condições para o processo ocorrer estão alinhadas.

– Não está no momento de dar detalhes sobre a decisão. Foi combinado entre a gente de não falar, até que o texto da alteração, de incluir disposição transitória esteja pronto. Você muda o estatuto e coloca do jeito que acha para o sócio decidir. Temos a nossa posição e ela está definida – finalizou.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Pedro Abad e presidente do Conselho avaliam antecipar eleições de 2019

Desgastado perante a torcida e lideranças políticas, Pedro Abad considera apressar as eleições para presidente e vice-presidente, marcadas, inicialmente, para novembro de 2019. O quadro de conselheiros, porém, seria mantido. Nesta terça-feira, o mandatário se encontrou com o regente do Conselho Deliberativo, Fernando Leite, nas Laranjeiras, para discutir a possibilidade.

Na conversa, concordaram ser preciso convocar uma Assembleia Geral, em que conselheiros e sócios-torcedores podem votar, para alterar o estatuto e transferir o pleito para março. A dúvida é se o mandato duraria apenas alguns meses, encerrando nas eleições no fim do ano que vem, ou se terminaria apenas em novembro de 2022.

Embora ainda tenha de ser aprovado por outras correntes políticas no clube, a ideia agrada a Mário Bittencourt e Ricardo Tenório, que formaram uma das chapas vencidas por Abad em 2016, e Celso Barros, igualmente derrotado na eleição passada. Aliás, o ex-presidente da Unimed se diz favorável, também, ao impeachment, que será votado nesta quinta-feira.

– Eu sei que existe essa possibilidade de isso ser discutido. Mas, para isso (a antecipação das eleições) acontecer, a proposta de mudança de estatuto tem de chegar de forma oficial na minha mão. E isso não aconteceu – disse Fernando Leite.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Top