fbpx

Celso Barros se pronuncia sobre paralisação no treino desta terça

Por Rômulo Morse


Candidato à presidência do Fluminense nas eleições de 2016 e ex-presidente da Unimed, Celso Barros se pronunciou nas redes sociais em relação ao protesto do elenco nesta terça. Ele falou sobre a situação política da instituição e solicitou a antecipação de um novo pleito.

Leia também: Dirigente diz não ter prazo para regularizar pendências financeiras

“Os jogadores do Fluminense fizeram hoje uma paralisação em razão de uma série de compromissos financeiros não cumpridos pela atual gestão do clube. Por esta razão no final de janeiro os sócios foram às urnas convocadas pelo próprio presidente e decidiram por ampla maioria pela antecipação das eleições . Pedro Abad, convoque logo as eleições. ST.”

Com folha salarial na casa dos R$ 4 milhões, o clube pagou no último dia 13 de fevereiro o que devia em relação a dezembro de 2018. Porém, ainda há pendências de três fatores: CLT (13º salário e férias referentes a 2018 e janeiro referente a 2019), direitos de imagem (novembro e dezembro de 2018 e janeiro de 2019) e a premiação do Brasileirão do ano passado e da primeira fase da Copa do Brasil.

Prazo de setembro vence, e Fluminense acumula atraso de quatro meses de DIs

Mesmo com o pagamento na CLT de agosto e de premiações pela campanha na Sul-Americana, efetuados na semana passada, o Fluminense ainda está em dívida com seus jogadores e funcionários. Com o vencimento do prazo para saldar os direitos de imagem de setembro, são, agora, quatro meses atrasados – junho, julho, agosto e setembro.

Também está em aberto o salário do mês passado na CLT. Embora prometa cumprir com seus compromissos, o presidente Abad não estipulou uma data para tal. Este problema tem sido comum nas Laranjeiras, pelo menos, desde 2017, dado o complicado cenário financeiro do clube.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

 

Amil corta plano de saúde do elenco e de funcionários, denuncia conselheiro

A crise financeira está gerando consequências que vão além do que se vê nas quatro linhas. Em razão de atraso nos pagamentos, a Amil cortou o plano de saúde do elenco e de funcionários tricolores. A denúncia, segundo o EXTRA!, partiu de Antônio Gonzalez, conselheiro ligado ao grupo ‘Unido e Forte’, contrário à gestão. O novo drama nas Laranjeiras foi, inicialmente, veiculado pelo NETFLU, ao qual o Fluminense enviou uma resposta.

– O Fluminense confirma o atraso e avisa que está trabalhando ininterruptamente para regularizar o quanto antes. Se possível antes do fim da semana. As situações emergenciais estão sendo tratadas caso a caso – diz o comunicado.

A dívida na CLT está prestes a completar dois meses, enquanto os direitos de imagem não são depositados há quase três.

Paralelamente a isto, existe, ainda, o impasse com a Sanatto, empresa terceirizada que é encarregada da limpeza nas Laranjeiras. Os atrasos sequer têm previsão de serem regularizados. O que leva funcionários a esboçar uma greve, visto que, do total de 60, apenas 10% foram ao trabalho no início da semana passada.

Em contato com o UOL, a assessoria do clube enxerga a ação como uma iniciativa de alguns empregados e, ao confirmar a pendência financeira com a parceira, ressalta que “está conversando para sanar a questão”.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fluminense consegue empréstimo e regulariza salários de maio

Na sexta-feira, o Fluminense resolveu uma parcela de um problema comum, principalmente, desde o ano passado. Os salários e direitos de imagem de maio e a carteira de quem recebe até R$ 5 mil foram pagos. A quantia usada no pagamento foi conseguida em empréstimo.

Quando o elenco se reapresentou, em 26 de junho, houve uma conversa com Pedro Abad, que prometeu sanar a dívida até 4 de julho, com chance de adiamento de mais dois dias. Antes do treino da última quarta-feira, Paulo Angioni recomendou que o presidente fosse, novamente, a encontro do grupo para informar que estava aguardando o montante ser liberado. Os atrasos têm incomodado os jogadores.

A diretoria ainda deve a CLT de junho e, no dia 15, precisa depositar o valor referente à imagem do mês passado. A falta de regularidade nos pagamentos é mais sentida por funcionários, que pedem ajuda financeira aos atletas e chegaram a ficar sem dinheiro para a passagem.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com

FluFest: clique aqui e garanta sua presença na festa de 116 anos do Fluminense!

Top