fbpx

Presidente da Ferj garante continuidade do Campeonato Carioca: “o torneio será decidido no campo”

Em meio as incertezas que pairam sobre o futebol por conta da suspensão na atividade devido a pandemia do Coronavírus, o presidente da Ferj, Rubens Lopes, concedeu entrevista ao site UOL e confirmou a continuidade do Campeonato Carioca.

De acordo com Rubinho, a própria CBF garantiu a continuidade do torneio assegurando datas para a realização das finais dos estaduais:

– O Campeonato Carioca será decidido no campo, tão logo seja possível o retorno aos treinos. Não se trabalha com essa hipótese. Até porque recebemos a afirmação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) de que serão disponibilizadas datas para finalização – disse Rubinho.

Paralisado até no mínimo o final de abril, Rubinho já projeta a volta do torneio após as férias dos atletas, acenando com a possibilidade de isolamento vertical (isolamento do grupo de risco).

– Na próxima quarta-feira, dia 1º de abril, haverá uma reunião, online, com os clubes para avaliação. Numa análise de tendências e possibilidades, prevalecendo as diretrizes do isolamento vertical (isolamento apenas do grupo de risco), haverá busca de um entendimento com os atletas para a hipótese de retomada das atividades após o retorno das férias. Tema para análise e reflexão – concluiu Rubinho

Ferj amplia suspensão do futebol carioca

A Federação de Futebol do Rio de Janeiro, a Ferj, anunciou por meio de um comunicado pelas redes sociais, a ampliação na suspensão do futebol no Estado.

A fim de manter a quarentena por conta da luta contra a disseminação do Coronavírus, a Federação de Futebol carioca ampliou a suspensão de todas as atividades até 30 de abril.

Vale destacar que existe a possibilidade de uma nova ampliação do calendário no futebol, caso haja uma proliferação em massa do vírus, que até a tarde desta quinta-feira (26) já havia matado 77 brasileiros em diversos estados do país.

FERJ: cancelamento de suas competições

Nesta terça-feira (24), a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (FERJ) anunciou o cancelamento de suas competições. De acordo com a FERJ, essa decisão foi tomada em razão a pandemia do novo coronavírus.

São 11 competições canceladas, confira a lista:

Campeonato Estadual Feminino Sub-14
Campeonato Estadual Feminino Sub-16
Taça Cidade Maravilhosa de Profissionais
Torneio Guilherme Embry
Torneio Otávio Pinto Guimarães
Copa Rio de Profissionais
Campeonato Estadual da Série C de Profissionais
Campeonato Estadual da Série C Sub-20
Campeonato Estadual da Série C Sub-17
Campeonato Estadual da Série C Sub-15
Copa Amador da Capital Sub-13

Caso o Campeonato Carioca não volte, regulamento prevê Fluminense campeão, entenda

Por conta da pandemia do coronavírus, o estadual 2020 está, à princípio,
paralisado pelas próximas duas semanas, mas existe o risco de ele ser encerrado de vez. Isso porque, não se tem uma previsão exata de quanto serão retomadas as partidas. Caso isso ocorra, fica uma dúvida, haverá campeão? Se sim, quem seria?

Mesmo o Flamengo tendo conquistado a Taça Guanabara (1° turno), ao observar o regulamento, conclui-se que, confirmada a interrupção do Estadual, o Fluminense é quem seria declarado o campeão

Isso porque, segundo determina o artigo 43 do Regulamento do Campeonato Carioca, se, por quaisquer motivos, não houver as partidas finais, será declarado o campeão aquele que estiver, no momento da interrupção, somando o maior número de pontos. Complementa ainda, o artigo 44 que diz que “os pontos das partidas (…) das semifinais e final da Taça Guanabara, das semifinais e final da Taça Rio e da final do campeonato, não serão computados para a apuração da classificação geral. Por tanto, s pontos nas vitórias sobre Flu (3×2) e Boa Vista (3×1), na semi-final e final do 1° turno não serão computados para o time da Gávea.

Sendo assim, neste momento o Tricolor é o líder geral da competição com 24 pontos, seguido do rubro-negro que soma 22 pontos.

Após este período de duas semanas, a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ) irá promover uma reunião para definir o futuro do Carioca 2020. Se haverá uma extensão da paralisação, reinicio do estadual ou até mesmo o fim antecipado.

Fonte: Revista Esportiva
Foto: Divulgação

Em seu blog PVC destaca “Palmeiras, Botafogo e Fluminense foram os líderes do bom senso”

O jornalista Paulo Vinicius Coelho destacou as posições de liderança das equipes para que houvesse a paralisação dos estaduais de Rio e São Paulo, diante da pandemia que afeta não apenas o esporte, mas todas as esferas da sociedade no âmbito mundial.

Após as rodadas do último final de semana dos campeonatos estaduais, as federações, que tinham a autonomia por parte da CBF para decidir o futuro de suas competições, optaram pela suspensão dos jogos.

Nesta segunda-feira, a Federação Paulista de Futebol (FPF) anunciou pela manhã a paralisação do Paulistão. Já a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ), após três horas de reunião, seguiu o mesmo caminho.

Entretanto algo que teoria parecia ser apenas uma reunião para bater o martelo e determinar os cancelamentos das partidas, se tornou uma polêmica. Isso porque, houve quem divergisse e fosse favorável a continuação dos torneios, o que gerou motivos de criticas e até mesmo indignação por parte da mídia jornalistica.

Clubes como Santos, São Paulo, Flamengo e Corinthians (que só mudou de opinião após ter seu jogador Luan submetido a exames para saber se portava o corona vírus) foram contrários a paralisação do Paulistão e do Carioca. Enquanto Fluminense, Botafogo e Palmeiras insistiram na suspensão por tempo indeterminado das competições.

A sugestão para a continuação seria a antecipação das últimas rodadas das fases de grupos do Campeonato Paulista e Taça Rio, restando apenas o mata-mata. Para os clubes pequenos, o principal argumento era em relação aos contratos dos jogadores, pois, a ideia era liberar os atletas cujos contratos terminam no final do estadual. E a paralisação obriga a uma renovação mesmo sem haver calendário, para algumas equipes, no segundo semestre

PVC destaca ainda que “as posições de liderança de Palmeiras, Botafogo e Fluminense foram decisivas para os campeonatos de São Paulo e Rio de Janeiro não passarem pelo ridículo de não serem paralisados”

Fonte: globoesporte.com

Coronavírus: reunião entre clubes e FERJ determina paralisação do Campeonato Carioca

A reunião de mais de três horas entre clubes e FERJ, na manhã desta segunda-feira, determinou a paralisação por 15 dias do Campeonato Carioca e das demais competições organizadas pela entidade. Convidado para o encontro, o infectologista Celso Ferreira Ramos Filho avisou que não há a garantia de melhora do cenário nas próximas semanas.

Entre os clubes grandes, o Flamengo, num primeiro momento, se colocou contra a suspensão, mas acabou votando a favor. Houve unanimidade na decisão tomada em prevenção à pandemia do coronavírus.

De acordo com o GloboEsporte.com, o presidente Mário Bittencourt se posicionou contrário à disputa de jogos com portões fechados, como no clássico com o Vasco, domingo, no Maracanã, e revelou ter conversado com um jogador que expôs a opinião do elenco do Fluminense. O receio dos atletas é com a saúde da família.

Publicado por: Nicholas Rodrigues.

Após decretar portões fechados, Ferj alerta para que torcedores não se aglomerem fora dos estádios

Na tarde da última sexta-feira (13), a Ferj, decretou que as próximas rodadas do Campeonato Carioca será com portões fechados, começando já neste final de semana.

Já neste sábado, a federação voltou a se pronunciar a respeito das recomendações e alertou para que os torcedores também não se concentrem nos arredores dos estádios.

FERJ detalha agenda do Fluminense na Taça Guanabara

Foram definidos pela FERJ os dias, horários e locais dos jogos do Fluminense na Taça Guanabara de 2020. A estreia do Time de Guerreiros será no dia 19 de janeiro, contra a Cabofriense, em Bacaxá.

No primeiro turno do Campeonato Carioca, os confrontos acontecem entre equipes de grupos diferentes. O Tricolor integra o grupo B, ao lado de mais cinco clubes – um deles ainda vai ser definido na Seletiva. Os dois melhores colocados de cada chave fazem as semifinais e final. Clique aqui para mais detalhes da nova edição do torneio.

As transmissões, em sua maioria, serão pelo Premiere. Ao menos na fase de grupos, apenas o duelo frente ao Boavista vai passar na TV Globo.


1ª rodada

19/1 (Domingo) – 19h – Cabofriense x Fluminense – Elcyr Resende (Transmissão: SporTV/Premiere)

2ª rodada

23/01 (Quinta-feira) – 20h – Fluminense x 1º Seletiva – Maracanã (Transmissão: Premiere)

3ª rodada

26/01 (Domingo) – 19h – Bangu x Fluminense – Moça Bonita (Transmissão: Premiere)

4ª rodada

30/01 (Quinta-feira) – 20h30 – Flamengo x Fluminense – Maracanã

5ª rodada

02/02 (Domingo) – 16h – Fluminense x Boavista – Maracanã (Transmissão: Globo/Premiere)

6ª rodada

09/02 (Domingo) – 16h – Fluminense x Botafogo – Maracanã (Transmissão: Premiere)


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fluminense se opõe, mas clubes e FERJ aprovam fórmula do Carioca 2020; veja grupos e 1º adversário

O Campeonato Carioca ganhou nessa segunda-feira uma nova fórmula de disputa para 2020 – aprovada pela maioria dos clubes e pela FERJ, mas contrariada unicamente pelo Fluminense. A edição, que começa no dia 22 de janeiro, terá 12 participantes divididos em dois grupos.

  • Primeiro turno: duelos entre equipes de grupos diferentes
  • Segundo turno: duelos entre equipes do mesmo grupo

Nas taças Guanabara e Rio, os dois melhores colocados de cada chave fazem as semifinais e final. A decisão do geral apresenta novidade: se um time vencer os dois turnos, será o campeão carioca. Com uma ressalva.

Se um clube que não conquistou nenhuma das etapas possuir número de pontos superior (considerando o torneio inteiro), disputará a finalíssima em duas partidas frente ao vencedor dos dois turnos, com quem fica a vantagem do empate. Em caso de um campeão por turno, eles duelam pelo título em dois confrontos e sem “regalia” para lado algum.

Todos os clássicos, semis e finais terão árbitro de vídeo, com uma novidade proposta pela federação: permanência de representantes dos rivais na sala de exibição do VAR.

Também ficou acertado que os duelos decisivos acontecerão apenas em estádios com capacidade acima de 40 mil lugares: Nilton Santos e Maracanã.


GRUPOS E ESTREIA DO FLUMINENSE

Foi definido que o primeiro adversário do Tricolor, localizado no grupo B, será a Cabofriense, fora de casa. Ainda não há local, data e nem horário confirmados.

  • Grupo A: Flamengo, Botafogo, Bangu, Cabofriense, Boavista e x (América, Americano, Friburguense, Macaé, Nova Iguaçu e Portuguesa).
  • Grupo B: Vasco, Fluminense, Volta Redonda, Resende, Madureira e y (América, Americano, Friburguense, Macaé, Nova Iguaçu e Portuguesa).

FLUMINENSE NO CARIOCA 2019

Nesse ano, o Time de Guerreiros chegou à final da Taça Guanabara, mas perdeu para o Vasco por 1 a 0 em jogo marcado por queda de braço entre as diretorias sobre lado das torcidas, culminando na determinação judicial para portões fechados. Entretanto, quando a bola já rolava, a Justiça permitiu a entrada de torcedores.

O Fluminense ainda caiu para o Flamengo, por 2 a 1, na semifinal da Taça Rio. E, na fase final, empatou em 1 a 1 com o Rubro-Negro, sendo eliminado em razão da vantagem dada ao adversário pelo primeiro lugar na classificação geral.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fluminense x Santos: STJD julgará Ganso e Oswaldo por discussão e mais três jogadores por expulsões; veja pacotão de denunciados

Os diversos episódios que marcaram o empate em 1 a 1 entre Fluminense e Santos, no dia 26 de setembro, ainda devem render problemas aos clubes. Por causa da briga à beira do campo, Paulo Henrique Ganso e Oswaldo de Oliveira foram denunciados pelo STJD e serão julgados com base no Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) a partir das 11h30 da próxima segunda-feira.


Ganso: responderá por “ofender alguém em sua honra” e, além de multa de R$ 100 a R$ 100 mil, pode ser suspenso por até seis jogos.

Oswaldo: responderá por “ofender alguém em sua honra” (suspensão de até seis jogos e multa de R$ 100 a R$ 100 mil) e por “provocar a torcida” (suspensão de dois a seis jogos) em gesto obsceno ao deixar o campo.


O duelo terminou com três jogadores a menos em razão de expulsões: Digão e Frazan, pelo Fluminense, e Marinho, pelo Santos, passarão por julgamento. O capitão atingiu com o pé o rosto de Marinho, enquanto o jovem zagueiro derrubou o mesmo adversário com carrinho. O santista, por sua vez, cometeu falta dura em João Pedro.


Digão: responderá por “agressão” e pode ser suspenso por quatro a 12 jogos.

Frazan: responderá por “jogada violenta” e pode ser suspenso por até seis jogos.

Marinho: responderá por “conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva” e pode ser suspenso por até seis jogos.


Por fim, o próprio clube e profissionais de seus bastidores foram indiciados por ocorridos naquela quinta-feira no Maracanã. Acontece que a equipe de arbitragem, na saída para os vestiários, ouviu de tricolores ofensas como “vagabundos, safados, pilantras…”, segundo a súmula. Além disso, até um gandula e a FERJ vão ser julgados.


Fernando Simone (gerente de futebol), Rodrigo Henriques (supervisor) e Allan Neiva (auxiliar de supervisão): responderão por “ofender a equipe de arbitragem” e, além de multados de R$ 100 a R$ 100 mil, podem ser suspensos por 15 a 90 dias.

Fluminense: responderá pela “conduta de seus integrantes” (multa de até R$ 10 mil) e pelo comportamento de gandula (multa entre R$ 100 e R$ 100 mil).

George Allan Nascimento Moura (gandula): responderá “por não cumprir a determinação de reposição de bola” e pode ser multado.

FERJ: responderá pelo comportamento do gandula e pode ser multada de R$ 100 a R$ 100 mil.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Saudações Tricolores.

Top