fbpx

Fernando Pacheco fala sobre sua rotina longe dos familiares

Com a paralisação das competições, como medida de prevenção contra a pandemia do coronavírus – o período de isolamento – vem sendo duro para atletas estrangeiros. É o caso do atacante peruano Fernando Pacheco, que chegou ao Fluminense no início deste ano e vive a sua primeira experiência internacional da carreira. Aos 20 anos, o atleta falou sobre sua experiência de viver sozinho, longe da família durante a quarentena.

– Me afastar da minha família tão jovem foi um passo bastante duro para mim, mas senti que era importante para a minha carreira. Hoje estou realizando um sonho, mesmo com a minha pouca idade. Tenho passado por muitos momentos bons no futebol e na vida, tanto no meu clube anterior como agora no Fluminense – disse Pacheco. 

Antes da suspensão dos campeonatos nacionais, o jogador marcou seu primeiro gol com a camisa tricolor e também deu detalhes como tem sido a sua rotina no período de quarentena.

– O que venho vivendo no Brasil é muito especial. Morar sozinho é uma etapa complicada na vida de um jovem, mas acredito que ajuda no amadurecimento. O importante é saber que podemos contar com a família e amigos. Sempre estou em contato com as pessoas queridas, também vejo muitas séries, filmes, jogo alguma coisa no meu tablet. Quando sinto muitas saudades fico assistindo vídeos antigos no meu celular. Isso faz com que eu esteja um pouco mais tranquilo e não sinta tanta falta. Estar sozinho é um aprendizado – comentou.

Confira o Vídeo:

Fonte: Lance!

Foto Reprodução: Lucas Merçon/FFC

O início de Fernando Pacheco com a camisa Tricolor

Aos 20 anos, Fernando Pacheco é tratado como uma grande promessa do futebol Peruano – o atacante defendeu seu país no Pré-Olímpico deste ano. O jogador está em fase de adaptação no futebol brasileiro e ao estilo de jogo do Fluminense, proposto pelo técnico Odair Hellmann.

Pacheco fez seu primeiro gol pelo Fluminense, na sua oitava partida – maioria entrando no decorrer das partidas – como foi o caso no último domingo (15), quando substituiu Marcos Paulo. Fernando Pacheco poderia ter balançado as redes bem antes do confronto contra o Vasco, na sua segunda partida pelo Tricolor, o atacante marcou diante do Flamengo, só que estava em posição de impedimento, mas no mesmo clássico contribuiu com assistência para o gol de Evanilson.

O atacante foi titular em apenas dois jogos. No primeiro, foi contra o Moto Club, no Maranhão, pela Copa do Brasil, e foi substituído no intervalo pelo Marcos Paulo. Já contra o Resende o peruano começou na vaga de Evanilson, que estava sendo poupado, nesse jogo, o atacante se destacou e deu passe para o gol de Wellington Silva, na goleada de 4 a 0.

O técnico Odair Hellmann explicou a fase de adaptação do jogador.

– O Pacheco é mais vertical. A gente está trabalhando com ele, que está passando por fase de adaptação, como passa também o Michel Araújo. No país dele, jogava de uma forma, pela Seleção, ele esperava a bola longa na ponta e puxava o contra-ataque. Aqui ele precisa participar de um jogo de posse, de troca de passe. Com o adversário recuado, ele vai ter que trabalhar a bola, construir.

Nenê que é o mais experiente do grupo, vibrou com o gol de Fernando Pacheco e avaliou a adaptação do jogador.

– A adaptação dele está sendo muito boa. É um cara bem tranquilo. Tanto ele, quanto o Michel Araújo. A gente procura dar maior liberdade para eles estarem integrados o máximo possível. Então fico feliz, é um cara trabalhador, treina bem e a gente sabe que precisa de todo mundo. Quem entra também faz a diferença e isso aconteceu. Fico feliz pelo primeiro gol dele, ainda mais em um clássico importante.

O Peruano foi contratado em janeiro deste ano, custou 700 mil dólares (na época R$ 2,8 milhões) por 50% dos direitos econômicos do jogador. O restante fica com o Sporting Cristal, clube pelo qual o atacante foi revelado e defendeu desde 2016.

Fonte: Lance!

Foto Reprodução: Lucas Merçon/FFC

Top