fbpx

Fluminense não virava uma partida oficial em que perdia por três gols de diferença desde 31 de agosto de 1941.


Foto: FFC

Em partida válida pelo segundo turno do Campeonato Carioca de 1941, no Estádio de Laranjeiras, o Fluminense venceu o America por 4 a 3, após estar perdendo por 3 a 0. A vitória na época foi fundamental, para manter a distância para o líder Flamengo em apenas 4 pontos. Com dois gols de Plácido e um de Hamilton, o America abriu 3 a 0 aos 26 minutos do primeiro tempo, bem parecido com a partida para de ontem. Aos 32, o Fluminense teve a chance de descontar, com um pênalti, mas o Goleiro Rubro defendeu a cobrança de Norival. Aquela tarde de agosto de 41 parecia mesmo destinada a ser um desastre. Porém, o impossível não existe para o Tricolor. Aos 36, Pedro Nunes marcou o primeiro gol do Fluminense, de cabeça, em assistência de Norival. No último lance do primeiro tempo, Tim chutou forte, de dentro da área, para diminuir o placar para 3 a 2. Aos cinco do segundo tempo pênalti para o Flu que Tim converteu, empatando o jogo. Aos 24, Carreiro cruzou rasteiro e Tim fez o gol da virada épica: Fluminense 4 a 3! Aquele timaço tricolor, que conquistara 4 dos 5 Campeonatos anteriores, seguiria firme na perseguição ao Flamengo, rumo a mais um título (que seria conquistado com um ponto de vantagem sobre o rival rubro-negro). Esta partida contra o America era, até ontem, a maior virada da história do Fluminense.

Fonte: Blog Jornalheiros

ST,

Guga Assis

Fluminense inaugura espaço literário nas Laranjeiras

 Em parceria com a Liga Retrô e com o escritório de arquitetura Flavio Hermolin e Flavio Bassan, o Fluminense inaugurou, nos últimos dias, um espaço literário nas Laranjeiras. 

A novidade, montada na Sala de Troféus, dispõe aos tricolores um acervo com dezenas de livros e coleções das revistas Fluminense, Placar e Manchete, itens que podem auxiliar em eventuais pesquisas. 

– Esse era uma demanda antiga de sócios e torcedores. Agora, pesquisadores, historiadores, jornalistas e cineastas, que procuram o Flu-Memória regularmente, terão um espaço para as pesquisas.

Autores de obras dedicadas ao clube têm liberdade para, se quiserem, doar exemplares. Os livros são de propriedade do Fluminense e, assim, é proibida a retirada do ambiente. 

Publicado por: Nicholas Rodrigues.

 

Top