Renda do Fla-Flu gera doação de mais de 300 cesta para funcionários do clube

O sucesso de vendas dos ingressos virtuais do Fla-Flu de 1995, reprisados no último domingo (17) pela TV Band, rendeu ao clube a oportunidade de adquirir cerca de 429 cestas básicas, na qual foram distribuídas 340 na tarde desta quarta-feira (20) aos funcionários do clube.

A ação tinha como objetivo alcançar funcionários que recebem até quatro salários, onde os que têm filhos com menos de seis anos ainda receberam itens especiais para a criançada.

De acordo com o clube a programação de retirada seguiu logística montada dentro das orientações dos órgãos governamentais para evitar a proliferação do coronavírus (COVID-19). A entrega aconteceu em Laranjeiras e Xerém.

Foto em destaque: Divulgação/FFC

Flu doa cestas básicas para funcionários do CT Carlos Castilho

Para ajudar no pagamento de funcionários que receberão menos por conta da pandemia do novo coronavírus, diretores, gerentes e prestadores de serviço do Flu aceitaram a redução salarial de 15%. Além disso, a comissão técnica juntou-se a fim de doar cestas básicas para empregados humildes, do CT Carlos Castilho (que está fechado desde o dia 16 de Março).

Essa ação não é pontual, isso porque já se repetiu em outros momentos de dificuldade financeira do clube.

Atualmente, o Fluminense ainda não conseguiu pagar os salários de fevereiro e os funcionários PJ ainda não receberam 20% do mês de janeiro. Assim, alguns estão tendo que contar com a solidariedade para seguir vivendo normalmente mesmo com o coronavírus.

Com o Campeonato Carioca suspenso até o fim de abril, na última sexta-feira o Fluminense prorrogou a paralisação de todas as atividades do clube por tempo indeterminado.

Diretores e gerentes do Flu abrem mão de parte salário para ajudar aos funcionários

Diante da pandemia em torno do Coronavírus, que “obrigou” o clube a paralisar toda sua atividade, Diretores e gerentes do clube vão abrir mão de cerca de 15% dos seus salários para ajudar no pagamento dos funcionários que ganham menos no clube.

A informação foi passada pela reportagem da rádio Globo/CBN, que confirmou ainda que a inciativa partiu dos próprios profissionais, se estendendo até que a pandemia do coronavírus normalize as atividades no clube.

Vale ressaltar que a medida alivia um pouco a situação do clube que já vinha passando por dificuldades em relação aos pagamentos desde o ano passado, tendo o agravante agora da crise do Coronavírus, que deve impedir receitas importantes no clube, como: receitas de bilheteria, adesão de novos sócios e até mesmo os royalties nas vendas do novo uniforme, produzido pela Umbro.

Com isso, a medida é vista de forma essencial no clube, pois pode salvar o emprego de muita gente que passa por dificuldades e tem no salário que recebe do Flu sua única fonte de renda.

Zerou: Fluminense paga segunda parcela do 13° aos funcionários do clube

Uma das promessas de campanha do atual presidente Mário Bittencourt vem sendo cumprida a risca pelo mandatário: o pagamento dos salários e, a nova diretoria vai conseguir passar o ano de 2019 em dia com os funcionários.

No penúltimo dia do ano, última segunda-feira (30) a diretoria acertou a segunda parcela do 13°, fazendo com que desta forma passe o ano em dia com os funcionários do clube, uma vez que o mês dezembro vence apenas no quinto dia útil de janeiro de 2020.

Só para se ter uma ideia do tamanho do esforço para se regularizar os salários, essa foi a 11° folha paga pela atual gestão, o que sinaliza uma média de quase duas folhas salarias pagas por mês.