fbpx

Semelhança física entre Ganso e Dodi é motivo de brincadeira no elenco

Os jogadores Ganso e Dodi vem sendo o alvo preferido das brincadeiras no elenco Tricolor. O motivo? A semelhança física entre os dois, que sempre faz com que os companheiros de time peguem no pé e façam inúmeras brincadeiras. 

Dodi e Ganso (Foto: Thayuan Leiras/GloboEsporte.com)

E o que já era rotina no dia a dia de ambos, ganhou ainda mais força após Martina, filha do volante Dodi confundir o pai com o Ganso. Num vídeo que circula na internet, a filha do volante ao ver o Ganso, pensa que o camisa 10 Tricolor é seu pai, o que deixou Dodi e Ganso sem argumentos para negar as semelhanças. ‘Pior que é verdade. Tem um vídeo que minha esposa gravou. Aparaceu o Ganso e ela começou a chamar de papai, achou que era eu.’, contou Dodi.

O vídeo foi gravado pela esposa de Dodi, Carol Pasa, que registrou as reações da filha do casal, que logo que viu o meia Paulo Henrique Ganso começou a dizer ‘papai’.  

Em tom bem humorado, Ganso cravou logo: ‘Sou muito mais bonito que ele’. Já Dodi, disse que apesar de muito falaram numa semelhança entre eles, ele não vê nada disso. ‘O pessoal fica falando aí, mas eu não acho parecido não’, ressaltou ele.  

Petkovic reprova gesto e dá nota 1 para Ganso no Fla-Flu: “Não pode fazer o que fez”

No “Seleção SporTV” desta quinta-feira, os comentaristas avaliaram personagens do Fla-Flu que levou os rubro-negros à final da Taça Rio. Paulo Henrique Ganso virou assunto na mesa, mas por uma razão da qual não deve se orgulhar. Numa noite apagada em campo, o meia se envolveu em uma confusão com o quarto árbitro e tomou cartão vermelho. Segundo a súmula, o meia empurrou e xingou o juiz reserva.

– Avaliei o Ganso pelos dois jogos. Esse jogo ele foi mal e o próximo (eventual semifinal do Carioca) não vai entrar em campo porque foi expulso. Ele não pode fazer o que fez com a experiência que ele tem – disse Petkovic.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Substituído contra o Boavista, Ganso nega problema físico: “É para se preservar”

Aos 29′ do segundo tempo, Paulo Henrique Ganso pediu substituição por causa de uma pancada sofrida durante a goleada por 3 a 0 sobre o Boavista, nesta quinta-feira, em Saquarema. Porém, ele, em entrevista ao SporTV, negou que seja um problema mais sério e, assim, deve jogar seu primeiro clássico pelo Fluminense, domingo, contra o Botafogo, pela Taça Rio.

– Só uma pancada de leve, é para se preservar e colocar todo mundo para jogar também, o que é importante para o grupo.

No fim de semana, inclusive, o Alvinegro promoverá a estreia de sua principal contratação para 2019, o meia Diego Souza, ex-Tricolor. Ganso se esquivou de possíveis comparações com o rival, mas o elogiou.

– São estilos diferentes. Diego Souza também é um grande jogador. É bom para o futebol do Rio e do Brasil ver grandes jogadores atuando dentro do campo.

A semana será cheia para Fernando Diniz e seu elenco. Pega o Bota e, na próxima quinta-feira, encara o Antofagasta no Chile, pela Sul-Americana, após o 0 a 0 no Rio, em fevereiro. Encerra a maratona com um confronto com o Flamengo.

– A gente se prepara para isso: grandes jogos, clássicos. Temos um jogo decisivo pela Sul-Americana. Pena que eu não posso jogar esse, mas vou ficar na torcida para a gente passar e jogar na segunda fase – concluiu o camisa 10.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

 

Paulo Henrique Ganso desconversa sobre Nenê e espera parceria com Pedro

Impressionando nesses primeiros meses, o Fluminense deve ganhar reforços que prometem elevar o nível técnico da equipe comandada por Fernando Diniz. Em recuperação de lesão no joelho, sofrida em agosto passado, Pedro tem retorno previsto para maio, quando, enfim, poderá ser municiado pela principal contratação para 2019, Paulo Henrique Ganso.

– Espero que ele possa estar presente com todo mundo. Ele está treinando ainda sozinho com bola, mas estou ansioso para que ele possa estar com todo o grupo – disse o meia.

Nenê, contratado por dois anos, deve fechar o elenco para o primeiro semestre. Após o jogo deste domingo, Ganso desconversou sobre a negociação e, como em entrevista durante a semana, abriu as portas do clube para o colega.

– Não sei nem se fechou. Pessoal do clube que pode falar. Se vier, será muito bem recebido. Vai encontrar um ambiente que todo jogador quer encontrar.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Ganso associa bom desempenho à felicidade no Fluminense: “Jogo com a cabeça tranquila e mais solto”

Luciano recebeu passe açucarado dos pés de Paulo Henrique Ganso para marcar o segundo neste domingo, contra a Cabofriense. O meia ainda esbanjou qualidade técnica em diversos lances, servindo, inclusive, como garçom em jogadas que quase terminaram em gol. Sucesso que ele associa à felicidade no Fluminense.

– A gente vai evoluindo a cada partida, ficando mais solto dentro de campo. Espero melhorar sempre. Quando se está feliz, você joga com a cabeça mais tranquila, mais livre dentro de campo. Isso faz bem para todo mundo.

Poderia completar a grande exibição com uma bola na rede, o que por pouco não aconteceu. Por outro lado, o camisa 10 arrancou comemorações das arquibancadas com a categoria que o consagrou nos tempos de Santos.

– Até antes da chegada no aeroporto, o pessoal já mandava muitas mensagens… Só posso retribuir jogando bem dentro de campo. Fazemos nosso papel no dia dos jogos e esperamos que o torcedor possa apoiar sempre, em todos os momentos. Independentemente do que acontecerá durante a temporada – disse.

Ganso estreou há duas semanas e completou quatro jogos com a camisa verde, branca e grená. De novo, ficou os 90 minutos em campo, mesmo após longo período longe dos gramados. Ele diz que está se divertindo na nova casa, mas reforça a necessidade de evoluir.

– Tenho que melhorar a cada partida, junto com nossa equipe, porque daqui a pouco virão jogos bem complicados e temos que estar preparados para isso. Não me surpreendeu (jogar os 90 minutos) porque eu me cuido bastante, já vinha treinando para isso. Estou feliz por poder jogar sempre os 90 minutos e estar me divertindo em campo.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fã de Ganso, centroavante do Ypiranga-RS celebra jogo contra o Fluminense: “Saio de campo honrado”

Embora eliminado da Copa do Brasil na quarta-feira, o centroavante Jackson, que joga no Ypiranga-RS, deixou o Rio de Janeiro com sonhos realizados. Ele, que era pedreiro, se revelou fã de Paulo Henrique Ganso, reforço anunciado em janeiro pelo Fluminense.

– Vi o Ganso jogar no Santos e na seleção brasileira e largava tudo. Vim para o futebol em 2017, tenho só dois anos de profissional. A inteligência que ele tem, a qualidade, são poucos no mundo que têm. Falei para ele que tenha fé em Deus, que vai honrá-lo.

Após a goleada por 3 a 0, na qual o camisa 10 marcou seu primeiro gol pelo clube, de barriga, Jackson cumprimentou o craque e, em entrevista à TV Globo, ainda incrédulo, comemorou o encontro e o jogo no principal estádio brasileiro.

– Sou privilegiado. Eu saio de campo honrado por jogar contra os caras e contra o Ganso. Sou um cara realizado. Sempre quis jogar no Maracanã, ainda mais contra essa fera aí.

Logo em seguida, veio a resposta de Ganso à declaração curiosa do rival.

– É gratificante ter muita gente que torce por mim. Já tem um menino ali esperando a camisa, que eu tinha prometido. Fico muito feliz.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

 

Ganso comemora primeiro gol pelo Fluminense e afirma: “Foi histórico para mim”

Foto: Divulgação / FFC

De barriga, meia marcou o terceiro gol do Tricolor na vitória por 3 a 0 sobre o Ypiranga-RS

Nesta quinta-feira (07), Paulo Henrique Ganso concedeu entrevista coletiva no CTPA. O meia, que marcou seu primeiro gol com a camisa do Fluminense no triunfo por 3 a 0 sobre o Ypiranga-RS, em duelo válido pela segunda fase da Copa do Brasil, comemorou muito o tento e se disse realizado. Porém, fez questão de minimizar seu gol de barriga, deixando claro a diferença de importância em relação ao episódio protagonizado por Renato Gaúcho, em 1995.

A felicidade foi grande em marcar o primeiro gol. Espero que seja o primeiro de muitos. Foi uma boa recordação (gol de barriga). Mas já deixei bem claro: o gol do Renato deu o título para o Fluminense, enquanto o meu deu apenas uma classificação para o Fluminense“.

Nunca tive contato com o Renato (Gaúcho). Tem o campeonato brasileiro e a gente vai acabar se encontrando. Ele é um grande treinador e tem uma carreira brilhante“.

Ganso também falou sobre o estilo de jogo imposto pelo time de Fernando Diniz, ressaltando a necessidade de se cuidar fisicamente e saber a hora de se preservar para sempre estar a disposição do treinador.

É um estilo de jogo que treinamos bastante, para ter a bola em nosso favor. E assim podemos criar mais chances de gol e dar menos chances ao adversário“.

A gente se preocupa muito com isso. Não sou mais um garoto, mas cuido muito do meu físico, do meu corpo para poder jogar os 90 minutos todos os jogos. Ontem já estava praticamente definida a classificação, conversamos e preferi sair“.

Perguntado sobre como imaginou seu primeiro tento com a camisa tricolor, o jogador de 29 anos disse não ter pensado muito sobre, mas afirmou ter sido histórico por toda a mística em torno do ‘gol de barriga’. Além disso, comemorou o fim do jejum de gols.

Não cheguei a imaginar como seria esse gol. Até tentei de falta, que poderia ser de fora da área. Mas a felicidade foi enorme de marcar o primeiro gol. Ainda mais da forma que foi. Guardada as devidas proporções, foi histórico para mim“.

Se fiz 2 ou 3 jogos de 90′ foi muito. Quando você está feliz como hoje estou, é completamente diferente do que passei nesse período. Eu jogava, mas não estava feliz comigo mesmo. Acho que é por isso que não tinha conseguido fazer gol“.

Sobre o restante da temporada e a possível chegada de Nenê, Ganso disse ser necessário pensar jogo a jogo e destacou o ambiente positivo no elenco do Fluminense.

Difícil projetar o que será a temporada. Temos que pensar a cada jogo. O jogo mais importante agora é domingo. Depois o é o próximo. Futebol tem que pensar sempre em vencer. Se Nenê vier será muito bem recebido. Todos sabemos da qualidade dele. Encontrará um ambiente muito bom no Fluminense“.

Por fim, o camisa 10 avaliou seus primeiros momentos no clube das Laranjeiras. O meia disse estar muito feliz e contente em vestir a camisa do tetracampeão brasileiro.

Estou curtindo, muito contente. Sabia que era um ambiente muito bom. Só posso dizer que estou muito feliz. Espero me divertir a cada mais dentro de campo com meus companheiros“.

Ganso marca gol de barriga sobre o Ypiranga-RS e recorda 1995: “Decidiu título para a gente”

Paulo Henrique Ganso marcou seu primeiro gol pelo Fluminense à melhor maneira: de barriga, como Renato Gaúcho no histórico clássico com o Flamengo no Campeonato Carioca em junho de 1995. Foi na goleada por 3 a 0 sobre o Ypiranga-RS, nessa quarta-feira, no Maracanã, que garantiu a classificação à terceira fase da Copa do Brasil.

– Gol histórico (o de 1995), mas tem grande diferença. Um decidiu o título para a gente, e hoje eu pude ajudar na classificação. É ótimo. Conseguimos nosso objetivo, que era vencer e classificar. Cumprimos nossa obrigação e agora é pensar no jogo de domingo e nos próximos. Espero que nos próximos jogos possa marcar mais gols – declarou o meia.

O camisa 10 deixou o campo no fim do segundo tempo alegando cansaço. Após ficar sem jogar desde o início de dezembro, ele estreou com a camisa verde, branco e grená no dia 22, enfrentou o Resende, dia 1º de março, e chegou ao terceiro jogo desde a sua contratação.

– Estou só um pouco cansado e preferi sair. Sobre a nossa sequência, o time vai melhorando a cada partida, e a gente tem que vencer sempre – explicou.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Diniz projeta Ganso e Nenê jogando juntos e explica interesse em são-paulino: “Precisamos de elenco”

Fluminense e São Paulo ainda negociam a transferência de Nenê, de 37 anos, para Laranjeiras. Reserva com o técnico-interino Vágner Mancini, o meia agrada aos tricolores desde janeiro e pode ser liberado, mas com uma contrapartida aos são-paulinos: ou uma troca (especulou-se envolver Marquinhos Calazans, algo que a diretoria carioca rechaçou) ou pagamento integral dos salários.

Após a classificação sobre o Ypiranga-RS, quarta-feira, Fernando Diniz confirmou que permanece interessado na contratação, mesmo depois de mais um desacerto nas conversas. Ele, inclusive, chegou a projetar uma dupla no meio entre Ganso e Nenê por apresentarem características diferentes.

– Para mim, claramente, o interesse continua. É um grande jogador, com característica particular. Não o vejo parecido com o Ganso. Os dois só são canhotos. Ganso é o armador clássico, Nenê é o meia-atacante que chega na área com mais mobilidade. Acho que conseguimos colocar os dois para jogar. Além disso, a temporada é longa e precisamos de elenco para os jogos que temos para disputar.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fernando Diniz vê Ganso evoluindo e elogia Fluminense em goleada

Nessa quarta-feira, o Fluminense despachou o Ypiranga-RS com uma goleada por 3 a 0, no Maracanã. Foi nesse duelo que Paulo Henrique Ganso marcou seu primeiro gol com a camisa verde, branco e grená – e, curiosamente, de barriga, como Renato Gaúcho em 1995. O desempenho hoje agradou a Fernando Diniz, que vê o meia cada vez mais entrosado com a equipe.

– Fazer gol é sempre importante, porém, mais importante ainda foi como evoluiu no jogo de hoje. Ele já tinha treinado melhor. É um cara diferente, muito inteligente. Assimila muito bem as informações. Ele tem tudo para fazer uma grande temporada. Minha expectativa é de que a gente consiga ajudá-lo a colocar o seu talento em campo – disse.

Ainda recuperando ritmo, Ganso não suportou ficar os 90 minutos em campo e, perto do fim do segundo tempo, pediu para ser substituído. Alegou cansaço em seu terceiro jogo no Tricolor, considerado o melhor desde a sua contratação, mas conseguiu mostrar serviço ao técnico.

– Ele vem muito bem, correspondendo às expectativas que tinha e tenho nele. A cada vez, treina melhor. Assim, a tendência é de que ele jogue melhor. Tem mais entrosamento, ritmo. Estava muito tempo sem jogar. Era normal não ter tido a atuação de hoje nas partidas anteriores – explicou Diniz.

Em uma breve análise, o treinador elogiou a atuação do Fluminense, apesar da ressalva quanto à intensidade aplicada à troca de passes. Com o triunfo, o clube fatura R$ 1,4 milhão e avança para a terceira fase, na qual encontrará o Luverdense, em confronto com ida e volta, sem vantagem do empate. Os mandos serão sorteados na sexta-feira.

– O time sofreu muito pouco. O Ypiranga veio para se defender. Os times do Sul têm força na defesa, com jogadores altos. A gente ofereceu poucas chances hoje. Tivemos muitas chances. Poderíamos ter tido mais intensidade em determinado momentos na troca de passes. De maneira geral, o time teve boa atuação.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Top