fbpx

No Sacrifício ? Ganso revela ter atuado com desconforto na coxa

Foto: Lucas Merçon/FFC

Autor do gol que garantiu o empate do Fluminense diante da Chapecoense na noite da última quinta-feira (13), na Arena Condá, em Chapecó, Ganso revelou que participou do jogo com um incômodo na coxa.

Ainda de acordo com palavras do próprio jogador em que o Canal Flunews teve acesso, o incômodo relatado por Ganso não era problema para que ele atuasse, e sim o limitava em algumas ações como chutes de fora da área e até mesmo passes com mais força.

O jogador ainda confidenciou que vai aproveitar a parada para a Copa América para melhorar a condição física e aprimorar ainda mais os fundamentos, como o passe e o chute de média e longa distância, chutes esses quem vêm sendo cobrado exaustivamente pelos torcedores.

Ganso é chamado para briga e responde a provocações de torcedores da Chapecoense

Após o empate em 1 a 1 entre Chapecoense e Fluminense, na Arena Condá, torcedores alviverdes provocaram Paulo Henrique Ganso, que dava entrevista ao SporTV. Além de xingamentos, o meia relatou ter recebido cusparadas e, em seguida, disse que esperava uma postura melhor de quem sofreu um duro golpe com a queda de avião na Colômbia, em novembro de 2016.

– Acho que o torcedor da Chapecoense teria que ser muito grato por tudo o que passou. As coisas aconteceram… Eles não deveriam fazer isso, não, mas deveriam agradecer. Todo mundo se pronunciou, todo mundo quis apoiar a Chapecoense em um momento difícil do clube, e eles fazem isso. Antes estavam cuspindo. Mas fazer o quê?! Torcedor é assim.

Interrompido novamente, Ganso viu um torcedor chamá-lo para briga. Respondeu apontando para o escudo do Tricolor e levou a mão aos ouvidos, indicando que queria ouvir mais alto. Foi ele que marcou o gol que deixa o clube a uma posição acima da zona de rebaixamento durante a pausa para a Copa América.

– Vai brigar comigo? Você vai brigar comigo? Olha lá, está me chamando para briga. É brincadeira esse torcedor da Chapecoense. Infelizmente nosso Brasil é assim. Depois quando o pessoal fala desde aqui, eles ficam chateados. Acho que deveriam ter um pouquinho mais de respeito.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.


Experiente, Ganso comenta relação com Moleques de Xerém: “Estou desfrutando muito”

Camisa 10 tricolor também elogiou a boa atuação de Diego Alves, que com boas defesas evitou a vitória do Fluminense no clássico

Foto: Mailson Santana / FFC

Diego Alves. O goleiro do Flamengo foi o nome do Fla-Flu deste último domingo, no Maracanã. Com uma grande atuação, o goleiro fez ótimas defesas, garantiu o empate em 0 a 0 e evitou que o Fluminense saísse de campo com os três pontos. Após a partida, Paulo Henrique Ganso, um dos principais nomes do elenco tricolor, elogiou o desempenho do atleta adversário e lamentou os dois pontos que a equipe deixou de conquistar.

“O mais importante seriam os três pontos. O Diego realmente fez duas ou três defesas muito bonitas, ele salvou o time do Flamengo. Eles tiveram uma bola na trave também, não podemos tirar os méritos deles, mas faltaram esses dois pontinhos pra gente”, disse.

Camisa 10 do time de Fernando Diniz, Ganso alia técnica com experiência. Perguntado sobre sua relação com os “Moleques de Xerém”, que vem sendo importantíssimos para o Fluminense em 2019, o meia disse ser ‘uma honra’ poder passar conhecimento para os jovens e enalteceu a qualidade da base tricolor.

“Uma honra passar um pouco da minha experiência. Estou desfrutando muito jogando com eles (jovens). Terminamos com cinco ou seis da base em campo. Mostra que a base de Xerém é muito forte”, finalizou.

Daniel comemora boas atuações pelo Flu e destaca parceria com Ganso

Meia mostrou-se bastante satisfeito com suas performances pelo Fluminense e frisou que atuar ao lado do camisa 10 é muito bom

Foto: Lucas Merçon / FFC

Quando Paulo Henrique Ganso chegou ao Fluminense, muito se discutiu qual seria o meio de campo formado por Fernando Diniz para ajustar a equipe de acordo com o camisa 10. Aos poucos, o treinador foi achando sua formação ideal e colocando um time veloz e com bom toque de bola. No meio disso tudo, Daniel, que havia sido sacado, recuperou seu espaço e, desde então, vem convencendo com boas atuações. Perguntado sobre o momento que vive com a camisa tricolor, o meia se disse bastante feliz com seu nível de performance e afirmou que sempre acreditou ser possível formar uma parceria bem sucedida ao lado de Ganso.

“Fico feliz de estar dando certo nosso meio de campo, eu e Ganso juntos. Quando ele veio, todo mundo me perguntava como seria jogar ao lado dele e sempre falei que seria muito bom, que poderíamos jogar juntos. Não à toa, estamos jogando juntos e jogando bem. Fico feliz com minhas atuações, contra adversários grandes, hoje estou conseguindo provar meu valor em jogos decisivos”.

Em 2019, Daniel jogou 25 vezes pelo Fluminense. A revelação de Xerém não marcou nenhum gol até aqui, mas deu cinco assistências. Três no Campeonato Carioca, uma na Copa Sul-Americana e uma no Campeonato Brasileiro. Para a partida contra o Athletico- PR, neste domingo (02), às 11h (de Brasília), na Arena da Baixada, o jogador de 23 anos deve comandar o meio de campo do Tricolor carioca, já que Ganso será poupado.

Ganso deve voltar no clássico contra o Botafogo

Foto: FFC

Ganso jogou sua última partida pelo Flu no dia 19 de abril, quando foi substituído na segunda etapa devido a uma contusão na coxa esquerda. Em estágio avançado de recuperação, meia está sendo preparado para o clássico no dia 11 de maio, pelo brasileirão.

O camisa 10 passa pelo período de transição após o problema muscular, com sessões de fisioterapia e exercícios leve, é esperado que ele volte a treinar com o grupo na próxima semana. A comissão técnica e o departamento médico têm a expectativa de que os seis dias sem jogos agilizem o processo de recuperação.

ST,

Guga Assis

Semelhança física entre Ganso e Dodi é motivo de brincadeira no elenco

Os jogadores Ganso e Dodi vem sendo o alvo preferido das brincadeiras no elenco Tricolor. O motivo? A semelhança física entre os dois, que sempre faz com que os companheiros de time peguem no pé e façam inúmeras brincadeiras. 

Dodi e Ganso (Foto: Thayuan Leiras/GloboEsporte.com)

E o que já era rotina no dia a dia de ambos, ganhou ainda mais força após Martina, filha do volante Dodi confundir o pai com o Ganso. Num vídeo que circula na internet, a filha do volante ao ver o Ganso, pensa que o camisa 10 Tricolor é seu pai, o que deixou Dodi e Ganso sem argumentos para negar as semelhanças. ‘Pior que é verdade. Tem um vídeo que minha esposa gravou. Aparaceu o Ganso e ela começou a chamar de papai, achou que era eu.’, contou Dodi.

O vídeo foi gravado pela esposa de Dodi, Carol Pasa, que registrou as reações da filha do casal, que logo que viu o meia Paulo Henrique Ganso começou a dizer ‘papai’.  

Em tom bem humorado, Ganso cravou logo: ‘Sou muito mais bonito que ele’. Já Dodi, disse que apesar de muito falaram numa semelhança entre eles, ele não vê nada disso. ‘O pessoal fica falando aí, mas eu não acho parecido não’, ressaltou ele.  

Petkovic reprova gesto e dá nota 1 para Ganso no Fla-Flu: “Não pode fazer o que fez”

No “Seleção SporTV” desta quinta-feira, os comentaristas avaliaram personagens do Fla-Flu que levou os rubro-negros à final da Taça Rio. Paulo Henrique Ganso virou assunto na mesa, mas por uma razão da qual não deve se orgulhar. Numa noite apagada em campo, o meia se envolveu em uma confusão com o quarto árbitro e tomou cartão vermelho. Segundo a súmula, o meia empurrou e xingou o juiz reserva.

– Avaliei o Ganso pelos dois jogos. Esse jogo ele foi mal e o próximo (eventual semifinal do Carioca) não vai entrar em campo porque foi expulso. Ele não pode fazer o que fez com a experiência que ele tem – disse Petkovic.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Substituído contra o Boavista, Ganso nega problema físico: “É para se preservar”

Aos 29′ do segundo tempo, Paulo Henrique Ganso pediu substituição por causa de uma pancada sofrida durante a goleada por 3 a 0 sobre o Boavista, nesta quinta-feira, em Saquarema. Porém, ele, em entrevista ao SporTV, negou que seja um problema mais sério e, assim, deve jogar seu primeiro clássico pelo Fluminense, domingo, contra o Botafogo, pela Taça Rio.

– Só uma pancada de leve, é para se preservar e colocar todo mundo para jogar também, o que é importante para o grupo.

No fim de semana, inclusive, o Alvinegro promoverá a estreia de sua principal contratação para 2019, o meia Diego Souza, ex-Tricolor. Ganso se esquivou de possíveis comparações com o rival, mas o elogiou.

– São estilos diferentes. Diego Souza também é um grande jogador. É bom para o futebol do Rio e do Brasil ver grandes jogadores atuando dentro do campo.

A semana será cheia para Fernando Diniz e seu elenco. Pega o Bota e, na próxima quinta-feira, encara o Antofagasta no Chile, pela Sul-Americana, após o 0 a 0 no Rio, em fevereiro. Encerra a maratona com um confronto com o Flamengo.

– A gente se prepara para isso: grandes jogos, clássicos. Temos um jogo decisivo pela Sul-Americana. Pena que eu não posso jogar esse, mas vou ficar na torcida para a gente passar e jogar na segunda fase – concluiu o camisa 10.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

 

Paulo Henrique Ganso desconversa sobre Nenê e espera parceria com Pedro

Impressionando nesses primeiros meses, o Fluminense deve ganhar reforços que prometem elevar o nível técnico da equipe comandada por Fernando Diniz. Em recuperação de lesão no joelho, sofrida em agosto passado, Pedro tem retorno previsto para maio, quando, enfim, poderá ser municiado pela principal contratação para 2019, Paulo Henrique Ganso.

– Espero que ele possa estar presente com todo mundo. Ele está treinando ainda sozinho com bola, mas estou ansioso para que ele possa estar com todo o grupo – disse o meia.

Nenê, contratado por dois anos, deve fechar o elenco para o primeiro semestre. Após o jogo deste domingo, Ganso desconversou sobre a negociação e, como em entrevista durante a semana, abriu as portas do clube para o colega.

– Não sei nem se fechou. Pessoal do clube que pode falar. Se vier, será muito bem recebido. Vai encontrar um ambiente que todo jogador quer encontrar.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Ganso associa bom desempenho à felicidade no Fluminense: “Jogo com a cabeça tranquila e mais solto”

Luciano recebeu passe açucarado dos pés de Paulo Henrique Ganso para marcar o segundo neste domingo, contra a Cabofriense. O meia ainda esbanjou qualidade técnica em diversos lances, servindo, inclusive, como garçom em jogadas que quase terminaram em gol. Sucesso que ele associa à felicidade no Fluminense.

– A gente vai evoluindo a cada partida, ficando mais solto dentro de campo. Espero melhorar sempre. Quando se está feliz, você joga com a cabeça mais tranquila, mais livre dentro de campo. Isso faz bem para todo mundo.

Poderia completar a grande exibição com uma bola na rede, o que por pouco não aconteceu. Por outro lado, o camisa 10 arrancou comemorações das arquibancadas com a categoria que o consagrou nos tempos de Santos.

– Até antes da chegada no aeroporto, o pessoal já mandava muitas mensagens… Só posso retribuir jogando bem dentro de campo. Fazemos nosso papel no dia dos jogos e esperamos que o torcedor possa apoiar sempre, em todos os momentos. Independentemente do que acontecerá durante a temporada – disse.

Ganso estreou há duas semanas e completou quatro jogos com a camisa verde, branca e grená. De novo, ficou os 90 minutos em campo, mesmo após longo período longe dos gramados. Ele diz que está se divertindo na nova casa, mas reforça a necessidade de evoluir.

– Tenho que melhorar a cada partida, junto com nossa equipe, porque daqui a pouco virão jogos bem complicados e temos que estar preparados para isso. Não me surpreendeu (jogar os 90 minutos) porque eu me cuido bastante, já vinha treinando para isso. Estou feliz por poder jogar sempre os 90 minutos e estar me divertindo em campo.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Top