fbpx

Lucão rescinde com Fluminense e fica perto de retorno ao Goiás

Chegou ao fim a apagada passagem de Lucão pelas Laranjeiras. Foi publicada no BID, na tarde desta quinta-feira, a rescisão do jogador com o Fluminense. O vínculo, que passou a valer em agosto passado, terminaria somente em dezembro.

O centroavante, que se destacou pelo Goiás em 2018, chegou ao Tricolor depois de deixar o Kuwait SC. Pelo Time de Guerreiros, jogou apenas seis vezes e não marcou gols. Tem caminho livre para retornar ao Esmeraldino, que possui interesse na contratação.

Publicado por: Nicholas Rodrigues.

Fluminense estuda contratação de destaque do Goiás

O Fluminense segue se preparando para reforçar o seu plantel para 2020 e, depois de acertar as renovações de jogadores importantes no elenco com em 2019, como Gilberto e Nino, a diretoria começa a buscar peças que caibam no orçamento do clube.

Um dos nomes é de Yago Felipe, meia que pertence ao Vitória, mas fez um bom Campeonato Brasileiro de 2019 emprestado ao Goiás.

Além de meia o jogador pode atuar também como segundo volante, pois tem ótimo poder de desarme.

Ainda de acordo com o que pudemos apurar, não foi feita nenhuma proposta oficial pelo jogador, mas já houve um primeiro contato com o estaff do atleta, que parece ter se empolgado com a ideia de defender o Tricolor.

De saída ? Jornalista informa possível acerto de Lucão com Goiás

Contratado no meio da temporada chegando livre ao Tricolor, o atacante Lucão está próximo de acertar sua ida ao Goiás, clube que defendeu em 2018.

Pelo Esmeraldino, Lucão foi artilheiro da equipe na campanha que culminou com o acesso do Goiás a Série A do Brasileirão.

Negociado ao futebol do Kuwait, o atacante atuou em quatro partidas e não marcou nenhum gol. No Flu, foram seis jogos, todos em branco.

Os números no entanto não esfriaram o interesse do Goiás e segundo informou o repórter André Rodrigues, o jogador já acertou seu retorno verbalmente com o Esmeraldino e aguarda a liberação do Fluzão com quem tem contrato até o final de 2020, para assinar com a equipe Goiânia.

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Muriel quer Fluminense “mentalmente mais forte” para sobreviver à crise: “O poder está nas nossas mãos”

Na saída do campo do Serra Dourada, após derrota por 3 a 0, Muriel reconheceu que o primeiro gol do Goiás, aos 11 minutos, derrubou o Fluminense. Ele ainda apontou o caminho para sobreviver à crise gerada por má campanha e chance de rebaixamento no Brasileirão – posição na classificação é a 17ª, com 18 pontos.

— Não soubemos reagir depois do primeiro gol. Ficamos intranquilos. Tínhamos de ter mais tranquilidade, sabíamos que tinha bastante tempo. Temos que ser, mentalmente, um pouco mais fortes para superar esse momento de dificuldade – avaliou.

Mesmo com a vida complicada no jogo de domingo, o goleiro afirmou que tinha esperança na virada do Tricolor.

— Não podemos nos conformar. O poder está nas nossas mãos. Acreditei mesmo, quando estava 2 a 0, que dava para buscar. Tentei fazer os companheiros acreditarem também. Infelizmente, não conseguimos. O Goiás foi merecedor, fez um grande jogo – elogiou.

Muriel lembrou que o adversário viveu semana tensa com seus torcedores, com apedrejamento à sede e presença de Polícia para garantir a segurança do elenco nos treinos. O goleiro quer ‘virar a página’ para concentrar as atenções no compromisso de quinta-feira, contra o Santos, no Maracanã.

— Eles estavam num momento de cobrança da torcida. Não soubemos usar isso a nosso favor. Mas passou. Não adianta ficar lamentando o que passou. Tem de seguir firme para o próximo jogo. Logo, logo temos mais uma decisão.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Oswaldo vê queda de rendimento após 1º gol do Goiás e analisa mês à frente do Fluminense: “Faço o melhor que posso”

Oswaldo de Oliveira demorou a aparecer na zona mista do Serra Dourada para dar explicações sobre a goleada sofrida para o Goiás, por 3 a 0. Ele saiu do vestiário depois dos jogadores e dos dirigentes Mário Bittencourt e Celso Barros. Na análise do jogo, afirmou que o gol marcado por Michael, aos 11′ do primeiro tempo, pôs fim ao que definiu como “melhor início de partida” da equipe.

— Começamos o jogo muito bem, com tudo sob controle. Cometemos erro no primeiro gol e isso acabou tirando a concentração do time. A equipe não conseguiu se encontrar mais. Tentamos revitalizar no intervalo. Em outros dois erros, acabamos dando a chance para o Goiás vencer a partida. Foi o nosso melhor início de partida e, por mais irônico que possa parecer, o pior fim. Nosso time não se encontrou, não se organizou. Estamos tentando resolver essa oscilação. Após o jogo contra o Fortaleza, aconteceu o mesmo diante do Palmeiras. E, hoje, aconteceu após termos vencido o Corinthians. É uma alternância que não pode acontecer.

Nesse fim de semana, Oswaldo completou um mês no comando do Fluminense em sua segunda passagem pelas Laranjeiras. Contratado para substituir Fernando Diniz, dispensado pela má campanha, o treinador de 68 anos venceu duas, empatou uma e perdeu três vezes.

— Faz um mês que cheguei. Hoje foi o sétimo jogo (sexto com ele à beira do campo).  Aconteceu comigo em outras equipes de perder o sétimo jogo, mas ganhar os seis anteriores. Tem muitas situações que não se consegue resolver com um mês de trabalho e sem poder fazer as escolhas que se gostaria. Tento solucionar e fazer o melhor que eu posso. Todos estamos empenhados em melhorar o time – disse.

Em se tratando de um adversário direto na briga contra o rebaixamento, o revés tem um gosto ainda mais amargo para o Tricolor. Com 18 pontos, o time voltou à 17ª posição. Está a um ponto do CSA, o primeiro acima do Z-4.

— Temos de procurar vencer todo e qualquer jogo. Mas hoje era especial. Trabalhamos isso durante a semana, passei isso com veemência, mas, infelizmente, não conseguimos reagir. O Goiás tem bons jogadores e um excelente treinador. Não vinha passando por um bom momento, mas nós não soubemos aproveitar – concluiu o técnico.


LEIA MAIS DA ENTREVISTA DE OSWALDO DE OLIVEIRA:

Pouco tempo à frente do Fluminense: “Cheguei aqui e encontrei a equipe formada e com uma situação que estamos tentamos resolver. Isso já aconteceu em outras oportunidades que, com esse tempo, conseguimos resolver”.

Baixa produtividade: “É uma circunstância dessa situação toda. Eu não programo que o time não chute. Pelo contrário. A gente trabalha muito. Hoje, infelizmente, não conseguimos. Aconteceu de chutar muito em outros jogos”.

Substituições: “Risco que tínhamos de correr. Estávamos perdendo o jogo e o time tinha um a menos. A partir daí, fiz as alterações”.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

De volta ao Z-4, Fluminense é goleado pelo Goiás por 3 a 0

A primeira rodada do returno, devido ao triunfo do CSA sobre o Ceará, recolocou o Fluminense na zona de rebaixamento sem que ele entrasse em campo. O cenário ficou ainda mais complicado com a goleada para o Goiás, no Serra Dourada, por 3 a 0.

Pressionado, o Time de Guerreiros não sentiu o calor dos empolgados tricolores na arquibancada e começou mal o jogo desse domingo. Aos 11′, Digão e Frazan “bateram cabeça” e deixaram a bola para Kayke, que chutou para grande defesa de Muriel. Michael marcou na sobra.

Abatido pelo gol, o Tricolor encontrou no caminho o nervosismo. Como consequência, surgiram erros de quem menos se esperava, como Allan, e de quem já se imaginava, como Gilberto.

Só aos 40′ saiu a primeira finalização da equipe carioca, com João Pedro isolando a redondinha. Na saída para o intervalo, Nenê indicou como deveria ser a postura no segundo tempo. “Tem de mover a bola mais rápido. Se ficarmos estáticos, não vamos criar jogadas nem entrar na defesa deles”, disse.

O discurso de nada adiantou. Ainda era o Goiás quem mandava no duelo, que caiu de vez nas mãos esmeraldinas após o gol de cabeça de Rafael Vaz, aos 20′ da etapa decisiva.

Nem com um homem a mais a partir dos 35′, depois da expulsão de Breno, o Fluminense encontrou forças para reagir. De um lado, somente João Pedro e Allan protagonizaram suas jogadas de perigo.

Por outro lado, o adversário seguia dando trabalho a Muriel nas finalizações de Kayke, Michael e Breno. Até que chegou ao terceiro gol, com Yago encobrindo o goleiro, em contra-ataque que nasceu de erro de passe de Nenê. Nos minutos finais, ouviu-se gritos de “Olé” dos torcedores da casa.

Na 17ª colocação com 18 pontos, o clube das Laranjeiras enfrenta, na próxima rodada, o Santos, quinta-feira, na volta ao Maracanã após mais de vinte dias.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

CSA vence e empurra Flu para zona do rebaixamento

Foto: Reprodução/Vídeo

Com um gol do ex Tricolor, Carlinhos, o CSA bateu o Ceará por 1 a 0 na tarde deste domingo (22) e com o resultado empurrou momentaneamente o Fluminense para a Zona do rebaixamento.

Com a vitória, o clube alagoano chegou aos 19 pontos, enquanto o Tricolor soma 18 pontos. Contudo, o Fluzão ainda entra em campo neste domingo (22) e pode jogar novamente o CSA pra zona, basta apenas um empate diante do Goiás.

Em caso de vitória, o Tricolor, o Flu passa não só o CSA, como também o Goiás, adversário do clube verde, branco e grená, na noite deste domingo no Serra Dourada.

Oswaldo de Oliveira projeta duelo direto contra o Goiás e destaca: “Jogo importantíssimo”

Na 16ª posição do Brasileirão, Fluminense pode ultrapassar adversário e se afastar mais ainda do Z4 em caso de vitória no Serra Dourada

Foto: Lucas Merçon / FFC

Nesta sexta-feira (20), Oswaldo de Oliveira concedeu entrevista coletiva após o treinamento do Fluminense no CTPA. O treinador abordou diversos assuntos, entre eles o confronto direto para fugir do rebaixamento contra o Goiás, neste domingo (22), às 19h (de Brasília), no Serra Dourada. Para o técnico tricolor, a partida é importantíssima e essencial para o time iniciar o segundo turno ‘em grande estilo’.

“Vamos iniciar o segundo turno com jogo importantíssimo. Adversário é uma equipe que tem tido alguns resultados ruins ultimamente, isso é motivo importante para tentarem se superar. Da nossa parte precisamos somar pontos para nos distanciarmos da zona de rebaixamento. Vamos começar segundo turno em alto estilo, com uma briga muito importante pelos três pontos”, disse.

Ainda de olho no Goiás, Oswaldo confirmou Yony González como titular. O colombiano, que vive um imbróglio em sua renovação com o Fluminense, caiu de produção nas últimas partidas, mas de acordo com o comandante é ‘muito importante’ para a equipe atualmente.

“A próxima temporada vai depender muito do que o Fluminense fizer nessa. E nessa temporada, Yony é muito importante para nós, titular, e quero muito contar com ele, independentemente do que acontecer depois”, concluiu. 

Crise? Sede do próximo adversário do Flu amanhece apedrejada

Quando a fase não está boa, nem mesmo a torcida deixa barato. Dessa vez a torcida do Goiás não perdoou. Após serem goleados pelo Grêmio jogando fora de casa, a sede do clube amanheceu nessa segunda-feira (16) com os muros pichados e vidro da loja oficial quebrado.

Nas últimas 11 rodadas do Brasileirão, o Goiás conseguiu apenas uma vitória. Os muros da Serrinha foram pichados com ordens para que o presidente esmeraldino, Marcelo Gonçalves, deixe o cargo. Também é possível ler as escritas: “Time sem vergonha”

A equipe volta a campo pela Série A no domingo (22), mas antes, nesta quarta-feira (18), joga a semifinal da Copa Verde contra o Cuiabá. Ou seja, mais uma oportunidade de quem sabe, o clube vir de mais uma derrota e chegar com a moral mais baixa contra o tricolor.

Fluminense e Goiás se enfrentam no próximo domingo ás 19h no Serra Dourada. Em caso de vitória do Flu, o time iguala o time goiano em pontos.

Saudações Tricolores,

João Eduardo Gurgel

Fotos:Foto: Reprodução/TV Anhanguera/GloboEsporte.com/Canal Gama

Top