fbpx

Fluminense busca CNDs para ser permissionário com o Fla na gestão do Maracanã

Com o aviso do Governo ao Flamengo sobre a impossibilidade de assinar contrato com o Fluminense pelo repasse do Maracanã em razão da falta de CNDs (certidões negativas de crédito), o clube divulgou comunicado no qual explica que busca cumprir a burocracia necessária para ser permissionário ao lado do rival.

O Fluminense Football Club esclarece que será permissionário, junto ao Clube de Regatas do Flamengo, na gestão do Complexo Maracanã. O compartilhamento da administração terá igualdade de condições e será garantido em contrato. O FFC destaca que está em processo de obtenção da CND (Certidão Negativa de Débito)“.

Segundo o Globoesporte.com, apenas o Fla, hoje, está apto a firmar o acordo formalmente, com o Tricolor assumindo condição de interveniente. A parceria entre os clubes deve ser colocada em um contrato à parte, ainda em elaboração.

Nessa quarta-feira, o Conselho Deliberativo do Rubro-Negro vota, em caráter de urgência, o contrato pela concessão do estádio. Se aprovado, será oficializado em solenidade na sexta, no Salão Nobre do Palácio da Guanabara.


  • Custos fixos: R$ 2 milhões
  • Mensalidade ao Governo, destinada aos complexos Célio de Barros e Júlio Delamare: R$ 166.666,67
  • Repasse do Tour Maracanã ao Governo: 10% do lucro mensal ou um mínimo de R$ 64 mil
  • Aluguel por jogo: R$ 90 mil

Foi no fim da última semana que o governador Wilson Witzel anunciou, em vídeo, que Fluminense e Flamengo, que apresentaram proposta conjunta, seriam os administradores do local pelos próximos seis meses, prorrogáveis pelo mesmo período, completando um ano. A “nova era” começa dia 19.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fluminense e Flamengo se unem pelo Maracanã e levam proposta ao Governo

Pedro Abad e Rodolfo Landim, presidentes de Fluminense e Flamengo, levaram proposta ao Governo do Rio pela gestão do Maracanã, nessa quinta-feira, prazo limite para fazê-lo. A ideia, exposta em reunião no Palácio da Guanabara, é assumir temporariamente a operação do local, a partir da saída da Odebrechet, em 18 de abril. Os próximos encarregados pelo estádio serão anunciados na sexta-feira do dia 12.

– Nós vamos esperar que o prazo da entrega se encerre. Aí, sim, a gente vai planejar um momento mais detalhado de tudo aquilo que envolve à medida que o estado colocar a gente a par do resultado. A gente entende que é um equipamento do estado e da população. A gente tem que dar satisfação ao povo do Rio de Janeiro sobre o que está sendo feito com aquele investimento e o que o estado tem ou deixa de ter de gasto e de rendimento. A gente vai detalhar no momento certo – disse Pedro Abad.

No encontro desta quarta-feira, na FERJ, o Rubro-Negro revelou a intenção de exercer maior poder no comando do Maracanã. Havia consenso entre os quatro grandes cariocas sobre existir uma parcela maior dos lucros ao rival por atrair mais público, mas divergência quanto à liderança desejada. A nova licitação deve ser iniciada em 180 dias, mas a decisão só sairá após cerca de um ano.

– O Maracanã não é um equipamento que vai passar a ser de Flamengo e Fluminense. Nós apenas vamos gerir um equipamento que é do estado. Pela proposta que nós fizemos, se Vasco e Botafogo quiserem jogar, vão ter o mesmo nível de desembolso e receita que Flamengo e Fluminense terão. Da mesma forma que o estádio também é para eles jogarem. Nossa proposta é totalmente inclusiva. Vasco e Botafogo também construíram a história do Maracanã e devem continuar a construir a história lá – concluiu Abad.

Os clubes não explicaram como combinaram a administração conjunta. Porém, Rodolfo Landim disse que pretende promover jogos também de Vasco e Botafogo, que sobraram da parceria, e shows no Maracanã, a fim de torná-lo mais rentável.

– O objetivo é a gente fazer isso de forma harmônica e com a possibilidade de participação de todos os clubes. O objetivo não é só Flamengo e Fluminense jogarem lá. O objetivo é que todos os clubes possam jogar. Nós não temos dúvida nenhuma de que as condições de que nós vamos oferecer, juntos, para que outras agremiações possam participar lá serão melhores e mais baratas do que as que existem hoje. É um pleito de que seja utilizado para shows e a gente continua aberto a isso. A prioridade do Maracanã será o futebol, mas será também será aberto a outras atividades.

Desde meados de março, Fluminense e Flamengo vinham se reunindo semanalmente com a comissão nomeada pelo governador Wilson Witzel para conversar acerca do repasse do estádio. Além de um consórcio encabeçado pela empresa que gere a Arena Palmeiras, o Vasco, que defende gestão com os demais clubes e com o Governo responsável por uma fatia dos gastos, também formalizou interesse.


Confira a carta enviada ao Governo:

Carta que Flamengo e Fluminense apresentaram ao governo — Foto: Reprodução
Segunda página da carta que Flamengo e Fluminense apresentaram ao governo — Foto: Reprodução

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Governo marca reunião com clubes para decidir futuro do Maracanã

Foto: Divulgação

Probabilidade é que Fla e Flu administrem o Estádio junto do estado.

Um dia após romper com a concessionária que administra o Maracanã, o governo do Rio de Janeiro agendou a reunião com os representantes de Flamengo e Fluminense para decidir como se dará o novo vínculo dos clubes com o estádio, uma vez que a dupla ainda tinha contrato em vigor com a concessionária.

A reunião entre os clubes e o governo será em horários diferentes, com o Flamengo tendo o encontro na parte da manhã e o Fluminense na parte da tarde. Ainda há a espectativa que os presidentes Rodrigo Landim e Pedro Abad estejam presentes na reunião.

A ideia do governo é clara, fazer com que o estádio seja administrado em conjunto com estado e os clubes.

– Estamos retomando o Maracanã, sem qualquer prejuízo das partidas de futebol ou aos clubes. Vamos nos próximos 30 dias ter uma intervenção no Maracanã, por meio da secretaria e da Suderj, com uma comissão que estou constituindo, para fazer uma retomada. Estaremos modulando uma permissão de uso até que façamos então uma nova concessão por meio de parceria público privada – disse o governador Wilson Witzel.

Vale destacar que a administração do estádio segue com a atual concessionária até o próximo dia 19 de agosto.

 

Fonte: Lance! 

Governador anuncia rompimento com Consórcio Maracanã

Foto: Divulgação

Uma nova licitação deve ser realizada em 30 dias.

O governador do estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel anunciou em coletiva no Palácio Guanabara, na manhã desta segunda-feira (18), o rompimento do contrato com o atual consórcio que gere o estádio do Maracanã atualmente. De acordo com Witzel, o rompimento do contrato não impacta em nada no calendário de jogos previsto para o estádio, como a sequência do estadual e os da Copa América, por exemplo.

Witzel ainda comunicou que o governo vai conversar com os clubes para o uso do estádio:

– Se a concessionária mantinha contrato com os clubes, na medida que ela é rescindida, eles não têm efeito. Por isso, nós vamos conversar com os clubes, com regras claras, de como pode ser usado no jogo. O que é resolvido entre as partes, uma vez negociado, é aquela coisa: o combinado não sai caro.

Vale destacar que a decisão só passa a ter valor dentro de 30 dias contados a partir deste 18 de março. Passado esse período, é bem possível que haja uma nova licitação para outra empresa ou até mesmo um clube administrar o estádio.

Governo realiza reunião na FERJ, e Secretário de Esportes defende jogo aberto ao público

O clássico que decide o campeão da Taça Guanabara, neste domingo, está cercado por dúvidas. Com a sentença que determina portões fechados no Maracanã, o Governo do Rio de Janeiro realiza, neste momento, uma reunião com Fluminense e Vasco na FERJ, a fim de resolver o imbróglio.

– Estamos aqui em uma reunião para tentar dar um direcionamento a isso. Uma atitude por parte do Fluminense resolveria a situação. Estamos nesse caminho por um entendimento. Não ter jogo hoje, a própria polícia militar não está nessas condições. Uma atitude do presidente seria uma atitude nobre, para a realização da festa. Esta é a intenção de todos – declarou o Secretário de Esportes, Felipe Bornier.

A intenção de Bornier é demover Pedro Abad da ideia de proibir entrada dos 30 mil torcedores que compraram ingressos para o jogo. Ele quer que o presidente vá à Justiça e reconsidere seu posicionamento.

– O caminho de mais fácil entendimento, uma vez que está nesta parte judicial, seria essa atitude do presidente do Fluminense. Conseguiríamos resolver a situação e dar um encaminhamento positivo. Nossa intenção hoje é dar segurança para a população e ter o intuito da festa. E não provocar ainda mais um clima negativo. Que tenhamos de fato uma final à altura, com o torcedor.

Principalmente nas redes sociais, percebe-se que o clima entre as torcidas é ruim. Por isso, existe um temor por eventuais confusões no entorno do estádio. A rivalidade levou a PM a aumentar o efetivo para 400 policiais.

– O que vemos na internet é um clima negativo, que a gente não quer. O Governo quer ordem, quer, de fato, resolver a situação. E isso se resolve com entendimento, diálogo – disse Bornier, completando:

– De uma certa forma, a torcida já está se mobilizando para ir ao Maracanã. Nossa preocupação é que a polícia foi preparada para agir dentro do Maracanã. Não adianta você ter hoje 20, 30 mil torcedores do lado de fora sem jogo, se confrontando. Então estamos nos prevenindo para resolver.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Top