fbpx

Fluminense divulga lista de relacionados para duelo contra o Inter

Foto: Divulgação/FFC

O Fluminense divulgou na manhã deste domingo (10) a lista de jogadores relacionados para enfrentar o Internacional nesta tarde, às 16h, no estádio do Beira Rio.

Na lista, Marcão relacionou o mesmo grupo que viajou para São Paulo e seguiu direto para o Sul, com 25 nomes na relação.

Como no banco de reservas só podem ficar 12 jogadores, o técnico terá que tirar dois nomes para o jogo.

Contra o São Paulo, Brenner, que não podia jogar por questões contratuais com o clube paulista e Marcos Felipe por opção do treinador, ficaram de fora.

Na busca por zagueiros, Fluminense vê negociação difícil, mas não desiste de Anderson Martins

A partir do rompimento do ligamento cruzado do joelho direito de Matheus Ferraz, em junho, o Fluminense acelerou a busca por zagueiros. Fernando Diniz dispõe de apenas quatro opções para a zaga, a segunda mais vazada do Campeonato Brasileiro, com 24 gols sofridos, atrás da Chapecoense, com 27.

A diretoria fez contatos por Bruno Fuchs, do Internacional, e Fabiano, do Palmeiras. Enquanto o clube gaúcho desconsiderou emprestar o jovem, o palmeirense, segundo Celso Barros, optou por aguardar possíveis propostas do exterior e acabou descartado nas Laranjeiras. Pintou até o nome de Lucão, ex-São Paulo, que está sem contrato. Ele, porém, não animou o Tricolor.

A negociação que melhor se desenvolveu envolvia o são-paulino Anderson Martins, de 31 anos. Reserva no Morumbi, o jogador se empolgou com o interesse verde, branco e grená, mas viu a tratativa esfriar devido ao alto salário. O SPFC não pretende dividir o pagamento dos vencimentos. Por outro lado, a falta de opções, dado o fechamento da janela de transferências para o Brasil, faz o Fluminense não desistir da contratação.

Empossada há dois meses, a gestão de Mário Bittencourt trouxe o goleiro Muriel, o meia Nenê e os atacantes Wellington Nem e Lucão. Além de zagueiro, os dirigentes estudam trazer um lateral-esquerdo.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: UOL.

Prestes a ser negociado, Bruno Silva rescinde com o Fluminense

Na mira do Internacional, Bruno Silva rescindiu com o Fluminense, de acordo com a Rádio Gaúcha. Contratado junto ao Cruzeiro em troca que envolveu ainda a vinda do lateral-direito Ezequiel (hoje no Bahia) e a permanência de Digão pela saída de Jádson, o jogador de 33 anos perdeu espaço com Fernando Diniz. O “rebaixamento” à condição de reserva ocorreu a partir de lesão no joelho, sofrida em maio, e da ascensão de Allan. Seu contrato era válido até dezembro.

O volante soma apenas quatro jogos no Brasileirão, o que o deixa livre para defender o Colorado. Também liberado para a Libertadores, só não poderá entrar em campo pela Copa do Brasil, na qual já representou o Tricolor. Especulado no Beira-Rio em ocasiões anteriores, ele vira opção à carência de nomes para a posição na equipe de Odair Hellman.

Desde que chegou às Laranjeiras, em janeiro, Bruno Silva fez um gol em 23 partidas – a última delas em 30 de julho, contra o Peñarol – e conviveu com o descontentamento da torcida. Envolveu-se em polêmica quando um torcedor vazou conversa via rede social em que o atleta, supostamente, ironizava o clube carioca pela queda à Série C. À época, negou o episódio.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fluminense conquista importante vitória fora de casa sobre o Internacional pelo Brasileirão sub-20

Foto: Reprodução/Vídeo

Com gol de Evanilson, o Fluminense venceu o Internacional por 1 a 0 na tarde desta quinta-feira (8), pelo Campeonato Brasileiro Sub-20.

Mesmo atuando fora de casa, no Cesc Campestre, em Porto Alegre, o Tricolor abriu o placar ainda na primeira etapa e, segurou o resultado que o deixou na oitava colocação do torneio. Posição que credencia o avanço a próxima fase da.. competição, uma vez que os oito melhores passam para a segunda fase.

A equipe comandada pelo técnico Luiz Felipe Santos só volta a campo agora pela competição no próximo dia 18, quando enfrenta o Palmeiras, em Laranjeiras. O jogo que será num domingo, às 11h, terá a transmissão da TV aberta pela Rede Bandeirantes.

Nenê comenta versatilidade dentro de campo e se diz satisfeito em ajudar a equipe

Meia de 38 anos entrou no segundo tempo na vitória por 2 a 1 sobre o Internacional e teve um papel importante tanto no ataque quanto na defesa

Foto: Lucas Merçon / FFC

Contratado para enriquecer o elenco do Fluminense com inteligência e qualidade, Nenê aos poucos vai ganhando espaço. Depois de uma boa estreia contra o Vasco, o meia de 38 anos entrou no segundo tempo na vitória por 2 a 1 sobre o Internacional, no Maracanã. Com o resultado, o Tricolor subiu para a 16ª posição e deixou momentaneamente a zona de rebaixamento, respirando um pouco no Campeonato Brasileiro.

Após a partida, Nenê, que entrou com a importante função de colaborar na criação de jogadas de ataque e também de dar segurança defensivamente, comentou sobre seu posicionamento na partida e o que Fernando Diniz pediu que ele fizesse dentro de campo.

“Estava na dúvida se entraria no meio ou mais aberto, acabei entrando mais aberto. Tinha de ajudar na marcação. Na hora de atacar, eu tinha liberdade de poder estar em qualquer lado do campo. Na hora de defender, precisava ajudar o lateral. Fiquei feliz de ter feito bem esse trabalho”, disse.

O experiente meia se colocou à disposição do treinador para colaborar em qual posição for, mas destacou que prefere atuar participando mais do setor ofensivo.

“Eu gosto de ficar mais ofensivo, mas isso faz parte da intensidade do jogo. Todo mundo tem de ajudar, até o Pedro ajuda. Então a gente tem de se esforçar pra ajudar o time na hora que precisa”, afirmou.

Por fim, Nenê rasgou elogios ao desempenho da equipe e enalteceu a importância da vitória sobre o Internacional.

“Muito importante essa vitória. Essencial. Não podíamos mais perder pontos em casa, ainda mais nessa situação que o time está no Brasileiro. Então realmente era primordial essa vitória. O time entrou muito concentrado, podíamos ter feito gols no primeiro tempo”, concluiu.  

Capitão do Flu, Digão elogia atuação da equipe e demonstra alívio com a vitória

Zagueiro teve um bom desempenho ao lado de Nino, seu companheiro na defesa tricolor

Foto: Lucas Merçon / FFC

Depois de sete jogos de jejum, o Fluminense enfim voltou a vencer pelo Campeonato Brasileiro. Enfrentando o Internacional, que mandou à campo uma equipe reserva, o Tricolor triunfou por 2 a 1 e conquistou os três pontos dentro do Maracanã. Com o resultado, a equipe foi para a 16ª posição e deixou a zona de rebaixamento momentaneamente. Em uma noite inspirada, o Flu criou diversas chances de gol e poderia ter saído de campo com um placar mais elástico.

Após a partida, o zagueiro Digão, capitão do time, falou com os jornalistas e elogiou a atuação dos companheiros, apesar das oportunidades desperdiçadas principalmente na primeira etapa. De acordo com o defensor, a vitória foi importante para dar um alívio para o Tricolor, que não conseguia repetir no Brasileirão as boas atuações da Sul-Americana.

“Era uma coisa que nos incomodava. Estávamos bem na Sul-Americana, mas no Brasileirão não estávamos conseguindo vencer. Hoje fizemos um jogo muito bom. O Inter é um time muito qualificado. Tivemos chances no primeiro tempo e não fizemos, mas voltamos melhor e conseguimos fazer os gols”, disse.

O Fluminense volta a campo somente no próximo sábado (10), quando enfrenta o Atlético-MG, fora de casa, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro, às 21h (de Brasília).

Fernando Diniz afirma que resultado diminui tensão e valoriza triunfo sobre o Inter

Foi preciso fazer “uma das melhores partidas do ano”, segundo Fernando Diniz, para o Fluminense vencer o Internacional por 2 a 1 e respirar no Brasileirão. Momentaneamente acima da zona de rebaixamento, em 16º lugar, o time precisa secar o Cruzeiro contra o Atlético-MG.

– Foi uma das melhores partidas do Fluminense, melhor do que o jogo contra o Peñarol. O adversário era muito forte, com jogadores que não dava para chamarmos de reservas: Sobis, Wellington Silva, Tréllez, Nonato… E jogadores que vieram descansados. Esse time deles empatou um Gre-Nal, perdeu para o Athletico aos 49′ do 2º tempo e ganhou do Ceará em casa. Nossa equipe dominou a maior parte do jogo, tivemos muitas chances de fazer gol. Limitamos muito as chances do Inter. Foi uma partida muito boa – elogiou.

Aparentemente, o gol marcado por Edenilson no fim, em vacilo de Muriel, impediu a nota 10 ao Time de Guerreiros nesse sábado, no Maracanã. É que dificilmente a zaga passa um jogo sem ser vazada, algo que só aconteceu uma vez no campeonato. O que não quer dizer que o técnico esteja insatisfeito com o sistema defensivo.

– Fiquei muito irritado mesmo com o gol. Tínhamos tudo para fazer mais gols e não tomar naquele momento do jogo. O Inter teve de se lançar para a frente, estávamos bem postados, bem fechados. Tivemos três chances claras de fazer gol e não podíamos ter tomado o gol daquele jeito com o time todo ali atrás. Fiquei irritado mesmo.

– Aspecto defensivo foi muito importante. Tivemos muito poucos problemas defensivos hoje.

Apesar da boa campanha na Sul-Americana, o Tricolor vinha de uma sequência ruim no torneio de pontos corridos. Não vencia desde maio, há sete rodadas. Diniz pensa que o triunfo sobre os colorados alivia a pressão nas Laranjeiras.

– O psicológico do time ficou mais forte na dificuldade. Com a vitória, claro que fortalece um pouco mais, tira um pouco da tensão dos jogadores.


CONFIRA MAIS TRECHOS DA ENTREVISTA:

Análise da atuação: “O grande mérito foi o aspecto coletivo. Muita gente jogou bem hoje. Sempre um ou outro vai um pouquinho melhor. Mas a equipe foi muito bem como um todo. Muitos jogadores jogaram bem. E, quando muita gente joga bem, a tendência é o time ganhar os jogos e fazer boas apresentações”.

Aspecto psicológico: “Hoje, as emoções são as melhores possíveis, alegria diante da vitória. O time é muito forte. Que está se fazendo muito forte psicologicamente. Que passa por dificuldades e sabe suportar. O time nunca abriu mão de jogar bem, de ser coletivo, de buscar os resultados. Quando estávamos perdendo, a equipe não esmoreceu em nenhum momento. E isso é uma ótima qualidade”.

Gols perdidos: “Houve mais chances de fazermos gols. A bola bate na trave, passa raspando… Não vou nem falar de capricho. Temos que botar a bola para dentro e o quanto mais cedo, melhor. Se você cria muitas chances, a chance de abrir o placar e ganhar o jogo é grande. E acho que o time teve um mérito também. Embora a bola não tenha entrado, ninguém ficou frustrado no 1º tempo. Os jogadores voltaram imbuídos no 2º tempo, ninguém baixou a guarda, ninguém baixou a cabeça, e o gol era questão de tempo para sair”.

Dificuldade em não sofrer gols: “Estamos corrigindo. Estamos oferecendo cada vez menos oportunidades ao rival. Hoje quase ficamos sem tomar o gol, fomos tomar no finzinho do jogo, em um momento em que estávamos bem postados atrás. Mas vamos atrás de corrigir cada vez mais. O sistema defensivo, de uns tempos para cá, já vem melhorando em termos de performance. Agora é tentar de fato não tomar gol”.

Evolução de Daniel: “O time é um todo. Não são apenas os jogadores que jogam com o Daniel no meio apenas. A engrenagem está funcionando melhor. Daniel foi ganhando mais maturidade também. Era um jogador que tinha pouca rodagem, tinha jogado pouco pelo Fluminense. Vai ganhando confiança, o time vai encorpando. Ele é um jogador muito inteligente e tem o fato de eu já conhecê-lo, de ter trabalhado com ele no Oeste. Sei que ele é muito sagaz, consegue aproveitar muito bem a maneira como o time joga, consegue ocupar os espaços onde poucos conseguem ocupar por se antecipar taticamente. O crescimento dele foi natural junto com o crescimento do time. Ele fez grandes partidas no Carioca, não foi só agora, não. Oscilou, como todo o time, mas está vivendo um grande momento”.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Muriel destaca importância da vitória sobre o Inter e afirma: “Precisamos manter esse espírito”

Goleiro tricolor fez duas ótimas defesas no primeiro tempo, mas acabou espalmando para o meio da área no lance que resultou no gol colorado

Foto: Lucas Merçon / FFC

Neste último sábado, o Fluminense fez o dever de casa e bateu o Internacional por 2 a 1 no Maracanã. Com o resultado, o Tricolor subiu para a 16ª posição e deixou momentaneamente a zona de rebaixamento. Titular no gol da equipe de Fernando Diniz, Muriel teve uma boa atuação e fez duas defesas cruciais no primeiro tempo, evitando que o time fosse para o intervalo em desvantagem. Porém, nos acréscimos da partida, acabou espalmando um cruzamento para o meio da área que resultou no gol de honra do Colorado.

Após o jogo, o goleiro lamentou o lance no finalzinho do embate, mas fez questão de destacar a importância do resultado para o Fluminense no Brasileirão. De acordo com Muriel, a equipe precisa agora manter o espírito das últimas partidas.

“Estamos muito felizes com esse resultado, os três pontos. Não queríamos sofrer aquele gol no final, mas o mais importante foram os três pontos. Tivemos uma boa disposição no início ao fim. Fizemos bons jogos na Sul-Americana e também estávamos fazendo bons jogos no Brasileiro, só que a vitória não estava vindo. Agora precisamos manter esse espírito que vamos conseguir coisas boas”, afirmou.

Essa foi a primeira vez que o arqueiro atuou contra o clube que o revelou. Irmão de Alisson, goleiro da Seleção Brasileira, Muriel foi criado nas categorias de base do Internacional e estava no Belenenses-POR antes de assinar contrato com o Tricolor das Laranjeiras.

Sobis classifica cena com escudo do Fluminense como “ato de respeito” e acrescenta: “Jamais pisaria”

No reencontro com o Fluminense, Rafael Sobis protagonizou uma cena curiosa no Maracanã. Ao fim do primeiro tempo, o colorado se preparava para cobrar escanteio quando afastou o escudo do ex-clube esticado no chão. Por isso, ouviu vaias. Mas, após a batida, recolocou no lugar e ganhou aplausos. Nas redes sociais, o gesto rendeu elogios de tricolores.

– É o mínimo. Jamais pisaria em um escudo que me ajudou tanto, me ensinou muito como pessoa. Se eu não faço aquilo (dobrar o escudo), ia pisar no escudo e não seria legal. Simplesmente foi um ato de respeito. Depois eu coloquei no lugar e ficou tudo bem – explicou.

Caso semelhante ocorreu no último fim de semana, no revés por 2 a 1 para o São Paulo. Na comemoração do segundo gol de Reinaldo, os são-paulinos, sem intenção, pisaram no brasão verde, branco e grená próximo à bandeirinha de escanteio. O centroavante Raniel percebeu e distanciou os companheiros da região.

Também chamou a atenção a reclamação do atacante, no intervalo do jogo deste sábado, sobre o gramado do estádio. Na saída do local, ele analisou a derrota por 2 a 1 para o Tricolor, que marcou com Yony González e Natanael (contra).

– Tomamos um gol que meio que acabou com o jogo. Foi bem no momento em que a gente estava com um jogador a menos (José Gabriel, em atendimento fora de campo). Depois eles empolgaram, fizeram outro gol que foi uma infelicidade nossa. A gente vem em uma sequência de jogos com uma adrenalina bem alta, então, na questão mental, conta muito o fato de tomar o gol. Conseguimos igualar um pouco no fim, talvez se tivesse cinco minutos a poderíamos empatar.

Sobis, de 34 anos, jogou nas Laranjeiras entre 2011 e 2014. Fez 40 gols em 174 partidas e conquistou os campeonatos Carioca e Brasileiro de 2012.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Alívio! Fluminense vence Internacional por 2 a 1 e deixa zona de rebaixamento

Nesse sábado, o Fluminense, finalmente, quebrou a sequência de sete rodadas sem vencer no Campeonato Brasileiro ao superar o Internacional, no Maracanã, por 2 a 1. Os gols foram marcados por Yony González e Natanael (contra). No fim, o adversário ainda diminuiu com Edenilson. A partida marcou ainda a reestreia de Wellington Nem com a camisa verde, branca e grená.

Contra os reservas do Colorado, que poupou jogadores por causa de compromisso na próxima semana pela Copa do Brasil, o Time de Guerreiros se impôs desde o começo do jogo. A primeira boa chance saiu dos pés de Pedro, que recebeu de Igor Julião e carimbou a trave. Mais tarde, Yony González bagunçou dois marcadores em bela jogada e só pecou na finalização, na rede pelo lado de fora.

Encurralados, os gaúchos melhoraram a partir da metade da primeira etapa. Foi a hora em que Muriel apareceu para salvar o Tricolor, espalmando chutes de Bruno Fuchs e Wellington Silva e cabeçada de Tréllez.

Na saída para o intervalo, Rafael Sobis ficou na bronca com o gramado do estádio. “Campo bem ruim, fica difícil de conduzir (a bola). O melhor e mais famoso estádio tem o pior gramado”, disse. Com a bola rolando, ele protagonizou uma cena curiosa. Afastou escudo do ex-clube esticado no chão para cobrar escanteio e ouviu vaias. Depois, recolocou no lugar e foi aplaudido.

Principal nome do duelo, Yony González reafirmou a grande fase pós-Copa América ao balançar a rede, de cabeça, depois de cruzamento certeiro de Caio Henrique. O colombiano é o artilheiro das Laranjeiras na temporada com os mesmos 15 gols de Luciano, que saiu para o Grêmio.

A equipe da casa se empolgou e quase ampliou com o que seria um golaço. Ganso passou para Pedro, que deu de calcanhar para Marcos Paulo, cara a cara com o goleiro Marcelo Lomba, isolar. Na sequência, o inspirado Yony soltou uma bomba que acabou espalmada pelo arqueiro.

O segundo gol, aos 22′ do segundo tempo, nasceu de arrancada de Ganso e Pedro. Dentro da área, o meia perdeu o controle da bola e viu o colorado Natanael empurrar para a rede.

Nenê teve a oportunidade do terceiro, após passe de Caio Henrique, mas parou em Lomba. Nos acréscimos, Edenilson aproveitou vacilo de Muriel para mexer no placar. O goleiro, que vinha bem até aquele momento, rebateu cruzamento para o meio da área.

Com o triunfo, o Fluminense chega a 12 pontos e deixa momentaneamente a zona de rebaixamento. Depende que o Cruzeiro, que enfrenta o Atlético-MG nesse domingo, não vença para permanecer em 16º lugar. O próximo confronto é sábado que vem, diante do Galo, no Independência.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Top