fbpx

Próximo adversário do Flu, Botafogo tem treino invadido por torcedores

Foto: Reprodução/Vídeo

Vivendo um péssimo momento no Campeonato Brasileiro, onde vem de quatro jogos sem vencer, vendo a zona de rebaixamento cada vez mais próxima, o Botafogo teve o treino da trade desta quarta-feira (2) invadido por membros da torcida organizada do clube.

O técnico Eduardo Barroca tomou as “dores” dos jogadores e conversou com os invasores ainda no gramado, ocasionando uma certa discussão ainda no gramado.

O próximo jogo do Botafogo é exatamente o clássico contra o Fluminense, no próximo domingo (2) às 16hrs, no estádio Nilton Santos.

O Fluminense viveu situação parecida no último sábado (28), quando membros de uma organizada invadiram o CT para cobrar mais atitude dos jogadores.

No jogo seguinte, o Fluminense venceu o Grêmio por 2 a 1 e deu uma acalmada nos ânimos. Mesmo assim, torcedores ainda cobraram o atacante João Pedro, que saiu para jantar com o família após a partida.

Grupo invade CT e cobra jogadores em meio a treino do Fluminense

Ameaçado pelo rebaixamento no Campeonato Brasileiro e eliminado da Sul-Americana, o Fluminense vive uma semana decisiva para seu futuro e, principalmente, tensa. Quinta-feira, houve a demissão de Marcelo Oliveira e, durante reunião do Conselho Deliberativo, um pequeno protesto nas Laranjeiras. Nessa sexta-feira, ocorreu, ainda, uma invasão ao Centro de Treinamento, na Barra da Tijuca.

Fábio Moreno, que assume o comando técnico no jogo contra o América-MG, domingo, acompanhava o aquecimento dos jogadores quando, de repente, cerca de 30 torcedores apareceram para reclamar da má campanha que o clube vem fazendo. Faz mais de um mês que os tricolores não comemoram um gol.

À espera desde cedo no portão do local, o grupo exigiu a permanência na primeira divisão, que depende, ao menos, de um empate na 38ª rodada, e bradou, por exemplo, que “Isso aqui é Fluminense!”. Até mesmo jornalistas, que estavam se retirando do campo, uma vez que a atividade seria fechada, foram ameaçados.

Seguranças tentaram conter os ânimos, mas a ação durou mais de meia-hora. Júlio César, Gum e Digão, líderes do elenco, conversaram com os responsáveis pela confusão, assim como o técnico interino e Paulo Angioni, único representante da diretoria presente. Rodolfo também ajudou a acabar com o tumulto.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

 

Top