fbpx

Fluminense oficializa saída de auxiliar técnico Léo Percovich

Foto: Maílson Santana: FFC

A manhã desta sexta-feira (14) foi de despedida no Fluminense: através de uma nota publicada em suas mídias sociais, o Tricolor anúncio o desligamento do auxiliar técnico permanente Léo Percovich, que deve seguir para a Inglaterra, para trabalhar na mesma função no
Middlesbrough .

Essa não será a primeira vez do uruguaio de 51 anos na equipe inglesa.
Percovich foi treinador de goleiros do Middlesbrough de 2013 a 2017, quando deixou o Boro para assumir as categorias de base como técnico da equipe sub-20 do Fluzão.

Léo no entanto foi promovido no início do ano onde passou a exercer a função de auxiliar técnico permanente na comissão de Fernando Diniz.

No tricolor o uruguaio também já havia trabalhado, quando fo goleiro da equipe na década de 90.

Na nota emitida pelo clube, o Fluminense limitou-se apenas em dizer que o treinador seguirá um projeto na Europa, não informando o clube de destino do auxiliar.

Ainda de acordo com a nota do Flu, o clube informou que o desligamento foi um pedido de Léo e ainda desejou sorte ao uruguaio em seu novo projeto.

Acompanhe a nota na íntegra:

O Fluminense Football Club comunica o desligamento do auxiliar-técnico Leo Percovich. O profissional procurou a diretoria tricolor no início desta semana e informou sobre a decisão de deixar o clube para assumir outro projeto profissional fora do Brasil. A decisão também teve base em questões familiares e, por toda consideração pela história que construiu no clube, tanto como jogador quanto como membro do departamento de futebol, o clube aceitou e deseja muito sucesso a ele nesta próxima etapa na carreira. As portas estarão sempre abertas não apenas ao Leo, mas a toda sua família.

Fluminense sonda Fernando Diniz e não descarta Léo Percovich para comando-técnico

Os principais nomes no Fluminense para o cargo de técnico, hoje, são Jair Ventura e Roger Machado. Embora exija um esforço salarial maior, o segundo ainda é uma possibilidade. Por sua vez, o nome do ex-Corinthians vem ganhando força nas Laranjeiras, principalmente por se encaixar na realidade do clube.

Mas a busca por um treinador não se resume somente a duas opções. Fernando Diniz, que também se encaixa no nível salarial planejado pela diretoria, recebeu sondagens, apesar de esbarrar em uma certa resistência nos bastidores. Caso nenhuma frente avance, o Fluminense considera a promoção de Léo Percovich ao comando-técnico do profissional. Ideia defendida, inclusive, por membros da Flusócio quando Marcelo Oliveira, dispensado no fim do Brasileirão, acumulava maus resultados.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Goleiro da base, Vinícius destaca ‘grupo forte’, elogia Júlio César e sonha com profissional

Esta semana é decisiva para os moleques de Xerém. Vice-líder do grupo B no Campeonato Brasileiro sub-20, o Fluminense encara o primeiro colocado, Palmeiras, às 15h desta quarta-feira, e disputa sua permanência no torneio, tendo Grêmio e Chapecoense na cola. Confiante, Vinícius Garcia, goleiro reserva, destaca a união do elenco e faz suas projeções para o fim desta primeira fase.

– Agora pegaremos o Palmeiras, em Itu. A expectativa é grande. Precisamos sair com os três pontos, fazer nove na competição e torcer para que os resultados nos permitam ficar em primeiro. Assim teremos um grupo mais confortável na próxima fase – explicou, antes de elogiar seus companheiros:

– O grupo está forte, unido. Acho que o pessoal está se desenvolvendo bem. Vamos honrar essa camisa e, se Deus quiser, conseguiremos a classificação. Espero que esse Brasileiro seja nosso.

Aos 17 anos, o jovem ainda busca seu espaço no time de Léo Percovich. Com a saída de Guilherme Boer, dispensado pela falta de verba do clube para adquirir seu passe (R$ 100 mil), Pedro Paulo é, hoje, o dono da meta. Mas tem a sombra de Vinícius, que aponta o caminho para deixar a condição de suplente.

Vinícius Garcia trabalhou no CT nesta segunda-feira, junto com o elenco principal. (Foto: Reprodução/Instagram)

– Trabalhando, com certeza. Respeito muito o companheiro de equipe. É lógico que quero a vaga. Mas sou mais novo, tenho que evoluir. Continuarei trabalhando. Se o Léo me der essa oportunidade, estou pronto, sim – afirmou, em entrevista ao Canal FluNews, durante a FluFest do último dia 21 de julho, quando jogou bola com a criançada no parquinho da sede.

As origens de Vinícius estão lá no interior do Paraná, em Londrina. Há três anos, ele, apoiado pela família, superou a concorrência de 80 goleiros em uma peneira promovida pelo Fluminense. Acostumado aos ambientes de Xerém e Laranjeiras, o jogador, às vezes, tem o Centro de Treinamento, na Barra, como local de trabalho. Acumula algumas convocações para treinar com o profissional. Foi assim com Abel Braga, ex-técnico, e, agora, com Marcelo Oliveira.

– Eu comecei a treinar no profissional aos 16 anos. Tive algumas oportunidades no ano passado, fui algumas vezes. Ficarei no profissional durante essa semana, fazendo a preparação. Darei meu máximo lá, vou trabalhar bastante para, daqui a pouco, quem sabe, ser promovido – declarou, esperançoso.


Veja mais trechos da entrevista com Vinícius Garcia:

Elogios a Júlio César

– Júlio é parceiro. Fera demais, humilde. Dá moral para o povo da base. É uma excelente pessoa. Eu, que já trabalhei com ele, posso dizer que se esforça muito. Falhar, pode acontecer. Mas o cara não desiste nunca.

Saída de Guilherme Boer para o Grêmio

– Ele sempre buscou renovar com o Fluminense. Mas o clube acabou não tendo o poderio financeiro para conseguir os direitos dele. Ele disse que ficou triste em ir embora.

Emocional de Léo Percovich depois da tragédia com a família

– Está melhor, sim. Às vezes, depois de alguns treinamentos e jogos, ele fica lembrando e acaba um pouco triste. Mas ele tenta sempre passar para nós uma energia positiva. Ele é um cara muito bom para a gente. Tentamos ajudar também. Sabemos a dificuldade que é, ele acabou perdendo duas filhas. Mas tenho certeza que o filho e a esposa dele dão muita força.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Mesmo com cenário escasso, Léo Percovich não deve ser efetivado

Diretoria busca um treinador com o mesmo perfil de Abel Braga.

O Fluminense vem encontrando enorme dificuldade para encontrar o substituto de Abel Braga, que pediu demissão do cargo de treinador no último sábado (16). No entanto, a efetivação de Léo Percovich, que chegou a ser cogitada por alguns membros da diretoria, está descartada, pelo menos por enquanto. Uma vez que a ideia da direção do clube é dar seguimento no trabalho do treinador à frente da equipe sub-20.

A intenção da diretoria tricolor, é encontrar um nome que tenha as mesmas características de Abel Braga. Um profissional que passe confiança e sirva de referência aos jogadores.

 

ST,

Douglas Wandekochen

foto: Mailson Santana

Léo Percovich revela pedido de vitória para dedicar a filha falecida: ‘Joguem por mim’

Enquanto vê seu time brilhar e emplacar sequência de dez vitórias, Léo Percovich lida com drama pessoal: em dezembro, perdeu duas filhas num acidente de carro em Minas Gerais. Em razão de ainda estar se recuperando do ocorrido, o técnico evita usar a tragédia como motivação para o time. No entanto, revela pedido especial feito em março aos seus comandados.

– Não uso muito minha história. É uma história muito forte. Está em uma etapa que não foi superada ainda, então é difícil usá-la como superação. Mas um dia, quando foi aniversário de uma das minhas filhas, enfrentamos a Cabofriense. Eu disse: “Hoje é um dia especial para mim. Necessito que vocês joguem por mim, para que eu entregue esse presente para ela. É possível?”. Os caras ganharam de 4 a 0 – conta.

Referência da garotada, o uruguaio, de 49 anos, explica o que entende por superação e a lição que pretende passar aos jogadores.

– Quero que eles entendam a superação não somente porque se teve uma tragédia. A superação está no dia a dia do treinamento, na personalidade de cada um, de tentar ser melhor naquilo que você ama, que é ser jogador de futebol. Independentemente da superação pessoal – cada um pode ter os problemas na vida -, você tem que tentar se superar como jogador, como atleta, como profissional. Ser um atleta melhor, um homem melhor é superação. Essa é a superação que eles têm que entender. A outra seria uma resiliência. É essa superação que busco passar para eles.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Top