fbpx

Reunião do Conselho Deliberativo do Fluminense é oficialmente convocada e já tem data definida

A reunião do Conselho Deliberativo do Fluminense foi oficial convocada e já está com uma data definida: dia 5 de novembro. Nela, o presidente Tricolor, Mário Bittencourt, prestará esclarecimentos da suposta rachadinha, no caso “Live Sorte” e sobre a foto com políticos no CT Carlos Castilho.

Vale destacar que a reunião foi um pedido do próprio presidente, quando deixou a vontade do encontre expressa em uma das notas do clube quando respondeu as acusações da Live Sorte.

Confira na íntegra a convocação do conselho:

Prezado Conselheiro,
Temos a satisfação de convocá-lo, para a Reunião Extraordinária do Conselho Deliberativo do Fluminense Football Club, de acordo com o disposto no artigo 28, Inciso II, letra “c”, a ser realizada no dia 05 de novembro de 2020, em primeira convocação às 18:00 hs e em segunda e última convocação às 20:00 hs, obedecendo-se à seguinte Ordem do Dia:
01- Explanação do Sr. Presidente do Fluminense F.C. Mário Bittencourt aos Srs. Conselheiros, sobre todas as medidas judiciais que já foram e estão sendo adotadas em face daqueles que, em razão de uma contenda comercial alheia aos interesses do clube, atingiram a reputação do FLUMINENSE no caso do patrocínio referente ao primeiro jogo do Campeonato Estadual de 2020, transmitido pela FLU TV.

Foto em destaque: Divulgação/FFC

Dono da Live Sorte nega carro-forte no Fluminense e acusa denunciante de envolvimento político dentro do clube

O dono da empresa Live Sorte, Renato Ambrósio, apontado como dono da voz no áudio que acusa o Fluminense de cobrar de 15 a 20% para fechar um acordo de patrocínio no jogo da final do estadual transmitido pela FluTv, concedeu uma entrevista ao site NetFlu e desmentiu vários pontos denunciados por Diego Perez, agente que divulgou diversos áudios e conversas de whatsapp.

Renato desmentiu inclusive um ponto da nota oficial do Fluminense, quando o clube disse ter recebido o dinheiro (R$1 milhão) através de um carro-forte, porém, não confirma como se deu a chegada do dinheiro ao clube.

Eu não te disse como é a forma de pagamento, prefiro não responder como é forma de pagamento. O que eu te disse é que não teve carro forte e ele (Diego) está inventando isso. O clube errou nessa informação de carro-forte. Não foi carro-forte que levou – disse Ambrósio, que ainda confirmou o valor de R$1 milhão.

O valor realmente foi R$ 1 milhão, pago no fim de semana (da final do Carioca, entre Flamengo e Fluminense) porque não tem banco aberto. Com nós fechamos o negócio no sábado, eu tenho uma empresa e a gente mandou em espécie e entregou no Fluminense. Dali pra frente, o que eles fizeram eu não sei. Nos deram um recibo do valor exato de R$ 1 milhão, o valor contratado – completou Ambrósio.

Renanto Ambrósio também fez questão de desmentir Diego Perez e diz ainda que os áudios divulgados foram uma criação do agente, que segundo Ambrósio, estaria envolvido com a política do clube.

– Já vou te adiantar que ele (Diego Perez) nunca foi nosso funcionário, ele é mentiroso, isso tudo que ele falou é mentira. Ele pegou ordens de outros áudios de outras conversas e colocou para vocês (imprensa) nesse desenho que ele criou, porque parece que ele é envolvido com conselheiro e está querendo arrumar uma briga política com o Fluminense. (…) Me mandara aqui as conversas, eu nem me preocupei porque eu sei que é tudo mentira. Ele pegou áudio de outras conversas e está passando como isso. Na verdade, ele tentou me pedir um dinheiro, chantagear, ele e um ex-conselheiro, se eu não me engano. Me pediram dinheiro e eu disse que não tinha que dar dinheiro para nada, porém eu não fiz negócio com eles. Não me trouxeram negócio nenhum. E disseram que iriam fazer escândalo, mas o que esse Diego (Perez) me disse, na quinta ou na sexta-feira, foi que ele tinha dado calote numa empresa, teve um problema na bolsa de valores, ele deu calote em um monte de gente. E ele tinha que dar dinheiro para um cara que já foi conselheiro do Fluminense. Ele tinha que dar dinheiro para o cara, iria ajudá-lo a fazer política. Veio com um monte de conversa, tentando me chantagear, eu não aceitei e morreu nisso. Tudo o que eu recebi de fotos, das conversas com ele, é tudo mentira dele, a gente tem tudo para provar. Nunca existiu isso dentro do Fluminense no meu negócio – afirmou Ambrósio.

Veja outros pontos da entrevista:

Você admite que os áudios são seus, mas, pelo que entendi, você alega que estão descontextualizados. É isso?

Não… é. Alguns áudios que me disseram que têm eu não ouvi. Eu não vi, eu não ouvi nenhum, eu não vi sua matéria. Não posso dizer que é meu, porque eu não ouvi. Eu não sei qual áudio ele colocou, eu não sei nada.

Tem uma parte dos áudios onde você, supostamente, diz que teria de pagar de 15% a 20% do presidente ao faxineiro para fechar contrato com o Fluminense. Existiu isso?

– Não tem isso, não. Não tenho esse áudio. Eu li isso. A única pessoa que teria comissionamento no meu negócio seria o Diego, ele teria 20% do lucro se eu tivesse lucro, mas isso legalmente. Não era 20% de propina ou de rolo. Esse Diego está descontextualizando tudo. Quem ganharia 20% era esse Diego. No Fluminense foi sempre o valor fechado. O Flu sempre me falou: “você paga e a gente te presta o serviço de mídia”. O Fluminense nunca me pediu nada, nunca teve comissão de nada. É tudo mentira dele.

O Diego lançou duas notas mostrando documentos, sendo um deles que provaria que seria contratado para falar em nome da Live Sorte. Você viu?

– Ele nunca teve contrato comigo. Esse cara me procurou dizendo que era lobista, que tinha negócios no Flamengo. Aí não deu certo no Flamengo e ele tentou o Fluminense. E ele também não conseguiu. Ele não tem contrato com nada, nem assinado, nem verbal, isso eu posso te provar. O Diego é um vendedor de ilusões, baita mentiroso, golpista, mau caráter, oportunista. Já deu golpe na bolsa de valores. Se ele tem algum contrato é falso, isso a gente consegue provar na Justiça. Eu te garanto que nunca tive negócio com ele. Ele jamais trabalhou pra gente. O próprio Fluminense e o Flamengo não fizeram negócio com ele, me disseram que era gente mau caráter e como ele não tinha feito negócio, eu falei pra ele que ele não iria participar de nada. No dia do jogo do Fluminense ele me ligou e eu falei para ele que se tivesse lucro, daria 20% do meu lucro, mas que era muito arriscado o negócio. Ele acompanhou as vendas, sabe que não tivemos lucro. Eu nem conheço esse Diego para ser sincero. Eu falei com ele algumas vezes pelo telefone e algumas vezes pelo Whatsapp. De 10 dias para cá, ele começou a tentar me chantagear, dizendo que tinha um cara aí, que ele me falou o nome, mas não sei, não vou falar para não falar bobagem. Disse que era conselheiro ou ex-conselheiro do Fluminense, me mandou um áudio desse cara ameaçando, falando que ia fazer escândalo. É tudo sacanagem, tudo inverdade. É coisa política deles. Não sei se vou tomar dinheiro de alguém, não sei qual é o lance deles. Não vi o que foi lançado, nem dele, nem do Fluminense. O que eu vi foi o Blog do Paulinho e aquilo é tudo mentira. Pode ter certeza. Ele está descontextualizando e inventando coisas que nunca existiu.

E essa questão do carro-forte, em levar R$ 1 milhão em espécie para o clube. Pode explicar? 

– Isso é tudo conversa dele (Diego). Eu não vou te passar informações por questões de segurança. Nunca teve essa conversa de carro forte, é mentira. Nunca teve nada disso. É tudo invenção dele, você pode ter certeza.

A empresa então não enviou nenhum carro forte para pagar o Flu no domingo?

– Não enviou carro forte nenhum! Eu não vou te falar como foi a forma de pagamento, mas não teve carro forte nenhum. Se tiver algum acesso, peça nas Laranjeiras a filmagem para ver se tem algum carro forte lá. Esse cara é um mentiroso, oportunista. O negócio que eu fiz com o Fluminense foi feito em contrato, legalmente, deram o recibo no valor certo e nenhum funcionário do Fluminense me pediu um centavo. Não teve negócio com essa outra empresa. Não sei nem o nome da empresa que ele fala lá. Esse Diego me procurou dizendo que era sócio de um instituto chamado IMN, que eu não sei o que é, junto com Igor e junto com Renato Darlan, que é filho de Siro Darlan (Desembargador do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro), dizendo que eles eram lobistas do Flamengo e perguntando se não queria fazer uma live, um sorteio dentro do jogo do Flamengo. Eu disse que tinha interesse, mas desde que fosse por dentro. Tive conversas, negociação com valores, mas o Flamengo me disse que eles não tinham nada, que era tudo mentira deles. E aí ele me disse que já estava adiantado, fechando com o Fluminense aí quando chegou na sexta-feira, véspera do jogo, eu descobri que era tudo mentira também. Não tinha nada fechado, ninguém conhece esse cara. São oportunistas e estão com conversa fiada. Mentiram para mim e agora estão mentindo sobre o clube.

Você falou que não teve o recebimento em espécie na sede do Fluminense e que o Diego Perez estava mentindo sobre o carro-forte. Então o Fluminense também mentiu sobre o carro forte? O clube lançou uma nota no último sábado explicando que havia recebido, sim, R$ 1 milhão em espécie, nas Laranjeiras. Não confere essa informação?

– Eu não te disse como é a forma de pagamento, prefiro não responder como é forma de pagamento. O que eu te disse é que não teve carro forte e ele (Diego) está inventando isso. O clube errou nessa informação de carro-forte. Não foi carro-forte que levou. O valor realmente foi R$ 1 milhão, pago no fim de semana porque não tem banco aberto. Com nós fechamos o negócio no sábado, eu tenho uma empresa e a gente mandou em espécie e entregou no Fluminense. Dali pra frente, o que eles fizeram eu não sei. Nos deram um recibo do valor exato de R$ 1 milhão, o valor contratado.

Depois dessas denúncias, você teve contato com o clube para resolver essa situação?

– Não tem nada. O clube tem contrato. Eles fizeram coisas lícitas, por dentro, e eu também. Podemos ser investigados por quem for que eu tenho comprovante de tudo e o clube também. A coisa foi feita lícita totalmente. O que eu fiz foi uma nota depois que ele soltou no Blog do Paulinho, e encaminhei para todo mundo, inclusive para o Fluminense, dizendo que era tudo inverdade que ele estava dizendo e a gente vai entrar com uma ação contra ele terça (hoje).

Foto em destaque: Divulgação/Fluminense FC

Top