fbpx

Fluminense divulga segunda parcial de ingressos vendidos para partida contra Fortaleza

O jogo entre Fluminense x Fortaleza, nesta quarta-feira (4), válido pela 37° rodada do Campeonato Brasileiro marca o último jogo do Fluminense no Maracanã em 2019.

Sem chances de rebaixamento, mas com grandes possibilidades de conseguir uma vaga na Copa Sul-Americana do próximo ano, os jogadores devem contar com o grande apoio do torcedor, que deve comparecer em bom número na despedida da equipe.

Segundo divulgado pelo próprio clube, cerca de 18mil ingressos já foram vendidos para o jogo desta quarta-feira (4) às 21h e 30.

Expectativa ainda é que o número possa ser superior ao do último jogo em casa, quando o Fluzão teve o apoio de mais de 30 mil torcedores na vitória de 1 a 0 sobre o Palmeiras.

Foto em destaque: Divulgação/FFC

Maracanã tem sido grande problema do Flu no Brasileirão

Uma grande aliado do Fluminense nos últimos anos, o Maracanã vem sendo o grande calcanhar de Aquiles do Tricolor ao longo do Brasileirão 2019.

Além do empate do último sábado (16) contra o Atlético Mineiro em 1 a 1, o Fluzão coleciona alguns fracassos no estádio que nem nos piores pesadelos os torcedores poderiam imaginar.

Logo na estreia o Flu foi surpreendido pelo Goiás, recém promovido à Série A, sendo derrotado por 1 a 0, com direito a pênalti perdido e anulação de gol pelo Var. Porém, o que parecia ser apenas um acidente percurso virou constante, em 16 jogos como mandante até aqui, foram: 4 vitórias, 6 empates e 6 derrotas.

Entre essas derrotas, resultados totalmente inacreditáveis antes do início do Campeonato, como para o próprio Goiás na estreia, além de CSA e Avaí, todas pelo placar de 1 a 0, ainda tivemos os dois 1 a 1 contra Ceará e Chapecoense.

Há cinco rodadas do fim do Campeonato, o Fluzão ainda tem mais duas partidas dentro de casa para buscar a permanência na Série A, Palmeiras e Fortaleza. Pega ainda CSA, Avaí e Corinthians longe do Rio.

Vale destacar que a partida contra o Corinthians, válida pela última rodada do primeiro turno, com mando do Fluminense, foi jogado em Brasília.

Fluminense homenageia Julio Romero

O Fluminense prestará homenagem a Julio Romero, filho do ídolo Romerito, na partida de hoje (02), contra o Vasco no Maracanã. O clube fará homenagens no telão do estádio e um minuto de silêncio.

Julio Romero morreu em um acidente na estrada, na quarta-feira (10/10), em Luque, no Paraguai.

Foto: Arquivo pessoal

É o aí Jesus: jornal desmente teoria do técnico flamenguista

Foto: Divulgação

Após sua equipe exibir um padrão abaixo da média no último domingo (27), quando venceu o CSA por 1 a 0, o técnico rubro-negro, Jorge Jesus, culpou o gramado pelo fraco desempenho da equipe.

Para justificar ainda o ruim estado da grama, Jesus usou como justificativa o fato do Fluminense ter jogado antes do Flamengo, uma vez que o Tricolor entrou em campo no sábado (26) para enfrentar a Chapecoense.

Diante da declaração do treinador, o jornal O Globo fez o levantamento e desmentiu a tese do treinador. De acordo com a reportagem, contabilizando apenas os jogos do Campeonato Brasileiro, Flamengo e Fluminense dividiram o Maracanã na mesma rodada em oito oportunidade, tendo o rubro-negro entrado em campo primeiro em cinco vezes, contra apenas três do Tricolor.

O jornal foi além e contabilizou apenas as rodadas em que Jesus já estava no comando do Fla – contra o Goiás, em 14 de junho, e os números não são tão diferentes assim: em seis partidas no total, quatro vezes o Flamengo entrou em campo primeiro na rodada, e duas vezes foi o Fluminense.

Não tira o Flu da cabeça ? Jorge Jesus “culpa” o Tricolor pelo mal desempenho do Fla

Foto: Divulgação

Após o jogo entre Fluminense e Chapecoense, no último sábado (26) o Maracanã recebeu Flamengo x Avaí no domingo (27). Dois jogos em menos de 24hrs.

Com um futebol abaixo do apresentado nas últimas rodadas, o técnico rubro-negro logo achou um culpado pelo desempenho abaixo do esperado: o Fluminense.

– É impossível ter qualidade de jogo com um gramado desse. Não entendo porque o Fluminense joga sempre antes do Flamengo. Poderia jogar depois – disse o comandante após a partida.

Vale ressaltar que no outro final de semana esse cenário volta a se repetir, quando o Fluminense enfrenta o Vasco no sábado (2) enquanto o Flamengo recebe o Corinthians no domingo (3).

Criticado pela torcida, Gilberto vê vaias como ‘cobrança de time grande’

Lateral-direito falhou na construção do gol da Chapecoense e foi hostilizado pelos tricolores presentes no Maracanã

Foto: Lucas Merçon / FFC

Alvo das críticas da torcida há algum tempo, Gilberto novamente teve participação negativa em um gol da equipe adversária. No empate em 1 a 1 com a Chapecoense em pleno Maracanã, o lateral-direito falhou na construção da jogada que terminou com a abertura do placar por parte da equipe catarinense. Após o lance, o atleta passou a ser vaiado sempre que tocou na bola.

Após a partida, ao ser perguntado sobre a hostilização dos torcedores, Gilberto lamentou o resultado e comentou sobre as inúmeras vaias vindas das arquibancadas. O jogador disse entender a cobrança e afirmou que em time grande isso é normal.

“Infelizmente não conseguimos o resultado dentro de casa, que era importante para nos afastarmos da zona. Eu e mais companheiros erramos, mas a torcida escolheu a mim. É o futebol, tem que levantar a cabeça. Depois construí jogadas, coloquei meus companheiros na cara do gol”.

“É time grande, né. Sabe como é. Infelizmente o Fluminense não vive seu melhor momento, alguns problemas extra-campo aconteceram durante o ano, e não foi fácil fazer um grande ano. A torcida não está satisfeita com o que está acontecendo. Time grande tem que estar brigando sempre lá em cima. O jogador que erra eles vão cobrar, a gente tem que aceitar e trabalhar para ajeitar essa situação”.

O lateral-direito do Fluminense também falou sobre o que sente o atleta no momento em que passa a ser vaiado pela torcida. De acordo com ele, é complicado pela questão dos familiares, mas, como dito anteriormente, é uma pressão que vai acontecer quando se joga em clubes desse tamanho.

“É difícil, não é fácil ser vaiado. A gente tem família no estádio, tem tudo isso. Mas eu sempre que deixo claro para minha família e amigos que isso é cobrança de time grande. Se eu não render, eles vão me cobrar. Na segunda metade do ano eu vivi momentos ruins, mas também tive momentos bons. Vamos buscar dar a volta por cima”.

Entendeu, Vasco? Maracanã deixa de ser campo neutro no Carioca, e Fluminense garante torcida em setor Sul

A reunião que aprovou a fórmula de disputa do Campeonato Carioca de 2020, segunda-feira, na sede da FERJ, decidiu dar fim à condição de campo neutro para o Maracanã. Desse modo, o Fluminense, administrador ao lado do Flamengo, garante, como mandante, o direito de posicionar sua torcida no setor Sul, como já ocorre no Brasileirão.

— A discussão do lado não é uma guerra de prestígio. É uma questão comercial. Não existe hipótese jurídica de um regulamento interferir nisso. Temos uma permissão de uso que foi prorrogada. Não queremos prejudicar ninguém. Mas o Fluminense não tem como abrir mão disso por questões comerciais. Pagamos para jogar ali, custeamos o estádio. Não existe lógica. No dia em que eu jogo uma decisão, eu tenho que me deslocar, fechar minhas lojas, para atender reivindicação baseada em história? O Maracanã mudou desde a reforma. Não há nada pessoal contra o Vasco. Mas a questão é simples. Botafogo e Vasco não fizeram questão de estar lá porque usam seus estádios. Flamengo e Fluminense fizeram acordo e têm obrigações contratuais – disse Mário Bittencourt.

— É evidente que a torcida do Fluminense, no Maracanã, sempre ficará do lado direito. Foi como exposto pelo presidente do Fluminense. Eu penso que a lógica está situada no fato de que hoje o Fluminense está dentro do estádio dele — completou Rubens Lopes, presidente da federação.

A polêmica acerca do lado Sul do estádio marcou a final da Taça Guanabara deste ano, em fevereiro. Após batalha judicial entre os clubes, foram geradas liminares pelo fechamento dos portões e, depois, pela liberação da entrada de torcedores, com a bola rolando.

— Nossa preocupação é que houvesse um embate como o que nos levou a cenas horríveis como as que aconteceram no clássico. Aquilo foi uma das piores coisas que aconteceram, por uma divergência boba. Ao menos, eles deram a entender que chegaram a um atendimento — declarou Lopes.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fluminense perde para o Flamengo e volta a ser ameaçado pela zona de rebaixamento

Deu Flamengo no sexto clássico com o Fluminense em 2019. A derrota no Maracanã, perante maioria rubro-negra, começou a ser desenhada aos 3 minutos, quando Bruno Henrique marcou de cabeça, em cochilo da zaga após cobrança de escanteio. No lance anterior, Yony González havia dado a bola nos pés de Gabriel, dentro da área; Muriel mandou pela linha de fundo.

Logo em seguida, Wellington Nem completou, de voleio, cabeceio de Yony. Diego Alves espalmou, mas a jogada, provavelmente, seria anulada em caso de gol, em razão da posição irregular do atacante. A resposta veio num contra-ataque que terminou com Gabriel frente a frente com Muriel, novamente melhor no duelo com o artilheiro do Campeonato Brasileiro.

Aos 10′, o VAR entrou em ação. Anderson Daronco analisou suposto pênalti de Nino em Gabriel e, dois minutos depois, ordenou o prosseguimento do jogo. O rival seguiu dando trabalho a Muriel. Defendeu finalizações de Éverton Ribeiro e Rodrigo Caio; entretanto, só olhou as perigosas cabeçadas de Frazan e Vitinho.

Na primeira etapa, o Tricolor arrumou duas boas investidas. Wellington Nem arrancou e chutou para Diego Alves espalmar. No fim, Yony González acertou voleio para fora, com o goleiro já vencido.

Os erros depois do intervalo continuaram os mesmos. A marcação alta do Flamengo dificultava a saída de bola do Time de Guerreiros, que acabava se enrolando. Numa das chegadas, saiu o segundo gol: Gérson, revelado pelo Fluminense.

A intensidade rubro-negra caiu e, mesmo assim, o Tricolor pouco conseguiu ameaçar. Pelo contrário: chegou a apenas observar a troca de passes, enquanto a torcida rival cantava “Olé”. Frazan, caído, quase diminuiu, já nos acréscimos, ao finalizar para mais uma boa defesa de Diego Alves.

O segundo revés seguido recoloca o clube das Laranjeiras em condição delicada no Brasileirão, apesar de ainda ocupar o 15º lugar e não sofrer risco de cair para o Z-4. Por outro lado, perde uma posição se o Ceará vencer o Bahia, amanhã, na Fonte Nova, e empata em pontos com o CSA se este vencer o Botafogo no Nilton Santos. O próximo compromisso é diante da Chapecoense, sábado, no Maracanã.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Jorge Jesus descarta poupar jogadores em Flamengo x Fluminense: “Domingo é para correr”

Enquanto o Fluminense ainda joga nesta quinta-feira, contra o Athletico, o Flamengo venceu o Fortaleza, de virada, na 26ª rodada do Brasileirão. Os rivais se encontram às 18h de domingo, no Maracanã. No que depender do técnico Jorge Jesus, o Rubro-Negro, apesar de duelo decisivo com o Grêmio pela Libertadores no meio da próxima semana, entrará em campo com força máxima.

— Minha cultura não é essa (de poupar). E os jogadores provam domingo a domingo. Descansar? Isso não existe. Vamos descansar nos dias que temos. Quinta, sexta, sábado… Domingo é para correr. Se tivermos jogadores com sinais de lesão, é outra coisa — disse na quarta-feira.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Top