fbpx

Torcedores são impedidos de colocar faixas de apoio, nas arquibancadas do Maracanã

Ainda sem público, devido a pandemia, torcedores vem enfeitando as arquibancadas do Maracanã, nos jogos do Fluminense, com faixas e mensagens de apoio, afim de amenizar a ausência da torcida.

Tendo seu próximo confronto disputado no Mário Filho, contra o Corinthians, domingo (13), às 16h, as pessoas envolvidas na montagem e organização foram ao estádio, na tarde desta sexta-feira, para fazer os reparos e aprimoramento no material a ser exposto, porém, ao chegar foram impedidos de entrar. O motivo teria sido, que ‘o clube não teria autorizado a colocação de mais nenhum material, além do que já estava’.

Em nota, a torcida organizada Flunitor, questionou se esta barração seria uma retaliação, devido as criticas feitas pelos torcedores, que estão insatisfeito com o momento vivido pelo clube dentro e fora das quatro linhas. O comunicado destaca ainda que independentemente do momento que o Fluminense atravessa, o intuito é apoiar o time.

Confira a nota oficial da Flunitor

View this post on Instagram

É assim que o Fluminense vai entrar no Maracanã para disputar a próxima partida, com o estádio praticamente sem material das torcidas. Apesar do momento do time não agradar aos tricolores, as torcidas sempre apoiaram e hoje a intenção não era diferente. Os torcedores ao chegarem ao Maracanã para realizarem os reparos e aprimorarem a montagem de materiais como forma de apoio ao time para a próxima partida, todos foram surpreendidos com a ordem de que o clube não teria autorizado a colocação de mais nenhum material, além do que já estava, o que foi de imediato indagado do por que, mas os integrantes das torcidas não obtiveram resposta. As Torcidas em geral, apesar de insatisfeitas com as atuações irregulares do time, desempenhos táticos e técnicos, sendo eles insuficientes e/ou instáveis pela grandeza do FFC, além da inexplicável eliminação vergonhosa na sulamericana, bem como desejam uma maior transparência na administração, estavam mais uma vez embaixo de sol escaldante para demonstrarem que apesar das críticas, amamos o Fluminense, e estamos sempre apoiando as três cores que traduzem tradição, em busca de melhores desempenhos, resultados e conquistas, mas infelizmente a ordem que veio do Clube, demonstrou que nosso apoio e todo o sacrifício de torcedores que se deslocam de longe, largam afazeres pessoais e profissionais em prol do Flu, não possui tanta significância, pois alguém no Clube preferiu deixar espaços totalmente vazios no Estádio, a ter faixas das torcidas, de incentivo a equipe. Seria retaliação pela insatisfação manifestada pelos tricolores? Deixamos bem claro que no estádio não teria nenhuma faixa de protesto. Ante a total falta de respeito aos torcedores que ali estavam no Maracanã por amor ao Fluminense e a retaliação do Clube com as torcidas, por algumas críticas, quase a totalidade das Torcidas decidiram, como forma de protesto pacífico, aliado as insatisfações já explanadas, pela retirada de quase todo material que já estavam no estádio. Respeitem o Torcedor Tricolor, Respeitem o Fluminense, pois o Fluminense, é a sua Torcida.

A post shared by Torcida Flunitor (@torcidaflunitor) on

Torcida Nordeste Flu agredece por faixa no Maracanã

A NORDESTE FLU, através de suas agremiações, vem agradecer em especial ao Dhaniel Cohen, Fluminense e a Flunitor, pela colocação da Faixa da Nordeste Flu nas arquibancadas do Maior do Mundo, nesse começo fantástico e, com muita união, o Nordeste vem mostrar a força das torcidas do Fluminense na nossa região. Muito obrigado. 🇭🇺

@fluminensefc
@dhanielcohen
@torcidaflunitor
@nordesteFlu

Sem explicações: Nenê fala sobre os três gols no Maracanã

O grande nome do Fluminense no jogo desta terça-feira (25) contra o Figueirense, o meia Nenê falou após o jogo à FluTv e disse não ter explicações para falar sobre o Hat-Trick anotado na partida.

O meia também lembrou que foi o primeiro gol de falta marcado por ele no Maracanã e lamentou a falta de público. Confira:

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Depois de quase um mês, Flu voltará a jogar no Maracanã

Após iniciar o Campeonato Brasileiro com derrota, por 1 a 0, para o Grêmio, fora de casa, o Fluminense terá a chance de se recuperar na competição em seus domínios. Os próximos dois confrontos do Tricolor será contra Palmeiras e Internacional, no Maracanã, estádio que o Flu voltará a atuar depois de 27 dias.

A última partida disputada no ‘Maior do Mundo’ foi no dia 15 de julho, pela final do Carioca, contra o Flamengo. Para preencher o vácuo entre o término do estadual e o início do Brasileiro, o Fluminense fez dois amistosos contra o Botafogo. Porém, ambos foram no Nilton Santos.

Nesta quarta-feira (12) contra o Palmeiras, pela segunda rodada, Odair terá a oportunidade, além de voltar ao Maracanã, vencer a primeira partida oficial, desde que o time voltou da parada. Até aqui foram sete jogos disputados, com quatro derrotas e três empates.

Foto: Divulgação

Fluminense é notificado por dívida superior aos R$5 milhões por serviços no Maracanã

O Fluminense recebeu uma notificação extrajudicial pelo grupo Sunset, referente a uma dívida de R$ 5,168 milhões referente ao não-pagamento de serviços prestados pela empresa em jogos do Tricolor no Maracanã.

De acordo com o UOL Esportes, o documento que foi enviado no início do mês, informa que “constam débitos de serviços de segurança patrimonial, limpeza e conservação, controlador de acesso e facilities que remonta ao ano de 2017”, quando o clube era presidido por Pedro Abad.

No mesmo documento a empresa ratifica que: “já notificamos extrajudicialmente, em diversas outras ocasiões, sem obtermos respostas e, mesmo diante dessas circunstâncias, os serviços continuaram sendo prestados”, o que de acordo com a empresa ira mudar, rompendo com a prestação de serviços nos jogos do Flu no estádio enquanto pelo menos parte do valor não for quitado.

Foto em destaque: Divulgação/FFC

Maracanã recebe selo de qualidade de prevenção à Covid-19

O estádio do Maracanã que abrigou um dos Hospitais de Campanha na luta contra a Covid-19 no Rio de Janeiro, recebeu nesta segunda-feira (27) o Selo de Excelência e Qualidade das Boas Práticas de Prevenção à Covid-19.

O título fou conferido pela Prefeitura do Rio de Janeiro pelos procedimentos realizados em dias de jogos.

A prática continuará sendo utilizada ao longo da disputa do Campeonato Brasileiro desta maneira enquanto durar a pandemia.

Vale destacar que o Maracanã foi primeiro estádio do Brasil a ficar pronto, cumprindo rigorosamente todos os protocolos de saúde, para a disputa dos jogos restantes do Carioca, assim como é único estádio do Rio que conta com este selo.

Em nota, Fluminense explica escolha pelo Maracanã

O Fluminense foi o clube sorteado como mandante da final da Taça Rio. Como tal, teve o direito de escolher o local que abrigaria a decisão, tendo que definir entre Nilton Santos (Engenhão), ou Maracanã.

O clube escolheu o Maraca, gerando algumas críticas por parte da torcida, principalmente após declarações do presidente, Mário Bittencourt, dizendo que o clube evitaria mandar seus jogos no estádio, por conta do Hospital de Campanha que fica no complexo Maracanã.

Diante disso, o clube emitiu uma nota, na qual explica os motivos da escolha, destacando o fato de uma cláusula no contrato que obriga o Fluzão a mandar pelo menos 30 jogos no estádio ao longo do ano.

Veja a nota na íntegra:

O Fluminense mandará o seu jogo da final da Taça Rio contra o Flamengo no Maracanã. A decisão foi tomada para cumprir contratos de gestão do estádio, já que, pelo termo de permissão de uso assinado com o Governo do Estado, temos obrigação de jogar um mínimo de jogos ao longo da vigência do contrato e das competições vigentes. O FFC mandou seus jogos em outro estádio até o limite possível, para que não descumprisse obrigações contratuais. Esclarecemos ainda que, em entrevista do presidente Mário Bittencourt ao programa Troca de Passes, do SporTV, realizada no dia 18/06, já havia deixado claro que o clube teria que voltar a jogar no Maracanã por conta dessas obrigações.

O clube informa ainda que realizará ações até o dia do jogo, como a venda de ingressos virtuais, e destinará a arrecadação para doação de cestas básicas para comunidades do Rio de Janeiro. Seguimos contrários à realização de jogos ao lado de um hospital de campanha. O erro original foi sermos obrigados a voltar a disputar o campeonato, mas temos por princípio o cumprimento de nossos contratos e em nenhum momento, durante toda essa crise, deixamos de observar nossas obrigações.

Fluminense ganha sorteio e será mandante da final da Taça Rio; clube escolheu também o palco da partida

Em sorteio realizado há pouco na sede da Ferj, o Fluminense ganhou o sorteio e será o mandante da final da Taça Rio. Desta forma, o clube das Laranjeiras definiu o estádio do jogo e será também o responsável por toda operação da partida.

Podendo escolher entre Nilton Santos e Maracanã, Marcelo Penha, representante do clube, escolheu o Maraca. O clube também ficará responsável pela transmissão do jogo, que deve ser transmitido pela TV Globo.

Vale destacar que não há vantagem na final. Em caso de empate, o campeão será definido nós pênaltis. Caso o Flamengo vença, já garante o título estadual por ter sido o campeão da Taça Guanabara e time de melhor campanha no somatório geral.

O Flu precisa ser campeã da Taça Rio para forçar mais dois jogos, para decidir o campeão Estadual de 2020.

Foto em destaque: Divulgação/Ferj

Fluminense aceita jogar no final de semana mas pretende mudar local da partida

O STJD definiu na tarde da última terça-feira (23) que os jogos da dupla Fluminense e Botafogo, sejam realizados no próximo final de semana, mais precisamente, no domingo (28), quando de acordo com a tabela da Ferj, o Botafogo joga no Nilton Santos, às 11h e o Fluminense, às 19h, no Maracanã.

O presidente do Fluminense, Mário Bittencourt, até concordou com ressalvas em voltar aos gramados na data determinada, no entanto, busca meios de não atuar no Maracanã. A negativa deve-se ao fato do estádio abrigar um Hospital de Campanha em um de seus complexos.

Desta forma, de acordo com o portal UOL, o Fluminense enviou um ofício para a Federação, solicitando alteração de sua partida para o Nilton Santos. Como o Botafogo já irá jogar no estádio, teoricamente no mesmo dia, domingo (28), O Tricolor pede que sua partida não puder ser marcada para o mesmo dia, que seja remanejada para a segunda-feira (29).

A Ferj no entanto ainda não respondeu a solicitação.

#Maraca70! EP 03 – “Fluminense, campeão do Brasil”

Palco de duas finais de Copa do Mundo (1950 e 2014) o Estádio Jornalista Mário Filho, mais conhecido como Maracanã, completa em 2020, sete décadas de existência.
Inaugurado dia 16 de junho de 1950, o Estádio se tornou um maiores símbolos do futebol brasileiro e mundial, colecionando partidas emblemáticas ao longo de sua história.

Junto às Laranjeiras, o Mário Filho se tornou a casa do Fluminense, transformando-se em um elemento fundamental na trajetória do clube e de sua torcida. Pensando nisso, separamos algumas partidas marcantes do Tricolor no ‘Maior do Mundo’. A cada dia, um jogo diferente será lembrado, seguindo a linha do tempo.

E no episódio de hoje relembremos o primeiro título do Tricolor no âmbito nacional na maior templo do futebol Brasileiro.

Fluminense 1 x 1 Atlético-MG – Quadrangular final – Brasileirão de 1970

Homenageado na nova armadura Tricolor, produzida pela Umbro, nova fornecedora de materiais esportivos do clube, a conquista do Torneio Roberto Gomes Pedrosa, carinhosamente apelidado de “Robertão” colocou o Fluminense na galeria das equipes campeãs mundiais e nacionais – À época, no Brasil, apenas Santos e Palmeiras haviam conseguido tal feito. Sendo o Santos Bicampeão do Intercontinental (1962 e 1963) e o Palmeiras, campeão da Copa Rio de 1951.

Chancelado pela antiga CBD (Confederação Brasileira de Desportos) antecessora da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), o Robertão de 1970, demorou 40 anos para ser reconhecido como Campeonato Brasileiro pela atual entidade máxima do esporte no país. Apenas em 2011 houve a unificação dos torneios pré 1971.

No dia 20 de Dezembro de 1970, o Fluminense enfrentava o Atlético-MG, pela terceira rodada do quadrangular final, em um Maracanã pulsante, com mais de 112 mil pagantes para contemplar o campeão do Brasil.

Depois de uma campanha sólida na primeira fase, onde terminou na segunda colocação do grupo B, com 20 pontos, o Flu avançou à próxima fase para enfrentar, além do Galo mineiro, Palmeiras e Cruzeiro.

Após vencer o Alvi-verde e a equipe Celeste, ambos por 1 a 0, o Tricolor chegou para o último confronto dependendo apenas se si. Bastava no mínimo um empate para o Troféu ir para ás Laranjeiras. Já que, caso o Tricolor perdesse, o Título ficaria pela quinta com o Palmeiras, pois, a equipe paulista venceu o Cruzeiro por 4 a 2 o Cruzeiro.

E foi exatamente o que aconteceu. A equipe comandada pelo técnico Paulo Amaral, deixou de lado a vantagem conquistada na tabela e foi pra cima do time de Telê Santana, que trocou o Flu pelo Galo naquele mesmo ano.

Aos 30 minutos do primeiro tempo, Mickey colocou o Flu com uma mão na taça, ao abrir o placar da partida.
No início da etapa final, um banho de água fria nos Tricolores. Logo aos 2′ minutos, o Atlético chegou ao empate, com Vaguinho.
Porém, a equipe de Telê não conseguiu estragar a festa nas Laranjeiras. O apito final coroou a melhor campanha geral de toda competição.

Naquele domingo, cinco dias antes do Natal, os Tricolores espalhados de norte a sul do país, comemoravam duas conquistas, uma nacional e outra internacional. Pois, o Fluminense sagrava-se ‘Campeão do Brasil’ – assim era tratado pela imprensa no dia seguinte – e seis meses antes, o Brasil havia ganho seu Tricampeonato Mundial de seleções, no México.

Confira a ficha técnica de Fluminense 1 x 1 Atlético-MG – Brasileirão de 1970

FLUMINENSE:
Félix; Oliveira, Galhardo, Assis e Marco Antônio (Toninho); Denilson e Didi; Cafuringa, Cláudio, Mickey e Lula. Técnico: Paulo Amaral.


ATLÉTICO-MG
Renato; Nélio (Zé Maria), Humberto, Vantuir e Oldair; Vanderlei e Humberto Ramos; Ronaldo, Lola, Vaguinho e Tião. Técnico: Telê Santana.


Competição: Torneio Roberto Gomes Pedrosa

Compromisso: 3° rodada – quadrangular final

Data: 20 de Dezembro de 1970 (DOMINGO)

Público: 112.403 pagantes. – Renda: Cr$ (Cruzeiros) 535.419,50.

Veja o Gol de Mickey, que deu o título do Fluminense
Top