fbpx

Elogiado, Marcão ganha novo cargo no Fluminense: “Um dos melhores da nova geração de técnicos brasileiros”

Com a chegada de Odair Hellmann, Marcão, que comandou o Fluminense a partir da demissão de Oswaldo de Oliveira, no fim de setembro, voltará a ser auxiliar. Além disso, ganhou mais um cargo no clube para a próxima temporada: será treinador da equipe sub-23 (ou de aspirantes).

— O Fluminense agradece por toda a dedicação, lealdade e entrega de Marcão, cujo aproveitamento dignificou sua história e a do clube. Marcão, um dos melhores profissionais da nova geração de técnicos brasileiros, seguirá no clube como responsável pela equipe Sub-23 e manterá suas funções no Departamento de Futebol Profissional como auxiliar técnico — explica o Tricolor no comunicado sobre a contratação de Odair.

Pelo Brasileirão, Marcão conseguiu vencer sete de 17 jogos. Foram seis empates e quatro derrotas. Pela Sul-Americana, como interino, depois da saída de Fernando Diniz, empatou em 0 a 0 com o Corinthians na ida das quartas-de-final.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Obrigado, Marcão! – Por João Edurdo Gurgel

O fim do Brasileirão de 2019 finalmente chegou. Após momentos de grande aperto, o Fluminense conseguiu não só se livrar do rebaixamento e foi coroado na última rodada, com uma classificação heróica para a Copa Sulamericana de 2020.

Foi uma temporada extremamente turbulenta! Internamente, foi um dos períodos mais turbulentos do clube. A saída precoce do ex-presidente Pedro Abad, seguido da eleição de Mário Bittencourt e Celso, que em menos de seis meses, já brigaram e romperam quase todas as suas relações políticas dentro do clube. Os salários foram atrasados quase que o ano todo, os direitos de imagem também, houve cobrança da torcida, duas trocas de técnico e muito mais. Mas mesmo com isso tudo, o Flu conseguiu superar todos os problemas e se manteve aonde é o seu lugar, na Série A.

Mas quem realmente deve ser aplaudido por esse momento?

Bom, em primeiro lugar, um agradecimento aos jogadores, que mesmo com meses de salários e direitos de imagem, troca de treinadores e pressão da torcida, souberam contornar os problemas, incluindo a limitação do elenco, e livrar o Flu do rebaixamento e conseguir, uma vitória heróica na última rodada, contra o Corinthians em Itaquera e que deu a vaga ao Flu na Sulamericana.

Mas, o agradecimento maior, com certeza vai para o treinador Marcão!

Além do amor reconhecido do ex-volante pelo clube, Marcão, que era auxiliar de Dinz e de Oswaldo de Oliveira, assumiu a responsabilidade de assumir o futebol profissional do clube. Com pouquíssima experiência como técnico profissional, muitos questionaram sua presença como treinador. Mesmo, em momentos onde Celso quis sua demissão, Mário bancou o treinador.

Rio de Janeiro, RJ – Brasil – 04/12/2019 – Maracanã – Marcão\r\nCampeonato Brasileiro. 37ª Rodada. Jogo Fluminense x Fortaleza.\r\nFOTO DE MAILSON SANTANA/FLUMINENSE F

Óbvio que o torcedor sabia dessa dificuldade do Marcão. Mesmo em momentos ruins, e com parte da torcida caindo em cima, Marcão nunca fugiu dessa responsabilidade. Ele assumiu o clube em um caos. Mesmo sob desconfiança, o treinador que é dito dentro do vestiário como um “amigão e paizão” por alguns jogadores, teve o que Diniz e Oswaldo não tiveram. O apoio de todos no elenco, fazendo com que houvesse uma relação mútua de garra e amor a camisa.

Marcão mostrou que sim, tem muito o que evoluir caso deseja se tornar treinador de futebol em uma equipe principal, ainda tem muito o que evoluir. Mas, mostrou que quando se trata de amor ao clube, foi uma relação que cresceu e se provou que é muito forte! Aos trancos e barrancos, Marcão livrou o Flu da Serie B e ainda colocou o clube na Sulamericana.

As vezes, o amigão da galera, pode solucionar grandes problemas!

Saudações Tricolores,

João Eduardo Gurgel

Depois de garantir vaga na Sul-Americana, Marcão destaca comprometimento dos jogadores: “Honraram demais essa camisa”

O Fluminense encerrou o Campeonato Brasileiro 2019 neste domingo (8) de forma digna: venceu o Corinthians, em Itaquera, por 2 a 1. O resultado serviu para garantir o clube na Copa Sul-Americana do ano que vem.

Após a partida, o técnico Marcão, que deve voltar ao cargo de auxiliar permanente no próximo ano, fez questão de destacar o comprometimento dos jogadores:

Temos que agradecer aos jogadores. Destacar a entrega e o comprometimento deles. Foi um ano muito difícil para eles e honraram demais essa camisa. Fico muito feliz em poder contribuir um pouquinho com esse grupo – disse o treinador.

Foto em destaque: Mailson Santana/FFC

Mário exalta trabalho de Marcão e comissão técnica à frente do Fluminense: “Terminamos com dignidade”

Foi vencendo o Corinthians por 2 a 1, em Itaquera, que o Fluminense encerrou sua participação no Campeonato Brasileiro de 2019. Livre do rebaixamento desde a 36ª rodada, o Tricolor ficou na 14ª colocação, com 46 pontos, carimbando vaga na Sul-Americana. 

Em rede social, o presidente Mário Bittencourt, que assumiu o poder em meados de junho, agradeceu Marcão e sua comissão técnica pelo trabalho à frente da equipe. O ex-volante começou como auxiliar e, depois das demissões de Fernando Diniz e Oswaldo de Oliveira, ganhou o cargo de treinador principal, no fim de setembro. Na próxima temporada, retorna ao posto de assistente. A previsão é de que a busca pelo novo comandante seja iniciada a partir do fim do Brasileirão.

— Meu agradecimento ao Marcão pelo ótimo trabalho que fez nestes 17 jogos do campeonato brasileiro. Foram 53% de aproveitamento com 27 pontos conquistados dos 46 que fizemos em toda a competição. Após o jogo de hoje e a grande vitória sobre o Corinthians, conquistamos a vaga na Copa Sul-Americana de 2020. Diante de um ano com enormes dificuldades, terminamos com dignidade. O Fluminense merece muito mais e vamos trabalhar para isso, com criatividade e ousadia. Marcão sempre amou o Fluminense e desde os tempos de jogador deu seu suor e seu sangue pelas nossas cores. Agora, como treinador, não foi diferente. Meu muito obrigado novamente a ele por estar sempre a disposição do nosso clube. Saudações Tricolores — escreveu Mário em um dos posts.

— Meus sinceros agradecimentos também a toda comissão técnica. Mesmo com todas as dificuldades vividas na temporada, mantiveram o profissionalismo e o foco em reverter a situação. Meu muito obrigado, Ailton Ferraz, Gabriel Oliveira, Marcos Seixas, André Carvalho, Daniel Cerqueira e Marcão pela luta e empenho. Obrigado também a todos os profissionais do departamento de Futebol pelo trabalho e pela luta diária — continuou numa segunda publicação.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Marcão explica demora na última troca: “Tínhamos dois jogadores com risco de lesão”

Jogando para um público de quase 40mil torcedores, o Fluminense ficou apenas no empate em 0 a 0 com o Fortaleza na noite da última quarta-feira (4) no Maracanã.

Questionado sobre ter segurado a última troca até os minutos finais, quando lançou Evanilson no lugar de Marcos Paulo aos 41 minutos do segundo tempo, o técnico alegou ter dois jogadores em campo sentindo o desgaste físico:

A gente teve que dar uma segurada ali na última troca pois tínhamos dois jogadores com risco de lesão. O Gilberto e o Digão acusaram um desgaste e preferimos dar uma segurada nessa última mexida pra não correr o risco de trocar e um dos dois sentir depois – explicou Marcão.

O técnico ainda foi perguntado sobre a presença da dupla no último jogo do Fluzão no ano, próximo domingo (8), contra o Corinthians:

– Vamos dar uma avaliada amanhã e ver como vão estar. Mas caso não dê pra contar com eles temos um bom grupo e jogadores que podem entrar bem – concluiu o treinador.

Vale destacar que o jogo entre Fluminense x Corinthians e crucial para o Tricolor decidir sua vaga à Copa Sul-Americana 2020, garantindo vaga na competição com uma vitória.

Foto em destaque: Douglas Wandekochen/Canal Flunews

Marcão ganha experiência no Flu, mas futuro é incerto

O Fluminense chega na última rodada do Campeonato Brasileiro buscando uma vaga na Copa Sul-Americana e sem risco de rebaixamento. Esse cenário é bastante positivo levando em consideração tudo que aconteceu com o clube na temporada. Dentre as incertezas que cercam o Tricolor para 2020, está a permanência de Marcão no cargo de técnico.

O ex-auxiliar técnico assumiu o time sem grandes perspectivas a não ser evitar a queda para a Série B. O então interino fez a equipe vencer o Grêmio, no Maracanã e na véspera de um clássico diante do Botafogo, foi efetivado como treinador. Não decepcionou e, além de vencer o clássico, empatou com Cruzeiro, no Mineirão, e derrotou o Bahia, no Maracanã.

Os 10 pontos conquistados em 12 disputados, fizeram o discurso mudar, com os jogadores mirando a parte de cima da tabela, ao menos a primeira página. No entanto, cinco jogos sem vencer, somando dois empates e três derrotas, colocaram Marcão em xeque, tanto com o vice-presidente geral, Celso Barros, quanto com os torcedores.

A intensa pressão por uma troca de comando culminou com o racha político entre o então homem forte do futebol e o presidente Mário Bittencourt, que bancou a permanência do treinador. A decisão se mostrou acertada e o Fluminense voltou a somar pontos. Desde então, o time venceu o São Paulo e o CSA, fora de casa, o Palmeiras, no Maracanã, empatou com Atlético-MG, Avaí e Fortaleza, com apenas uma derrota para o Internacional, no Beira-Rio.

Fonte: Lance!

FOTO: MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC

Marcão se pronuncia sobre ‘polêmica’ por não relacionar João Pedro: “Teve uma virose”

Ao longo da semana, até a mãe do jovem atacante falou sobre a situação em uma rede social

Foto: Lucas Merçon / FFC

Se dentro de campo a semana foi perfeita para o Fluminense, tendo em vista que foram duas vitórias conquistadas em quatro dias, fora dele uma polêmica envolvendo novamente o atacante João Pedro mexeu com os bastidores. Isso porque o jovem ficou de fora dos relacionados para a partida contra o Palmeiras, no Maracanã, por conta de uma virose, conforme divulgou o clube.

Porém, através de uma rede social, a mãe do atleta se posicionou e opinou sobre o acontecido, gerando um pequeno mal-estar pela situação. Em sua entrevista coletiva após a vitória por 1 a 0 sobre o Verdão, o técnico Marcão reforçou a informação dada pelo Fluminense, e afirmou que o mesmo só ficou de fora por não ter treinado normalmente durante a semana, já que estava se recuperando da virose.

“Ele teve uma virose. Quando a gente voltou, fez apenas um treinamento. Se não me engano, ontem (quarta) foi o único treinamento dele com o grupo. A gente tinha que priorizar quem vinha treinando. Se mostrar que está querendo, como os outros, vai estar junto com a gente”, afirmou.

Totalmente recuperado, João Pedro já está apto para treinar e jogar normalmente, podendo reaparecer entre os relacionados já no duelo contra o Avaí, no próximo domingo (1), às 16h (de Brasília), na Ressacada. A partida é válida pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em caso de vitória, o Tricolor pode acabar de vez com qualquer risco de rebaixamento. 

Marcão encara dilema para escalar o Flu contra Palmeiras

Sem contar com Yuri, que levou o terceiro cartão amarelo e terá que cumprir suspensão, Marcão vai ter uma grande dor de cabeça para escalar o Fluminense diante do Palmeiras, quinta-feira (28), no Maracanã. O jogador, que passou a ser titular do Tricolor no clássico contra o Vasco, deu equilíbrio para a equipe e a tendência é de que o treinador mantenha o esquema com dois volantes. 

O problema é achar um substituto que mantenha o nível do time, que já vai ter que se superar para vencer o adversário, 3º colocado no Campeonato Brasileiro, com apenas quatro derrotas em toda a competição. As opções de Marcão não são tão fartas. Ao todo, o treinador conta com três volantes no elenco para ser o companheiro de Allan à frente da defesa. 

O principal candidato é Airton, que também é o mais experiente dentre os volantes disponíveis. O jogador de 29 anos sai na frente por ter sido o escolhido por Marcão para substituir o próprio Yuri, que deixou o campo no segundo tempo da partida contra o CSA. No entanto, a falta de ritmo de jogo pode pesar contra ele para ser o titular. Afinal de contas, desde agosto, Airton disputou apenas cinco partidas.

Caso Airton não seja o escolhido, Dodi é quem aparece como opção mais plausível. O volante soma na temporada 19 partidas, sendo que quatro delas foram sob o comando de Marcão, que o utilizou contra Atlético-MG, Vasco, Bahia e Cruzeiro. Airton por exemplo foi utilizado pelo treinador em apenas duas oportunidades. 

Com chances bem remotas, surge Caio, de 20 anos e cria de Xerém. O volante disputou apenas três jogos em 2019, entrando em campo diante do Atlético Nacional (COL) e Corinthians, pela Copa Sul-Americana, além de Avaí, no Brasileiro. Entretanto, não é relacionado desde a 20ª rodada, derrota para o Goiás, por 3 a 0, no dia 22 de setembro. Na ocasião, Oswaldo de Oliveira era o técnico. 

Fonte: lance

foto: Maílson Santana

Após empate Marcão explica mudanças no segundo tempo

Foto: Douglas Wandekochen/FFC

O gol sofrido aos 44 minutos do segundo tempo não só deixou a situação do Fluminense na tabela complicada, como também deixou o torcedor Tricolor ainda mais contrariado com a atuação do time, principalmente com as mexidas do técnico Marcão.

Duas das trocas feitas no segundo tempo por exemplo, na partida deste sábado (16) diante do Atlético Mineiro foi bastante questionada durante a coletiva do treinador após o empate.

Segundo Marcão, as trocas foram feitas por motivo de desgaste físico dos jogadores, Ganso e Yony Gonzalez:

– Vimos que no segundo tempo o time deles resolveu arriscar tudo e vir pra cima. Abaixamos nossas linhas e precisávamos de um gás novo pois o Yony já estava bastante esgotado. Logo depois o Paulo (Ganso) também sentiu pois estava atuando de área a área. Optamos por preencher o meio – disse o treinador.

‘Temos que ser melhores’, exalta Marcão pós empate contra Atlético

 O primeiro tempo do Fluminense no empate com o Atlético-MG na noite deste sábado, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro, foi bom. A equipe comandada por Marcão saiu na frente, mas após recuar no segundo tempo, acabou sendo pressionada pelo adversário, levando o gol do empate no fim. Em entrevista coletiva após a partida, o técnico tricolor exaltou a atitude de seus jogadores em grande parte da partida, lamentando o desfecho que não era o esperado.

“Fizemos um primeiro tempo muito bom, marcamos em cima, conseguimos impor nosso ritmo e nosso jogo. Marcamos um gol e tivemos a possibilidade de fazer outro. Sabíamos que o Atlético-MG teria uma proposta diferente no segundo tempo. Eles arriscaram muito no final, eles tentaram confundir nossa marcação, mas a gente tinha encaixado. Infelizmente, na última bola, eles conseguiram empatar o jogo. Quero enaltecer a entrega dos nosso jogadores”, comentou o treinador, alertando:

“Tomar um gol faltando poucos minutos… Temos que analisar tudo o que aconteceu para terminar no nosso gol. Vamos estudar com calma durante a semana. Em jogos tão importantes, como vão ser os próximos, temos que ser melhores. Queríamos entregar uma vitória importante para o nosso torcedor, que compareceu em massa. Em nenhum momento criticou a equipe, viram o comprometimento dos atletas. Infelizmente o resultado positivo não veio. Vamos continuar trabalhando e temos que manter a cabeça forte para as próximas batalhas.”

Com o resultado, o Fluminense chegou a 35 pontos, mesma pontuação do Cruzeiro, mas ficará ao menos até segunda-feira fora da zona de rebaixamento – terá que torcer pela derrota da Raposa para o Avaí para não retornar ao Z4 nesta rodada. O Tricolor volta a campo pelo Campeonato Brasileiro visitando o CSA, no próximo dia 25.

Fonte: agazeta

Top