fbpx

Márcio Araújo lamenta expulsão e saídas por lesão contra o Athletico-PR: “Fica mais difícil”

“Tarde difícil”. Foi assim que o auxiliar Márcio Araújo, substituto do suspenso Fernando Diniz, definiu o domingo do Fluminense na Arena da Baixada. Ao longo da derrota por 3 a 0 para o Athletico-PR, a equipe mista perdeu Airton, expulso, Matheus Ferraz e Yony González, lesionados.

– O Athletico é uma das equipes que mais jogam bem em sua casa. Tentamos fazer aquilo que foi possível. No 11 contra 11 sempre é muito difícil aqui. Mas, com um a menos, tudo fica mais difícil. Aprender as lições que a derrota nos impõe e preparar para o jogo de quarta-feira, importante, contra o Cruzeiro – destacou.

O vermelho para o volante logo aos 30′ do primeiro tempo atrapalhou a já dura vida do Fluminense, que perdia por 1 a 0 e, no lance seguinte à expulsão, sofreu o segundo gol. A perda exigiu dos jogadores um empenho maior, valorizado por Araújo.

– É muito difícil a gente imaginar o que poderia ter sido (sem a expulsão de Airton). De momento, a gente agradece aos jogadores pelo esforço que tiveram. Procuraram fazer o melhor, mas não foi possível reverter o quadro. Jogamos muito tempo com um a menos – disse.


CONFIRA MAIS TRECHOS DA COLETIVA:

Complicações durante o jogo: “Não menosprezar a vitória do adversário. Infelizmente, perdemos o jogo, mas não tiramos o mérito deles. Foi uma tarde difícil para nós, com dois jogadores machucados e um expulso”.

Apelo para os chutões: “Nós já estávamos tendo dificuldade antes da expulsão por conta da marcação do Athletico-PR. É o que o Fernando (Diniz) fala: fazer o mais simples. E tem hora que o mais simples é o chutão. Tem que decidir o que é melhor no momento. Com um a menos, não havia a necessidade de sair jogando”.

Convocação de Pedro para seleção olímpica: “Se colocando do lado do clube, é sempre mais difícil. Disputando as três competições, sempre fica mais difícil. Mas também é importante para o clube ter o jogador convocado. E o jogador tem o interesse de ser convocado. O calendário é difícil e temos que saber lidar com isso”.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Top