fbpx

Presidente do Flu, Mário Bittencourt, descarta proposta por Luciano

Foto: Maílson Santana/FFC

Há menos de uma semana de ter assumido à presidência do Fluminense, Mário Bittencourt j´[a se viu diante do primeiro desafio no cargo: o caso Luciano, atacante que pediu para ficar de fora do jogo contra a Chapecoense para evitar atingir o limite máximo de partida com a camisa Tricolor, podendo dessa forma se transferir para qualquer outro clube da série A do Brasileirão.

Após o vazamento da notícia, várias informações começaram a pipocar em relação a uma possível transferência do atacante, que é o artilheiro da equipe no ano, com 15 gols marcados. Uma delas, publicada pela página Fala Galo 13, dava conta de um acerto com o Atlético Mineiro:

Foto: Reprodução/Internet

Questionado pelo portal Superesportes, de Minas Gerais, o mandatário do Tricolor foi bem direto:

“Não recebemos nada”

O agente do atacante, Nilson Moura, e o gerente de futebol atleticano, seguem a mesma linha de Mário e negam qualquer contato por Luciano.

Atual presidente do Flu, Mário Bittencourt pede apoio da torcida

Foto: Mailson Santana/FFC

O novo presidente do Fluminense, Mário Bittencourt, que tomou posse na última segunda-feira (10), verá o primeiro jogo da equipe como presidente de fato na próxima quinta-feira (13).

Depois disso o Campeonato irá parar por quase um mês. Na volta, o clube verde, branco e grená terá uma sequência de cinco de seus jogos em casa.

Visando uma sequência de vitórias e uma melhora na tabela, o presidente eleito conclamou a torcida para apoiar o Time Guerreiros nesta sequência:

O primeiro ano do uso do VAR no Campeonato Brasileiro tem trazido grande divergências nas marcações das jogadas, somado ainda ao tempo que tem demorado na análise do lance. Tais fatos vêm incomodando não só a midida especializada como também os torcedores em vídeo postado pelo parceiro Bate Papo Tricolor:

Mário promete “grandes dias” no Fluminense e Celso fala em reconstrução em 1º discurso aos tricolores

Nos minutos seguintes ao anúncio de sua chegada ao poder no Fluminense, sábado, Mário Bittencourt apareceu na janela do Bar dos Guerreiros, nas Laranjeiras, acompanhado de seu vice, Celso Barros, para discursar pela primeira vez como presidente do clube.

– Quero um Fluminense unido, forte e imenso. Precisamos fazer o Fluminense imenso. E eu conto com vocês. O segredo do nosso sucesso está no amor que vocês têm ao Fluminense. Comecei aqui em 1998 e agora estou tendo a honra, ao lado do Celso, de presidir o clube. O trabalho é árduo. Mas a gente vai trazer o Fluminense para os grandes dias novamente. Que o Fluminense nos faça sorrir – disse, sendo ouvido por centenas de apoiadores.

Mário ficou com 2.225 dos 3.286 votos registrados nas urnas. Parabenizou seu ex-aliado, Ricardo Tenório, e considerou a disputa leal. Mas, principalmente, agradeceu aqueles que demonstraram confiança em suas propostas.

– Parabenizo a vocês pela belíssima campanha que fizemos juntos. Pela honradez, pela altivez, pela dignidade. Foi uma campanha de propostas, sem ofensas. Uma campanha que mostrou a grandeza do Fluminense.

– Agradeço a vocês pelos votos, pelos que pediram votos. Agradeço até aqueles que vieram aqui e não votaram em nós, mas exerceram seu direito democrático.

Foi, na verdade, Celso Barros quem puxou o pronunciamento. Assim como seu parceiro de chapa, destacou a importância do apoio em massa dos torcedores. Para o ex-patrocinador, a eleição da dupla aos cargos máximos vão devolver credibilidade ao Tricolor.

– Nosso presidente, Mário Bittencourt, foi um grande companheiro nessa campanha. Nós, juntos, vamos resgatar a credibilidade do Fluminense. Mas vocês é que vão ser a base desse caminho.

– É uma alegria estar aqui. Fizemos uma campanha limpa, com proposta e o resultado veio. Agora é o momento de reconstruirmos o Fluminense. Todos nós. Agradeço a vocês pelo carinho e pelo apoio. Quem vai salvar o Fluminense são vocês. Nós, torcedores, é que vamos salvar o Fluminense. Vamos buscar o rumo de onde esse clube nunca deveria ter saído.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Mário Bittencourt, sobre volta de ídolos: “Se é desejo deles, é nosso também”

No plano de gestão divulgado pela chapa “Tantas Vezes Campeão”, que venceu a eleição deste ano, ganha destaque a ideia de recontratar grandes ídolos tricolores. Durante o sábado nas Laranjeiras, os nomes mais mencionados foram os de Fred, do Cruzeiro, e Thiago Silva, do PSG. Mário Bittencourt confirmou interesse de ambos os lados de promover o retorno ao Fluminense.

– Repatriar jogadores que aqui fizeram história fará com que os investidores queiram se aproximar. Não se comprometeram contratualmente ainda porque ambos estão jogando em seus clubes. Respeitamos isso. Mas eles disseram que têm o desejo de voltar para o Fluminense um dia. E, se é desejo deles, é desejo nosso também. Faremos de tudo, dentro das nossas possibilidades. Eles sabem que a realidade hoje é outra. Mas tenho conversado com eles, que podem nos ajudar a trazer investidores – explicou.

Bittencourt realmente vai encontrar, ao ser empossado na presidência, um cenário diferente daquele que conheceu quando atuava como dirigente, com o suporte financeiro dado por seu vice, Celso Barros, à época presidente da ex-patrocinadora Unimed.

– Não conversamos nenhum formato (de parceria) com patrocinador. Estamos conversando com duas empresas. Dinheiro não existe hoje. Mas a gente vai buscar essas receitas, especialmente com a ajuda do torcedor. Nós temos experiência aqui. A gente tem recebido muitas ligações de pessoas do futebol querendo nos ajudar, ajudar o Fluminense, justamente por um possível retorno nosso. A credibilidade vai fazer com que a gente traga o Fluminense de novo para as grandes vitórias – destacou.

Embora pense em reforços ainda para 2019, o novo presidente elogiou o empenho de Fernando Diniz e do elenco, especialmente na doída eliminação para o Cruzeiro na Copa do Brasil. A equipe está classificada para as oitavas-de-final da Sul-Americana, mas beira a zona de rebaixamento do Brasileirão.

– O trabalho é muito bem feito, até pelas condições que o Fluminense tem. Valorizamos o trabalho da comissão técnica e dos jogadores, que estão dando a vida e honrando a camisa do Fluminense mesmo diante de tudo o que tem acontecido.


LEIA MAIS TRECHOS DO PAPO DE MÁRIO COM A IMPRENSA:

Clima nas Laranjeiras: “Uma eleição belíssima, onde as pessoas confraternizam. Recebemos a presença do presidente Horta. Foi honroso vê-lo no clube votar. É um ambiente de paz, de tranquilidade, como deve ser num clube da grandeza do Fluminense”.

Presença dos sócios: “Cada vez mais, o Fluminense precisa abrir as portas para o seu sócio-torcedor votar. Esse exercício da democracia, essa sensação de ver os sócios decidindo o futuro do clube, é muito importante para a continuidade da instituição. Fico muito feliz. Os componentes das duas chapas se abraçando. Eu não pensava nada diferente. É esse Fluminense que a gente quer voltar a ter aqui nas Laranjeiras”.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Novo presidente, Mário Bittencourt estipula prazo para volta de ídolos

Foto: Divulgação/FFC

Eleito como o novo presidente do Fluminense, Mário Bittencourt já teve que responder sobre uma de suas propostas de campanha: a volta de ídolos ao clube.

Já falando como presidente, Mário voltou a confirmar o interesse nos jogadores, mas manteve os pés no chão, dizendo priorizar questões mais emergenciais do clube:

– Em relação a grandes jogadores é um desejo desde que o Fluminense cumpra com suas obrigações, tenha seus salários pagos em dia e verba de patrocínio master. A gente entende que esses jogadores precisam compreender a realidade atual do Fluminense. Com todos os que tivemos um tipo de conversa entenderam que a situação do Fluminense é diferente, de recuperação e precisarão usar o carinho e o amor para entender essa realidade – afirmou Mário.

O dirigente ainda revelou a intenção de repatriar esses ídolos a curto prazo:

– Sobre a vinda deles para esse ano, as coisas acontecem. Não temos que ficar jogando pra galera. As coisas acontecem porque todos os jogadores que temos vontade de trazer tem contratos em andamento. Não houve conversas sobre valores, mas de que gostaria de contar com eles e eles, da mesma forma. Se houver possibilidade para esse ano, trabalharemos, senão, montaremos um projeto para 2020. Mas teremos nos próximos seis meses ou um ano, alguns desses de volta ou outro jogador importante que não tenha ainda jogado pelo Fluminense – concluiu Mário.

Opinião – Independente do resultado, que vença o Fluminense

Foto: Nicholas Rodrigues/CanalFlunews

Neste sábado (08), inicia-se um novo começo no Fluminense Futebol Clube, um começo que anuncia uma trajetória de grande dificuldade pra quem assumir a cadeira de presidente do clube.

Porém, essa dificuldade pode ser revertida com a vontade de reerguer o clube, a instituição. Vontade essa estampada nos olhos de ambos os candidatos.

Contudo, há de se destacar que o Fluminense não termina após a eleição, ela é só o começo, e isso tem que ficar bem claro principalmente para o derrotado nas urnas. Que o seu amor pelo Fluminense seja maior do que qualquer ego ou posição política, que se for fazer oposição, que seja coerente e defendendo os interesses do clube.

Ao torcedor, que fique também registrado a sua importância na hora de decidir o futuro de clube. Que após o pleito, esqueça de candidato A ou B e que pense restritamente no Fluminense. Se o candidato escolhido não cumpriu as promessas de campanha, cobre, não fique calado. Se por ventura votou no candidato derrotado, pense grande e torça pelo sucesso do eleito pela maioria, pois quem ganhará com isso não será Mário Bittencourt ou Ricardo Tenório, e sim o Fluminense.

Dito isto, Boa sorte ao vencedor e que vença o Fluminense, sempre !

Agredido por torcedores rivais em 2017, Pedro Scudieri vai às Laranjeiras para eleição

Acompanhado de sua mãe e de uma enfermeira, Pedro Scudieri apareceu nas Laranjeiras por volta de 10h40 para votar em Mário Bittencourt, da chapa “Tantas Vezes Campeão”. Na chegada ao clube, vestido com a camisa de campanha de seu candidato, ele cumprimentou ambos os postulantes à presidência.

Na Rua Álvaro Chaves, Scudi se reuniu com amigos da organizada Bravo 52 para seguir a campanha em apoio a Mário.

Dois anos após sofrer agressão praticada por vascaínos com barras de ferro, Scudi vem se recuperando em casa. Entretanto, chegou a ficar 157 dias hospitalizado. Três dos quatro agressores estão presos, enquanto um ainda é procurado pela Polícia.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Mário confirma sondagem a Buffon e revela interesse em Thiago Silva e Fred

A sondagem ao goleiro Buffon, de 41 anos, é verdadeira e partiu da chapa “Tantas Vezes Campeão”, encabeçada por Mário Bittencourt e com Celso Barros como vice. Ao programa “Os Donos da Bola”, da Band, o candidato na eleição deste sábado confirmou a informação dada pelo jornalista italiano Gianluca Di Marzio e ainda revelou o interesse em contratar ídolos para estimular o torcedor. Mencionou os nomes de Thiago Silva e Fred, que têm contratos com PSG e Cruzeiro, respectivamente.

– O nosso projeto de governança e de finanças é claro: colocar em dia os atrasados. Então, com todo mundo que a gente já fez contato, foi sondagem. Uma empresa de fora do Brasil nos propôs entrar no Fluminense por meio do material esportivo. Isso foi há 20 dias. Nesse pacote, a empresa ofereceu trazer o Buffon. Obviamente, falamos que, se a empresa tiver condições de custear, tudo bem. Uma das condições de desenvolver o Sócio Futebol é trazer os ídolos de volta para estimular o torcedor. Então, por isso, também temos interesse em Fred e Thiago Silva, por exemplo. Mas eles têm contrato e nós fizemos sondagens. Vamos fazer esforços para trazer jogadores e parceiros para isso.

A relação entre Buffon e Fluminense começou na Copa das Confederações no Brasil, em 2013, quando, ao lado de seus filhos, conheceu e se apaixonou pelo clube. As crianças, aliás, foram flagradas numa praia do Rio trajadas com a armadura verde, branca e grená. Sem emprego desde a saída do PSG, o jogador virou alvo de especulações, por exemplo, na Turquia e na Alemanha. Até mesmo o Barcelona considera sua contratação. 

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Sem Marcelo Souto, eleição presidencial no Fluminense coloca Mário e Tenório como adversários

Foi desenhado o cenário da eleição que, marcada para o sábado do dia 8 de junho, nas Laranjeiras, decidirá o sucessor de Pedro Abad na presidência do Fluminense. Mário Bittencourt e Ricardo Tenório oficializaram suas chapas no prazo limite, até às 19h dessa quinta-feira. Marcelo Souto, que havia anunciado sua pré-candidatura, não alcançou as 200 assinaturas de conselheiros necessárias para concorrer ao cargo.

– Está feito o registro da chapa. Com ele está dado o primeiro passo para libertar o Fluminense das amarras, que criaram uma dívida enorme e vícios que só dificultam a vida do Fluminense – publicou o candidato Ricardo Tenório em rede social.

A disputa coloca frente a frente dois ex-aliados. Tenório se separou do triunvirato formado com Mário e Celso Barros, que agora compõem a chapa “Tantas Vezes Campeão”, e se lançou na chapa “Libertadores”, com Wagner Victer como vice. O vencedor assume já em 10 de junho, segunda-feira, e comanda o clube até dezembro de 2022. Também será renovado o Conselho Deliberativo para o próximo triênio. Serão 150 membros efetivos e 50 suplentes, que vão ocupar as cadeiras do Salão Nobre apenas em 1º de dezembro.

Wagner Victer, vice de Ricardo Tenório, registra chapa “Libertadores” na secretaria do clube.

Originalmente prevista para novembro, a eleição foi antecipada por decisão dos sócios em Assembleia Geral realizada em janeiro. Abad cedeu ao desgaste político e propôs a mudança na data. O processo se dará com o uso de urna eletrônica, liberada pelo TRE-RJ.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Futebol, impeachment e pedido à torcida: Mário Bittencourt discute temas em alta no Fluminense

Convidado a se arriscar como técnico do time de Ricardo Berna em jogo que marcou a despedida do goleiro, Mário Bittencourt se dispôs à entrevista ao Canal FluNews, após o amistoso de sábado, na FluFest, direto do gramado do estádio da sede. Feliz em vivenciar um momento especial para o agora ex-jogador, o advogado voltou os olhos para a fase do futebol do Fluminense em 2018. 

– É um momento bem difícil, mas temos que tentar sair dessa. Chegou outro treinador, temos que dar todo apoio a ele, ao trabalho do Marcelo Oliveira. E torcer sempre para o Fluminense vencer. Esperamos que o clube volte a andar nos trilhos ainda nesse Campeonato Brasileiro, possa fazer uma boa Sul-Americana e, quem sabe, disputar o título – disse, esperançoso. 

A queda de rendimento do time e as polêmicas envolvendo a diretoria desanimaram a torcida. Mas mais que isso: geraram inconformidade. É por isso que críticas a Pedro Abad, nas redes sociais e em forma de protestos, se tornaram comuns. Apesar do ambiente tumultuado, Mário faz apelo aos tricolores.

– Peço à torcida que não abandone o clube em momento nenhum. As pessoas passam por aqui e a instituição continua. São 116 anos de história. Todos nós que passamos por aqui tivemos o nosso momento. Alguns de vitória, outros de derrota. Mas o Fluminense é maior que qualquer um. É importante que a torcida encha o Maracanã e apoie. Que deixe de lado qualquer questão que não seja o jogo – afirmou. 

De maio para cá, o Flu sofreu uma dança de cadeiras. Cinco vice-presidentes, ligados à coalizão Unido e Forte, renunciaram. Houve, ainda, a demissão de Marcos Vinícius Freire, que deixou o cargo de CEO para Fernando Simone, contratado, inicialmente, para ser assessor da presidência. Conhecedor do clima no Fluminense, Mário Bittencourt nega qualquer pedido de Abad para se juntar à gestão. 

– Nossa relação é cordial. Como ele mesmo falou (ao Globoesporte.com, há um mês), nós não somos amigos, nem perto disso. Mas também não somos inimigos. Eu fui candidato e desejei a ele toda sorte do mundo quando ganhou, é óbvio. Não faço parte da diretoria e nem fui convidado a ajudar. As pessoas sabem que, no futuro, se houver alguma possibilidade de voltar a ajudar o Fluminense, independente de quem estiver no cargo, eu o farei – admitiu, antes de completar a resposta: 

– Trabalhei aqui por quase 20 anos como advogado. Advoguei nas duas gestões de Davi Fischel, Horcades e Peter. E sempre falei aos presidentes que eu não advogo para eles. Advogo para o Fluminense. Então, se, um dia, o clube entender que eu posso contribuir novamente, o farei. Senão, continuo contribuindo como torcedor, pagando meu ingresso e levando as minhas filhas. 

Contestado pela maioria da torcida e por conselheiros, Pedro Abad é o alvo de oposicionistas que se movimentam para tentar um impeachment. A ideia é reunir o maior número de assinaturas possível para protocolar o processo no Conselho Deliberativo. Embora o tema esteja em alta nos bastidores de Laranjeiras, Bittencourt prefere, por enquanto, o silêncio. 

– Acho que não é uma questão para se falar em um dia como esse, de festa. O aniversário do clube está acima disso. Devemos olhar para frente e torcer para que o time melhore. Depois pensamos em política.

Saudações Tricolores,

Nicholas Rodrigues.

Top