fbpx

Jornal revela longa conversa entre Mário e Fred e diz que salário do centroavante precisa cair em 50%

Mário Bittencourt e Fred se encontraram e tiveram longa conversa a sós há duas semanas, com o Campeonato Brasileiro em andamento, quando o Cruzeiro treinou nas Laranjeiras. A recepção do presidente ao centroavante deixou claro o desejo compartilhado por ambas as partes e, ainda, pela torcida: “E aí, vamos assinar logo esse contrato?”, disse o dirigente, em tom de brincadeira.

Apesar do interesse na contratação, o Tricolor espera a definição da saída do jogador do Cruzeiro, que, rebaixado à Série B, se vê obrigado a liberar medalhões. O contrato com a Raposa, válido por mais uma temporada, deve ser rescindido.

– O desejo de repatriar o Fred sempre existiu, até antes da eleição. Jogador que gosto muito e um dos maiores ídolos da história do clube. Temos uma relação de amizade também. Eu acabei o encontrando sem querer nas Laranjeiras. Quando acabou o treino, ele foi na minha sala e me deu um abraço. Tivemos uma conversa de amigos. Desejei sorte a ele na reta final do Brasileirão. E, de lá para cá, não mais nos falamos — declarou Mário.

O que pode dificultar a contratação é o salário do ídolo, na casa dos R$ 800 mil. Fred toparia uma redução salarial, embora não se saiba de quanto. O valor máximo que poderia ser proposto pelo clube carioca é de R$ 400 mil — ou seja, uma queda de 50% nos vencimentos atuais do veterano de 36 anos. Bônus e adicionais atrelados a desempenho e conquistas são vistos como alternativas.

— Ele tem contrato com o Cruzeiro até o fim de 2020, com salário muito além das nossas possibilidades. Não temos nem como chegar perto do que ele ganha lá. Não fomos procurados por nenhum representante dele e do Thiago Neves. Nem nós procuramos. É isso. Neste exato momento, não há nenhuma conversa aberta com ele. Zero. Sigo dizendo que há um interesse, sim. Mas, no momento, ele está vinculado a outro clube. Mas futebol é um dia após o outro — concluiu Bittencourt.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Jornal O Globo.

Após dobrar número de sócios, Fluminense projeta chegar a 100 mil em 2020

No balanço dos 180 dias à frente do Fluminense, Mário Bittencourt reafirmou o desejo de alavancar o sócio-torcedor em 2020. Segundo ele, o Tricolor conseguiu 11,1 mil associações desde o início da gestão — crescimento de 100% — e, hoje, possui 21.731 sócios. No período de junho a dezembro, o clube arrecadou R$ 4,5 milhões dos R$ 8 milhões gerados pelo programa no ano.

A ideia é, através de projetos em desenvolvimento, como DNA Tricolor e FluInvest, chegar a 100 mil ao fim do próximo ano. O presidente, inclusive, prometeu implementar um contador do número de sócios. Ele ainda destaca que uma grande quantidade de afiliados pode entregar ao clube lucros maiores que um patrocinador master.

Imagem
Confira o que o clube pretende com DNA Tricolor e FluInvest (Imagem: Felipe Siqueira)

No mês passado, a diretoria colocou em promoção o plano de associação que dá mais de 50% de desconto em ingressos, além de prioridade na compra e outras vantagens. Foi quando Paulo Henrique Ganso e Marcos Felipe, por vontade própria, se associaram.

Também tem sido frequentes programações destinadas aos sócios e com a presença de ídolos tricolores, como no dia do último jogo da temporada, frente ao Corinthians, em São Paulo. Houve, ainda, reaproximação da torcida com o Estádio das Laranjeiras por meio da transmissão, em telão, de duelos pela Sul-Americana.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Em situação complicada, Mário explica negociação para manter Evanílson no Flu

A situação do atacante Evanílson parece longe de um fim feliz junto ao Fluminense. O atleta, de fato, não possui vínculo com o Tricolor, mas Mário Bittencourt está tentando de qualquer maneira manter o jovem para 2020. Ele vem conversando diretamente com os empresários do atleta. Confira as palavras do presidente:

É um jogador que teve um primeiro contrato, em 2015, de três anos. Foi rescindido na época e feito um novo de três anos. Poderia ter sido feito de cinco e eu não sei porque não foi feito. Quando cheguei, ele estava na base, recebi a informação que ele era um jogador interessante. O clube Estação, do Ceará, tem 40% dos direitos. O contrato vence em fevereiro. Os empresários dele falaram para nós que só conversariam ao fim da temporada. Hoje o Evanilson é um jogador livre. Mas como é um jogador digno e muito correto, ele e os empresários abriram conversas. Tivemos três conversas. Buscamos que ele continue aqui, mas não será nas mesmas condições. O Fluminense, hoje, não tem nada sobre ele. Ele tem propostas de clubes de fora do Brasil. Integrei ao profissional pelo desempenho e precisávamos na reta final da temporada. E para mostrar para ele que ele vai ser muito importante. Falei para ele no vestiário, saiu até em vídeo, que gostaria que ele ficasse, que seria muito feliz no Fluminense. Ele já tem um pré-contrato assinado com o clube que o empresário dele representa. Mas estou fazendo o máximo que puder para mantê-lo no futuro e para que o Fluminense seja recompensado de uma forma digna pelo jogador, no caso de uma venda com algum percentual. Eu até agradeço pela compreensão dos empresários em buscar uma composição – disse o presidente tricolor.

Mário em coletiva (Foto: Lucas Merçon/FFC)

Com contrato até fevereiro, o Fluminense está próximo de perder o atacante. Mário revelou, nesta sexta-feira, que o atacante de 20 anos tem pré-contrato assinado com outro clube. Trata-se do Tombense, como falou o Globo Esporte. Agora, o Flu corre atrás do prejuízo para celebrar um acordo para manter o jogador.

A escolha pelo Tombense, que está na Série C do Campeonato Brasileiro, se dá pela parceria com os empresários do atleta. Caso não fique no Fluminense , o clube mineiro seria o caminho para negociar o atacante para o futebol europeu. O Liverpool já demonstrou interesse em comprar o jogador.

Saudações Tricolores,

João Eduardo Gurgel

Mário Bittencourt revela ter pago cerca de 110 milhões em dívidas e alivia as contas do Flu

Na entrevista coletiva desta sexta-feira, o presidente Mário Bittencourt falou mais sobre a situação financeira do Fluminense. Ele revelou quanto já foi gasto pela diretoria em pagamentos de dívidas e o acordo feito com a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) para acabar com os bloqueios referentes a processo pela venda de Wellington Nem ao Shakthar Donetsk, da Ucrânia, ainda em 2013.

— Já pagamos de dívida desde que assumimos R$ 76 milhões e 200 mil. Foi Profut, o 13º salário de 2018, já pagamos ato trabalhista, salários atrasados, acordos trabalhistas e cíveis. Tínhamos um bloqueio, de um processo antigo, da venda do Wellington Nem. Pagamos o restante do processo. Diante da nossa atitude e credibilidade, a construir um acordo e na semana passada conseguimos fazer um acordo. Lá na frente, o presidente que tiver não terá de pagar a parcela do Profut e vai poder usar isso, por exemplo, no time de futebol, salários, enfim. Isso vai ajudar o Fluminense ao longo de sua história. Pagamos cerca de R$ 110 milhões de dívidas. Isso inclui R$ 31 milhões que estavam bloqueados – afirmou o presidente.

Saudações Tricolores,

João Eduardo Gurgel

Presidente revela mais saídas de jogadores

Mário Bittencourt revelou à imprensa, na tarde dessa sexta-feira, as saídas de Airton e Ewandro, cujos vínculos se encerram nesse mês. Os jogadores se juntam a Agenor, Guilherme e Brenner, dispensados às vésperas do fim do Campeonato Brasileiro.

Ao LANCE!, nessa semana, Airton revelou sondagens de clubes de Japão e Oriente Médio, mas disse que esperaria decisão do Tricolor. O empresário dele, Márcio Bittencourt, admitiu, em entrevista à Rádio Brasil, ser improvável a renovação do contrato.

Airton integrava o Time de Guerreiros desde janeiro de 2018. Tem 43 jogos e nenhum gol com a camisa verde, branca e grená. Ewandro, por sua vez, chegou apenas em abril desse ano, emprestado pela Udinese-ITA, e entrou em campo quatro vezes — a última deles em outubro, no empate em 0 a 0 com o Cruzeiro, pelo Brasileirão.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

2020 MELHOR! Flu consegue liberação de valores, quita dívidas e adianta 60 meses do Profut

Já não é de hoje que vimos o Fluminense com graves problemas financeiros e por muitos, sem uma solução em curto prazo. Porém, sempre em seus discursos, Mário Bittencourt sempre ressaltou que estava trabalhando incansavelmente para quitar as dívidas tricolores. E parece que está cumprindo com o que disse!

Após quitar três meses de salários com o elenco e funcionários, em reunião do conselho na última segunda, o presidente informou ter quitado a dívida com o PROFUT e ter pago 60 meses do financiamento de forma adiantada, após ele conseguir um acordo com a Procuradoria da República, que desbloqueou os valores penhorados na justiça referentes a venda de Wellington Nem, ainda na gestão do ex-presidente tricolor Peter Siemsem.

Peter no Flu (Foto: Campos 24h)

Além disso, Mário informou que, com isso, pagará impostos atrasados e deu um grande passo para quitar a dívida e se aproximou da tão sonhada CND – Certidão Negativa de Débito.

APROFUNDANDO…

Em todo o processo envolvendo a venda de Wellington Nem, havia penhoras de 15% sobre TODAS as receitas do clube. O início disso tudo se deu quando o Flu recolheu uma quantia de R$ 7,5 milhões, numa conta em juízo. Naquela época, esse valor girou em torno de R$ 41 milhões, que eram cobrados pela Procuradoria da Geral Fazenda Nacional (PGFN).

Resultado de imagem para profut fluminense
Mário está tentando colocar o Flu em ordem (Foto: Lucas Merçon/FFC)

No acordo feito, o clube não conseguiu a liberação dos valores para os cofres tricolores, mas conseguiu que os mesmos fossem revertidos no pagamento das dívidas tricolores junto ao ProFut e demais impostos, que ao mesmo tempo, estavam atrasados e impossibilitando a retirada das CNDs, que impedem o Flu de fechar acordos com o poder público e estatais (caso do Estádio do Maracanã).

O acordo foi o seguinte:

  • R$ 10 milhões foram destinados ao pagamento dos impostos atrasados;
  • R$ 31 milhões serão utilizados para quitar a dívida existente junto ao Profut, além de um pagamento antecipado de 60 parcelas.

Esse acordo ainda será homologado pela juíza da vara tribunal onde está correndo o processo. Mas como a própria Procuradoria é parte no instrumento celebrado, a homologação e os pagamentos são questão de tempo até serem negociados.

Saudações Tricolores,

João Eduardo Gurgel


Fluminense coloca em dia salários de jogadores e funcionários

Em cumprimento à promessa de Mário Bittencourt ao elenco na semana passada, o Fluminense colocará em dia os salários atrasados de jogadores e funcionários, incluindo bolsistas e trabalhadores que recebem como Pessoa Jurídica. O pagamento das folhas referentes a setembro, outubro e novembro ocorre nessa segunda-feira.

Também serão saldados os quatro meses em atraso do futebol feminino, que consome R$ 30 mil dos cofres do clube. O departamento profissional, por sua vez, custa, sem encargos, R$ 2,8 milhões.

Ficam pendentes os direitos de imagem – remuneração dada apenas a alguns integrantes do grupo – e o 13º de 2019. Os primeiros contemplados Marcos Paulo e Miguel, que viram cair na conta na sexta-feira o vencimento de setembro. Foi a solução encontrada pela diretoria para impedir que a dívida chegasse a três meses, o que poderia provocar rescisão por meios judiciais, como fizera Gustavo Scarpa entre 2017 e 2018.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: GloboEsporte.com.

Mário Bittencourt agradece elenco e diz almejar “lugares bem mais altos” em 2020

O elenco que salvou o Fluminense da queda à Série B e, após vencer o Corinthians, o confirmou na próxima edição da Sul-Americana recebeu agradecimento de Mário Bittencourt em rede social. O presidente destacou a postura dos jogadores diante de um ano difícil para o clube e indicou a “receita” para conseguir voos mais altos em 2020.

— Meus agradecimentos também a todos os atletas e funcionários do departamento de Futebol pelo empenho num ano de tantas dificuldades. No próximo ano, com criatividade e ousadia, vamos buscar lugares bem mais altos e que honrem ainda mais as tradições do Fluminense. Saudações Tricolores a todos.

O presidente ainda elogiou Paulo Angioni, com quem divide o departamento de futebol desde o afastamento de Celso Barros, ocorrido em novembro.

— Por fim, faço um agradecimento ao Diretor Executivo Paulo Angioni que, com sua enorme experiência de mais de 40 de Futebol, soube conduzir com equilíbrio o departamento num momento de extrema dificuldade. Obrigado, Paulo.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Mário exalta trabalho de Marcão e comissão técnica à frente do Fluminense: “Terminamos com dignidade”

Foi vencendo o Corinthians por 2 a 1, em Itaquera, que o Fluminense encerrou sua participação no Campeonato Brasileiro de 2019. Livre do rebaixamento desde a 36ª rodada, o Tricolor ficou na 14ª colocação, com 46 pontos, carimbando vaga na Sul-Americana. 

Em rede social, o presidente Mário Bittencourt, que assumiu o poder em meados de junho, agradeceu Marcão e sua comissão técnica pelo trabalho à frente da equipe. O ex-volante começou como auxiliar e, depois das demissões de Fernando Diniz e Oswaldo de Oliveira, ganhou o cargo de treinador principal, no fim de setembro. Na próxima temporada, retorna ao posto de assistente. A previsão é de que a busca pelo novo comandante seja iniciada a partir do fim do Brasileirão.

— Meu agradecimento ao Marcão pelo ótimo trabalho que fez nestes 17 jogos do campeonato brasileiro. Foram 53% de aproveitamento com 27 pontos conquistados dos 46 que fizemos em toda a competição. Após o jogo de hoje e a grande vitória sobre o Corinthians, conquistamos a vaga na Copa Sul-Americana de 2020. Diante de um ano com enormes dificuldades, terminamos com dignidade. O Fluminense merece muito mais e vamos trabalhar para isso, com criatividade e ousadia. Marcão sempre amou o Fluminense e desde os tempos de jogador deu seu suor e seu sangue pelas nossas cores. Agora, como treinador, não foi diferente. Meu muito obrigado novamente a ele por estar sempre a disposição do nosso clube. Saudações Tricolores — escreveu Mário em um dos posts.

— Meus sinceros agradecimentos também a toda comissão técnica. Mesmo com todas as dificuldades vividas na temporada, mantiveram o profissionalismo e o foco em reverter a situação. Meu muito obrigado, Ailton Ferraz, Gabriel Oliveira, Marcos Seixas, André Carvalho, Daniel Cerqueira e Marcão pela luta e empenho. Obrigado também a todos os profissionais do departamento de Futebol pelo trabalho e pela luta diária — continuou numa segunda publicação.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Opinião – “MárioX”

Era uma vez um bilionário que mercadejava sonhos. Embalado por poderosa retórica, o Rei Midas criara empresas fantásticas, cuja denominação social continha, não por acaso, um “X”, símbolo da multiplicação de riquezas. Ações da OGX, da MMX e de outras “X” mais eram disputadas fervorosamente no mercado financeiro. Ante o elevadíssimo valor, seus IPO afastavam, até mesmo, a classe média. Mais, tais papéis se tornaram símbolo de status social. Quem não os tinha carecia de “… visão de futuro…”. Ao final, essas ações viraram pó, ou melhor, os investidores descobriram, dolorosamente, que nunca passaram de pó envolto num sofisticado estelionato.

Cortemos para o Fluminense F.C.

Era uma vez um fluente advogado que, na oposição, mercadejava sonhos. Embalado por poderosa retórica, o sabichão tinha respostas para tudo – do tratamento para unha encravada até a colonização de Marte. Na administração do futebol, então – assunto tão comezinho ante a sua assombrosa inteligência -, ele acenava com a redução da gigantesca dívida do clube, com patrocínios milionários celebrados com investidores de primeira linha, com times galácticos e com outras coisas mais.

Sabemos todos que os ouvidos dos incautos aceitam tudo, em especial aquilo que lhes agrada.

E, como era de se esperar, o vendilhão de sonhos – quase um messias – ganhou a eleição para Presidente do Fluminense, enchendo de esperança os corações apaixonados. Quem discordasse disso carecia de “… visão de futuro…”.

Eis que, desafortunadamente, como num passe de mágica, já eleito, o arguto pensador e filósofo do gigantismo deu lugar ao taciturno administrador, amante do medíocre.

Dolorosamente, milhões – votantes e não votantes – descobriram que tudo não passava de pó envolto em (mais um) reles estelionato eleitoral.

MárioX.

Fui enganado?

Não, de forma alguma!

Talvez eu ainda não tenha alcançado a idade bastante para descrer em Papai Noel ou no coelhinho da Páscoa. Mas já estou velho demais para acreditar em fanfarrões.

Em tempo, um Enderson Moreira vem aí!

MárioX.

Saudações tricolores!

Top