fbpx

Opinião – Eles são melhores, mas nós somos Fluminense

Fluminense e Flamengo se enfrentam hoje no maracanã, às 21h, para decidir o campeão carioca de 2020. Depois de ser campeão da Taça Rio na última quarta-feira (8), o tricolor disputou o primeiro jogo da final geral no domingo (12) e perdeu por 2×1. Para ser campeão hoje, o Flu precisa ganhar por dois gols de diferença. Se ganhar por um gol de diferença, a decisão vai para os pênaltis. Qualquer empate dá o título ao time da Gávea.

Analisando friamente, fica claro que o time do Flamengo é tecnicamente superior. Porém, a técnica jamais foi o diferencial desse clássico. Talvez naqueles jogos de meio de campeonato, mas nunca em uma final. Nunca foi elenco, muito menos habilidade. Nessas horas, é a força da camisa, a tradição, a vontade de querer entrar na história. Esses são alguns dos elementos que fazem desse o maior clássico do futebol brasileiro e um dos maiores do mundo. Dito isso, fica fácil perceber que o favoritismo não pesa tanto pro lado da Gávea. Afinal, força de camisa, história e tradição são coisas que o Fluminense tem de sobra.

O jogo de hoje a noite tem muito mais ingredientes fora de campo do que de fato dentro dele. As divergências a respeito do retorno do futebol, o embate contra a federação e os ideais nitidamente diferentes somam-se a todos os outros fatores citados acima e aumentam ainda mais a mística do clássico. E hoje, o título não é a única coisa em jogo. Não será uma busca apenas pela taça. Será uma busca pela vitória do correto, da empatia. Uma vitória pra calar a boca de muitos, como foi no primeiro Fla-Flu em 1912, e se repetiu em 83, em 84, em 95 e em muitos outros jogos nos mais de cem anos de história desse confronto.

Os fatos dizem que eles são os melhores, mas nós somos Fluminense. Como uma vez disse o profeta Nelson Rodrigues: “Eu vos digo que o melhor time é o Fluminense. E podem me dizer que os fatos provam o contrário, que eu vos respondo: pior para os fatos”. Essa é a tônica do jogo. Pra cima deles, Fluminense!

Que o Gravatinha esteja com a gente essa noite e que o Sobrenatural de Almeida passe bem longe do Maracanã.

Top