fbpx

Antes “desconhecido”, Nino comenta dificuldades para conquistar espaço no Flu

Zagueiro afirmou que já esperava uma pressão maior por atuar em um clube grande do futebol brasileiro

Foto: Lucas Merçon / FFC

Contratado para a temporada de 2019, Nino chegou como um ‘desconhecido’ e, com as lesões de Digão e Léo Santos, ganhou seu espaço no Fluminense. Após boas atuações pelo Criciúma no ano passado, o zagueiro despertou o interesse do Tricolor carioca, que por não viver uma situação financeira suficiente para investir em muitas contratações de peso, acaba buscando e pinçando promessas pelo futebol nacional.

Atualmente titular da equipe de Fernando Diniz, Nino vem formando dupla com Matheus Ferraz e parece se firmar a cada dia mais no Flu. Em entrevista concedida à Rádio Brasil, o jogador de 22 anos relembrou sua chegada no clube das Laranjeiras e destacou a dificuldade de conquistar seu espaço em um time grande, principalmente para atletas que não estão nos holofotes aqui no Brasil.

“É normal. Vim do Criciúma, um clube que aqui no eixo Rio-São Paulo não é muito conhecido. Mas sabia que a cobrança seria grande no Fluminense, por ser um grande clube e eu teria que lutar para conquistar meu espaço. Espero poder mostrar que tenho capacidade de vestir a camisa e honrar as cores desse clube”.

O próximo desafio de Nino e do Fluminense é neste domingo (02), contra o Athletico-PR, às 11h (de Brasília), na Arena da Baixada, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. Na 15ª posição com seis pontos conquistados, o Tricolor precisa de um bom resultado para não correr risco de entrar no Z4 da competição.

Nino enaltece Matheus Ferraz e comemora parceria bem-sucedida no Fluminense

Zagueiro falou sobre a importância de seu companheiro de zaga dentro do elenco tricolor

Foto: Lucas Merçon / FFC

Com a lesão de Digão, a zaga do Fluminense ficou com uma vaga em aberto. Primeiramente, Fernando Diniz optou por Léo Santos, que não conseguiu agarrar a chance, cometeu um pênalti bobo nos acréscimos contra o Flamengo, ainda pelo Campeonato Carioca, e se lesionou, voltando para São Paulo para seguir o tratamento. Com isso, Nino, vindo do Criciúma, foi lançado pelo treinador e aos poucos vem conquistando a confiança do comandante e da torcida.

Autor do primeiro gol na goleada por 4 a 1 sobre o Cruzeiro no último final de semana, o zagueiro comentou sobre a boa fase no Tricolor e fez questão de rasgar elogios a Matheus Ferraz, seu parceiro no sistema defensivo. De acordo com Nino, o experiente atleta de 34 anos é essencial para o futebol jogado pela equipe.

“O Matheus Ferraz ajuda o time todo e deixa todo mundo mais tranquilo quando está dentro de campo. É um jogador de muita qualidade, muito experiente e que está vivendo uma ótima fase. Fico feliz de participar desse momento junto com ele. Mas vamos seguir trabalhando para que o time continue crescendo”.

Inscrito na Copa Sul-Americana, Nino dará sequência a parceria com Ferraz na próxima quinta-feira (23), quando o Fluminense enfrenta o Atlético Nacional-COL, às 21h30 (de Brasília), no Maracanã. Essa será a estreia do jovem zagueiro em competições continentais.

Nino valoriza vitória e comemora primeiro gol como jogador do Fluminense

Zagueiro foi o autor do tento que abriu o placar no Maracanã na goleada diante do Cruzeiro

Foto: Lucas Merçon / FFC

A goleada por 4 a 1 sobre o Cruzeiro teve um sabor especial para Nino. Vindo do Criciúma para jogar pelo Fluminense nesta temporada, o zagueiro marcou seu primeiro gol com a camisa do Tricolor carioca. Titular absoluto desde a lesão de Digão e a lesão de Léo Santos, o defensor firmou uma boa parceria com Matheus Ferraz. Após a partida, Nino comemorou o tento e revelou que a equipe treina muito a jogada de bola parada.

“Foi um jogo difícil. Nós treinamos bastante essa jogada aérea, e graças a Deus saiu o gol”, destacou.

Inscrito na Sul-Americana, o zagueiro será titular no duelo com o Atlético Nacional-COL, na próxima quinta-feira (23), às 21h30 de Brasília, no Maracanã. Essa será a estreia de Nino em competições continentais.

Nino elogia defesa do Fluminense e exalta “espetacular” Matheus Ferraz: “Vive grande fase”

A lesão de Digão levou Fernando Diniz a testar alguns jogadores como dupla de Matheus Ferraz. Escalou Frazan, Paulo Ricardo e Léo Santos, até que viu em Nino a opção ideal para a vaga. O zagueiro, contratado junto ao Criciúma, estreou na derrota para o Flamengo por 3 a 2, ao fim de março. Soma cinco jogos pelo Fluminense, três deles sem levar gols.

– Mostra que nosso trabalho está sendo bem feito. Nossa partida defensiva sempre tem ido bem. Esperamos continuar assim, tomar o mínimo possível de gols para que as classificações venham e a gente possa ir longe nesta competição – disse.

Também é uma surpresa para os tricolores o bom desempenho de Ferraz, considerado um dos principais atletas do elenco no ano. Nino “assina embaixo” e, ao confirmar entrosamento com o companheiro, diz que evolui ao lado do camisa 3.

– É um cara espetacular, como atleta e pessoa. Vive uma grande fase. Vem me passando bastante experiência. É muito prazeroso. Tenho crescido bastante ao lado dele. O que tenho aprendido com ele, vou levar por toda a minha carreira. Espero que esse entrosamento e essa boa fase continuem e a gente possa dar bons resultados para o Fluminense.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Pernambucano, Nino comemora primeira vez no Arruda e minimiza vantagem sobre o Santa Cruz: “É um outro jogo”

Fluminense e Santa Cruz duelam às 21h30 de quinta-feira pela permanência na Copa do Brasil. Apesar da boa vantagem após vencer o primeiro jogo por 2 a 0, Nino lembra que confronto no Arruda promete ser duro e cobra atenção.

– Vamos correr riscos se nos deixarmos levar pela vantagem. É um outro jogo. Não podemos achar que vai ser fácil, achar que a classificação está garantida. Vai ser um jogo muito difícil. Sei da força da torcida deles. Vai ter apoio, o ambiente vai ser favorável a eles. Mas sabemos o que temos que fazer. Vamos jogar com seriedade do primeiro ao último minuto para que essa classificação venha.

Pernambucano, o zagueiro terá o apoio de familiares e amigos na missão de classificar o clube, afinal, vai atuar na cidade onde nasceu. Ele recordou a saída de casa à época em que começou a carreira.

– Saí de casa muito cedo para buscar esse sonho de ser jogador. Cada oportunidade de jogar na minha terra é um prazer sempre. Vai ter familiares, amigos, e é um prazer jogar com eles torcendo. Nunca joguei no Arruda, vai ser a minha primeira oportunidade lá. Estou muito feliz por isso – disse o zagueiro, que explicou a postura que o time deve adotar para superar o adversário:

– Precisamos jogar com muita seriedade. Sabemos que vai ser um jogo difícil. Vamos encontrar um estádio lotado, uma equipe que vai ser empurrada pela torcida. Vai querer reverter a vantagem, tentar uma pressão nos primeiros minutos. Sabemos o que temos que fazer, jogar com inteligência, seriedade e com os pés no chão para que possamos fazer um bom jogo lá e voltar com a classificação.


VEJA MAIS RESPOSTAS DE NINO:

Projeção para jogo contra o Santa Cruz
– Diniz é um cara muito inteligente, estudioso. Temos tentado focar no que vamos fazer. Sabemos que a melhor maneira de ganhar o jogo é fazer tudo que estamos propostos a fazer: na defesa, no ataque, na saída de jogo, na reconstrução, atacar sem ficar exposto atrás, defender sabendo que quer atacar. Sabemos que o Santa Cruz tem força dentro de casa, jogadores velozes na frente. Sabemos que precisamos manter nossa postura, aquilo que estávamos preparados para fazer e assim vamos conseguir fazer um bom jogo.

Ausência de Ganso
– Ganso é uma liderança técnica, um cara que tem bastante experiência, que passa isso para gente. Perdemos com a ausência dele em qualquer jogo, pela qualidade que ele tem. Mas temos outros jogadores à altura. Tenho certeza que quem entrar no lugar dele vai dar conta do recado.

Estilo de jogo
– É uma característica do Diniz. A princípio, é complicado, um pouco difícil, mas com o passar do tempo vai ficando fácil. Não só para a zaga, mas para toda a equipe. Não é só a defesa que tem a responsabilidade de sair jogando, mas, sim, o time todo. Ninguém vai conseguir fazer nada sozinho. Depende do conjunto, é isso que faz com que a gente saia jogando e tenha esse modelo de jogo. É com esse conjunto forte que vamos conseguir os resultados.

Começo no Fluminense
Estou me sentindo muito bem, à vontade no clube. Cheguei e demorei um pouco para ser inscrito. Um mês que aproveitei muito para me adaptar ao estilo de jogo e ao convívio. Sabia que uma hora a oportunidade ia aparecer. Tentei estar preparado. Venho fazendo meu melhor, ajudado da maneira que posso.

Objetivos
Agora começam os jogos grandes. Sabemos que nosso trabalho da pré-temporada, toda a preparação, é para esse momento. Estamos focados em todas as competições para dar alegria aos torcedores, funcionários, para o clube. Vamos tentar, passo a passo, nos manter brigando por todas. Vamos fazer nosso melhor sempre para que o título venha.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Nino celebra boas atuações pelo Fluminense: “Muito feliz”

Foto: Lucas Merçon / FFC

Zagueiro vem se firmando cada vez mais no Tricolor carioca

Contratado este ano para compor o elenco do Fluminense após uma boa temporada pelo Criciúma em 2018, Nino demorou a ter espaço na equipe. Graças as lesões de Digão, titular absoluto, e de Léo Santos, reserva imediato, o zagueiro viu a oportunidade aparecer e não desperdiçou. Colecionando boas atuações com a camisa tricolor, o defensor vem se destacando e ganhando mais moral a cada dia mais.

Em entrevista, Nino comemorou o bom início pelo Fluminense e afirmou estar focado em melhorar cada vez mais.

Fico muito feliz de ter o trabalho reconhecido neste meu começo aqui no clube. É apenas o começo e espero que seja uma longa jornada no Fluminense. Vou continuar trabalhando para ajudar o time a ganhar títulos e ter o meu trabalho ainda mais reconhecido no cenário nacional“, disse.

O próximo desafio do zagueiro e do time de Fernando Diniz é na quinta-feira (25), contra o Santa Cruz, fora de casa, pelo jogo de volta da quarta fase da Copa do Brasil. Na ida, no Maracanã, o Tricolor triunfou por 2 a 0, gols de Gilberto e Luciano.

Revezamento na zaga por lesões dá chances a Nino, elogiado por Diniz: “Me sinto honrado no Fluminense”

Recém-contratado do Criciúma, Nino viu surgir uma chance pelas lesões de companheiros. Digão, Léo Santos e Paulo Ricardo reduziram a três o número de opções para a zaga. Coube ao camisa 33 assumir a posição ao lado do veterano Matheus Ferraz. Quarta-feira, o zagueiro completou 22 anos vencendo o Luverdense por 2 a 0, no Maracanã, e avançando na Copa do Brasil.

– Muito feliz, me sinto honrado em jogar pelo Fluminense. É a oportunidade que todos sonham. Fico feliz de comemorar o meu aniversário com uma vitória, uma classificação, dando alegria para a torcida. Espero que a gente continue passando de fase e vá longe no campeonato – disse o jovem, elogiado por Fernando Diniz

– Um menino muito bem avaliado, jogador de potencial. Por isso foi contratado pelo Fluminense. E tem correspondido plenamente nas partidas que jogou. Tem um estilo que se adapta facilmente à maneira como eu gosto que a equipe jogue. Tem um bom passe. Emocionalmente, embora seja garoto, mostrou ter a cabeça muito forte, principalmente nos clássicos. E hoje (quarta-feira) fez mais uma boa partida.

Nino soma só quatro jogos com a camisa verde, branca e grená. Metade foram clássicos contra o Flamengo – uma derrota e um empate. Os duelos mais duros tendem a deixar o jogador mais “cascudo”. Na missão de ganhar experiência, ele conta com a ajuda da sua dupla, Ferraz.

– É muito bom jogar ao lado dele. É o segundo jogo que a gente não toma gol. É um bom sinal. Estou muito feliz e tenho aprendido muito com ele, pegando experiências que vou levar para toda a minha vida.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Nino comemora segundo jogo pelo Fluminense e projeta encontro com o Luverdense: “Encaramos como uma final”

Sem Léo Santos, lesionado, Fernando Diniz leva a campo o zagueiro Nino para o duelo com o Luverdense, em Mato Grosso, pela terceira fase da Copa do Brasil. Ele, que veio do Criciúma por empréstimo, estreou na derrota por 3 a 2 para o Flamengo, na Taça Rio.

– Oportunidade muito importante para mim. Segundo jogo como jogador do Fluminense. Espero aproveitar da melhor maneira. Venho trabalhando muito sério, muito forte. Espero pôr tudo em prática nesta quarta – comemorou.

Devido a contusões, o time sofreu alterações considerando aquele que encarou o Rubro-Negro na semana passada. Além da saída de Léo Santos para entrada de Nino, o técnico recolocou Caio Henrique no meio, como volante, em razão do desfalque de Airton, com problema na coxa. A esquerda passa a ser função de Ezequiel, lateral-direito que deixa a reserva para ser improvisado.

– Antes de um time, temos um grupo forte. Sabemos que jogadores importantes não vão jogar, mas quem entra também tem capacidade. Vamos manter o nosso estilo de jogo, como estamos fazendo em casa e fora de casa. Manteremos a seriedade e a postura de fazer o melhor. A característica é ficar com a bola, propor o jogo. Por vezes, temos dificuldade. Mas a ideia é essa. Fazer gol é a melhor maneira de respeitar o adversário – explicou Nino.

Nessa terça-feira, o elenco treinou no Passo das Emas, estádio que receberá o encontro das equipes, provavelmente, lotado. Nino crê que o jogo promete ser difícil e lembra que é um confronto de 180 minutos, dada a volta, marcada para 9 de abril. Gol fora de casa não é critério de desempate.

– Jogo é jogo. São 11 atletas do outro lado que também querem vencer. Não vamos comparar esse jogo com nenhum outro. Pés no chão. A gente sabe da força deles, a gente sabe que o estádio vai estar lotado. Temos de fazer o melhor nos 180 minutos. Jogo muito importante, muito difícil. Sabemos da dificuldade que vamos encontrar, jogar na casa do adversário. É sempre difícil jogar aqui. Nós viemos preparados. Trabalhamos forte, estamos encarando como uma final esse jogo. Esperamos fazer nosso melhor.


Leia mais falas do zagueiro:

Folga no último fim de semana
Temos um calendário muito apertado devido aos muitos jogos, competições diferentes. Todo tempo que se tem para trabalhar é válido. Tempo bom para descansar quem vinha na sequência, trabalhar quem estava precisando. Usamos bem esse tempo.

Viagem desgastante
Temos de nos acostumar. É o nosso dia a dia, todo o atleta passa por isso.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

De olho na Luverdense, Diniz comanda treino com Ezequiel e Nino na equipe

No treino desta segunda-feira, o Fluminense apareceu em campo com mudanças se comparado à escalação usada na derrota para o Flamengo, semana passada. De olho na Luverdense, adversário de quarta, no Mato Grosso, pela terceira fase da Copa do Brasil, o técnico Fernando Diniz promoverá alterações em razão de contusões.

Na zaga, a equipe perdeu o lesionado Léo Santos. O jovem sofreu uma tendinite patelar no joelho direito e deve dar lugar a Nino, que formará dupla com Matheus Ferraz. Os demais zagueiros, como Digão, Paulo Ricardo e Frazan, estão sem condições de jogo.

Com Airton machucado, o meio-campo terá a volta do volante Caio Henrique, que vinha sendo improvisado na lateral-esquerda. Assim, caberá ao reserva Ezequiel, deslocado da direita, a tarefa de assumir o setor. Mascarenhas segue tratando tendinite no joelho esquerdo.


Escalação provável do Fluminense:

Rodolfo; Gilberto, Matheus Ferraz, Nino e Ezequiel; Caio Henrique, Bruno Silva e Ganso; Everaldo, Luciano e Yony.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Nino vibra com chance no Fluminense e relembra crise no Mogi Mirim: “Pensei em desistir”

Treinando com o elenco desde meados de fevereiro, Nino se apresentou à imprensa apenas nesta terça-feira, após ser anunciado na semana passada. Quase indo às lágrimas, o zagueiro destacou a reviravolta numa carreira que poderia ter sido encerrada por instabilidade no Mogi Mirim.

– Sou jogador de 21 anos, de Recife. Saí de lá muito cedo para jogar no Mogi Mirim, em São Paulo. Muitas vezes pensei em desistir, estava disposto a isso. Já tinha colocado na minha cabeça. Se não fosse meu pai, o apoio da minha família e Deus na minha vida, hoje eu não estaria aqui – disse, explicando por que considerou largar o esporte:

– Há cinco anos, eu não estava sendo relacionado para os jogos no Mogi Mirim, estava triste, querendo desistir do meu sonho de infância, e tive a força da minha família para continuar. Então, estar aqui hoje é pelo apoio da minha família. Me emociona porque realmente eu estava muito perto de desistir.

Emprestado pelo Criciúma até dezembro, Nino chega por indicação do técnico Fernando Diniz. Ele, que se diz preparado fisicamente e entrosado com a equipe para estrear, revelou suas principais características.

– Eu me considero um jogador técnico, com uma boa velocidade, mas um jogador que se entrega, com raça e com vontade. A torcida pode esperar isso de mim. Muito trabalho e muita disposição para que na hora do jogo dê tudo certo.


Leia mais trechos da entrevista:

Ansiedade pelo anúncio da contratação

– É claro que tem uma ansiedade, sim. É um momento especial para qualquer jogador. Todo mundo planeja e sonha com essa apresentação. Mas, mais do que essa ansiedade, tem o prazer de estar aqui e já treinar com meus companheiros. Aproveitei esse tempo para já aprimorar o físico, adaptar ao jogo.

Indicação de Diniz

– Me deixa feliz, mostra que o meu trabalho tem sido reconhecido. Mas, sem trabalho, nada acontece. Tem várias competições, uma hora a oportunidade vai surgir, e a gente tem de estar preparado. Temos de ter um grupo em alto nível e é para isso que vamos trabalhar.

Concorrência na zaga

– Chego muito feliz, muito motivado. Em time grande, todos os jogadores têm muita qualidade, têm de mostrá-la todo dia. Chego para somar, feliz, em um grande clube do Brasil, representando um sonho não só meu, mas de toda a minha família.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Top