fbpx

“Mais um jogo fora de casa, mas mais uma oportunidade de conquistar a vitória” – Odair comenta sobre partida de hoje

Hoje, às 16:00, Fluminense enfrenta o Athletico pela quinta rodada do Brasileirão.

O técnico Odair comentou sobre a partida, confira:

“-A GENTE VAI TER ADVERSIDADES, FRIO, GRAMA SINTÉTICA. É
MAIS UM JOGO FORA DE CASA, MAS É MAIS UMA OPORTUNIDADE DE CONQUISTAR A VITÓRIA, PONTUAR. A GENTE VAI FAZER
USO DE TODO O GRUPO, QUE A GENTE CONFIA MUITO, JÁ QUE É
UMA SEQUÊNCIA DE JOGOS MUITO GRANDE. ESPERO QUE A
GENTE POSSA FAZER UM GRANDE JOGO”.
– declarou o técnico.

FOTO: Lucas Merçon

-Capacidade e construção boa. Odair elogia Flu e comenta o que falta para o gol sair

Depois do empate contra o Palmeiras na última quarta-feira, (13), o técnico do time das Laranjeiras concedeu uma entrevista na qual comentou sobre o que falta para o time melhorar as finalizações e conseguir balançar mais as redes, confira:

”Nós estamos chegando lá, próximo do gol, mas no acabamento final, precisamos encotrar melhores movimentos, melhor entrosamento, para aumentar a capacidade e o numero de finalizações perigosas para fazer mais gols.’ – declarou Odair.

O técnico elogiou a estrutura do time também:

‘A partir do momento que tu vai pra fase ofensiva, há uma liberdade, um anarquismo nessa movimentação dentro de uma organização. A gente tem uma consistência, uma organização, uma boa intensidade, uma capacidade de construção boa.’ – afirmou.

FOTOS: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.

Odair Hellmann se reúne com comissões de Xerém nesta terça

Por vídeoconferência, 92 funcionários do Flu participam do encontro do Programa de Formação Continuada de Xerém

A reunião do Programa de Formação Continuada de Xerém, na noite desta terça-feira (13/05), foi especial. Por videoconferência, 92 funcionários do futebol profissional do Tricolor, da base e do futebol feminino debateram por cerca de duas horas sobre a metodologia de treino e a filosofia de jogo do clube. O encontro, que contou com a presença do técnico, Odair Hellmann, do vice-presidente da base, Rui Reisinger, do Diretor Executivo de futebol, Paulo Angioni e toda a comissão técnica do Fluminense, estreitou os laços entre os departamentos e serviu para aumentar, ainda mais, a integração entres as áreas.

“O nosso presidente, Mario Bittencourt é um grande entusiasta da integração entre Xerém e o futebol profissional. A reunião desta terça serviu para aproximar ainda mais as duas áreas, colocar a comissão técnica do profissional para conversar diretamente com todas as categorias e departamentos de Xerém. Tivemos também a presença do futebol feminino. Foi um encontro virtual muito importante e que mostra que estamos no caminho certo”, comemorou o vice-presidente da base, Rui Reisinger.

A integração entre a comissão técnica do futebol profissional aumenta a qualidade na transição dos jogadores da base para o futebol profissional, fazendo com que os atletas consigam desempenhar, em um espaço mais curto de tempo, todo o potencial esperado pelo clube.

“Estou feliz e muito satisfeito em poder acompanhar um encontro de tão alto nível. Tenho muitos anos de futebol e umas das coisas que mais me incomoda é o descarte de atletas que se tornou o esporte, principalmente aqui no Brasil. Uma integração maior e uma transição de mais qualidade aumenta a possibilidade de não perdemos grandes talentos por falta de espaço ou falta de paciência”, explicou o Diretor Executivo de futebol, Paulo Angioni.

O Programa de Formação Continuada de Xerém é uma série de reuniões e seminários com a intenção de qualificar os profissionais da base do Fluminense e manter a metodologia de formação do clube sempre atualizada, para que eles possam ajudar cada vez mais no desenvolvimento dos jovens talentos formados na base.

“Temos, em Xerém, um currículo metodológico bem formatado, bem estruturado que é constantemente atualizado. Um projeto muito bem estabilizado não só na excelência na formação de jogadores, mas também na formação de profissionais”, disse o Diretor executivo da base, Antônio Garcia.

Na reunião desta terça-feira, o técnico Odair Hellmann pôde passar para os profissionais de Xerém um pouco mais da sua experiência no futebol, o controle metodológico que utiliza no futebol profissional do clube e como conseguir acessar os jogadores de forma mais produtiva, mesmo com pouco tempo de treinamento, por conta do caótico calendário do futebol brasileiro.

“O Fluminense é um celeiro de bons jogadores e ver o clube se preocupando em aprimorar ainda mais o desenvolvimento de seus atletas é extremamente satisfatório. O Fluminense precisa ter sua identidade própria, não pode ser a identidade do Odair, ou de outro técnico, tem que ser a do clube”, afirmou o treinador.

Interesse de Odair em jogador do inter?

Na semana passada, o técnico Odair Hellmann concedeu entrevista para rádio Grenal, no programa do jornalista Luiz Carlos Rech – pela manhã.

Durante a participação, o ex-comandante do Inter foi questionado se havia tentado levar o zagueiro Rodrigo Moledo para o Fluminense.

“Não. Se trata de um grande jogador e claro que gostaria de contar com ele, mas não houve proposta”, disse o comandante, que ainda revelou que o jogador é “caro”.

“Encontrei ele esses dias e disse pra ele que ele está caro”, completou Odair.

Rodrigo Moledo virou reserva do time do Inter neste ano. O jogador perdeu a posição para Bruno Fuchs, destaque da base colorada que subiu aos profissionais ainda em 2018.

O contrato de Moledo com o Inter é válido até o final do ano de 2022.

Fonte: revistacolorada

Pandemia atrasa processo de afirmação de novo técnico do Flu

Antes da suspensão das competições, críticas ao comandante tricolor haviam sido amenizadas pela evolução mostrada pela equipe na vitória sobre o Vasco, no Carioca

A paralisação do futebol em razão da pandemia do coronavírus interrompeu um trabalho de busca da afirmação de um estilo de jogo do Fluminense com a marca do técnico Odair Hellmann. É o que pensa o comandante tricolor, contratado em dezembro do ano passado, que falou sobre o tema em entrevista ao programa “Troca de Passes” do canal “Sportv”, exibido na última sexta-feira.

-Só é possível conhecer o atleta a fundo com a convivência diária. Com isso, você pensa em um time para pôr em prática alguma ideia, de acordo com as características dos jogadores. O tempo também fiz quando o estilo de jogo de um jogador não se encaixa coletivamente, que ajustes precisam ser feitos e como o time se porta de acordo com a diferença do nível de dificuldade dos adversários. Eu tive apenas dois meses. O grupo mudou bastante em relação ao ano passado. Estávamos em um momento de afirmação de uma ideia de jogo e essa parada prejudica bastante – disse Odair.

Em pouco mais de dois meses de trabalho, Odair já vinha sofrendo questionamentos de parte da torcida por alguns resultados negativos à frente do Tricolor. Antes da pausa, o Fluminense havia sido derrotado no jogo de ida contra o Figueirense, por 1 a 0, pela terceira fase da Copa do Brasil. A vitória, por 2 a 0, no clássico contra o Vasco, na partida seguinte, pelo Carioca, no entanto, acalmou os ânimos.

Outro fator que gerou desconfiança foi a eliminação na primeira fase da Copa Sul-Americana, em fevereiro, com dois empates como modesto Unión La Calera-CHI. A cautela excessiva de Odair foi o principal alvo das queixas dos tricolores, junto com as variações de posicionamento, sempre defendidas pelo treinador.

A vitória sobre o Cruz-Maltino, no Maracanã de portões fechados, poderia marcar o início de uma evolução da equipe, com a confiança turbinada pelo fim de um jejum que existia desde abril de 2017. Odair destacou a mistura entre juventude e experiência que começava a dar liga.

-Perdemos jogadores importantes no início do ano, mas conseguimos contratar bons jogadores, com criatividade, dentro da realidade financeira do clube. Conseguimos mesclar jogadores mais experientes com os jovens. O Fluminense tem uma base muito forte, em Xerém. O único ponto positivo é que na volta, reinicio o trabalho conhecendo um pouco mais desses jogadores – completou Odair.
Respaldo do presidente

Antes que as competições fossem suspensas, o presidente Mário Bittencourt chegou a conceder entrevista coletiva em que fez questão de reforçar o apoio ao treinador Odair Hellmann e a garantia da permanência dele no cargo, independente de qual fosse o resultado do jogo de volta contra o Figueirense.

-Não existe a menor hipótese de Odair sair. Mesmo que a gente não passe dessa fase da Copa do Brasil ele segue como treinador do Fluminense. Ele não está pressionado e nunca esteve – afirmou o mandatário, no dia 13 de março.

Fonte: Terra

Em entrevista, Odair fala sobre corona vírus e adiamento das competições

Depois da vitória do Flu contra o Vasco, de 2 a 0, o técnico tricolor concedeu uma entrevista e falou sobre a questão do adiamento das competições, confira:


– Temos que aguardar. Tivemos uma primeira decisão tomada aqui de esperar essas decisões do governo. São decisões macro, da sociedade. Acho que são decisões importantes que precisam ser tomadas a partir de amanhã. Para que a gente possa, agora sim, vencer essa batalha contra esse vírus, a velocidade de transmissão. Por isso o adiamento de muitas coisas, para que isso não se propague para as pessoas, e a gente possa ter e dar atendimento àqueles que precisam, que eles se recuperem.

– Tudo isso a partir de agora se torna mais importante. Ele era importante antes do jogo, mas você acaba fugindo um pouquinho, vai para 90 minutos, mas na minha visão já poderia ter adiado, parado isso antes da partida. Como não parou, tínhamos que nos concentrar no trabalho. Agora que terminou, a gente espera as outras posições para tomar também as decisões técnicas e esportivas. No primeiro momento, é proteger a vida das pessoas.

Após perder partida contra Figueirense, Torcida do Flu perde a paciência com técnico

Tricolor tem má atuação no Orlando Scarpelli e sai em desvantagem para jogo de volta da Copa do Brasil

o principal alvo dos tricolores foi Odair Hellmann.

O principal pedido da torcida é que o Fluminense seja mais ofensivo.

Confira:

FOTO: LUCAS MERÇON/ FLUMINENSE F.C.

Odair chega ao seu time ideal

Desde a primeira partida no comando do FluminenseOdair Helmann deixou clara sua preferência por um meio de campo com três jogadores. Apesar desta convicção, faltava descobrir quem seriam eles. Após 12 jogos, o tricolor — que neste domingo, às 18h, enfrenta o Resende no Maracanã — parece enfim ter chegado à definição.

Ronaldinho Gaúcho: o que se sabe e o que está sem respostas no caso do passaporte adulterado

O trio formado por Hudson, Yago e Nenê deixou o jogo contra o Botafogo-PB, na última quarta, pela Copa do Brasil, sob a aprovação da torcida e do treinador. Apesar do primeiro tempo ruim de toda a equipe, o dinamismo apresentado na etapa final agradou ao treinador.

Barreto: Ainda não se pode julgar Ronaldinho Gaúcho, mas há o medo de que ele tenha dado o “dibre” errado

Mas não foi fácil chegar aos nomes. Desde o jogo contra a Cabofriense, o primeiro da temporada, foram nove formações testadas. Aos todo, sete jogadores foram utilizados. Até mesmo Marcos Paulo, mais acostumado a jogar no ataque, chegou a atuar como meia de ligação, na goleada sobre o Madureira por 5 a 1.

Os mais escalados foram Hudson (oito vezes) e Henrique (sete). Este, por sinal, pode ter perdido a titularidade por um golpe do destino. Preservado por Odair para a partida contra o Botafogo-PB, ele viu Hudson e Yago se saírem bem (o primeiro como volante e o segundo como ponta) no jogo anterior, a goleada sobre o Madureira. Ali, os dois já deixaram uma desconfiança na cabeça de Odair: a de que poderiam ser testados como dupla de volantes para formar o meio ao lado de Nenê. A experiência se mostrou acertada.

Apesar de ter gostado do que viu, Odair evita bancar que o meio esteja “fechado”.

Como o Fluminense viaja na terça-feira para Florianópolis, onde no dia seguinte enfrentará o Figueirense pela terceira fase da Copa do Brasil, é provável que alguns jogadores sejam poupados — a exemplo do que ocorreu há uma semana, pela primeira rodada da Taça Rio. Dentre os possíveis poupados, está Nenê. Sendo assim, Ganso teria sua primeira oportunidade de iniciar uma partida.

Matheus Ferraz começa o jogo de hoje na vaga de Digão, que sofreu uma lesão na coxa e está em tratamento.

Ficha do jogo

Fluminense: Muriel, Gilberto, Nino, Matheus Ferraz e Egídio; Hudson, Yago, Nenê; Marcos Paulo, Evanílson e Wellington Silva

Resende: Ranule, Dieguinho, Kevyn, Grasson e Rhayne;Murillo, Vitinho e Zizu (Mauro Silva); Alef Manga, Thauana e Caio Cézar

Local:Maracanã.

Horário: 18h.

Árbitro: Rafael Martins de Sá.

Transmissão: Premiere e Rádios Globo/CBN

Fonte: O Globo

FOTO DE MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC

Erros se repetindo? Tricolor sofre gols antes de 10min de jogo em 3 partidas consecutivas

Tricolor foi vazado antes dos dez minutos de jogo, contra o Flamengo, Moto Club-MA e Madureira.

Nem mesmo a goleada por 5 a 1 aplicada pelo Fluminense sobre o Madureira na estreia da Taça Rio livrou o time de uma rotina incômoda nos últimos jogos. Nas apresentações contra Flamengo, Moto Club-MA e o time do subúrbio carioca o Tricolor sofreu gols com menos de dez minutos de bola rolando. A situação não passou despercebida para a comissão técnica e liga o sinal de alerta no clube, antes do duelo decisivo contra o Botafogo-PB, pela segunda fase da Copa do Brasil, na próxima quarta, no Maracanã.

– Quando você toma um gol com 40 segundos como no outro jogo, e hoje com dois minutos? Nem teve jogo ainda, não dá para fazer análise, a coisa não se desenvolveu ainda. Precisa melhorar nesse sentido para nem tomar gols nem tão cedo. Estamos tomando poucos gols, foram só nove até agora – analisou o técnico Odair Hellmann após a vitória sobre o Madureira.

Fluminense já havia passado por situação parecida na Copa do Brasil, contra o Moto Club, quando também conseguiu a virada e a vitória por 4 a 2.

Contra o Flamengo, nas semifinais da Taça Guanabara, o Flu cometeu erros que podem ter custado o resultado. Bruno Henrique aproveitou uma desatenção da zaga e uma saída de gol ruim de Muriel e abriu o placar no primeiro minuto de jogo. Aos oito, Gabigol ampliou após um erro de Henrique na troca de passes. A situação se repetiu na volta do intervalo, com Filipe Luis ampliando a vantagem com apenas quatro minutos. Quando o Tricolor iniciou a reação e diminuiu a diferença já era tarde.

O time de Odair viveu o mesmo drama na Copa do Brasil, quando o modesto Moto Club-MA abriu o placar com 40 segundos e fez 2 a 0 com 11 minutos de jogo. O fato do jogo ser eliminatório aumentou o sofrimento dos torcedores.

No último domingo, foi a vez do Madureira. O rival suburbano começou abriu o placar em gol contra de Nino, depois de um erro coletivo da defesa. aos oito minutos. O Fluminense demorou a reagir e só iniciou a reação a partir dos 40 minutos.

– Quando você toma gol tão rápido, e o adversário tem estratégia de ser defensivo e contra-atacar, ele se fecha. Traz a linha de defesa mais para trás ainda e diminui os espaços. Tudo o que você tinha pensado sai do controle, depois você vai se ajustando – explicou Hellmann.


Ataque compensa

O sinal de alerta no setor defensivo foi ligado para a partida contra o Botafogo-PB. O desempenho do ataque tricolor na temporada, por outro lado, tem sido o destaque positivo, diferente do que foi visto em 2019. Evanílson, Marcos Paulo e Wellington Silva têm estado com a pontaria afiada. Ao todo, o trio já soma oito gols. O meia Nenê também se mostra inspirado no início de temporada e já é o artilheiro da equipe com sete gols.

O próximo desafio do Flu será na quarta-feira, em casa, diante da torcida. Não há vantagem do empate nesta fase da Copa do Brasil. Em caso de igualdade, a decisão da vaga será nos pênaltis. Um motivo a mais para o time de Odair Hellmann entrar em campo com foco total em evitar os erros iniciais.

Fonte: Terra

Foto: MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC

“Fomos merecedores dessa classificação”, declara Odair após vitória contra Moto Club

Após a vitória de 4 a 2, Odair reforçou a calma e a organização do seu time.

— Iniciar um jogo perdendo de 2 a 0 pode comprometer a vitória, a classificação. Depois que tomamos o segundo gol, a equipe se estabilizou e teve méritos de não entrar em um jogo de desespero, de querer fazer gol a qualquer custo. Eles baixaram a linha de marcação com o 1 a 0, e com o segundo gol, ainda mais. Em um campo onde acelerar o jogo o tempo inteiro não dá, é preciso trocar passes, circular… A partir desse momento começamos a fazer isso e construímos a vitória por 4 a 2. No fim, fomos merecedores dessa classificação – disse.

Foto: Mailson Santana – FFC

Top