Oswaldo ganha ação contra o Flu na justiça, mas perde “dano moral” no caso Ganso

O técnico Oswaldo de Oliveira obteve êxito na ação que movia contra o Fluminense na justiça. O ex treinador que cobrava uma quantia de R$ 1.876.602,30, viu o juiz substituto José Alexandre Cid Pinto Filho, da 42ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro do Tribunal Regional do Trabalho da Primeira Região (TRT-1) atender em partes seu pedido, condenando o Tricolor a pagar o valor de R$ 600 mil. No entanto, ainda cabe recurso.

A informação foi divulgada pelo site ENM, que informou ainda que o magistrado acatou os seguintes pedidos do treinador: 27 dias de saldo de salário de setembro de 2019 e reflexos em FGTS; 1/12 de décimo terceiro salário proporcional de 2019 e reflexos em FGTS; 1/12 de férias proporcionais de 2019/2020, acrescidas de um terço; multa do art. 477, parágrafo oitavo da CLT; multa do art. 467 da CLT, a incidir sobre o valor líquido constante no TRCT; FGTS sobre as verbas remuneratórias já quitadas e multa de 40% sobre o FGTS”

A multa de dano moral de R$ 660 mil solicitada por Oswaldo de Oliveira foi negada em sua integralidade pelo magistrado. Inclusive no caso de repercussão do xingamento envolvendo Paulo Henrique Ganso. “Assim, não há como se presumir que o evento tenha causado ao Autor abalo que ultrapassasse o mero aborrecimento no momento do ocorrido, ainda mais quando houve agressões mútuas e, logo em seguida, ambos os envolvidos fizeram as pazes”, argumentou na sentença o juiz do caso.

Pelo Fluminense nesta última passagem, Oswaldo de Oliveira esteve à beira do gramado em sete partidas – destas, foram duas vitórias, dois empates e três derrotas, resultando em um aproveitamento de 38,1%. As demais passagens do treinador por Laranjeiras foram entre 2001 e 2002 e 2006.

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Demitido após 38 dias no cargo, Oswaldo de Oliveira cobra dívida milionária do Flu na justiça

Oswaldo de Oliveira chegou ao Fluminense no meado de 2019 com a missão de colocar o time nos trilhos. Contudo, o trabalho durou apenas 38 dias e antes da demissão o treinador acumulou briga com Ganso e uma eliminação na Copa Sul-Americana dentro do Maracanã.

Se já não bastasse os problemas deixados dentro de campo o treinador agora cobra uma valor na casa dos R$ 1.876.602,30 do Tricolor, conforme noticiou o portal Esporte News Mundo.

O caso corre na 42ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro do Tribunal Regional do Trabalho da Primeira Região (TRT-1). Oswaldo de Oliveira cobra do Fluminense valores referentes a danos morais, dispensa imotivada, rescisão do contrato de trabalho, dentre outros pontos.

Ao longo desta última passagem, Oswaldo comandou o Flu em sete partidas acumulando um aproveitamento de 38,1%, sendo duas vitórias, dois empates e três derrotas.

Fora! Oswaldo de Oliveira é demitido do Fluminense

Após as confusões no jogo de ontem, o treinador Oswaldo de Oliveira não será mais o comandante do Fluminense. A notícia vem da repórter do Esporte Interativo, Aline Nastari.

Oswaldo deixa o comando do time após diversas desavenças com os jogadores e com a torcida tricolor, uma vez que nunca foi preterido pela torcida e segundo muitos torcedores, “destruiu” o trabalho realizado pelo antecessor, Fernando Diniz.

Agora, o Fluminense busca um novo comandante para tentar livrar o clube dessa situação desconfortável na tabela. Nomes como Maurício Barbieri, Lisca, Jair Ventura e até Zé Ricardo, que foi demitido do Fortaleza, são especulados.

Porém, o nome pedido pela torcida ontem no Maracanã foi o de Cuca, que pediu demissão no São Paulo. Vamos aguardar os próximos capítulos.

Saudações Tricolores,

João Eduardo Gurgel

Técnico do Fluminense, Oswaldo de Oliveira se mostrou incomodado com convocação olímpica

Foto: Divulgação/FFC

O técnico do Fluminense, Oswaldo de Oliveira se mostrou muito contrariado com a convocação da dupla Allan e Caio Henrique, que disputarão amistosos dia 10 e 14 de outubro, contra Venezuela e Japão.

Oswaldo se mostrou bastante contrariado com a convocação, principalmente pela atual situação vivida pelo Tricolor:

– É uma honra para Qualquer jogador participar em qualquer nível da seleção. Mas como são jogos amistosos, acho que isso precisava ser melhor avaliado, principalmente pela situação que estamos – desabafou o treinador que confirmou que pretendia usar Caio Henrique em outra função:

– São dois jogadores insubstituíveis para nos. Aliás, tinha planejado um substituir o outro quando necessário. Respeito a importância dos nossos jogadores irem, mas jogos contra Cruzeiro e Bahia são muito importantes – completou o treinador.

Vale destacar que apesar de ser meio campista de origem, Caio Henrique foi convocado como lateral esquerdo, posição que vem atuando desde o início da temporada no Fluminense.

“Resgata a confiança do jogador”, destaca Oswaldo após vitória diante do Corinthians

Foto: Mailson Santana/FFC

A vitória de 1 a 0 diante do Corinthians em Brasília, serviu para deixar o Fluminense fora da zona do rebaixamento no final do primeiro turno.

De acordo com o técnico Tricolor, Oswaldo de Oliveira, a vitória também é importante para resgatar a confiança dos jogadores:

– Resultado muito representativo para o Fluminense, que resgata a confiança dos jogadores acima de tudo, que passa para eles uma mensagem positiva, otimista, que nós podemos, no segundo turno, colher outras vitórias e fazer o Fluminense se distanciar da zona do rebaixamento – destacou o treinador.

Irmão de Oswaldo, Waldemar Lemos, pede continuidade do trabalho e torce para o “sucesso” do irmão

Foto: Lais Telles/Esp. DP/D.A Press

Waldemar Lemos, irmão mais velho de Oswaldo de Oliveira, técnico do Fluminense, torce para o sucesso do treinador no Tricolor e espera que Oswaldo possa ajudar a tirar o Fluminense dessa situação complicada dentro do Campeonato Brasileiro.

Espero que o Fluminense sai dessa situação com meu irmão. E para dar certo é preciso de união do grupo e o dirigente dar respaldo ao treinador – disse Waldemar.

O também treinador falou sobre a pressão da torcida em cima de uma saída de Oswaldo:

Eu acho que ele não deve pedir demissão não. Deve seguir com as convicções dele, mesmo tendo que tomar iniciativas que não vão agradar a todos. Não faço a menor ideia da relação do Oswaldo com qualquer jogador, mas meu irmão não aceita imposição – concluiu Waldemar.

Fonte: Rádio Brasil