Fluminense fecha mais um patrocínio pra camisa: a testfy

O Fluminense anuncia a assinatura de contrato de patrocínio com a testfy, uma empresa healthtech que conecta serviços laboratoriais em modelos acessíveis de coleta. A marca estampará a propriedade barra costas do uniforme do time profissional já a partir da partida deste domingo (22/11), às 18h15, contra o Internacional, em Porto Alegre, válida pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro. O contrato vai até o fim da competição.  

O presidente do Fluminense, Mário Bittencourt, lembrou que a testfy é o terceiro patrocinador que o clube fecha durante a pandemia provocada pela Covid-19. “Estamos muito felizes com mais uma importante parceria, agora no segmento de serviços médicos e laboratoriais. Bom destacar ainda que é o terceiro patrocinador que o clube fecha durante a pandemia, o que comprova o trabalho diário de todos os profissionais envolvidos na viabilização desta nova parceria”, frisou.

De acordo com Gustavo Janaudis, CEO da testfy, essa parceria fortalece o compromisso da healthtech com a saúde e qualidade de vida. “O patrocínio ao Fluminense corrobora um dos principais pilares da companhia, que tem como sua maior missão intermediar serviços de saúde e promover o acesso ao diagnóstico seguro. Desde o seu lançamento, em janeiro de 2020, realizamos testes genéticos, análise de microbioma, hipersensibilidades alimentares, doenças infecciosas e sexualmente transmissíveis.

Foto em destaque: Mailson Santana/FFC

Fluminense se aproxima de fechar com mais um patrocínio

O Fluminense está muito próximo de acertar com mais um patrocínio para a camisa. O Flunews apurou que o clube está em negociações adiantadas com uma empresa do ramo de tecnologia e saúde.

Essa mesma empresa está em vias de ser anunciada como master em outra equipe do futebol brasileiro, e chegaria no Flu para a parte do omoplata da camisa.

Caso a negociação se concretize, essa seria a sexta empresa a ter seu nome estampado no uniforme do Fluminense, que já conta com a Sika, Doce Rio, Tim, Zinzane e Hotel Nacional.

Foto em destaque: Lucas Merçon/Fluminense FC

Falta de master ? Fluminense chega ao pior semestre em arrecadação de patrocínios

Um dos temas mais cobrado entre os torcedores, o patrocínio master, mais precisamente a falta dele, já começa a se refletir diretamente nos números orçamentais do clube, que atingiu seu pior semestre em relação a verba de patrocínios nesses primeiros seis meses de 2020.

De acordo com informações publicadas pelo UOL Esportes e disponíveis no portal da transparência do clube, o Tricolor obteve “apenas” R$ 1,5 milhão em patrocínios e marketing no primeiro semestre de 2020, o menor valor desde 2013, primeiro ano disponível nos arquivos publicados.

Antes, o pior resultado havia sido no primeiro semestre de 2019, quando arrecadou R$6 milhões, quatro vezes mais que o valor atual.

Exceto 2016, em que apenas o acumulado do terceiro trimestre está disponível — aumentando a conta, portanto —, o ano de 2015 foi o de melhor performance no quesito, com R$ 14,5 milhões. Vale destacar que 2015 foi o último ano que o clube estampou um patrocínio master, a Vitton 44, além de outros parceiros.

Vale destacar ainda que após o fechamento do balancete, o clube anunciou mais três parceiros que devem aumentar a conta: a Zinzane (ombros), Sika (parte de trás do calção) e Hotel Nacional (selo na frente do calção).

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Em vídeo, Fluminense mostra como ficará o novo patrocínio

O Fluminense anunciou na tarde deste sábado (04) mais um patrocínio, o Hotel Nacional, que será estampado em seu uniforme, mais precisamente, no calção.

Pouco depois, o clube divulgou em suas redes sociais um vídeo, mostrando como ficará estampada a nova marca no short Tricolor.

Vale destacar que o novo patrocínio já estará no uniforme do clube na partida deste domingo (04), contra o Botafogo, e terá validade até o final do Campeonato Carioca de 2021.

Foto em destaque: Reprodução/Vídeo

Fluminense anuncia mais um patrocínio, com marca estando o nome no calção do clube

O Fluminense terá uma novidade quando entrar em campo neste domingo (04), as 11h para enfrentar o Botafogo, pela 13° rodada do Campeonato Brasileiro, no estádio Nilton Santos.

O Tricolor terá um novo patrocinador: o Hotel Nacional,arca que estampará seu nome na parte frontal do calção Tricolor, já partir deste domingo (04).

O acordo vai até o fim do Campeonato Carioca 2021, e o presidente do Fluminense, Mário Bittencourt, destacou a importância da chegada de mais um parceiro em meio à pandemia:

Essa será uma importante parceria, com uma grande empresa do segmento de turismo. Mostra que, nesse momento, o clube está se movimentando e mantendo sua marca valorizada no mercado. Esse é nosso segundo contrato conquistado dentro do período de pandemia, deixando claro que continuamos no caminho certo – afirmou Mário.

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Fluminense anuncia mais um patrocínio

O Fluminense anunciou na tarde desta quarta-feira (16) um acordo com a empresa Zinzane, que passará a estampar sua marca nas mangas da camisa Tricolor já a partir da partida desta noite, contra o Atlético-GO, no Maracanã.

Além da camisa oficial de jogo, a Zinzane também estampará sua marca nos uniformes de treino do Fluminense, placas no Centro de Treinamento Carlos Castilho e em Laranjeiras, com contrato valido por 16 meses (setembro de 2020 a dezembro de 2021).

A mais nova parceira do Fluminense é uma marca carioca de moda que nasceu na Babilônia Feira Hype, em 2002, e tem hoje 128 lojas próprias em 22 estados brasileiros.

Foto em destaque: Lucas Merçon/FFC

Empresa de telefonia tem intenção de estender parceria com os quatro grandes do Rio

Segundo informações do GloboEsporte.com, a TIM empresa de telefonia, está em conversa com Botafogo, Flamengo, Fluminense e Vasco para renovação de contrato de patrocínio. Essa parceria acontece desde março de 2017, entretanto, o Flamengo teve o contrato antes. A logomarca vem exposta dentro dos números das camisas e as conversas para a renovação estão em estágio inicial.

– A TIM tem intenção de renovar com os quatro times que já patrocina (Flamengo, Vasco, Fluminense e Botafogo) e está finalizando análises internas – disse a empresa, através de sua assessoria.

Logo no início da pandemia do novo coronavírus, os quatro grandes perderam o patrocínio com o Azeite Royal, a empresa rescindiu com o quarteto.

Por conta da crise, patrocinador rompe com quatros grandes do Rio e Maracanã

A crise da pandemia do Coronavírus ainda nem completou a primeira semana e já começa a dar seus prejuízos ao futebol, com a saída de patrocinadores dos clubes.

E no Rio de Janeiro, esse efeito aconteceu simultaneamente com os quatro principais clubes do Estado: Fluminense, Flamengo, Botafogo e Vasco, que perderam a verba de patrocínio do Azeite Royal, que estampava sua marca na camisa das quatro equipes.

No caso do Fluminense, a empresa estampava o nome parte de trás do uniforme, abaixo do número.

Os clubes no entanto não foram os únicos que perderam o patrocínio. O Maracanã, que também tinha um acordo com a empresa, teve o vínculo encerrado.

Fluminense divulga foto do calção com novo patrocinador

O Fluminense enfrenta o Vasco na noite deste domingo (15) no Maracanã, pela terceira rodada da Taça Rio.

O jogo marcará uma estreia no Tricolor: a marca Sika, que terá o seu nome estampado pela primeira vez no calção tricolor.

O anúncio do novo patrocinador foi feito pelo presidente, Mário Bittencourt, durante a coletiva realizada na última sexta-feira (13).

Já neste domingo (15), faltando cerca de seis horas para o jogo, o clube divulgou uma foto do calção com a marca do novo parceiro estampado.

Fluminense terá novidade no uniforme na partida contra o Vasco

O Fluminense enfrenta o Vasco neste domingo às 18hrs no Maracanã pela quarta rodada da Taça Rio.

O joga apresentará uma novidade aos tricolores, o clube das Laranjeiras estampará o nome do novo patrocinador Sika, que inclui a marca Portkoll no calção dos jogadores.

No entanto, as marcas estarão estampadas de forma alternadas no uniforme tricolor.

Fotos em destaque: Lucas Merçon/FFC