fbpx

Ganso relembra passagem pela Europa e revela o que o fez fechar com o Fluminense

Camisa 10 tricolor disse ter tirado muitas coisas de lição no pouco tempo que ficou fora do Brasil e destacou importância de Diniz para sua volta

Foto: Lucas Merçon / FFC

Contratado pelo Fluminense após rescindir com o Sevilla, Paulo Henrique Ganso teve um começo complicado, onde demorou para recuperar a boa forma e se ambientar novamente com o futebol brasileiro. Porém, com ótimas atuações nos últimos jogos, o meia vem se firmando com uma das principais peças no esquema de Fernando Diniz e já caiu nas graças da torcida. Camisa 10 tricolor, Ganso relembrou sua passagem pela Europa e, apesar do insucesso, disse ter tirado diversas lições.

“Apesar de ter jogado pouco, aprendi muitas coisas na Europa. Principalmente na parte tática, já que lá o futebol é mais posicionado. Fora que aprendi muito com a cultura também. Então foi bom para a minha carreira”, disse.

O experiente meia de 29 anos também aproveitou para revelar quais foram suas principais motivações para fechar com o Fluminense por cinco anos. De acordo com ele, a conversa que teve com Diniz foi essencial para a concretização do negócio.

“O grupo de trabalho e as pessoas que estavam em volta disso. Foi aí que entrou a conversa com o Fernando Diniz, aumentou a minha motivação para estar presente no clube. Sabia que eu poderia ajudar”, concluiu. 

Diniz, sobre Ganso e Nenê: “Tenho muita convicção de que eles podem jogar juntos perfeitamente”

Mesmo que por poucos minutos, sábado, Paulo Henrique Ganso e Nenê jogaram juntos no Fluminense pela primeira vez. A questão é levantada desde que ambos eram apenas especulações nas Laranjeiras, no início do ano, e voltou a ser assunto depois da vitória por 2 a 1 sobre o Internacional.

– Para mim é muito claro que eles podem jogar juntos desde o começo. Estava tentando trazer o Nenê desde o começo do ano. Ganso já tinha chegado. Tenho muita convicção de que eles podem jogar juntos perfeitamente. Com a aquisição do Nenê e mais o Nem, o elenco fica mais robusto e fortalecido para o restante da temporada – disse o treinador.

Por enquanto, o meia de 38 anos é reserva. Nessa rodada, entrou no lugar de Marcos Paulo e se saiu bem. Chegou a finalizar perigosamente contra o gol de Marcelo Lomba. Sua estreia aconteceu na derrota para o Vasco, em 20 de julho, quando substituiu o próprio Ganso, suspenso.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.


Ganso diz que recusou substituição e revela resposta a pedido de Diniz: “Falei que ia correr até o final”

Paulo Henrique Ganso cai cada vez mais nas graças dos tricolores devido às boas exibições com a camisa verde, branca e grená. Afim de jogo na vitória por 2 a 1 em cima do Internacional, o meia seria substituído por Wellington Nem, mas conseguiu convencer Fernando Diniz a mudar de ideia em diálogo ainda com a bola rolando. Daniel acabou sacado.

– Ele me perguntou se eu estava bem, se poderia continuar. Eu falei que sim, que estava bem. Ele falou assim: “Tá OK, então você vai ter que correr para c…”. Eu falei: “Não, não. Pode deixar que eu vou correr até o final” – explicou, na zona mista do Maracanã.

– Tem que estar sempre assim, com muita vontade de vencer. Esse foi o principal ponto da nossa equipe hoje. Graças a Deus, a gente voltou a vencer no Brasileiro – concluiu.

Na entrevista depois da partida, Fernando Diniz justificou a preocupação com o camisa 10.

– Ele podia sair. Eu perguntei como ele estava. Ele jogou com um proteção na coxa, mas falou que estava se sentindo bem. Então antes de fazer a substituição, se ele tivesse sentindo alguma coisa, eu iria tirá-lo. Mas ele falou que estava bem, que aguentava, que ia contribuir, e acabou ficando.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.


Ganso vê melhora no entrosamento com a equipe e projeta parceria com Nenê

Camisa 10 tricolor também comentou sobre a troca de experiência com os atletas mais jovens

Foto: Lucas Merçon / FFC

Uma das contratações mais importantes do Fluminense para a temporada, Paulo Henrique Ganso aos poucos vai se encontrando com a camisa tricolor. Mais participativo e ligado nos jogos, o meia é peça importante no esquema de Fernando Diniz não só pela técnica apurada, mas também pela experiência. Característica que foi enaltecida pelo próprio camisa 10, que destacou a troca de informações e conselhos com os mais jovens, além de afirmar que o entrosamento está a cada dia melhor.

“Sem dúvida me sinto mais entrosado hoje, principalmente pelas pessoas que têm no nosso grupo. Eles me receberam super bem. Por isso eu tenho sido uma boa pessoa tanto dentro quanto fora de campo, ajudando todo mundo e, principalmente, aos garotos, passando um pouco da minha experiência”, disse.

Ganso também aproveitou para projetar a parceria com Nenê no meio-campo do Fluminense. De acordo com o meia, essa junção ‘tem tudo para dar certo’, tendo em vista que a qualidade do novo reforço é de se elogiar.

“Tem tudo para dar certo. É um cara que tem uma qualidade incrível também, tem nos ajudado nos treinamentos, ajudou contra o Vasco. Uma pena que não deu certo, porque a gente não venceu. Outra pena que não possa jogar a Sul-Americana e contra o São Paulo. Mas espero que possamos estar jogando juntos em breve para dar alegrias à torcida do Fluminense”, concluiu.

Vale lembrar que Ganso e Nenê só poderão atuar juntos no dia 3 de agosto, quando o Tricolor enfrenta o Internacional, já que o meia de 38 anos não está inscrito na Copa Sul-Americana e nem pode entrar em campo contra o São Paulo, seu ex-clube, em 2019, devido à um acordo assinado na cláusula de rescisão.

Ganso demonstra animação e não descarta parceria com Nenê: “Acho que podemos jogar juntos”

Camisa 10 tricolor comentou pela primeira vez sobre o novo reforço do Tricolor, que assinou contrato até o fim de 2020

Foto: Lucas Merçon / FFC

Com a chegada de Nenê no Fluminense, começou a ser questionada uma possível parceria com Paulo Henrique Ganso no meio de campo. Aos 37 anos, o experiente meia possui características parecidas com o camisa 10 tricolor, o que de acordo com o maestro da equipe de Fernando Diniz não é problema. Após a partida contra o Ceará, Ganso afirmou que pode atuar ao lado da nova contratação e rasgou elogios ao companheiro de time.

“O Nenê tem uma qualidade muito grande e tenho certeza que vai nos ajudar muito. É um cara experiente e será muito bem-vindo aqui no nosso grupo. Acho que podemos jogar juntos. Às vezes eu jogo um pouco mais recuado, ele pode atuar mais na frente. Não temos posição fixa com o Diniz”.

Suspenso após levar o terceiro cartão amarelo, Ganso desfalcará o Fluminense no clássico contra o Vasco, no próximo sábado (20), às 11h (de Brasília), em São Januário. Seu provável substituto seria o jovem Miguel, de 16 anos, que se apresentou à seleção brasileira sub-17 para um período de amistosos e também não estará disponível. Com isso, o Tricolor corre contra o tempo para regularizar Nenê e promover sua estreia justamente contra o Cruzmaltino, clube em que o meia atuou por quase três anos.

Cantores por um dia: Craques do Fluzão se arriscam com o microfone

Foto: Lucas Merçon/FFC

Dentro de campo eles já mostraram que são craques, mas agora, resolveram atacar de cantores.

Em participação no programa Tá Na Área, do canal SporTv, Paulo Henrique Ganso, Pedro e Gilberto se arriscaram como cantores e o resultado foi bem diferente do apresentado dentro de campo.

Mais tímido, Pedro se arriscou apenas em alguns passos enquanto Ganso soltava a voz. Assim como o camisa 10, Gilberto também se arriscou com o microfone.

O Fluminense não deixou passar esse momento e registrou uma pequena parte da brincadeira dos atletas em sua rede social. Confira o vídeo:

TJD-RJ reduz pena de Paulo Henrique Ganso no Carioca 2020

Inicialmente punido por nove jogos devido a xingamentos e empurrão a quarto árbitro na semi da Taça Rio, em derrota por 2 a 1 para o Flamengo, Paulo Henrique Ganso teve a pena diminuída a menos da metade. Isso porque o Fluminense recorreu da decisão em primeira instância, divulgada em abril, e conseguiu a redução junto ao TJD-RJ nesta quinta-feira. A punição, que só vale para torneios estaduais do Rio, passa a ser de quatro partidas.

Ainda cabe recurso, o que é cogitado nas Laranjeiras. Se levado ao STJD, o gancho pode ser transformado em entrega de cestas básicas. No momento, o meia fica impedido de jogar as três primeiras rodadas do Carioca 2020, posto que já cumpriu suspensão automática pelo cartão vermelho

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

“Jogador tem coração, sentimento e merece respeito”, avisa mulher de Ganso após episódio na Arena Condá

Autor do gol de empate do Fluminense no duelo com a Chapecoense na Arena Condá, Paulo Henrique Ganso deixou o gramado sob xingamentos de torcedores alviverdes. Durante entrevista ao SporTV, ele se disse decepcionado com a hostilização vinda daqueles que receberam enorme carinho nos meses seguintes à queda de avião na Colômbia, em 2016.

Logo após o episódio desta quinta-feira, a esposa do camisa 10, Giovanna Costi, usou rede social para postar uma mensagem de repúdio às provocações. Ela lembrou a preocupação do casal à época da tragédia e revelou os presentes dados pelo clube catarinense ao jogador antes de a bola rolar (confira a publicação na íntegra ao fim da matéria).

– Sei que aquela minoria não é nada perto da união e do amor que a tragédia gerou no Brasil e no mundo. Amamos você, meu amor. E, com certeza, a torcida da Chapecoense é muito mais do que eu (e seu filho, que não entendeu muito bem por que estavam fazendo aquilo com o pai dele) vimos hoje. Jogador também é feito de carne e osso, tem coração, sentimento e merece respeito.

– Sabe o que é mais engraçado? Antes da partida, meu marido (que foi vaiado, cuspido e chamado para briga pelos torcedores) recebeu um presente muito especial, duas camisas da Chapecoense para nossos filhos. Os quais o meu marido recebeu com muito carinho e respeito. Porque cada um oferece aquilo que tem de melhor.

View this post on Instagram

Sabe porque eu sei que doeu toda a covardia de hoje? Porque fui eu quem o acordou, chorando, contando o desastre daquele dia e vi você pular da cama, assustado, desacreditado. Porque fui eu que o vi chorar a dor de seus companheiros de trabalho! Porque essa é a realidade: Todos os jogadores do mundo são companheiros de trabalho, todos têm a mesma rotina, as mesmas dificuldades, as mesmas batalhas a serem vencidas! Eu sei o quanto doeu aquele dia, e todos os outros dias após a tragédia, ver a dor de todos os familiares, de todos os pais, mães, filhos, esposas… Lembro da gente se olhar, e não ter palavras para descrever o sentimento! Lembro de você dizendo que já tinha feito a mesma rota daquele avião um dia, e o pensamento de que: poderia ser eu! Lembro do quanto você rezou por todos, pelas vítimas, pelos familiares, pelos sobreviventes, pelo clube, pela torcida. Lembro do quanto você vibrava a cada clube, pessoas, que se colocavam à disposição pra ajudar o clube, pra apoiar eles e por isso sei que hoje doeu. Mas também sei, que aquela minoria não é nada perto da união e amor que a tragédia toda gerou no Brasil e no Mundo! Amamos você meu amor ❤️ e com certeza a torcida da Chapecoense é muito mais do que eu (e seu filho, que não entendeu muito bem porque estavam fazendo aquilo com o Pai dele) vimos hoje. Jogador também é feito de carne e osso, tem coração, sentimento e merece respeito! Sabe o que é mais engraçado? Antes da partida, meu marido (que foi vaiado, cuspido e chamado pra briga pelos torcedores) recebeu um presente muito especial, duas camisas da Chapecoense para nossos filhos! Os quais o meu marido recebeu com muito carinho e respeito… Porque cada um oferece aquilo que tem de melhor!🙏👏🏻🙌🏻

A post shared by Giovanna Costi G. De Lima (@gicosti) on

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Ganso discorda de pênaltis para o Cruzeiro e dispara: “O sistema é f…”

Na saída do campo após a eliminação nos pênaltis para o Cruzeiro na Copa do Brasil, Paulo Henrique Ganso soltou o verbo contra a arbitragem do jogo desta quarta-feira, no Mineirão. Ao SporTV, ele questionou os pênaltis marcados a favor do adversário e apontou a falta de força do clube carioca nos bastidores.

– É difícil lutar contra o sistema. É igual ao “Tropa de Elite”, o sistema é f… Se a gente não tem força fora de campo, fica muito complicado. Deram dois pênaltis inexistentes, mas faz parte. Lutamos até o final, o moleque fez um golaço. É uma pena perder nos pênaltis – lamentou o meia, que completou dizendo que “o sistema sabe quem é o sistema”.

Ganso não viveu uma noite inspirada. No tempo normal, perdeu um pênalti, mas se redimiu na segunda cobrança, marcada após consulta ao VAR. Na disputa de penalidades, depois do 2 a 2 no apagar das luzes, voltou a errar. Agora, o Tricolor tem o Brasileirão e a Sul-Americana no calendário da temporada.

– Nosso time é de guerreiros, uma equipe jovem. Temos um ano duro para trabalhar. O importante é que estamos melhorando – concluiu.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Participativo na marcação, Ganso comenta função dentro da equipe

Meia destacou que a recomposição sem a bola é o principal trunfo do Fluminense para recuperar a posse

Foto: Lucas Merçon / FFC

Depois de um começo complicado, onde ainda buscava adquirir ritmo de jogo, Paulo Henrique Ganso aos poucos vai se encontrando com a camisa do Fluminense. Mais participativo na criação das jogadas e na valorização da posse de bola, o meia também vem se destacando na marcação. Nos últimos jogos, o camisa 10 tricolor foi visto pressionando a saída de bola adversária e roubando bolas importantes.

Perguntado sobre seu posicionamento dentro da equipe de Fernando Diniz, Ganso destacou que segue fazendo sua função de meia, mas que ajuda na recomposição quando o time perde a bola. De acordo com ele, chegar no ataque pressionando com um bom número de jogadores é o caminho.

“Não é nova função. É função de meia. Quando tiver sem a bola, tem que recompor na marcação e, se possível, chegar no ataque. Sempre chegamos com bastante gente e é isso que tem de seguir fazendo”, disse.

Ganso e Fluminense voltam à campo neste domingo (26), contra o Bahia, às 19h (de Brasília), na Fonte Nova. O duelo é válido pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro. O “Time de Guerreiros” ocupa a 13ª posição com seis pontos conquistados até aqui.

Top