fbpx

“Jogador tem coração, sentimento e merece respeito”, avisa mulher de Ganso após episódio na Arena Condá

Autor do gol de empate do Fluminense no duelo com a Chapecoense na Arena Condá, Paulo Henrique Ganso deixou o gramado sob xingamentos de torcedores alviverdes. Durante entrevista ao SporTV, ele se disse decepcionado com a hostilização vinda daqueles que receberam enorme carinho nos meses seguintes à queda de avião na Colômbia, em 2016.

Logo após o episódio desta quinta-feira, a esposa do camisa 10, Giovanna Costi, usou rede social para postar uma mensagem de repúdio às provocações. Ela lembrou a preocupação do casal à época da tragédia e revelou os presentes dados pelo clube catarinense ao jogador antes de a bola rolar (confira a publicação na íntegra ao fim da matéria).

– Sei que aquela minoria não é nada perto da união e do amor que a tragédia gerou no Brasil e no mundo. Amamos você, meu amor. E, com certeza, a torcida da Chapecoense é muito mais do que eu (e seu filho, que não entendeu muito bem por que estavam fazendo aquilo com o pai dele) vimos hoje. Jogador também é feito de carne e osso, tem coração, sentimento e merece respeito.

– Sabe o que é mais engraçado? Antes da partida, meu marido (que foi vaiado, cuspido e chamado para briga pelos torcedores) recebeu um presente muito especial, duas camisas da Chapecoense para nossos filhos. Os quais o meu marido recebeu com muito carinho e respeito. Porque cada um oferece aquilo que tem de melhor.

View this post on Instagram

Sabe porque eu sei que doeu toda a covardia de hoje? Porque fui eu quem o acordou, chorando, contando o desastre daquele dia e vi você pular da cama, assustado, desacreditado. Porque fui eu que o vi chorar a dor de seus companheiros de trabalho! Porque essa é a realidade: Todos os jogadores do mundo são companheiros de trabalho, todos têm a mesma rotina, as mesmas dificuldades, as mesmas batalhas a serem vencidas! Eu sei o quanto doeu aquele dia, e todos os outros dias após a tragédia, ver a dor de todos os familiares, de todos os pais, mães, filhos, esposas… Lembro da gente se olhar, e não ter palavras para descrever o sentimento! Lembro de você dizendo que já tinha feito a mesma rota daquele avião um dia, e o pensamento de que: poderia ser eu! Lembro do quanto você rezou por todos, pelas vítimas, pelos familiares, pelos sobreviventes, pelo clube, pela torcida. Lembro do quanto você vibrava a cada clube, pessoas, que se colocavam à disposição pra ajudar o clube, pra apoiar eles e por isso sei que hoje doeu. Mas também sei, que aquela minoria não é nada perto da união e amor que a tragédia toda gerou no Brasil e no Mundo! Amamos você meu amor ❤️ e com certeza a torcida da Chapecoense é muito mais do que eu (e seu filho, que não entendeu muito bem porque estavam fazendo aquilo com o Pai dele) vimos hoje. Jogador também é feito de carne e osso, tem coração, sentimento e merece respeito! Sabe o que é mais engraçado? Antes da partida, meu marido (que foi vaiado, cuspido e chamado pra briga pelos torcedores) recebeu um presente muito especial, duas camisas da Chapecoense para nossos filhos! Os quais o meu marido recebeu com muito carinho e respeito… Porque cada um oferece aquilo que tem de melhor!🙏👏🏻🙌🏻

A post shared by Giovanna Costi G. De Lima (@gicosti) on

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Ganso discorda de pênaltis para o Cruzeiro e dispara: “O sistema é f…”

Na saída do campo após a eliminação nos pênaltis para o Cruzeiro na Copa do Brasil, Paulo Henrique Ganso soltou o verbo contra a arbitragem do jogo desta quarta-feira, no Mineirão. Ao SporTV, ele questionou os pênaltis marcados a favor do adversário e apontou a falta de força do clube carioca nos bastidores.

– É difícil lutar contra o sistema. É igual ao “Tropa de Elite”, o sistema é f… Se a gente não tem força fora de campo, fica muito complicado. Deram dois pênaltis inexistentes, mas faz parte. Lutamos até o final, o moleque fez um golaço. É uma pena perder nos pênaltis – lamentou o meia, que completou dizendo que “o sistema sabe quem é o sistema”.

Ganso não viveu uma noite inspirada. No tempo normal, perdeu um pênalti, mas se redimiu na segunda cobrança, marcada após consulta ao VAR. Na disputa de penalidades, depois do 2 a 2 no apagar das luzes, voltou a errar. Agora, o Tricolor tem o Brasileirão e a Sul-Americana no calendário da temporada.

– Nosso time é de guerreiros, uma equipe jovem. Temos um ano duro para trabalhar. O importante é que estamos melhorando – concluiu.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Participativo na marcação, Ganso comenta função dentro da equipe

Meia destacou que a recomposição sem a bola é o principal trunfo do Fluminense para recuperar a posse

Foto: Lucas Merçon / FFC

Depois de um começo complicado, onde ainda buscava adquirir ritmo de jogo, Paulo Henrique Ganso aos poucos vai se encontrando com a camisa do Fluminense. Mais participativo na criação das jogadas e na valorização da posse de bola, o meia também vem se destacando na marcação. Nos últimos jogos, o camisa 10 tricolor foi visto pressionando a saída de bola adversária e roubando bolas importantes.

Perguntado sobre seu posicionamento dentro da equipe de Fernando Diniz, Ganso destacou que segue fazendo sua função de meia, mas que ajuda na recomposição quando o time perde a bola. De acordo com ele, chegar no ataque pressionando com um bom número de jogadores é o caminho.

“Não é nova função. É função de meia. Quando tiver sem a bola, tem que recompor na marcação e, se possível, chegar no ataque. Sempre chegamos com bastante gente e é isso que tem de seguir fazendo”, disse.

Ganso e Fluminense voltam à campo neste domingo (26), contra o Bahia, às 19h (de Brasília), na Fonte Nova. O duelo é válido pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro. O “Time de Guerreiros” ocupa a 13ª posição com seis pontos conquistados até aqui.

Ganso analisa duelo com o Atlético Nacional e rasga elogios ao Fluminense: “Me sentindo em casa”

Camisa 10 tricolor também avaliou o início de sua passagem pelo clube das Laranjeiras

Foto: Lucas Merçon / FFC

Nesta quarta (22), véspera da partida contra o Atlético Nacional, pela Copa Sul-Americana, Paulo Henrique Ganso concedeu entrevista coletiva no CTPA. Completando quatro meses no Fluminense, o camisa 10 ainda oscila um pouco no desempenho, mas vem mostrando jogo a jogo que busca atingir sua melhor forma. O que de acordo com ele não é o bastante para ficar satisfeito. Perguntado sobre essa primeira parte de sua passagem no Tricolor e o que precisa para ganhar “nota 10”, o meia afirmou que levantar uma taça de campeão é o ideal.

“É difícil. Eu deixo para vocês analisarem. Satisfeito? Não dá para ficar satisfeito. Eu fiquei contente quando a gente venceu. Falta ser campeão. Na hora que a gente for campeão, aí a nota será 10”.

Ganso também fez questão de agradecer a recepção e o carinho que vem recebendo da torcida desde que os rumores sobre sua vinda começaram.

“Estou me sentindo em casa, fui muito bem recepcionado. O carinho do torcedor tem sido excepcional. Temos de fazer o Fluminense ter grandes jogos e vencê-los. Penso nisso para retribuir”.

O meia projetou o duelo com o Atlético Nacional, que acontece nesta quinta (23), às 21h30, no Maracanã. De acordo com ele, é extremamente importante conquistar um bom resultado dentro de casa. Além disso, o camisa 10 tricolor relembrou as características do técnico Paulo Autuori, com quem trabalhou nos tempos de São Paulo.

“Eu espero que a gente possa fazer um grande resultado aqui no Maracanã. É uma equipe que sabe jogar esse tipo de competição. Será um jogo duro. Realmente, o momento deles não é bom. Temos de estar atentos para não dar brecha a eles na nossa casa”.

“O pouco tempo que a gente trabalhou deu para ver que ele cuida do vestiário, protege muito os jogadores. Isso pode ter feito a diferença para seguir no comando. Acredito que os jogadores devem ter falado com ele para continuar. Então, a nossa atenção tem de ser maior ainda”.

Por fim, Ganso analisou a evolução que vem tendo dentro de campo desde sua chegada. Para ele, é importantíssimo buscar melhorar cada dia mais.

“Sempre vai faltar alguma coisa. Em todo o jogo, sempre vai faltar melhorar e evoluir em alguma coisa. A gente sempre procura fazer isso nos treinos, nosso time é muito jovem. Temos de fazer isso, até no nosso estilo de jogo”.

Após “desencontro”, Pedro e Paulo Henrique Ganso podem iniciar parceria diante do Botafogo

A cada passo dado por Pedro na recuperação da lesão no joelho direito, os torcedores se animavam com a proximidade do começo da parceria com Paulo Henrique Ganso. Todavia, eles se “desencontraram”. No jogo de ida da quarta fase da Copa do Brasil, contra o Santa Cruz (17/04), seu primeiro desde a contusão, o centroavante entrou no decorrer da segundo etapa e, nove minutos depois, viu o camisa 10 deixar o campo com dores na coxa. Só deu tempo de uma troca de passe entre os companheiros.

Ganso retomou os treinos nesta semana e será relacionado para o Clássico Vovô deste sábado, às 16h, no Maracanã. Ele pode assumir uma das duas vagas no meio-campo, uma vez que Airton e Bruno Silva estão machucados. Vale destacar que foi diante do Alvinegro, na Taça Rio, o primeiro gol marcado pelo meia com a camisa verde, branco e grená.

Por sua vez, Pedro, que soma dois gols em cinco partidas em 2019, tem grande chance de começar jogando a 4ª rodada do Brasileirão, de acordo com o planejado por Fernando Diniz desde o confronto passado, frente ao Grêmio. Sempre que perguntado sobre quando promoveria o retorno do jovem à titularidade, o técnico pregava cautela e lembrava que antecipou a reestreia em quase 15 dias. Aproveitou a semana sem compromissos para garantir ao jogador as melhores condições físicas possíveis.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Ganso volta a treinar e deve ser titular contra o Botafogo

Crédito: Lucas Merçon / FFC

Após ficar três semanas fora se recuperando de uma lesão muscular, Paulo Henrique Ganso voltou a treinar nesta terça-feira (08) e poderá jogar contra o Botafogo no próximo sábado (11). Voltando a trabalhar com bola após ser liberado pelo Departamento Médico, o camisa 10 já treinou ao lado dos titulares.

Desde que o jogador se machucou na partida de ida pela Copa do Brasil contra o Santa Cruz, Fernando Diniz tem escalado o time com três volantes. Com a volta de Ganso a tendência é de que o Allan, volante que tem jogado mais avançado volte para o banco. Porém, como Airton e Bruno Silva devem desfalcar o time contra o Botafogo, Diniz terá um meio-campo totalmente novo para o clássico.

Pedro começa no banco, e Diniz aponta substituto do lesionado Ganso no segundo confronto com o Santa Cruz

Sem Paulo Henrique Ganso, lesionado, Fernando Diniz deve escalar o recém-contratado Léo Artur no segundo jogo contra o Santa Cruz, pela 4ª fase da Copa do Brasil, no Arruda. O meia ex-Ferroviária estreou diante do mesmo adversário desta quinta-feira, mas no confronto de semana passada, vencido pelo Fluminense por 2 a 0.

Mesmo depois de confessar a possibilidade de sair jogando com Pedro já nos próximos compromissos, o treinador preferiu deixar o centroavante no banco de reservas. Ele ainda está se recondicionando fisicamente, após quase oito meses em recuperação de contusão no joelho.

A delegação chegou a Recife, em Pernambuco, nesta tarde. O último treino em preparação para o duelo ocorreu durante a manhã, ainda no CT da Barra da Tijuca. Há dez mil ingressos vendidos até o momento, com expectativa de que o público chegue a 20 mil.


PROVÁVEL ESCALAÇÃO

Rodolfo; Gilberto, Matheus Ferraz, Nino e Caio Henrique; Airton, Bruno Silva e Léo Artur; Everaldo, Luciano e Yony González.


Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Exame constata lesão, e Ganso não enfrenta o Santa Cruz na quinta-feira

Ao acusar dores musculares no jogo do meio de semana, contra o Santa Cruz, no Maracanã, Paulo Henrique Ganso precisou deixar o campo. Nessa segunda-feira, realizou exame que constatou lesão na coxa esquerda, o que o tira do duelo da volta da 4ª fase da Copa do Brasil, quinta-feira, no Arruda. A vantagem dos tricolores é de dois gols.

– É uma referência para a gente. A maioria dos jogadores se espelha nele. Acho que temos um bom grupo, com bons nomes. Se ele não pode atuar, teremos reposição – disse Caio Henrique.

Embora não estime tempo de recuperação, o departamento médico do Fluminense crê que o camisa 10 deve ser liberado apenas em duas semanas. Desse modo, sua presença nas primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro é incerta. A estreia acontece no domingo, frente ao Goiás, em casa.

Ganso vinha sentindo o incômodo há algum tempo. Chegou a ser dúvida para o segundo embate com o Luverdense, na etapa anterior do mata-mata nacional, mas acabou sendo escalado.

Fernando Diniz começa a pensar em como suprir a ausência no meio. As opções são Daniel e Léo Artur, recém-contratado que estreou na última quarta-feira. Ou então improvisar um volante – nesse caso, provavelmente, Dodi.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Dores na coxa persistem, e Ganso pode ser desfalque para o jogo da volta contra o Santa Cruz

No jogo contra o Santa Cruz, quarta-feira, no Maracanã, quatro importantes jogadores do Fluminense, que venceu por 2 a 0, alegaram problemas físicos. Airton, Paulo Henrique Ganso e Yony González, aliás, acabaram sendo substituídos. Luciano, por sua vez, precisou ficar em campo até o fim do duelo, posto que o número máximo de alterações havia sido atingido.

Ganso é o caso mais preocupante. Com dores na coxa esquerda, ele será reavaliado e passará por exame que vai indicar se tem condições de enfrentar o time pernambucano na volta da 4ª fase da Copa do Brasil, quinta-feira que vem (26), no Arruda. Fernando Diniz, porém, se mostrou tranquilo ao falar sobre o camisa 10.

– Ele sentiu uma lesão que já vinha se evidenciando há algum tempo, mas não parece ser nada de mais grave. Esperamos contar com ele já no próximo jogo.

Também com incômodo na coxa esquerda, Airton deve estar liberado para o próximo compromisso. Assim como Yony, que acusou problema no tornozelo esquerdo. Luciano está recuperado das dores na coxa direita.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Nada grave: Diniz tranquiliza em relação a lesão de Ganso

Foto: Lucas Merçon/FFC

O meia Paulo Henrique Ganso, que deixou o gramado na noite da última quarta-feira (17) na metade do segundo tempo da partida que terminou com a vitória de 2 a 0 para o Flu sobre o Santa Cruz-PE, parece não preocupar a comissão técnica.

O meia que sai aparentemente bem irritado do gramado, quando foi direto ao vestiário deve estar presente já no jogo da volta, contra o Santa Cruz-PE, na próxima semana. Pelo menos é o que espera o técnico Fernando Diniz:

– Ele sentiu uma lesão que já vinha se evidenciando há algum tempo, mas não parece ser nada de mais grave. Esperamos contar com ele já no próximo jogo – declarou o treinador Tricolor após a partida.

Top