fbpx

Grêmio separa imagens para usar na busca por torcedor envolvido em caso de racismo na Arena

No dia seguinte ao 5 a 4 para o Fluminense em cima do Grêmio, um vídeo divulgado pela FluTV expôs mais um caso de racismo na Arena: alguém chamou Yony González de “macaco” enquanto o colombiano comemorava seu segundo gol no jogo.

Ambos os clubes divulgaram mensagem nas redes sociais condenando o ato. E o Grêmio comunicou que apuraria o crime. A direção gremista separou imagens de câmeras de segurança do estádio para identificar o responsável por cometer injúria racial. Por sua vez, o STJD, segundo informação da assessoria, vai analisar o caso.

– Já localizamos as imagens na Arena e estamos identificando o responsável. É preciso ter muita responsabilidade e cuidado em um caso desses, porque repercute na vida dessa pessoa. Como clube popular, o Grêmio não pode ter esse tipo de situação na torcida – revelou o diretor jurídico Nestor Hein.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fonte: Globoesporte.com.

Grêmio avisa que vai apurar discriminação racial a Yony González

Depois de o Fluminense se pronunciar sobre o racismo sofrido por Yony González no triunfo por 5 a 4 no domingo, o Grêmio divulgou, nas redes sociais, um comunicado condenando o episódio ocorrido na Arena. A promessa é de que o crime vai ser apurado.

– O Grêmio informa sua torcida e demais entes que tomou conhecimento do vídeo publicado nas redes sociais que sugere injúria racial contra o atleta Yony González, do Fluminense. O Clube está apurando o ocorrido e de antemão manifesta seu inteiro repúdio a todos os tipos de injúria.

A princípio, foram duas pessoas que direcionaram insultos ao colombiano, autor de dois gols no jogo. Uma que, sem aparecer no vídeo postado pela FluTV, o chama de “macaco”; e outra que, também ao vê-lo comemorando, faz um gesto de banana. Em entrevista à Rádio Grenal nesta segunda-feira, o diretor jurídico do Grêmio, Nestor Hein, reafirmou a revolta com o caso e a busca pelos responsáveis.

– É do nosso interesse tirar os racistas do contexto dos estádios, já falamos isso. Não quero me eximir da responsabilidade. Para nós, é uma situação anômala e nojenta. Não me preocupa a punição, o prejuízo já é irreparável. Se algum torcedor gremista ouviu, entre em contato conosco.

Nos comentários em resposta à nota do clube gaúcho, gremistas repudiaram o ato e defenderam que os envolvidos sejam punidos. “O Grêmio é de todos. Somos azuis, pretos e brancos”, disse um torcedor.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Fluminense reforça campanha “#TimeDeTodos” em mensagem de repúdio a racismo

Em repúdio ao racismo direcionado por torcedores do Grêmio a Yony González no jogo de domingo, na Arena, o Fluminense divulgou uma mensagem, em suas redes sociais, na qual reforça a campanha “#TimeDeTodos”, iniciada em fevereiro para combater o preconceito.

– O Fluminense sempre será contra qualquer tipo de discriminação. O esporte traz mensagens de união que não dão espaço ao preconceito. Um grande jogo entre dois gigantes não tem lugar para o racismo – diz o comunicado do clube.

ENTENDA O CASO:

Ao comemorar o gol que, aos 47′ do segundo tempo, determinou o triunfo por 5 a 4 para o Time de Guerreiros, Yony González sofreu insultos racistas. Foi o vídeo de bastidores da FluTV que flagrou a ação de gremistas. É possível ouvir gritos de “macaco”, além de uma torcedora, ao fundo da imagem, fazendo sinal de banana para o colombiano. 

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

“Macaco”: vídeo da FluTV flagra racismo contra Yony González na Arena do Grêmio

A virada do Fluminense em cima do Grêmio, num jogo que impressionou o Brasil pelos nove gols, não escapou de um episódio lamentável e, infelizmente, cada vez mais comum no mundo, inclusive em estádios, como a própria Arena.

Ao comemorar o gol que, aos 47′ do segundo tempo, determinou o triunfo por 5 a 4 para o Time de Guerreiros, Yony González sofreu insultos racistas. Foi o vídeo de bastidores da FluTV que flagrou a ação de gremistas. É possível ouvir gritos de “macaco”, além de uma torcedora, ao fundo da imagem, fazendo sinal de banana para o colombiano. Em defesa do companheiro de elenco, Igor Julião usou a web para se revoltar com o caso e defender a coibição do preconceito.

– A ascensão de classe que o esporte nos proporciona incomoda muita gente. O futebol não pode ser o lugar em que racistas, xenofóbicos, misóginos e homofóbicos vomitarão seus absurdos e ficarão impunes. Medidas precisam ser tomadas urgente.

Torcedora, ao fundo na imagem, faz sinal de banana para o colombiano, que abraça Pedro em comemoração.

Nas redes sociais, em coro com torcedores adversários, os tricolores repudiaram a atitude e cobraram um posicionamento do Fluminense. “Nenhuma novidade em se tratando da torcida do Grêmio”, ironizou um. “Alguns torcedores do Grêmio ainda não entenderam que racismo É CRIME?”, lembrou outra. Assista ao vídeo a seguir.

Yony González é mais uma vítima de racismo na Arena do Grêmio.

Não é a primeira vez que a Arena do Grêmio é palco de uma manifestação racista. Porém, o único caso que ganhou grande repercussão, chegando à mídia e à Justiça, envolveu o goleiro Aranha, em 2014, quando jogava pelo Santos. Enquanto era filmada pela TV, uma mulher o xingou de “macaco”. Acabou processada e ficou suspensa de estádios. O clube, por sua vez, foi punido com a eliminação na Copa do Brasil.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

Top