fbpx

Abel Braga elogia figuras do Clássico Vovô e destaca Pedro: ‘Conquistou todo mundo’

O Fluminense perdeu o Clássico Vovô, na segunda-feira, por 2 a 1. No entanto, a superioridade imposta sobre o Botafogo impressionou Abel Braga e rendeu elogios individuais, como para Marcos Jr., Gilberto e Jádson.

– Para ele chegar com aquele espaço, é porque Marcos Jr. está tirando lateral da posição, é porque Jadson está tirando volante da posição – explicou Abelão, sobre a liberdade de Gilberto para atacar.

– É aquele tipo de jogador que encanta. Não encanta muito o torcedor porque tudo o que ele faz é muito simples, ele não faz nada por beleza, mas por produção, por objetividade. Estou muito feliz com ele – disse, referindo-se a Jádson.

Mas o maior destaque foi para Pedro, autor do gol do Fluminense no jogo. Artilheiro do time em 2018, o novo camisa 9 de Laranjeiras driblou a desconfiança da torcida, agora sua grande fã. Quem também admira o futebol do centroavante é o professor Abel, que diz, inclusive, ver o jovem no top-3 melhores da posição no país.

– Conquistou todo mundo. Para posição que joga, está entre os 3 melhores do Brasil tecnicamente. Tinha um defeito e briguei muito com ele. O difícil ele acertava, o fácil, errava. Agora ele está dando soluções. Foi o que mais saiu chateado de campo. Está em uma caminhada muito positiva – avaliou.

A verdade é que, em maior parte da entrevista, o treinador distribuiu comentários positivos. Até para o juizão, Raphael Claus. Mas com uma ressalva.

– Esse árbitro é um dos melhores do Brasil. É muito bom. Mas quatro minutos de acréscimo é brincadeira. Você viu a atitude dos gandulas? Contra o Cruzeiro, com menos um, meu time caiu, fez cera, mas deram oito – relembrou.

Do lado de lá, dois jogadores do Bota chamaram atenção de Abelão. Um deles, o Jefferson, foi até chamado de ‘monstro’, por defender bolas que tinham o caminho do gol. O outro, Kieza, que fez 2 a 1 para o Alvinegro.

– O Kieza é um jogador muito complicado, porque ele é muito bom na primeira bola. No primeiro gol, ele roça a bola, joga para trás e sai o gol. Na segunda, ele subiu mais que a zaga.

Saudações Tricolores,
Nicholas Rodrigues.

FluFest 2018: clique aqui e garanta sua presença na festa de 116 anos do Fluminense!

Top